quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Infraestrutura aeroportuária deve ser foco de investimentos até 2014

15/12/2010 - CNT

A melhoria da infraestrutura dos aeroportos brasileiros é o foco a ser perseguido para absorver as demandas de 2014 e 2016. O tema foi o principal ponto citado pelos especialistas que se apresentaram na tarde desta quarta-feira (15) no Congresso da Associação Brasileira das Empresas de Transporte Aéreo Regional (Abetar), realizado em Brasília (DF), na sede da Confederação Nacional do Transporte (CNT).

Expectativas mostram que em 2014, a Copa do Mundo vai provocar o aumento do número de passageiros dos atuais 140 milhões por ano para 170 milhões. O salto é considerado importante para o turismo no país, mas também um legado para posicionar o Brasil num lugar de destaque internacional.

“Eventos como a Copa e as Olimpíadas geram oportunidade pela visibilidade que garantem, mas também trazem risco. O trabalho de gerenciamento da imagem do país é muito importante desde agora até 2014. Isso gera um resultado sustentável depois”, afirmou o presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), Mário Moysés.

O representante da Embratur apresentou, durante a palestra “Previsão do fluxo turístico durante a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016”, dados que mostram que o Brasil possui gargalos a serem vencidos como a dificuldade de distribuição de passageiros internacionais. 

Para a Copa do Mundo, já foram aprovados 17 projetos do Ministério do Turismo em estados e capitais que somam US$ 1,54 bilhão, US$ 903 milhões por meio de financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da Corporação Andina de Fomento (CAF). Os US$ 644 bilhões restantes se referem à contrapartida oferecida pelo Ministério do Turismo.

Estão previstos investimentos de R$ 440 milhões em capacitação para treinar cerca de 306 mil profissionais previstos para lidar diretamente com os turistas das competições internacionais. Para o setor aéreo regional, a Embratur realizou parceria com a Abetar para qualificar profissionais em organização, atendimento e gerenciamento que atuam no setor.

Segundo Mário Moysés, está entre os objetivos da instituição estimular o desenvolvimento das ligações de baixa e média densidade de tráfego. “Regiões como Ilhéus e Itacaré (BA) já mostram essa necessidade. Na região, se os turistas dependessem só do Aeroporto de Salvador, esse tráfego seria muito difícil. Daí a importância de investir na aviação regional”, afirmou.

Infraestrutura

De acordo com a pesquisa “Infrastrutura aeroportuária e desenvolvimento do tráfego aéreo regional no Brasil”, apresentada nesta tarde durante o Congresso Abetar 2010, os investimentos estão diretamente ligados ao crescimento do número de passageiros. 

“A infraestrutura parece induzir o tráfego aéreo, mas as variáveis têm de ser consideradas em conjunto. Não adianta investir em pista e abandonar o terminal. A questão tem de ser equalizada”, confirmou o realizador da pesquisa, especialista Marcos Alexandre Rauer Demant.

A partir do levantamento, constatou-se que tamanho da pista, pátio e terminal são os grandes blocos que devem receber investimentos para o aumento de tráfego. A pesquisa mostra que os investimentos são importantes para o fortalecimento de pequenos aeroportos nos próximos anos, que antecedem os eventos competitivos de 2014 e 2016. 

“Essa discussão está na mídia, temos grandes eventos vindo por aí, mas a infraestrutura é capaz de fazer a diferença mesmo sem demanda extraordinária”, explicou o especialista.


Marina Severino
Redação CNT

Nenhum comentário:

Postar um comentário