domingo, 25 de junho de 2017

Loteamento em Palhoça permite que empresário vá ao trabalho usando o próprio avião

24/06/2017 - Notícias do Dia

Aeropark está em construção na cidade Pedra Branca e sua primeira etapa será entregue até agosto do ano que vem.

BRUNELA MARIA

Chegar ao trabalho por via área, sem precisar enfrentar congestionamentos e se deslocar rapidamente para qualquer lugar com o apoio de um avião executivo ou helicóptero. A alternativa vai estar disponível na Grande Florianópolis a partir do ano que vem e o projeto tem atraído investidores das mais variadas partes do País. A primeira etapa do empreendimento deve ser entregue até agosto, no bairro Pedra Branca, em Palhoça.

O Aeropark Pedra Banca conta com cerca de 300 lotes, para as mais variadas atividades comerciais. Pelo menos 44 deles estão destinados à construção de hangares, no entrono da pista que hoje é utilizada pelo Aeroclube de Santa Catarina, parceiro do investimento. No local também estarão disponíveis serviços aeronáuticos, com o abastecimento, manutenção de aeronaves, escola de aviação e fretamentos.

A exclusividade da iniciativa, que ajuda o empresariado a driblar o problema da mobilidade urbana, que cada vez mais se faz presente em Santa Catarina, fez com que 70% dos lotes fossem vendidos na primeira fase de implantação, segundo conta o diretor executivo da Pedra Branca Empreendimentos, Marcelo Gomes. Para ele, também contribuiu para a atração dos investidores o conceito de cidade completa construído no bairro e o crescimento econômico da região.

“Nosso objetivo é proporcionar um local completo. Esse projeto é bastante inovador e tem a localização como diferencial. Está dentro da cidade, tornando-se alternativa ao Aeroporto Hercílio Luz. Queremos oferecer os lotes para empresas construírem seus empreendimentos comerciais, serviços e indústrias e facilitar esse deslocamento com a proximidade da pista do aeroclube, nosso parceiro”, diz. Gomes também descreve que um novo acesso para a Pedra Branca, através da avenida das Universidades, também será criado, para manter o vínculo de proximidade no condomínio, um dos mais estruturados da região.

Expectativa de geração de Empregos

Além do grande diferencial associado à mobilidade urbana, a construção do Aeropark deve proporcionar um novo momento econômico para a cidade de Palhoça. A empresa responsável pelo empreendimento projeta a geração de cerca de 3 mil empregos diretos – o equivalente à uma indústria de grande porte, mas podendo gerar muito mais empregos indiretos, devido à diversidade das empresas que devem se instalar no local. Segundo levantamento da Pedra Branca, até agora 65% dos empresários que adquiriram lotes pretendem de fato instalar ou transferir suas empresas para Palhoça. 

“Temos muita mão de obra aqui e por isso projetamos um desenvolvimento econômico fantástico. Temos ainda a preocupação de ligar o empreendimento com as ciclovias e vias até o centro da Pedra Branca, tudo para facilitar ainda mais a chegada das pessoas”, salienta Gomes.

Um dos investidores é o empresário Guilherme Granzinolli, diretor de operações da empresa Invictus, que já adquiriu lotes no Aeropark e que a partir de julho de 2018, quando a primeira etapa do empreendimento será entregue, vai construir sua sede e levar toda sua operação para o loteamento. “O que nos atraiu foi o conceito, que apresenta um formato moderno, planejado e, principalmente, por estar integrado às facilidades do bairro Pedra Branca”, destaca.

Segundo Gomes, a iniciativa já conseguiu atrair empresas de logística, combustível, farmacêutica e comércio. “Atualmente, circulam diariamente no bairro cerca de 23 mil pessoas entre moradores, estudantes e trabalhadores. E nossa meta é alcançar 80 mil. Com a entrega do Atrium Offices, em setembro, finalizamos a primeira etapa, que envolveu os empreendimentos que contornam os quatro lados da Praça Espelho D’Água. O Aeropark retrata este segundo momento da Pedra Branca, assim como o Pátio Civitas. Hoje os empresários querem trazer suas empresas para a Pedra Branca para fazer parte do que construímos aqui”, declara.

Segunda etapa em 2020

A segunda fase do Aeropark tem previsão de ser concluída em 2020. O projeto será apresentado nos próximos meses às prefeituras de Palhoça e São José, comunidade e entidades da região. Conforme antecipa Marcelo Gomes, o próximo passo é planejar para esse ano os detalhes para a venda dos lotes neste segundo momento do empreendimento. “Os lotes com hangares são uma novidade em Santa Catarina. Nossa negociação com o Aeroclube inclui que nossos clientes terão uma classe especial entre os sócios do clube, não tendo custo por pouso e decolagem, dúvida muito comum entre os clientes”, ressalta Renato Ramos, Gerente de Negócios da Pedra Branca.

Para Gomes, o Aeropark também vai agregar qualidade de vida aos empresários. “Acreditamos muito nesse projeto e no seu potencial”, disse. Da primeira etapa restam ainda 23 lotes disponíveis. Os aviões que poderão acessar o local são jatos particulares e executivos.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

1955: Avião Caravelle revolucionava a aeronáutica

23/06/2017 - Terra

 Deutsche Welle

Em 23 de junho de 1955 foi lançado o primeiro avião de passageiros a jato com turbinas na fuselagem. O Caravelle podia atingir velocidade de 800 quilômetros por hora e foi usado primordialmente em voos dentro da Europa.O lançamento do novo avião representou uma verdadeira revolução na história da aeronáutica. Até 1955, a aviação civil conhecia apenas as aeronaves movidas a hélice. A história do Caravelle, como foi chamado o novo avião, começou em 1951, quando o governo francês resolveu incentivar a criação de uma alternativa para o DC-3, da norte-americana McDonnel Douglas.

A solução mais interessante parecia ser a construção de um bimotor a jato, inédito no mundo. Um ano depois, construtores franceses de aviões foram convidados a apresentar um projeto nesse sentido. A tarefa imposta pelo Ministério da Aviação da França era viabilizar uma aeronave que transportasse até 65 passageiros, mais a carga, a uma velocidade de 700 quilômetros por hora.

Venceu o projeto da Société Nationale de Constructions Aéronautiques Sud-Aviation. A empresa havia planejado um avião que poderia ser usado tanto em conexões dentro da Europa como em viagens transatlânticas. Era o SE 210 Caravelle, em alusão aos navios usados na época dos Grandes Descobrimentos.

Detalhes copiados pela concorrência

Em vez de usar motores franceses, foram escolhidos motores britânicos da marca Rolls-Royce. Os dois protótipos iniciados em 1953 foram apresentados ao público durante a Exposição de Aeronáutica de Paris em 23 de junho de 1955. Tratava-se de uma enorme questão de prestígio para a aviação francesa.

Uma semana antes, o piloto francês Pierre Navot havia testado com êxito um dos protótipos. O sensacional para a época era a colocação das turbinas. Para melhorar a aerodinâmica, elas haviam sido presas em gôndolas diretamente na fuselagem, na parte traseira do avião, o que também diminuiu os ruídos para os passageiros.

As principais vantagens aerodinâmicas do novo avião eram sua grande estabilidade, a liberdade da circulação de ar ao longo da fuselagem e o seu eixo longitudinal. Outra sensação era que o Caravelle podia manobrar e decolar apenas com um dos motores.

Outras novidades do avião de 32 metros de comprimento eram as escadas, situadas atrás das asas, as janelas triangulares e a velocidade de até 800 km/h. O modelo fez tanto sucesso que seu conceito foi copiado pelas norte-americanas Boeing e McDonnel Douglas nos respectivos modelos 727 e DC-9.

O último Caravelle deixou o centro de montagem em Toulouse St. Martin, na França, em 1973. No total, foram produzidos 282 aviões do modelo.


quarta-feira, 14 de junho de 2017

MODERN Logistics faz primeiro voo comercial entre Campinas e Recife

14/06/2017 - Jornal Floripa

O Boeing 737-400F decolou de Viracopos ontem, (12.06), às 22h48, com 14,6 toneladas de carga, composta de auto-peças em regime de Trânsito Aduaneiro

A MODERN Logistics realizou na noite de ontem (12.06) o primeiro voo comercial após a assinatura do contrato de concessão. O Boeing 737-400F, prefixo PP-YBA, decolou às 22h48 do Aeroporto de Viracopos, em Campinas, com destino a Recife (PE). O pouso no Aeroporto de Guararapes aconteceu à 1h34 de hoje. O cargueiro da MODERN Logistics levava 14,6 toneladas em um carregamento de peças automotivas.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Azul terá voos diários de Campinas para Bauru e Marília

12/06/2017 - Panrotas

Karina Cedeño    



A Azul passará a atender, a partir de 1º de agosto deste ano, as cidades paulistas de Bauru e Marília exclusivamente com voos diretos para Campinas (Viracopos).

As operações, que até então contavam também com voos circulares entre as cidades, agora serão realizadas diariamente apenas com voos diretos, o que resultará em maior oferta de assentos e rapidez para os passageiros chegarem aos seus destinos.

“A demanda para as cidades tem gerado ótimos resultados, nos impulsionando a aumentar a oferta e passar a operar só voos diretos, tanto de Viracopos para Bauru como de Viracopos para Marília. Os passageiros gostarão muito da mudança, já que terão mais voos para escolher e mais rapidez para chegar e sair das cidades” afirma o diretor de Planejamento de Malha da Azul, Daniel Tkacz.

Os voos diretos já estão à venda em todos os canais de atendimento da Azul.

País tenta atrair empresas aéreas de baixo custo

09/06/2017 - Época Negócios 

Ryanair, maior operadora de low cost da Europa, manifestou interesse em vir para o Brasil

Boeing da Ryanair (Foto: Reprodução)
Boeing da Ryanair (Foto: Reprodução)

Na feira aeronáutica de Le Bourget, a maior do mundo, o governo vai tentar atrair empresas aéreas operadoras de low cost para o País. "O Brasil está criando condições para que elas operem aqui", disse o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella. Um passo importante, segundo ele, foi a criação de novas regras para o transporte aéreo, que acabou com as franquias de bagagem. "Isso era um impeditivo muito grande", afirmou.

A feira será realizada entre os dias 19 e 25 próximos, em Paris, e o governo brasileiro fará um roadshow sobre oportunidades de negócio em infraestrutura. O novo pacote de concessões de aeroportos, porém, não deverá ficar pronto a tempo de ser apresentado no evento, segundo Quintella.

Além do fim do transporte gratuito de bagagem despachada, a criação de um ambiente positivo para a atração de novas aéreas para o Brasil depende da aprovação, pelo Congresso, da Medida Provisória (MP) que permitirá a operação, no País, de empresas aéreas com até 100% de capital estrangeiro.

Outra proposta de interesse do setor é um projeto de resolução do Senado que fixa em 12% a alíquota máxima para o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o querosene de aviação. A medida ajudaria a reduzir o custo de operação das aéreas.O ministro, que é deputado federal pelo PR de Alagoas, informou que pretende se reunir com líderes partidários na semana que vem para pedir pressa na análise dessas duas propostas.

A reunião com as operadoras de low cost foi articulada porque a Ryanair, maior operadora de low cost da Europa, manifestou interesse em vir para o Brasil. A empresa já tem planos de operar na Argentina.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Três Lagoas terá nova opção de voo para São Paulo a partir do dia 1º de agosto

08/06/2017 - Campo Grande News

Osvaldo Júnior

Três Lagoas contará com mais uma opção de voo para São Paulo a partir de 1º de agosto. A companhia Azul informou que passará a operar um segundo voo diário entre a cidade sul-mato-grossense e o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas.

“Os voos, realizados com os modernos turboélices ATR 72-600 para até 70 clientes, já estão disponíveis para compra em todos os canais de atendimento da Azul”, comunicou a empresa.

O diretor de Planejamento de Malha da Azul, Daniel Tkacz, disse que há grande expectativa quanto à procura pelo voo. “Estamos muito entusiasmados com esse novo voo, pois a demanda da rota entre São Paulo (Viracopos) e Três Lagoas tem gerado ótimos resultados”, afirmou.

Com a mudança, terá, de segunda a sábado, voo da Azul saindo de São Paulo às 9h10 e chegando a Três Lagoas às 9h50. Da cidade sul-mato-grossense, a partida será às 10h15, com chegada a Viracopos às 12h45.

Já aos domingos, os horários serão os seguintes: de São Paulo (às 13h20) a Três Lagoas (14h); de Três Lagoas (14h25) a São Paulo (16h55).