sábado, 8 de maio de 2010

Air Minas quer triplicar seu mercado


Folha de Contagem - Edição N°438 - 2006

Em operação há apenas três meses, a Air Minas Linhas Aéreas, empresa do grupo Braspress, que tem na presidência o empresário Urubatan Helou, comemora o sucesso do empreendimento, tendo alcançado a marca de 42,5% de ocupação, na única rota que atua no momento, ligando Belo Horizonte-Divinópolis-Varginha-Guarulhos-Bauru, ida e volta, e que já anuncia, para o dia 22 de dezembro, a entrada em operação da linha São José dos Campos-Campinas-Belo Horizonte-Juiz de Fora e um mês depois, a ampliação da rota de Bauru para Araçatuba-Rondonópolis-Cuiabá.

Com estas novas rotas, a empresa praticamente triplica a cobertura atual, o mesmo devendo ocorrer em relação ao número de passageiros transportados, que neste período foi de 1748, se aproximando da meta traçada para 2007, que é a de chegar a 25 cidades com grandes potenciais ou as principais cidades pólo, dentro e fora do Estado, que ainda não são cobertas pelo serviço de transporte aéreo. Para isto, a Air Minas já adquiriu três novos aparelhos, um dos quais começa a voar em dezembro e os outros dois a partir de janeiro do ano que vem.

Números
Integrante de um grupo que este ano irá faturar cerca de R$ 400 milhões, sendo que 80% deste faturamento é responsabilidade da Braspress - uma das maiores transportadoras da América Latina, que atualmente congrega cerca de 4.200 funcionários em suas 95 filiais, com 1.000 caminhões próprios e outros 300 terceirizados -, a Air Minas, que este ano vai faturar cerca de R$ 2 milhões, projeta elevar este número para R$ 45 milhões, em 2007.

Com um investimento de R$ 20 milhões, a empresa que possui 95 funcionários, chegará aos 250 até o final do primeiro semestre do próximo ano, segundo Urubatan Helou, projeta uma ocupação de 65% de sua frota, que iniciou com 27% no primeiro mês e chegou a 42,5% em 16 de novembro, com 92% de pontualidade "em razão de que, por operarmos em aeroportos menores, com exceção de Guarulhos, não fomos afetados pelo problema da falta de controladores", explicou o presidente.

Além da questão da pontualidade, a empresa tem oferecido outro diferencial importante, que é o preço das passagens no percurso Belo Horizonte (Pampulha) para São Paulo (Guarulhos) e vice-versa, que eram de R$ 400,00 baixando para R$ 299,00, utilizando aeronavesBrasília BEM 120, da Embraer, que há muito foram aprovadas pelos executivos, devido à velocidade de cruzeiro e o conforto oferecido aos passageiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário