sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Número de voos no Aeroporto Santos Dumont será reduzido até o fim do ano

28/10/2010 - O Globo - Daniel Brunet

IMPACTO AMBIENTAL

RIO - A secretária estadual do Ambiente, Marilene Ramos, garantiu, nesta quinta-feira, que, até o fim do ano, o Aeroporto Santos Dumont reduzirá o número de pousos e decolagens por hora. A restrição operacional é uma das exigências do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) para que a Infraero (autarquia federal que administra os aeroportos) consiga, em definitivo, a licença de operação do aeroporto. O objetivo é diminuir o impacto ambiental causado pelos ruídos dos aviões que passam sobre bairros da Zona Sul e pelo Centro.

A secretária admite, no entanto, a possibilidade de a redução não ser de 23 para 14 pousos e decolagens por hora, como foi proposto à Infraero. Além disso, o Inea quer alterar o horário de funcionamento do aeroporto, que passaria a operar das 7h às 22h, em vez de 6h até 23h. A negociação foi noticiada quarta-feira pela coluna de Ancelmo Gois no GLOBO.

Para apresentar a proposta de restrição de voos, técnicos do Inea, com auxílio de uma empresa de consultoria, começaram a estudar o impacto dos ruídos em dezembro de 2009. A exigência da licença ambiental foi feita, há cerca de dois anos, quando o Santos Dumont ampliou suas operações e sua estrutura.

- O Santos Dumont fazia 14 procedimentos por hora e não havia reclamação de barulho. Não existe a possibilidade de não haver redução de voos, mas pode ser que a diminuição não seja a que foi proposta - comentou Marilene.

A Anac e a Infraero têm até 11 de novembro para apresentar uma contraproposta. Marilene informou que a tendência é o Aeroporto Internacional Tom Jobim absorver os voos que deixarão de ser operados no Santos Dumont.

Atualmente, segundo o estudo do Inea, cerca de 30% dos pousos e decolagens são feitos pela chamada Rota 2, que passa sobre trechos de Centro, Santa Teresa, Catete, Flamengo, Botafogo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário