quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Aeroportos do interior de SP recebem R$ 19,5 mi em investimentos

29/11/2011 - Folha de São Paulo

LEANDRO MARTINS
DE RIBEIRÃO PRETO

Os aeroportos de Ribeirão Preto, Araraquara e São Carlos vão receber juntos cerca de R$ 19,2 milhões em investimentos, num pacote de obras já em andamento ou com licitações abertas.

Dos três aeroportos, apenas o de Ribeirão Preto (313 km de SP) recebe voos regulares, mas boa parte do pacote envolve Araraquara (273 km de SP), onde a Azul planeja operar a partir de 2012. São Carlos (232 km de SP), por sua vez, pleiteia tornar-se um polo alfandegário de cargas.

Em Araraquara, duas licitações em andamento, abertas pelo Daesp (Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo), preveem aproximadamente R$ 9 milhões em obras no aeroporto Bartholomeu de Gusmão.

Cerca de R$ 7 milhões serão usados apenas para a construção de um novo terminal de passageiros. Com área total de 1.770 m², o local terá salas de embarque e desembarque, espaços para lojas, locadoras e lanchonetes. Os outros R$ 2 milhões serão destinados à construção de um estacionamento no novo terminal, com 158 vagas.

As duas obras são necessárias para que o aeroporto volte a receber voos regulares --como a Folha publicou em setembro, a Azul já demonstrou interesse em operar ligações com Campinas, onde a empresa tem uma base operacional e faz escalas e conexões para o resto do país.

Em Ribeirão Preto, são outros R$ 10 milhões entre licitações abertas e obras já em andamento no Leite Lopes.

Um pacote prevê a ampliação do estacionamento de veículos, instalação de aparelho de raios X para inspeção de bagagem despachada, novas esteiras, instalação de circuito de TV, entre outros serviços.

*RECORDE *

Há ainda editais para concessão de duas áreas, uma delas para a instalação de um novo parque de abastecimento das aeronaves.

A outra prevê um terreno de 3.200 m² para a instalação de novos hangares. Segundo o Daesp, os espaços poderão ser usados para abrigo de aviões executivos, oficina de manutenção e serviços de táxi-aéreo.

De janeiro a outubro deste ano, 936,2 mil passageiros passaram pelo Leite Lopes, um recorde de movimento. O número representa aumento de 75% de embarques e desembarques em relação ao mesmo período de 2010.

CARGAS

O Daesp prevê também cerca de R$ 230 mil em obras no aeroporto Mario Pereira Lopes, em São Carlos. O dinheiro será gasto em uma nova sinalização na pista e na construção de cercas no local.

O mais aguardado pela Prefeitura de São Carlos, porém, é o pedido de internacionalização, para que o terminal possa receber uma estrutura de alfândega para cargas.

O prefeito Oswaldo Barba (PT) disse que o pedido já foi feito a órgãos da União. No entanto, como o aeroporto é estadual, o processo de internacionalização deve ser conduzido pelo Estado.

A assessoria do Daesp informou que o órgão está em fase de consulta a instituições federais, como Receita, Polícia Federal, Anvisa e Ministério da Agricultura. Só após a manifestação desses órgãos é que o processo deve ser remetido para análise da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

TAP é eleita melhor companhia aérea internacional no Brasil

29/11/2011 - Jornal de Turismo

A TAP foi eleita a Melhor Companhia Aérea Internacional entre as várias companhias estrangeiras em operação no Brasil, no âmbito da 34ª edição da Feira de Turismo do Estado de São Paulo, Aviestur, ocorre hoje a cerimônia de entrega dos troféus durante o Seminário Aviesp.

Instituídos pela Aviesp, a Associação das Agências de Viagens Independentes do Interior do Estado de São Paulo, com o objetivo de valorizar e reconhecer publicamente os melhores no Turismo Brasileiro, e resultantes da eleição pelos agentes de viagens da região, os Prêmios Top Aviesp distinguem as empresas e operadores do setor que mais se notabilizam em cada ano.

Ao ser consagrada vencedora nesta edição de 2011, a TAP, que é a companhia aérea com maior oferta de voos para o Brasil entre todas as companhias internacionais, vê assim reforçado o seu prestígio nesse importante mercado e vê reconhecido o trabalho que vem desenvolvendo consistentemente, nos últimos anos, pela promoção e dinamização do turismo entre Portugal e o Brasil.

Com mais de 70 frequencias diretas semanais entre Portugal e o Brasil, a TAP serve dez destinos no país: Fortaleza, Natal, Recife e Salvador no Nordeste; Brasília e Belo Horizonte no Centro, Rio de Janeiro, São Paulo, Campinas no Sudeste e Porto Alegre no Sul.

No ano passado a TAP transportou 1.400 mil passageiros entre os dois países, o Brasil é hoje já o terceiro mercado da companhia no transporte de passageiros de e para Portugal (ponto a ponto), assumindo o tráfego de ligação de grande importância.

Azul deverá ter novos voos entre o Sul e o Centro-Oeste

29/11/2011 - O Estado de São Paulo

AE - Agencia Estado

SÃO PAULO - A Azul anunciou hoje que pediu autorização para novos voos entre cidades do Sul e do Centro-Oeste do Brasil. A operação, conhecida como Trem do Oeste, terá voos diários entre Porto Alegre, Curitiba, Maringá, Campo Grande e Cuiabá. Ela terá início em 27 de fevereiro de 2012 se for aprovada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

A solicitação inclui a quarta frequência entre Curitiba e Porto Alegre, a segunda frequência entre Curitiba e Maringá e o lançamento de um voo que conecta Clientes de Maringá a Campo Grande e de Campo Grande a Cuiabá.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Concessão para aeroporto no RN será assinado amanhã

26/11/2011 - Mercado e Eventos

O contrato de concessão do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, primeiro aeroporto federal concedido à iniciativa privada, será assinado pelo Governo Federal e pelo Consórcio Inframérica, vencedor do certame, na segunda-feira, 28 de novembro.

A solenidade ocorrerá às 11h, na pista do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, e contará com a presença da presidenta Dilma Rousseff, do ministro da Aviação Civil, Wagner Bittencourt, do diretor-presidente da ANAC, Marcelo Guaranys, da governadora do Estado, Rosalba Ciarlini, de representantes do Consórcio, além de outras autoridades.

O consórcio Inframérica venceu o leilão de concessão para construção parcial, manutenção e exploração do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante (ASGA), localizado em São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte (RN). O Leilão nº 01/2011, realizado no dia 22/08, pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) na BM&FBOVESPA, permitiu a primeira concessão de um aeroporto federal à iniciativa privada pelo lance de R$ 170 milhões.

O consórcio Inframérica é constituído pela empresa Argentina Corporación América e pelo Grupo Engevix, controlado pela Jackson Empreendimentos e composto por mais quatro empresas. O grupo vencedor terá até três anos para construir os terminais e um prazo de mais 25 anos para exploração. O contrato de concessão poderá ser renovado por, no máximo, mais cinco anos, quando o aeroporto retornará ao poder público.

A estimativa da Anac é de que o consórcio vencedor invista R$ 650 milhões na construção dos terminais e em sua operação. O ASGA substituirá o atual Aeroporto Internacional Augusto Severo de Natal (RN) e poderá ficar pronto para a Copa de 2014. A previsão é de que o terminal tenha movimento de 3 milhões de passageiros em 2014, valor que pode subir para 4,7 milhões em 2020 e para 7,9 milhões em 2030.

Iris Lettieri, dona da voz inconfundível que há 35 anos anuncia os voos, tem medo de andar de avião

27/11/2011- O Globo, Bia Guedes

RIO - "Voo 752 para Paris, Roma, Londres, embarque portão 7". "Voo 342 para Pindamonhangaba, embarque portão 2". Os voos são fictícios, mas a voz de Iris Lettieri, que acabou conhecida como a mais bonita do mundo, continua a mesma. Há 35 anos, seu registro de contralto, grave e aveludado, provoca frenesi nos passageiros que circulam pelo Aeroporto Internacional Tom Jobim e por outros quatro que usam sua voz: Santos Dumont, Guarulhos, Congonhas e Manaus.

A vida de Iris Lettieri em fotos

No apartamento, em Botafogo, onde vive com o sexto companheiro, o baixista Alexandre Dekert, Iris faz as honras da casa. Serve suco de uva, conta que engordou depois que parou de fumar e revela um segredo guardado a sete chaves, ou melhor, a sete turbinas: não anda mais de avião, porque morre de medo.

— Viajei o Brasil todo, mas não consigo mais, estou com fobia. A consciência de que meu tempo neste planeta está acabando me faz valorizar tanto a vida que não quero arriscar — diz Iris. — Parece ironia, mas, fora do Brasil, só conheço Buenos Aires.
Mãe de Iris dava aulas de canto
Metódica (anota as datas significativas de sua vida), Iris tem uma alegria contagiante. De repente, estica a calça largona, mostra o quanto a peça é confortável, e diz que, a esta altura da vida, prioriza o bem-estar.
— Ando sempre com esse tipo de calça, camiseta solta, sandálias e cara lavada. O máximo que eu ponho é batom cor de boca, porque meus lábios são sensíveis demais — explica ela, que tem o site www.irislettieri.com.br.
A carreira de locutora nasceu em casa: o pai, José Avelino Costa, foi locutor da antiga Rádio Cruzeiro do Sul; a mãe, Joselia Lettieri, professora de piano, canto e dicção. Mas a menina franzina ganhou o mundo com as próprias pernas e a obstinação típica das virginianas.
— Quando eu tinha 16 anos, minha mãe foi convidada para dar um concerto na Rádio MEC. Eu e meu pai ficamos esperando na sala de som. Então vi um gravador e perguntei ao técnico se ele podia gravar a minha voz, pois eu tinha a maior curiosidade em ouvi-la. Ele disse sim, me deu um jornal, e li uma notícia.
Magra, míope e cheia de charme
Foi o bastante para a vida de Iris mudar. Ela apareceu pela primeira vez diante das câmeras da TV Continental, em julho de 1959. Garota-propaganda, tímida e magra demais, não seguia os padrões da época. Ainda por cima, era míope e precisava usar óculos de lentes grossas que, ironicamente, acabaram lhe dando um charme extra. Assim, começou a pilotar fogões, abrir geladeiras, recomendar perfumes, cremes e deitar-se languidamente em sofás para delírio dos espectadores. Foi eleita a melhor garota-propaganda daquele ano.
Só que o amor aconteceu. Aos 19 anos, ela se casou e foi morar em Porto Alegre. Virou apresentadora da TV Gaúcha e ficou amiga de Elis Regina. Mas o amor, sempre ele, acabou:
— Meu marido, 15 anos mais velho, me trocou por uma desquitada de 35, com três filhos. Eu tinha 21. Na separação, abri mão de pensão, só exigi de volta meu nome de solteira.
Ela conta que começou a carreira como Iris Costa.
— Mudei para Lettieri porque estava cansada de explicar que não era filha do humorista Costinha — explica, bem-humorada, lamentando apenas que o sonho de ser cirurgiã tenha sido abortado pela vida.
Mas Iris queria o mundo, e o jornalista Fernando Barbosa Lima lhe abriu as portas convidando-a para ser a primeira locutora de telejornal do país.
— Tive a oportunidade de trabalhar ao lado de dois monstros sagrados do jornalismo, Luiz Jatobá e Sergio Porto.
Em 1964, foi convidada pela TV Rio para apresentar um jornal retrospectivo, aos sábados, e ser comentarista de um programa esportivo ao lado de estrelas como Oduvaldo Cozzi, Luís Mendes, Nelson Rodrigues e João Saldanha.
— Ao mesmo tempo fui chamada para ser manequim de passarela em desfiles de alta-costura e aceitei o desafio — conta ela, que foi capa das principais revistas do país e chegou a processar a banda americana Faith No More. — Eles colocaram a minha voz no lançamento do CD Angel Dust. Ameacei processar, mas acabei fazendo um acordo, era mais rápido.
Carreira na TV deu projeção
Em 1965, foi contratada pela TV Globo, como locutora de telejornal e, no ano seguinte, passou a fazer parte do elenco de noticiaristas da TV Tupi.
— Fiquei lá 11 anos, e a transmissão via satélite me deu projeção nacional — conta ela, que trabalhou em nove canais de TV ao longo de 28 anos de carreira e também atuou como atriz na TV Continental, como na peça "O que será de nós?", de Walter Avancini.
Foi tanto sucesso que, antes da inauguração do aeroporto, Iris foi convidada para ser a voz de chegadas e partidas.
— Atualmente, as gravações são feitas no Rio. Como o sistema é computadorizado, gravo só palavras e números, com entonações variadas, e o computador edita as frases — explica Iris, que pretende escrever um livro sobre a origem da mãe.
Dona Joselia foi adotada pelo cônsul da Itália em Natal, Guglielmo Lettieri, homem rico, dono de hotéis, fábricas de gelo e fã de Mussolini e Hitler. Ele cortou relações com a mãe de Iris quando ela veio morar no Rio.

— Ela veio morar com meu pai, um homem simples que não podia dar a mesma vida que ela tinha com meu avô. Mas minha mãe não suportou aquela vida de necessidades. Quando nasci, morávamos numa casa de cômodos, meu berço era um caixote forrado com cobertor.
Iris: ‘Jamais ficaria nua’

Reservada quando o assunto é a vida pessoal, ela jura que, ao contrário do que muitos pensam, não ficou nua, em 1986, num anúncio que fez para a Petrobras. Estava com 42 anos, um corpo impecável, e o sucesso foi retumbante. O comercial, dividido em capítulos, induzia o telespectador a pensar que Iris terminaria completamente nua.

— Eu tirava o casaco, a meia, depois abria um botão da blusa, depois outro, até ficar com um decotão. O clima insinuava que eu ia tirar a blusa, mas eu não tirava. No final, eu aparecia sentada, ao contrário, numa cadeira com espaldar alto que tapava toda a minha frente: o público só via meu colo nu, as pernas e os braços. Mas eu estava de short, jamais ficaria nua.

sábado, 26 de novembro de 2011

Grupo holandês lança no Brasil projeto de voos particulares ao espaço

26/11/2011 - R7, Eduardo Marini

A partir de 2014, empresa vai comercializar "passeio" de uma hora por R$ 180 mil

A Terra recebeu o seu habitante número sete bilhões dias atrás. Outros bilhões de humanos, como se sabe, passaram pelo planeta mas não estão mais por aqui. 

De todos esses, vivos ou mortos, apenas 500 tiveram a oportunidade de viver um momento encantado: romper a barreira da atmosfera em uma aeronave, subir até o espaço, flutuar na ausência da força da gravidade e, de lá, ver como a Terra é linda e azul. Esses 500 eleitos pelo destino são os astronautas das missões oficiais e governamentais realizadas do início da corrida espacial até hoje.

Há, no entanto, uma novidade relevante flutuando no espaço: a partir de 2014, você, nobre amigo, ou qualquer outro cidadão, poderá entrar para essa galeria de privilegiados. Mas não a serviço de um governo, e, sim, como um astronauta da iniciativa privada.

Você se tornaria um dos primeiros cidadãos do mundo a romper os limites do espaço numa missão organizada por um grupo particular.

Para isso, o candidato vai precisar de alguma coragem, um pouco de espírito de aventura, da saúde em dia, de um pouco de tempo disponível para o treinamento e... U$ 95 mil, ou cerca de R$ 180 mil, disponíveis para gastar na brincadeira apaixonante. 

O projeto, o SXC – Space Expedition Curaçao, criado por empresários e astronautas experientes, administrado a partir da cidade holandesa de Amsterdã e com base de operações na bela ilha de Curaçao, no Mar do Caribe, foi lançado no Brasil na noite desta sexta-feira (25), em São Paulo.

Apesar do preço para lá de salgado, como a rigor não poderia deixar de ser em projetos como este, o SXC, com seu apelo absolutamente encantador, tem tudo para marcar época.

O ponto central do projeto é a X-Cor Lynx, uma aeronave projetada para carregar apenas duas pessoas: o piloto e, ao lado dele, como copiloto, a pessoa que pagou pela aventura de ser um astronauta de primeira viagem.

A X-Cor Lynx incorporou soluções de tecnologia para permitir que o novo aventureiro retire as maiores emoções possíveis da experiência de ir e voltar ao espaço em uma hora de jornada.

O vidro da cabine, enorme e panorâmico, permite visões impressionantes da Terra e do espaço.

A aeronave é preparada para planar com toda a segurança.

Seus quatro poderosos motores a jato podem ser ligados e desligados a qualquer momento que o piloto necessite retomar o voo por propulsão.

Ao contrário das primeiras naves e de ônibus espaciais como Discovery e Columbia, a Lynx não se desprende de foguetes transportadores depois de seu lançamento, não precisa de porta-aviões para qualquer manobra e tampouco faz aterrissagens no mar, com módulos separados, no retorno da expedição.

Ela vai decolar de uma pista especialmente preparada no aeroporto internacional de Hato, na ilha de Curaçau, para voos de uma hora. De acordo com idealizadores do projeto, ela teria capacidade de fazer 5 mil dessas jornadas.

Nessas viagens espaciais, a Lynx romperá a barreira do som (1.234,8 km/h) pela primeira vez com apenas um minuto de voo após a decolagem e atingirá a velocidade máxima de subida (três vezes a velocidade do som, ou espantosos 3.704,4 km/h) aos três minutos de trajeto.

Aos 58,5 km de subida, os motores são desligados e a aeronave continua a subir na força residual, no “embalo” dos propulsores.

O pico da jornada está a 103 km de altura, já fora da atmosfera e no ambiente do espaço (a divisão entre a atmosfera e o espaço é convencionada em 100 km de altura). 

A partir deste ponto, por quatro a seis minutos, piloto e copiloto flutuam e passam por outras experiências rápidas sem a G-Force, ou seja, a força da gravidade que, na Terra, puxa tudo para o chão.

A partir daí, com os motores desligados e Lynx planando, começam a descida e o retorno à mesma pista de onde a nave decolou.

Antes disso, alguns círculos e flutuações, para que o astronauta de primeira viagem se divirta ainda mais.

Após 30 a 40 minutos de um delicioso voo de descida sem motor, conhecido no meio como “flutuar nas asas de um anjo”, a Lynx, uma hora depois da partida, aterrissa no Spaceport do aeroporto de Curaçao. 

A descrição da viagem feita pelos astronautas criadores do projeto e piloto das naves é ainda mais emocionante.
 

Foto: Divulgação/SXC

Vamos a ela:

Decolagem - A Lynx simplesmente sai da pista alongada do aeroporto Hato, em Curaçao. Você estará sentado ao lado do piloto, passando por cima da checklist de decolagem. Os quatro motores são iniciados. Sua viagem espacial começou.

Primeiro minuto – A barreira do som é quebrada pela primeira vez e os integrantes sentem o impulso poderoso tão familiar a pilotos de aviões a jato e de carros de Fórmula 1. Antes que o novato perceba, a Lynx estará acelerando incrivelmente rápido na pista longa. A paisagem nos dois lados, que inclui o belo mar do Caribe, se transforma numa imensa massa verde-azulada. E então você vai para cima, rápida e acentuadamente, em direção ao céu. A enorme cúpula transparente da aeronave oferece uma vista espetacular, incomparável. Em um minuto, você estará quebrando a barreira do som pela primeira vez.

Terceiro minuto - Acelerada de forma magnífica por seus quatro motores a jato, a Lynx está rápida como uma bala. A visão do azul brilhante do mar do Caribe é inigualável, rara, indescritível. Ilhas do tamanho da Holanda se transformando, ao olhar, em pequenos pontos. E aí você atinge Mach 3, ou seja, três vezes a velocidade do som. Uma raridade que nem mesmo um experiente piloto de um caça F16 teve o prazer de desfrutar.

Na subida, do km 58,5 ao km 103 – A uma altitude de 58,5 km, o piloto desliga os motores. A curva da parábola do voo começa a ser feita e a tripulação experimenta entre quatro a seis minutos sem gravidade. A partir dos 100 km de altura, a fronteira oficial do espaço, o ambiente externo é completamente preto, apesar do sol. Neste ponto, as curvas completas da Terra são claramente visíveis. A tripulação localiza claramente o trecho que vai do Estado americano da Flórida até o Brasil, com o deslumbrante Caribe no centro.

Deslizando para trás, sobre "as asas de um anjo" – Após o ponto alto, entre 100 km e 103 km, a depender das condições gerais, a volta para a Terra, flutuando, é iniciada. A uma altitude de 60 km, a nave lentamente começa a se transformar em um planador. A cerca de 10 km do chão, a Lynx começa a perder velocidade para pousar. Durante essas manobras, o astronauta de primeira viagem vai experimentar, por alguns segundos, uma pressão de 4,5 G, ou seja, uma força 4,5 vezes superior àquela que a gravidade exerce sobre as coisas na Terra. Isso só costuma ocorrer com pilotos de caças a jato. Por isso a preparação anterior é necessária. Após um longo tempo de voo livre, “flutuando nas asas de um anjo”, a Lynx pousa no spaceport do aeroporto de Curaçao como um ônibus espacial. Tudo isso terá consumido uma hora.

Um sonho maravilhoso, enfim. Mas o que se deve fazer, afinal, em caso de interesse?

O projeto oferece dois programas. O primeiro, batizado de Astronauta Fundador, terá cem pessoas, entre eles a modelo holandesa Doutzen Kroes e o top DJ Armin van Buuren.

Esses clientes terão alguns mimos exclusivos, uma missão de formação complementar e uma estadia de três noites em um hotel de luxo em Curaçao.

Preço: U$ 95 mil (cerca de R$ 180 mil) à vista até sete dias após a assinatura do contrato. Os astronautas desse projeto começarão a voar em 2014. O primeiro, um sujeito que certamente entrará para a história como o primeiro astronauta privado do mundo, será escolhido por sorteio.

Quando todos os clientes desse programa tiverem ido ao espaço, serão iniciadas as jornadas do segundo lote, o Astronauta do Futuro.

Eles também terão três noites nos mesmos hotéis de luxo em que a turma inicial foi abrigada. A ordem de voo, neste caso, será definida pelo número do contrato.

Preço: 95 mil dólares, com 50 mil pagos até sete dias após a assinatura do contrato e os US$ 45 mil restantes encaixados antes do voo, marcado para ocorrer entre 2014 ou 2015.

Para entrar na página de inscrição do programa (em inglês), clique aqui.

Os representantes do Space XC no Brasil são Fernando Batelli (fernando@cirobatelli.com.br) e Vitor Lozetti (vitor@lozetti.com.br).

A turma do projeto parece realmente empolgada.

A reportagem do R7 trocou informações, e-mails e considerações com um dos membros do time, a holandesa Nathalie Streng, da equipe de gerentes do projeto.

No final de seus e-mails, após o endereço, Nathalie não faz por menos:

- The Netherlands (Holanda). Planet Earth.

Tradução: Planeta Terra.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Volume de passageiros no setor aéreo descola do crescimento do PIB

24/11/2011 - Valor

Por Samantha Maia

SÃO PAULO – O crescimento do número de pessoas que viajam de avião no país tem descolado da evolução do Produto Interno Bruto (PIB), parâmetro utilizado para prever a expansão da aviação comercial brasileira. De janeiro a outubro deste ano, embarques e desembarques cresceram 16,7% em relação ao mesmo período de 2010, mantendo a tendência de alta, enquanto a previsão de aumento do PIB é de cerca de 3%, bem abaixo dos 7,5% do ano passado.

A estimativa é de que neste ano 8,7 milhões de pessoas tenham viajado pela primeira vez de avião, o que significa 41% do crescimento registrado até outubro, em relação ao ano passado. O país já é o quarto colocado no mundo em números de embarques.

Para Walter Américo Souza, superintendente de planejamento aeroportuário e de operações da Infraero, o forte ritmo de crescimento do volume de passageiros, mesmo com um PIB menor, desafia o setor a buscar outros parâmetros para seu planejamento. “O aumento de passageiros no setor aéreo descolou do PIB e nos últimos três anos o crescimento foi maior, o que exigiu, por exemplo, o uso de módulos operacionais provisórios na expansão dos aeroportos”, diz Souza, que participou nesta quinta-feira  do Expo Airport 2011, em São Paulo.

A Região Metropolitana de São Paulo deverá registrar um dos maiores crescimentos em volume de passageiros nos próximos anos, segundo estimativa da Infraero. Os planos de investimento da empresa preveem demanda de 67 milhões de passageiros na região em 2014 e de 142 milhões em 2029.

(Samantha Maia)

Terminal de Passageiros do Aeroporto de Porto Velho será reformado

24/11/2011 - Infraero

      A Infraero assinou nesta quinta-feira (24/11) a Ordem de Serviço para reforma do Terminal de Passageiros do Aeroporto Internacional de Porto Velho/Governador Jorge Teixeira de Oliveira (RO). O investimento será de R$ 7,9 milhões e o prazo para que a empresa contratada conclua a obra é de 455 dias.
 
      O Terminal será ampliado em 2.250 m², com expansão das salas de embarque e desembarque, praça de alimentação e áreas comerciais deste segmento. As áreas operacionais também serão ampliadas. Além disso, haverá modernização da fachada e o forro da marquise será substituído, assim como os equipamentos eletromecânicos, incluindo as esteiras de bagagem.  
 
      A reforma contemplará ainda mudanças para tornar o aeroporto mais acessível a deficientes físicos. Será instalada faixa elevada para travessia de pedestre e piso tátil, além de melhorias na pavimentação das vagas acessíveis do estacionamento e implantação das vagas acessíveis no meio-fio de embarque e desembarque. 
 
      Para o superintendente do Aeroporto de Porto Velho, Reginaldo Peixoto, as obras demonstram o compromisso da Infraero com o crescimento econômico do estado de Rondônia. “Nossas ações estão focadas na satisfação dos nossos clientes e usuários. Estamos iniciando obras de uma importância significativa para a qualidade dos serviços prestados para atender a demanda atual e futura”, afirmou.
   
   Assessoria de Imprensa – Infraero
   imprensa@infraero.gov.br
   www.twitter.com/canalinfraero

Obras embargadas do aeroporto de Goiânia serão retomadas em 2012

24/11/2011 - G1 GO, com informações da TV Anhanguera


Novo cronograma define para 2014 a entrega da primeira etapa do projeto. Tribunal de Contas da União embargou a reforma em 2007.

Embargadas em 2007 pelo Tribunal de Contas da União (TCU), as obras do novo Aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia, serão retomadas em abril de 2012.

A data para a retomada do projeto, assim como um novo cronograma, ficou estabelecida em uma reunião na sede do TCU em Brasília, na quarta-feira (24).

Participaram do encontro, conduzido pelo ministro do TCU Raimundo Carreiro, o governador de Goiás, Marconi Perillo, representantes do consórcio responsável pela execução das obras e diretores da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Apesar do anúncio, o Tribunal só vai assinar o acordo no dia 20 de dezembro.

O contrato continua o mesmo de 2007, mas com algumas mudanças. “Faremos a retomada desse contrato, em outras bases renegociadas de preços e condições de execução”, disse o diretor de engenharia da Infraero, Jaime Barreira.

O custo ainda não está definido. Na primeira fase, o consórcio terá de concluir as áreas de embarque e desembarque, com previsão para terminar em 2014. A etapa final deve ser entregue em 2020.

Apesar da demora, o governador Marconi Perillo se mostrou contente com o avanço nas negociações. “Eu estou otimista, porque percebo boa vontade das duas partes. E também do Tribunal de Contas, que é o juiz dessa demanda”, explicou.
Histórico

As obras do aeroporto de Goiânia se tornaram uma verdadeira novela. Em 2002, o governo anunciou a licitação para a construção do novo terminal.
Dois anos depois, em setembro de 2004, a Justiça Federal em Goiás suspendeu o processo licitatório e as obras paralisaram.

Em 2005, outra decisão, também da Justiça Federal, autorizou o reinício da construção, contrariando o pedido do Ministério Publico Federal. Na época, houve a liberação de R$ 30 milhões para o projeto.

Azul pede autorização para operar novo voo que vai ligar Belo Horizonte a Ipatinga

23/11/2011 - Estado de Minas

Se aprovado,será o quarto destino da companhia em Minas Gerais
Marina Rigueira - Estado de Minas

A Azul Linhas Aéreas pediu autorização à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) nesta quarta-feira para operar novo destino, que vai ligar Belo Horizonte a Ipatinga. Se aprovado, será a quarta cidade servida pela companhia no estado juntamente com Belo Horizonte (Confins), Uberaba e Juiz de Fora.

Ao todo, o pedido prevê três freqüências diárias entre a capital mineira e Ipatinga. O início das operações está previsto para 15 de fevereiro. A aérea pediu ainda autorização para a criação de um novo voo ligando Belo Horizonte (Confins) e Uberaba. Se aprovado, serão duas freqüências diárias também a partir de 15 fevereiro. Estes pedidos reforçam o interesse da companhia por Minas Gerais, que é hoje o segundo hub da Azul.

Confira os horários em aprovação:

Aeroporto Regional de Lavras é homologado pela Anac

23/11/20111 - Estado de Minas, Marina Rigueira

O Aeroporto Regional de Lavras “Padre Israel” foi homologado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) na manhã desta quarta-feira. A portaria nº 2.243/11 foi publicada no Diário Oficial da União e altera a inscrição do aeródromo de Lavras, mantendo-o aberto ao tráfego aéreo.

No dia 21 de setembro estiveram no aeroporto de Lavras, os Inspetores de Aviação da Anac, Osvaldo Cavalcante e Virgílio Castelo Branco, para a vistoria final, que foi realizada para conferir as condições da pista, área de segurança e balizamento noturno. A partir do resultado da vistoria, a Anac constatou que o aeroporto estava apto a manter tráfego aéreo.

O Aeroporto Padre Israel está liberado para pouso e decolagem de aviões com até 52 passageiros das linhas aéreas regulares, em pousos diurnos e noturnos. As empresas aéreas só operam em aeroportos homologados pela Anac, pois esta é uma exigência de suas seguradoras.

O aeroporto de Lavras foi reinaugurado no dia 17 de março de 2010, após a conclusão da obra no valor de quase R$ 12 milhões, necessária para que o aeródromo existente até então se adequasse às normas exigidas para sua homologação.
Na sexta-feira, uma reunião em Belo Horizonte, entre as autoridades municipais e uma das companhias aéreas que demonstrou interesse em colocar Lavras em suas rotas, deverá acontecer.

Inicialmente a cidade poderá contar com vôos regulares para Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro. Um ponto que deverá ser apresentado às empresas interessadas é a frequência de estudantes que fazem cursos a distância na Universidade Federal de Lavras (Ufla), via Faepe (Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão).

pela Anac
Marina Rigueira - Estado de Minas

O Aeroporto Regional de Lavras “Padre Israel” foi homologado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) na manhã desta quarta-feira. A portaria nº 2.243/11 foi publicada no Diário Oficial da União e altera a inscrição do aeródromo de Lavras, mantendo-o aberto ao tráfego aéreo.

No dia 21 de setembro estiveram no aeroporto de Lavras, os Inspetores de Aviação da Anac, Osvaldo Cavalcante e Virgílio Castelo Branco, para a vistoria final, que foi realizada para conferir as condições da pista, área de segurança e balizamento noturno. A partir do resultado da vistoria, a Anac constatou que o aeroporto estava apto a manter tráfego aéreo.

O Aeroporto Padre Israel está liberado para pouso e decolagem de aviões com até 52 passageiros das linhas aéreas regulares, em pousos diurnos e noturnos. As empresas aéreas só operam em aeroportos homologados pela Anac, pois esta é uma exigência de suas seguradoras.

O aeroporto de Lavras foi reinaugurado no dia 17 de março de 2010, após a conclusão da obra no valor de quase R$ 12 milhões, necessária para que o aeródromo existente até então se adequasse às normas exigidas para sua homologação.
Na sexta-feira, uma reunião em Belo Horizonte, entre as autoridades municipais e uma das companhias aéreas que demonstrou interesse em colocar Lavras em suas rotas, deverá acontecer.

Inicialmente a cidade poderá contar com vôos regulares para Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro. Um ponto que deverá ser apresentado às empresas interessadas é a frequência de estudantes que fazem cursos a distância na Universidade Federal de Lavras (Ufla), via Faepe (Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão).

Voo popular

24/11/2011 - O Globo, Flávia Oliveira

A TAM abrirá quiosques nas estações Botafogo e Central do MetrôRio até segunda. Está de olho na alta da renda das classes CD. Na promoção inaugural, dará 50% de desconto em passagens com saída e chegada no Rio. Mês passado, a Webjet abriu estande na Central do Brasil.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

ANAC renova concessão da TAM por mais dez anos

23/11/2011 - Transporta Brasil

Contrato foi assinado durante Fórum de Líderes da Associação de Transporte Aéreo da América Latina e Caribe, realizado no Rio de Janeiro

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) renovou por mais dez anos a concessão da TAM Linhas Aéreas para prestação de transporte aéreo público regular de passageiros, cargas e mala postal.

O contrato foi assinado durante o Fórum de Líderes da ALTA (Associação de Transporte Aéreo da América Latina e Caribe), na última sexta-feira (18).

“É simbólico termos a concessão renovada no ano em que completamos 35 anos de serviços prestados ao país. Esse contrato comprova que respeitamos as regras do setor e que seguimos os níveis de excelência exigidos pelo mercado. Vamos continuar nos empenhando para prestar um serviço de alta qualidade para nossos clientes”, destaca Líbano Barroso, presidente da companhia.

Além de Barroso, Ruy Amparo, vice-presidente de Operações e Manutenção da empresa, e Marcelo Guaranys, presidente da Agência, também assinaram o acordo.

Infraero abre licitação para obras do novo complexo do Aeroporto de Florianópolis

23/11/2011 - Infraero

      A Infraero abriu nesta quarta-feira (23/11) licitação para contratar as obras de terraplanagem, drenagem, pavimentação e balizamento luminoso das Pistas de taxiamento do novo complexo do Aeroporto Internacional de Florianópolis/Hercílio Luz (SC). Orçada em aproximadamente R$ 161 milhões, os serviços deverão ser executados em 720 dias, a contar da assinatura da Ordem de Serviço.
 
      Ao todos, 33 concorrentes, entre empresas e consórcios, participaram da abertura do processo. Após o recebimento dos documentos de habilitação e proposta de preços, a Comissão de Licitação avaliará os papéis apresentados e divulgará o resultado no Diário Oficial da União. A partir da publicação, os licitantes terão cinco dias úteis para apresentar recurso administrativo.
 
      Clique aqui para acessar o edital e o andamento da licitação para as obras das novas pistas de taxiamento do Aeroporto de Florianópolis.
 
      “A abertura dessa licitação é um passo importante para que se consiga ter o novo aeroporto dentro do prazo previsto pelo planejamento da empresa”, destacou o superintendente do Aeroporto de Florianópolis, Filipe Barcellos.
 
Obras em andamento

Enquanto dá andamento à licitação para construção do novo complexo do Hercílio Luz, a Infraero já possui obras em execução no aeroporto da capital catarinense. Desde outubro deste ano, estão em execução os serviços de modernização do sistema de climatização do Aeroporto de Florianópolis. Os trabalhos, orçados em R$ 1,5 milhão, compreendem a troca dos equipamentos atuais por modelos automatizados, capazes de fazer o resfriamento inteligente dos ambientes.

As torres de resfriamento a água utilizadas atualmente serão substituídas por chillers – equipamentos eletrônicos que movimentam o ar para gerar resfriamento de forma mais ampla e eficiente. Os dutos também serão substituídos por novas canalizações, dotadas de isolamento térmico para evitar a condensação do ar.

      O novo sistema terá uma maior capacidade de resfriamento, com menor consumo de energia e nenhum gasto de água, assim como manutenção e limpeza mais fáceis. O controle do sistema será feito por meio de um computador central, programado para climatizar os ambientes conforme a quantidade passageiros que chegar ou partir do aeroporto. As informações serão captadas por meio de dispositivos capazes de verificar a temperatura das salas e fazer a regulagem da climatização conforme a leitura dos ambientes.

   Assessoria de Imprensa – Infraero
   imprensa@infraero.gov.br
   www.twitter.com/canalinfraero

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Embraer vende 15 jatos para BOC Aviation

22/11/2011 - Webtranspo

Fabricante vai permitir alta da frota de E-Jets                         

A empresa de leasing asiática BOC Aviation acaba de firmar um acordo para a compra de 15 aeronaves Embraer modelo 190, com entregas previstas para o quarto trimestre de 2012 e 2014.

De acordo com a fabricante, o avião E190 é particularmente atrativo para empresas de leasing de aeronaves devido à versatilidade operacional e comprovada adaptabilidade a uma ampla variedade de modelos de negócios de companhias aéreas em todo o mundo.

“A expertise, experiência e presença de mercado do BOC Aviation oferecerão às companhias aéreas, nossos clientes mútuos, uma maior variedade de oportunidades de financiamento para que continuem expandindo suas frotas de E-Jets”, Paulo Cesar de Souza e Silva, vice-presidente executivo da Embraer para o mercado de aviação comercial.

O BOC Aviation é a empresa de leasing de aeronaves líder na Ásia e conta com uma moderna frota, que opera em mais de 40 companhias aérea em todo o mundo. O BOC Aviation tem sede em Singapura e possui escritórios na Europa e EUA.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Gol e Webjet terão vendas conjuntas em dezembro

21/11/2011 - O Estado de São Paulo, Glauber Gonçalves

Segundo o presidente da Gol, Constantino Junior, essa é uma das medidas permitidas pelo acordo feito com o Cade.

A Gol deve iniciar em dezembro o processo de venda compartilhada de passagens com a Webjet, disse ontem o presidente da companhia, Constantino de Oliveira Júnior. "Estamos passando por integrações permitidas pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica)", declarou o executivo, após participar de painel em encontro do setor realizado pela Associação Latino-americana de Transporte Aéreo, no Rio.

A compra da Webjet pela Gol foi anunciada em julho. O processo, no entanto, ainda depende da aprovação do Cade. Enquanto a decisão não sai, o conselho determinou que a estrutura da Webjet seja preservada. O objetivo é que, caso o negócio seja barrado, a operação possa ser desfeita, sem prejuízo aos consumidores.

Também em dezembro, a Gol pretende racionalizar a malha das duas empresas. "Faremos algumas mudanças na malha em dezembro para evitar a sobreposição de voos e aumentar o número de frequências em alguns destinos, permitindo que proporcionemos maior qualidade de serviço para o público", disse Constantino.

O executivo explicou que, quando as duas empresas tiverem voos partindo de um mesmo aeroporto em direção a uma mesma cidade, uma das frequências pode ser deslocada para outro destino.

Perguntado se a Gol analisa se associar a uma companhia estrangeira para contrabalançar o movimento da rival TAM, que está em processo de fusão com a companhia chilena LAN, Constantino destacou que a empresa que ele comanda está focada no mercado brasileiro e que, por enquanto, não há nada em vista nesse sentido.

Ponto de conexão. Também presente no encontro, o presidente da TAM, Líbano Barroso, afirmou que após a conclusão da operação com a LAN, as duas aéreas pretendem trabalhar com dois grandes hubs (pontos de conexão) para voos internacionais: um em Lima, no Peru, e outro no Norte ou no Nordeste do Brasil. A ideia é utilizar a capital peruana como uma base de acesso à Costa Oeste norte-americana e transformar o futuro hub brasileiro numa plataforma para movimentar passageiros para outras partes dos Estados Unidos, Europa e África.

"Hoje, um voo direto de São Paulo para Los Angeles ou para San Francisco não é viável, mas um voo que concentre passageiros em Lima e vá para a Costa Oeste é possível", disse Barroso. "A mesma lógica vale para a Costa Leste da América do Sul, que seria o caso do Norte ou Nordeste do Brasil. De um hub logístico ali, você ficaria a seis horas tanto de Miami, quanto da Europa e África".

Segundo Barroso, a TAM já estuda "grandes cidades" nas duas regiões brasileiras para estruturar o futuro hub da Latam, empresa que deve ser formada com a fusão das duas aéreas, porém uma definição só deve ser sair ao longo de 2012. A expectativa das duas companhias é de que a operação de fusão deve estar concluída até o fim do primeiro trimestre do ano que vem.

Também até o primeiro trimestre de 2012 a Latam deve definir em qual aliança aérea ficará: a StarAlliance, da qual a TAM faz parte hoje, ou a OneWorld, da qual participa a LAN.

Concessionárias miram aeroportos

21/11/2011 - Zero Hora

Da Terra pro ar

As principais concessionárias de rodovias no Brasil devem participar dos leilões dos aeroportos brasileiros. CCR, OHL e Triunfo já anunciaram formalmente que estão estudando disputar os aeroportos de Guarulhos e Viracopos, em São Paulo, assim como o de Brasília, que devem ser licitados entre o final deste ano e o início de 2012. A data dos leilões segue indefinida. Por ora, é 22 de dezembro, mas o edital definitivo ainda não foi divulgado – deve sair só no final deste mês.

Embraer projeta entrega de 780 aviões até 2030

21/11/2011 - Valor Econômico, Virgínia Silveira

A despeito da recuperação mais lenta das economias dos países desenvolvidos da Europa e da América do Norte, algumas regiões do mundo, a exemplo da África, Ásia, Oriente Médio e América Latina, vêm liderando a retomada do crescimento na indústria de aviação. Segundo estudo divulgado pela Embraer sobre a demanda por aeronaves comerciais, na faixa de 60 a 120 assentos, o mercado africano deverá registrar nos próximos 20 anos um crescimento médio anual da ordem de 5,4%.

A marca Embraer está presente no continente africano por meio de 130 aeronaves, operadas por 47 companhias, em 19 países. No segmento de jatos, a região tem 67 aeronaves - entre comerciais e executivas -, distribuídas entre 17 companhias aéreas de 10 países. Em apresentação feita recentemente pela Embraer no Quênia, que comprou cinco jatos E-170 e 10 E-190, a empresa mostrou que 38% dos voos na África são adequados para aeronaves na faixa de 70 a 120 assentos. Além disso, 86% dos embarques intra África têm menos de 110 passageiros a bordo.

Segundo estimativas da empresa, no período de 2010 até 2030, nada menos que 195 jatos de 70 a 120 lugares deverão ser entregues na África - o montante representa 3% do total de jatos dessa categoria vendidos em todo o mundo. Mas a Embraer espera vender muito mais no continente. Nos próximos 20 anos, a expectativa é entregar 780 unidades, das quais 630 serão jatos de diferentes portes.

Empresa fechou parceira com a Egyptair, do Egito, que será um centro autorizado de serviços

Entre as diversas empresas que operam aeronaves Embraer estão a Linhas Aéreas de Moçambique (três jatos E-190); South Africa Airlink (cinco jatos E-135); Virgen Nigeria (dez jatos E-190 e um ERJ-145); Quenya (dez jatos E-190); Egyptair (12 jatos E-170); e Líbia (um jato E-170 para uma empresa de petróleo); S .A Airlink (dois E-170); e Petro Air (três E170).

Com 21% de sua base de clientes de E-Jets no Oriente Médio e África, a Embraer começou a intensificar suas campanhas de vendas nessas regiões a partir deste ano. No dia 15 de novembro, a empresa anunciou ter designado uma equipe regional de marketing e vendas para ficar dedicada aos seus negócios na área de aviação comercial na região. Para comandar a nova equipe, nomeou o diretor Mathieu Duquesnoy.

Essa nomeação, segundo a Embraer, aumentará a influência local dos profissionais de gestão estratégica e operacional. O objetivo é dar melhor atendimento às necessidades dos operadores por meio de uma autoridade e de uma infraestrutura regional. Em comunicado divulgado à imprensa, o vice-presidente executivo para o mercado de aviação comercial, Paulo Cesar de Souza e Silva, disse que a família de jatos da Embraer foi bem recebida na região, onde existe um grande potencial para aeronaves de 70 a 120 assentos.

Para apoiar a crescente frota de E-Jets no Oriente Médio, a Embraer informou ter fechado parcerias com algumas empresas. Uma delas é a Egyptair, do Egito, que já comprou 12 E-170 e acaba de ser nomeada como um centro autorizado de serviços da companhia. "Com a criação dessa nova base de apoio para os clientes, as peças de reposição ficarão mais próximas aos centros de operação e vamos melhorar ainda mais o atendimento", disse o diretor de serviços e suporte da Embraer para a Europa, Oriente Médio, África e Ásia Central, Johann Bordais.

A Embraer possui três centros de serviços autorizados no continente africano e cinco de sua propriedade. A empresa também acaba de estabelecer uma parceria com a Kuehne + Nagel, grupo de logística de atuação mundial, para a construção de um novo centro de logística de atuação mundial, a ser instalado em Dubai, que fornecerá peças de reposição para a frota de aeronaves comerciais da Embraer no Oriente Médio e também na África.

O centro logístico de Dubai, que está sendo construído no Aeroporto Internacional Al Maktoum (DWC), ficará pronto em 2012. Com uma área de 16 mil m2, o empreendimento, de acordo com a Embraer, aumentará a capacidade de estocagem para os mercados da Europa, Oriente Médio e África, anteriormente atendidos pelo centro de distribuição existente em Villepinte, na França.

Na África também é grande a demanda por aviões de segunda mão. O continente tem comprado vários aviões dos modelos turboélice Brasília, de 30 assentos,e do jato ERJ-145, para 50 passageiros. De acordo com a empresa, alguns países da África, a exemplo do Senegal, operam o avião agrícola Ipanema, fabricado pela companhia na unidade instalada em Botucatu, no interior de São Paulo, doados pelo governo Lula

Mesmo com o crescimento da demanda por jatos de maior porte, mais econômicos, e de estar saturado, o mercado para aeronaves na faixa de 50 assentos deve ter uma sobrevida de pelo menos 20 anos. Segundo a Embraer, esses aviões ainda desempenham um papel muito importantes para o desenvolvimento da aviação regional em locais como a África, América Latina e Comunidade de Estados Independentes (CEI).

Aeroporto da Zona da Mata é inaugurado

21/11/2011 - Webtranspo

Terminal visa atender ao polo de Juiz de Fora -

Terminal recebeu investimento de R$ 92 milhões.Foi inaugurado de forma oficial por Antonio Anastasia, governador de Minas Gerais, neste fim de semana, o Aeroporto Presidente Itamar Augusto Cautieiro Franco, localizado entre os municípios de Goianá e Rio Novo, na Zona da Mata mineira. O terminal faz parte da estratégia do Estado em fortalecer e ampliar a sua malha aeroportuária.

“Alguns países se desenvolveram somente por causa do aeroporto. Posso citar Cingapura e Dubai. São nações que avançaram muito pela presença portuária e aeroportuária. Minas Gerais, em razão na nossa história e geografia, não é banhado pelo mar. Por isso temos que investir em bons aeroportos, que tenham capacidade de exportação e importação de carga. E esse tem essa vocação. Já temos hoje uma política fiscal que é competitiva. A própria cidade de Juiz de Fora (que fica a 30 quilômetros do terminal) felizmente, nos últimos dois anos, tem recebido muitos investimentos e tenho certeza que estamos entrando agora em um círculo virtuoso de desenvolvimento. E esse aeroporto é uma âncora, uma das bases dessa infraestrutura”, declarou o governador.

O aeroporto, que conta com a segunda maior pista do Estado (2.530 metros), recebeu um investimento de R$ 92,7 milhões. Atualmente, o terminal já está operando com voos realizados pela Azul Linhas Aéreas.

O Itamar Franco também foi elogiado por Custódio Mattos, prefeito de Juiz de Fora. “O êxito desse aeroporto pode ser medido de imediato: mais de 12 mil passageiros transportados em três meses iniciais (as operações começaram em agosto), taxa de ocupação média de 80% nos voos. E isso, para uma estrutura concebida principalmente para carga e logística. Ninguém tenha dúvida que esse terminal mudará a face econômica de nossa região. Não apenas pela sua importância própria, mas porque sua inauguração é parte de uma política regional do Governo de Minas”, disse.

Além de receber de forma oficial o aeroporto, os moradores da região ganharão uma estrada em melhores condições, pois o governo anunciou que realizará trabalhos na pavimentação dos quase 25,2 quilômetros da MG-353, que ligam o terminal à BR-040. As obras fazem parte do programa Caminhos de Minas e devem ser iniciadas no ano que vem.

Em agosto deste ano, a Multiterminais Alfandegados do Brasil, que opera o porto seco de Juiz de Fora, assumiu concessão do terminal. A companhia realiza os serviços de apoio logístico, atração e distribuição de cargas, administração, conservação e operação. A empresa ainda custeou as obras adequação civil e adquiriu equipamentos para o funcionamento do aeroporto.

Tão logo seja internacionalizado, o que com certeza ocorrerá brevemente, completaremos a multimodalidade da logística regional, que já conta com malha rodoviária e ferroviária. Com isso, Juiz de Fora e a região da Zona da Mata de Minas Gerais tornarão disponível a quem quiser aqui se instalar uma completa logística multimodal. A parceria neste aeroporto concretizada entre o Governo de Minas Gerais e a Multiterminais é exemplo de como o poder público e a iniciativa privada podem caminhar lado a lado, produzindo benefícios para a economia nacional e, particularmente, para as comunidades locais”, afirmou Ricardo Vegas, presidente da empresa.
Valor Econômico
21/11/2011
Gol começa a mudar frota da Webjet em dezembro
Do Rio

A Gol inicia em dezembro a renovação da frota da Webjet. Segundo o presidente da Gol, Constantino de Oliveira Junior, o prazo para a conclusão dessa mudança é de 18 meses.

A Webjet opera 24 aviões da Boeing, modelo 737-300. O plano é trocar esses aviões por uma versão mais moderna, o 737-800. "Nós temos aviões da Boeing que vamos receber na Gol. Os aviões da Gol que devolveríamos para a empresa de leasing vamos levar para a Webjet. Esse prazo pode ser acelerado, e não ser postergado, porque 18 meses é o vencimento dos contratos", disse Constantino.

Não haverá desembolso adicional para renovar a frota da Webjet. "Nós iríamos receber os aviões e retornar outros [mais antigos] para a empresa de leasing. Agora vou reter as aeronaves que seriam devolvidas e levo para a Webjet", disse Constantino.

Em julho, a Gol anunciou a compra da Webjet por R$ 310,7 milhões, sendo R$ 214,7 milhões de dívidas e R$ 96 milhões de desembolso ao controlador da Webjet, Guilherme Paulus, fundador e presidente do conselho de administração da operadora de turismo CVC. A Gol reduziu o valor a ser pago a Paulus para R$ 70 milhões. No dia 28 de outubro, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) assinou um acordo com a Gol para suspender temporariamente o processo de integração com a Webjet até conclusão do julgamento do Cade. A Gol estima que não há mais tempo para definir a compra em 2011. (AK)

domingo, 20 de novembro de 2011

Com 9,9 mil passageiros em Outubro Rota de Porto Alegre da TAP sobressai no Aeroporto de Lisboa

18/11/2011 - Presstur

A introdução pela TAP de voos directos entre Lisboa e Porto Alegre, Brasil, foi a operação que mais contribuiu para o crescimento do Aeroporto da capital portuguesa neste mês, ao somar 9,9 mil passageiros, o que equivale a 20% do aumento verificado no tráfego em voos regulares, de acordo com os dados a que o PressTUR teve acesso.
O Aeroporto de Lisboa, de acordo com esses dados, teve um total de 1,335 milhões de passageiros de voos comerciais em Outubro, com um crescimento em 2,9% que mostra que não escapou ao abrandamento que se tem estado a verificar tanto nos maiores aeroportos europeus, como Madrid ou Heathrow, como nas maiores companhias aéreas.
Em voos regulares, o crescimento foi melhor, em 3,8% ou cerca de 48,2 mil lugares, para 1,318 milhões, com +4,4% ou mais 34 mil em voos de companhias “tradicionais” portuguesas, para 807,3 mil, +3,1% ou mais 9,8 mil em voos de “tradicionais” estrangeiras, para 326,9 mil, e 2% ou 3,6 mil nas low cost, para 184,3 mil.
Entre as rotas regulares, Lisboa - Madrid foi a que teve mais passageiros e a única a superar os cem mil, embora em queda de 2,9% ou três mil em relação ao mês homólogo de 2010.
Seguiu-se Londres-Heathrow, com 67,9 mil (+0,4% ou mais 270), Funchal, que foi a que teve a maior queda do mês em valor absoluto, com 66,5 mil (-11,8% ou menos 8,9 mil), Paris - Orly, com 58,8 mil (+1% ou mais 580), e Barcelona-El Prat, que é a rota que mais cresce no mês, com 54,8 mil (+15,7% ou mais 7,4 mil).
Estas cinco rotas principais representaram 26,6% do total de passageiros de voos regulares de e para Lisboa, com um total de 351,3 mil passageiros, menos 1% ou menos 3,7 mil que há um ano.
Depois vêm Frankfurt, Amesterdão, Paris-Charles De Gaulle, Roma e Bruxelas, que somaram 224,8 mil passageiros (17,1% do total), mais 1,8% ou mais quatro mil que há um ano.
Entre Lisboa e Frankfurt voaram 51,6 mil passageiros (+5,6% ou mais 2,7 mil que há um ano), na rota de Amesterdão viajaram 48,8 mil (-0,5% ou menos 245), Paris-Charles De Gaulle somou 47,4 mil (-0,7% ou menos 330), Roma, 38,9 mil (+0,6% ou mais 230), e Bruxelas, 38 mil (+4,5% ou mais 1,6 mil).
O Top10 das rotas regulares de e para Lisboa significou para o Aeroporto 43,7% do total de passageiros, mas praticamente sem crescimento, tendo um aumento pela margem mínima, em 0,1% para 576,2 mil.
O aumento do tráfego em voos regulares teve assim que vir das rotas com menores volumes de tráfego, o que aliás também transparece do relatório de tráfego do Aeroporto de Lisboa a que o PressTUR teve acesso, segundo o qual nas 40 linhas com mais passageiros, que representam 83,2% do tráfego, o aumento foi de 2,3%, para 1,097 milhões, enquanto nas restantes foi de 11,5%, para 221,2 mil.
Entre as 40 maiores, os contributos mais fortes para o crescimento do tráfego regular de e para Lisboa veio da introdução da rota de Porto Alegre, que a TAP começou em Junho, e dos crescimentos nas ligações com Barcelona-El Prat (+7,4 mil, para 54,8 mil), Dusseldorf, que a TAP também começou a operar este ano (+6,3 mil, para 10,5 mil), Munique (+3,8 mil, para 36 mil) e Newark (+2,7 mil, para 21,9 mil).
No pólo oposto, com as maiores quedas no mês, além da rota do Funchal (-8,9 mil, para 66,5 mil), estiveram as ligações com o Porto (menos sete mil, para 31,2 mil), com Copenhaga (-3,2 mil, para 10,8 mil), com Milão-Malpensa (-3,1 mil, para 26,5 mil) e com Madrid (menos três mil, para 103,3 mil).

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Aeroporto de Goiânia pode ter obras retomadas este mês

A Infraero e o consórcio que iniciou as obras do novo Terminal de Passageiros do Aeroporto de Goiânia estão próximos de um acordo para a retomada dos serviços, paralisados desde 2007. O anúncio foi realizado ontem (17), pelo presidente da Infraero, Gustavo Vale, durante encontro com o governador de Goiás, Marconi Perillo, na sede da empresa, em Brasília.

Vale destacou que a retomada das obras é uma das prioridades da empresa. Segundo ele, Goiânia é uma cidade que vai ser uma alternativa a Brasília em função dos grandes eventos que o Brasil receberá nos próximos anos. “O Módulo Operacional ficou bom, mas nós aguardamos um desfecho para o novo Terminal”, completou o governador do Estado.

A previsão é de que um acordo entre Infraero e consórcio saia até o final deste mês. A partir disso, o entendimento entre as partes seria submetido à Justiça Federal. “Nós estamos a um passo de terminar todo esse processo e, após o acordo judicial, poderemos retomar a obra e reduzir os prejuízos causados pela paralisação”, concluiu o presidente da Infraero.

Avianca estreia A320 na rota Porto Alegre / Recife

18/11/2011 - Panrotas

O voo inaugural do primeiro Airbus A320, de um total de 4 novas aeronaves que a Avianca receberá até o final deste ano, será realizado no dia 9 de dezembro, com saída do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, com destino a Recife e escalas em Guarulhos (SP) e Brasília.

“Nosso crescimento será superior a 70% em passageiros transportados a partir de janeiro de 2012 em relação a janeiro de 2011. Esse é o resultado da aceitação pelo mercado de aviação do modelo bem-sucedido de negócios adotado pela Avianca", disse o vice-presidente comercial e de Marketing da aérea, Tarcísio Gargioni.

Para mais informações: www.avianca.com.br.

Brasil precisará de 700 novas aeronaves de passageiros nos próximos 20 anos

17/11/2011 - Jornal de Turismo

De acordo com o último Global Market Forecast (GMF) da Airbus, o Brasil precisará de 701 novas aeronaves de passageiros com mais de 100 assentos entre hoje e 2030. As 501 aeronaves de corredor único, 174 de dois corredores e 26 grandes aeronaves têm o valor estimado de 82 bilhões de dólares.

Até 2030, o Brasil, maior mercado e de crescimento mais rápido na América Latina para a Airbus, se tornará o quarto maior mercado de voos domésticos do mundo, com razão de crescimento de 7,4 por cento, seguindo os Estados Unidos, a China e a Índia.

Atualmente, o Brasil é o quarto colocado no mundo em termos de assentos em decolagens, oferecendo duas vezes mais assentos do que há 10 anos. Durante o mesmo período, o mercado de voos domésticos e internacionais mais que duplicou, e desde 2010 São Paulo tornou-se o principal ponto de partida para voos internacionais da América Latina.

Olhando para o futuro, espera-se que o crescimento continue. Entre 2010 e 2030, estima-se que o PIB brasileiro cresça 144 por cento, 20 por cento a mais do que a média da América Latina.

Algumas das tendências que estimulam o crescimento do mercado aéreo brasileiro incluem:

Notável crescimento econômico

Maior propensão a viagens de avião, em virtude do rápido aumento da classe média viajante
Crescente economia do turismo, contribuindo para o aumento do PIB
“O Brasil tornou-se um dos 10 maiores mercados do mundo para novas aeronaves de passageiros em termos de entregas de aviões nos próximos 20 anos”, disse Rafael Alonso, vice-presidente executivo da Airbus para a América Latina e Caribe. “Com o tráfego internacional de e para o Brasil dobrando na última década e não apresentando sinais de diminuição, as companhias aéreas brasileiras têm uma oportunidade tremenda de aumentar seu market share”.

Nos últimos 10 anos, o crescimento contribuiu para o PIB brasileiro em cerca de 200% e até 2020 espera-se que cresça mais 60%. Turistas brasileiros estão voando em algumas das frotas de aeronaves mais novas do mundo. A idade média das aeronaves brasileiras com mais de 100 assentos é de sete anos, três anos mais nova que a média mundial e regional.

Na América Latina, a Airbus prevê uma demanda de 20 anos para mais de 2.000 novas aeronaves de passageiros, incluindo 1.653 de corredor único, 334 de dois corredores e 41 grandes aeronaves, estimadas a um valor aproximado de 200 bilhões de dólares. Globalmente, até 2030, em torno de 27.900 novas aeronaves que valem 3,5 trilhões de dólares serão necessárias para satisfazer a robusta demanda do mercado futuro.

Com mais de 600 aeronaves vendidas e quase 300 pedidos para serem entregues, mais de 400 aeronaves Airbus estão em operação em toda a América Latina e Caribe. Nos últimos 10 anos, a Airbus triplicou sua frota em serviço, enquanto entrega mais de 60 por cento de todas as aeronaves em operação na região.

Para mais informações sobre o GMF, incluindo apresentações e panoramas regionais, confira o site www.airbus.com

Com atraso, começam as obras no aeroporto de Manaus

17/11/2011 - Mercado e Eventos

A Infraero deu início, nesta quarta-feira (16/11), aos trabalhos de ampliação do terminal de passageiros do aeroporto internacional de Manaus, o Eduardo Gomes. O início das intervenções, porém, já contabiliza 32 meses de atraso de acordo com o primeiro cronograma da Infraero, segundo o qual a modernização deveria ter sido iniciada em janeiro de 2009.

Por outro lado, a conclusão foi adiantada, de acordo com a Infraero, em dois meses - de fevereiro de 2014 para dezembro de 2013. As obras começam apenas 15 dias após a assinatura do contrato firmado com o consórcio Encalso-Engevix-Kallas, vencedor da licitação.

De acordo com a infraero, a modernização do aeroporto deve ser finalizada até dezembro de 2013. Orçada em R$ 344 milhões, a obra irá aumentar o terminal de passageiros de 43 mil m² para 97,2 mil m². Assim, o Eduardo Gomes estará capacitado para receber até té 13,5 milhões de passageiros por ano. Uma adequação do sistema viário também está prevista no "pacote" de obras.

O Eduardo Gomes passa a ser o terceiro aeroporto (entre os 13 que servirão a Copa do Mundo) com obras no terminal de passageiros. Galeão (Rio) e Confins (Belo Horizonte) já passam pelo mesmo tipo de intervenção.

 

Privatização mais próxima

17/11/2011 - Zero Hora

Edital de leilão de três aeroportos sai ainda este mês
Secretaria de Aviação Civil quer adiantar tema com o TCU

O edital do leilão dos aeroportos de Guarulhos (SP), Campinas (SP) e Brasília sai ainda este mês, disse o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt. Segundo ele, é possível que o leilão seja realizado ainda este ano.

— Existe um trabalho grande a ser feito em conjunto. Hoje, há 27 técnicos do governo discutindo com o TCU para agilizar a aprovação disso. E a expectativa é de que saia o mais rápido possível — afirmou hoje, após participar de encontro realizado pela Associação Latino-Americana de Transporte Aéreo (ALTA).

Apesar da previsão do leilão para este ano, o ministro explicou que é preciso esperar um prazo de 45 dias após a publicação do edital para a realização do leilão. Este prazo, porém, devido à proximidade do final do ano, é muito difícil de ser cumprido.

Ele declarou também que as concessões estão atraindo atenção de empresas internacionais, e que há mais de dez grupos interessados, entre nacionais e estrangeiros.

Agência Estado

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Aeroporto ficará maior

17/11/2011 - Zero Hora

Vinte balcões de check-in serão abertos em dezembro no Salgado Filho

Na primeira quinzena de dezembro, o aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, terá mais uma sala de embarque para 280 pessoas no terminal 1. A nova área terá 20 check-ins compartilhados entre as companhias aéreas, três aparelhos de raio X e esteira de bagagem.


Conforme a Infraero, administradora do aeroporto, com a nova área, a capacidade do terminal 1 passará de 5 milhões para 6,5 milhões de passageiros por ano. Somado à capacidade do terminal 2 (antigo aeroporto), daqui um ano o Salgado Filho terá condições de receber 8 milhões de usuários.

Chamado de módulo operacional, o anexo de 1,5 mil m2 ocupa uma área ociosa no segundo pavimento (andar do embarque), à esquerda de quem entra no terminal. O investimento da Infraero chegou a R$ 4,17 milhões.

– Ainda em novembro, faremos operações assistidas para quando chegar a alta temporada já estarmos em pleno funcionamento – afirmou Jorge Herdina, superintendente do aeroporto, durante visita às novas instalações.

Até o fim do ano, também devem ser finalizadas reformas de infraestrutura do terminal 2, que incluem ampliação da sala de desembarque, climatização do saguão e recuperação da fachada e do telhado.

Herdina garante que a partir da metade de 2012 devem começar a reforma do pátio de aeronaves e a extensão da pista. Para a ampliação, a revisão do projeto está sendo feita pelo Exército e o andamento da obra ainda depende da desocupação das vilas Dique, Nazaré e parte do Jardim Floresta, acrescentou o superintendente.

Trip começa venda de bilhetes nos Estados Unidos

16/11/2011 - Mercado e Eventos

Trip pretende expandir mercado com emissão de bilhetes nos EUA

A Trip iniciou a venda de bilhetes aéreos diretamente nos Estados Unidos. A operação tournou-se possível após implementado, neste mês, um novo sistema de reservas. O primeiro bilhete emitido no país levará um passageiro de Belo Horizonte para Ipatinga, em Minas Gerais. Com a incorporação de clientes residentes no exterior, a projeção da companhia é obter um faturamento acima de R$ 1 bilhão em 2011, 33% a mais do que em 2010.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Emirates Airline faz maior pedido comercial do setor na história da Boeing

13/11/2011 - O Estado de São Paulo

Emirates Airline faz maior pedido comercial do setor na história da Boeing
Empresa compra 50 aeronaves por US$ 18 bilhões dando continuidade ao seu agressivo plano de expansão
Camila Moreira, da Agência Estado

DUBAI - A Emirates Airline deu início ao Dubai Air Show neste domingo com o maior pedido comercial do setor na história da Boeing, ao adquirir 50 aeronaves 777-300. A aquisição foi fechada no momento em que a maior empresa área do Oriente Médio dá continuidade ao seu agressivo plano de expansão.

O presidente da companhia aérea, xeque Ahmad bin Saeed Al Maktoum, disse a repórteres que o acordo está avaliado em US$ 18 bilhões e que a Emirates tem a opção de adquirir outros 20 Boeings 777-300. A entrega deve acontecer em 2015, segundo ele.

Se a opção de mais 20 aeronaves for exercida pela Emirates, o valor do acordo chegará a cerca de US$ 26 bilhões, disse Ahmad, acrescentando que a empresa está buscando uma série de opções de financiamento, incluindo agências de crédito de exportação e financeiras islâmicas, para pagar o pedido. As informações são da Dow Jones.

Embraer busca novos motores para linha de jatos

14/11/2011 - O Estado de São Paulo

Com a renovação da linha de E-Jets, que entra em operação em 2018, empresa quer manter a liderança no mercado de aviões para até 120 passageiros
DUBAI - O Estado de S.Paulo

A empresa brasileira Embraer avalia uma série de fornecedores de motores para reequipar a família de jatos comerciais denominada E-Jets, incluindo General Electric (GE), Pratt & Whitney, CFM International e Rolls-Royce, afirmou ontem Paulo Cesar de Souza e Silva, vice-presidente executivo da Embraer para o mercado de aviação comercial.

Os novos motores também podem exigir uma nova asa para os aviões, completou Souza e Silva, em entrevista à imprensa na Dubai Air Show. "No nosso caso, é mais provável que precisemos de uma nova asa. Isso ainda está em avaliação", disse.

A Embraer planeja a entrada em operação da nova linha de jatos comerciais em 2018, mas ainda não decidiu quantos modelos serão produzidos.

A empresa enxerga um potencial de mercado de US$ 14 bilhões para aviões de 60 a 120 passageiros no Oriente Médio, onde tem pedidos de nove operadoras em seis países.

"Nosso objetivo aqui é manter a liderança no segmento através do desenvolvimento de novas características para o E-Jet, mas também pensando no que é novo em termos de uma segunda geração de E-Jets", disse Souza e Silva.

Segundo ele, alguns clientes estão pedindo o desenvolvimento de uma aeronave do modelo 195 maior - a configuração atual oferece até 124 assentos. Mas, a seu ver, não há necessidade relevante de desenvolver uma linha de aeronaves de porte maior.

Encomenda. Ontem, a Emirates Airlines anunciou o maior pedido comercial da história da americana Boeing, ao informar a aquisição de 50 aviões 777-300. O presidente da companhia aérea, xeque Ahmad bin Saeed Al Maktoum, disse em Dubai que o acordo está avaliado em US$ 18 bilhões e que a Emirates tem a opção de adquirir outros 20 Boeings 777-300. A entrega deve acontecer em 2015, segundo ele afirmou. / DOW JONES

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Mais Linhas Aéreas é avaliada pela Anac

11/11/2011 - Panrotas

A Mais Linhas Aéreas fará hoje um voo de avaliação com representantes da Agência Nacional de Aviação Civil. Ao longo da semana a Anac vistoriou a aérea, que pretende operar inicialmente cinco vezes por semana do Rio de Janeiro para Brasília na aeronave F28 MK100.

“Já realizamos o teste de evacuação do avião e fomos aprovados com louvor. Também passamos pela análise da nossa sede no centro do Rio e nossa base no aeroporto. Vamos aguardar o resultado para que o certificado possa ser emitido, e iniciarmos a operação”, conta a diretora comercial e de Marketing Mais Linhas Aéreas no Brasil, Rosele Brum Fernandes.

Azul faz voo panorâmico em Uberaba e Juiz de Fora para apresentar seu ATR 72-600

10/11/2011 - Jornal de Turismo

Neste terceiro dia do Road Show, as cidades mineiras de Uberaba e Juiz de Fora tiveram a oportunidade de experimentar o novo turboélice ATR 72-600 da Azul Linhas Aéreas. Autoridades, agentes de viagem e jornalistas participaram do voo panorâmico realizado em cada cidade. Na ocasião, os convidados conheceram os diferenciais do novo turboélice, que entra em operação em 15 de novembro.

“Com estes modelos de aeronaves, ampliamos nossa presença em Minas Gerais para três destinos atendidos dentro do estado” disse Pedro Janot, presidente da Azul, durante o evento. “Confins já é o segundo maior hub de voos da Azul e, agora com os turboélices, queremos fortalecer nossa operação em Uberaba e Juiz de Fora, completou.

Mais tarde, foi a vez do novíssimo aeroporto de Juiz de Fora receber a festa da Azul para lançar o novo equipamento em sua frota. Compareceram ao evento os prefeitos de Goianá, Geraldo Coutinho de Oliveira, de Rio Novo, Antônio de Moura Varotto e o vice-prefeito de Juiz de Fora, Eduardo de Freitas além de outros convidados da cidade. O avião realizou o voo panorâmico com a ocupação máxima: os 70 lugares estavam preenchidos.

Com a chegada do ATR 72-600, a companhia tornou-se a segunda empresa no mundo e a primeira da América Latina a receber o mais moderno turboélice disponível no mercado. Para apresentar e mostrar as diferenças e qualidade desta nova máquina, a Azul está realizando voos panorâmicos nas dez cidades em que ela servirá. São elas: Campinas (São Paulo), São José do Rio Preto, Ribeirão Preto, Marília, Araçatuba, Presidente Prudente (interior de São Paulo), Uberaba e Juiz de Fora (Minas Gerais), Maringá (Paraná) e Joinville (Santa Catarina).

A aeronave dá iníccio à série de outras 30 encomendadas pela Azul até 2015. A expectativa é que até o final do ano, mais dois ATR 72-600 sejam incorporados à malha. A companhia tem ainda mais dez opções de compra do novo modelo.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Trip recebe seu 34º turboélice ATR 72

09/11/2011 - Valor, Por Alberto Komatsu

SÃO PAULO - A Trip Linhas Aéreas divulgou nesta tarde o recebimento de sua primeira aeronave ATR 72-600, nova versão do turboélice franco-italiano ATR 72. A frota da companhia regional conta com outras 33 versões do ATR 72. Em setembro, a Trip divulgou a compra de 18 turboélices ATR-72, mais 22 opções de compra dessa aeronave, um negócio avaliado em US$ 840 milhões a preços de tabela.

A frota da Trip tem atualmente 49 aeronaves que operam 420 voos por dia em 87 cidades. A empresa pretende fechar 2011 com 54 aviões. No ano passado, a Trip registrou faturamento de R$ 747 milhões.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Embraer confirma venda de aviões para empresa de leasing CIT

07/11/2011 - O Estado de São Paulo

REUTERS

SÃO PAULO - A Embraer confirmou nesta segunda-feira ter fechado a venda de até 30 aviões para a empresa de leasing norte-americana CIT.

O acordo inclui pedido firme por 10 aeronaves modelo Embraer 190 ou Embraer 195, enquanto as outras 20 unidades ainda precisam ser confirmadas. Considerando o preço de tabela do Embraer 195 --avião comercial mais caro fabricado pela empresa brasileira-- o valor envolvendo os 30 jatos chegaria a quase 1,4 bilhão de dólares.

As entregas das aeronaves para a CIT começam em 2012 e se estendem até 2015, segundo comunicado da Embraer.

Na noite de sexta-feira, a CIT enviou documento à Securities and Exchange Commission (SEC), órgão que regula o mercado de capitais norte-americano, com informações sobre o pedido feito à Embraer.

Além das 30 unidades, a CIT disse ter direito de compra de outros 20 aviões --ou seja, que o negócio poderia envolver até 50 jatos e atingir um valor de até perto de 2,3 bilhões de dólares a preços de tabela.

A Embraer não mencionou, no comunicado desta manhã, os direitos de compra da CIT por 20 aviões, mas a assessoria de imprensa da fabricante confirmou à Reuters que o acordo com a empresa de leasing também considera esses direitos de compra.

Trata-se da primeira encomenda direta da CIT --que aluga cerca de 300 aviões comerciais a clientes-- feita à Embraer.

Os modelos Embraer 190 e 195 podem ser configurados em uma ou duas classes e acomodam de 98 a 122 passageiros.

(Por Cesar Bianconi)

Sucatinha faz último voo de Brasília ao Rio e vira peça de museu

07/11/2011 - Folha de São Paulo

DA AGÊNCIA BRASIL

O avião presidencial conhecido como "sucatinha" foi aposentado nesta segunda-feira (7), após transportar sete presidentes da República durante 34 anos de voo.

A aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira) fez hoje o último voo partindo de Brasília com destino ao Rio de Janeiro, onde ficará exposto no Museu Aeroespacial da FAB.

Foram mais de 27 mil horas de voo e, além do transporte de presidentes, a aeronave teve missões de destaque que entraram para sua história, como a de 1980, quando o avião percorreu 11 Estados transportando o papa João Paulo 2º.

Pelos bancos do Boeing 737 passaram os ex-presidentes Ernesto Geisel, João Figueiredo, José Sarney, Fernando Collor, Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva.

Ao longo dos 34 anos de voo, o "sucatinha" passou por processos de modernização, como em 1989, quando teve a parte interna reconfigurada. O avião estava fora de operação desde abril do ano passado e uma nova aeronave, um jato Embraer 190, foi adquirido em 2010 para substituí-lo. O novo avião tem espaço para 54 passageiros, uma área exclusiva para descanso e para reuniões.

As informações foram divulgada pela FAB.

Sérgio Lima-15.jan.05/Folhapress
O Boing-737 conhecido como "sucatinha"

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Azul apresenta ATR-600 e inicia nova fase

O7/11/2011 - Panrotas

Gianfranco "Panda" Beting, diretor de Comunicação, e Pedro Janot, presidente da Azul
CAMPINAS - A apresentação do primeiro ATR-600 marca o início da segunda fase da Azul Linhas Aéreas, pouco antes de a companhia completar três anos de operações, iniciados em 15 de dezembro de 2008 e alcançar os 16 milhões de passageiros (provavelmente até o final do ano). O avião entrará na malha da companhia a partir de 15 de novembro.

O presidente Pedro Janot recebeu convidados hoje pela manhã no Aeroporto Internacional de Viracopos (Campinas) para apresentação da aeronave batizada de Azul, Tango, Romeu e ficou bastante confortável com os comentários sobre a nova aeronave. Mesmo sem precisar a data ou o período em que isso ocorrerá, o presidente da aérea adiantou que “gradativamente, mas no menor espaço de tempo possível”, toda a frota de ATR-200 será substituída pelos ATR-600.

As impressões iniciais surpreenderam os passageiros VIPs, incluindo os bancos em couro, o privilegiado espaço entre as poltronas (que deixaram passageiros de 1,90m confortáveis), a potência do ar condicionado e, especialmente, a ausência de barulho das hélices. “Parece um jato, não é pessoal?” festejava o presidente da companhia, com autêntica empolgação. Realmente parece.

A aeronave apresentada hoje em um voo de 40 minutos, também para 70 passageiros (assim como o 200), transforma a Azul na primeira companhia aérea da América do Sul a receber o novo ATR-600, um turboélice com seis pás de hélices, motores de baixo ruído, que voa a 25 mil pés (hoje chegamos somente a 19 mil pés) e 500 km por hora. “Todo o cokpit é eletrônico, não há nada analógico”, lembrou Janot.

Até o final de 2011, a Azul deverá receber mais dois ATR 600. Na negociação total divulgada este ano, a companhia encomendou 40 ATR 600, sendo 30 pedidos firmes e mais 10 opções. O três aviões deste ano integram os 30 pedidos firmes. O negócio é avaliado em R$ 850 milhões. A frota atual conta com 39 jatos (10 Embraer 190 e 29, Embraer 195), 8 ATR 200 e 1 ATR 600 (inaugurado hoje).

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Aeroporto: Inauguração do módulo sem data

04/11/2011 - Gazeta Digital - MT

LAÍS COSTA MARQUES
DA REDAÇÃO

Conclusão da obra do Módulo de Operação Provisório (MOP) do Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, será feita até final do ano, mas a inauguração ainda não tem data definida. Entrave para o fechamento está na instalação das esteiras.

Conforme explica o secretário extraordinário de logística intermodal de transportes, Francisco Vuolo, a execução da obra está dentro do cronograma, único detalhe a ser acertado é com relação as esteiras, que foram compradas pela Infraero e que estaria dependendo dos fornecedores. “Estrutura interna, como esteira, ficou a cargo da Infraero e eles estão negociando para que seja instalada até o final deste mês”.

De acordo com a assessoria de imprensa da Infraero, a conclusão das obras até o final de novembro, mas não estipulou uma data para que o Mop inicie a operação no Marechal Rondon.

Alternativa - O aeroporto Maestro Marinho Franco, de Rondonópolis, está recebendo investimento de R$ 8 milhões em infraestrutura, como aumento da pista. Após as obras, a pista estará apta a receber aeronaves com até 150 passageiros, sendo que atualmente é possível pousar aviões de até 80 lugares. Secretário Francisco Vuolo explica que a ampliação do aeroporto de Rondonópolis faz parte do projeto de transformá- lo em alternativa para pouso do Marechal Rondon.

Além da pista, Maestro Marinho vai precisar de outras obras e investimentos, para estruturar os terminais e também adquirir equipamentos de segurança. De acordo com Vuolo, a transformação de Rondonópolis em opção em casos de problemas para aterrissagem em Cuiabá, depende também da estrutura da cidade, com hotéis e restaurantes e do interesse de companhias aéreas em operar, que substituiria Campo Grande e Goiânia, atuais alternativas.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Aeroporto de Manaus receberá R$ 344 milhões em investimentos

02/11/2011 - Mercado&Eventos

A Infraero divulgou nesta terça, dia 1º, o extrato de assinatura do contrato para a reforma e ampliação do Aeroporto Internacional de Manaus - Eduardo Gomes. O investimento será de R$ 344 milhões. Com as obras, o Terminal de Passageiros passará a ter 97 mil metros quadrados e poderá atender até nove milhões de passageiros por ano.

O projeto de modernização do aeroporto prevê alterações que permitirão as operações de embarque e desembarque de passageiros em níveis diferentes, agilizando o fluxo de pessoas no trajeto entre aeronaves e terminal; ampliação no número de balcões de check-in e novas esteiras de bagagem, entre outras melhorias.

Azul compra mais aviões da Embraer

02/11/2011 - O Povo - CE

A Azul Linhas Aéreas e a Embraer assinaram contrato para a compra de onze E-Jets 195. A transação aumenta os pedidos totais da companhia aérea para 52 aviões. O valor da aquisição é de US$ 497,2 milhões. As entregas estão programadas para começar em 2013. Além dos 23 Embraer, 195 que estão em operação, a Azul também opera dez Embraer 190.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Turismo espacial esquenta as turbinas

01/11/2011 - Felipe Mortara

Se você tem vontade de ir para o espaço, é um amante de astronomia ou simplesmente  acompanha as novidades do mundo tecnológico já deve ter ouvido falar do Virgin Galactic. O mais ambicioso projeto do milionário Richard Branson, dono do grupo Virgin, pretende operar voos sub-orbitais até 2012.

Longe de ser uma idéia remota e utópica, vale dizer que as aeronaves, o SpaceShipTwo e o WhiteKnightTwo, já existem e vêm passando por longas baterias de teste decolando do super aeroporto já erguido no Deserto de Mojave, no Novo México. Parece que o plano vai bem, já que a Nasa deve operar voos charters em breve para pesquisas de seus astronautas, o que pode render a verba necessária para acelerar ainda mais o projeto.

Mas depois da turma profissional das estrelas, você pode ser um candidato a sentir não só o gostinho de 4 minutos em gravidade zero, mas também ter o privilégio de ver a terra de cima pelas janelonas da nave. E ter o negro vazio do espaço sobre sua cabeça. Além de algum preparo físico e treinamento uma semana antes da decolagem, é necessário desembolsar US$ 200 mil.

Mesmo sem data exata de partida, já estão a venda, inclusive no Brasil (na Teresa Perez Tours  e Grande São Paulo Turismo), cotas para embarcar. Se pagar o valor total à vista, o viajante fica numa lista entre os 100 primeiros passageiros a serem convocados, três meses antes do grande dia. Senão, a partir de US$ 20 mil é possível dar entrada na sua viagem de outro mundo, para ser chamado à medida em que a lista for rodando.

Em seu canal no You Tube a empresa coloca vídeos, como o acima, mostrando a nave colocada à prova em condições extremas. Antes taxado de delírio de milionário megalomaníaco, chega a ser emocionante e surpreendente ver o nível de tecnologia que, em breve, estará à disposição do turismo.

Categories: Curiosidades
Tags: espaço, Turismo, Viagem, Virgin Galactic