terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Infraero quer terminal provisório em aeroportos

04/01/2011 - Folha de S. Paulo

A Infraero estuda fazer a concessão de terminais de passageiros de aeroportos em instalações móveis de longa durabilidade. A ideia de realizar obras permanentes está praticamente descartada por falta de prazo até a Copa em 2014.

Conforme a Folha antecipou ontem, a presidente Dilma Rousseff já determinou que a construção e a operação dos novos terminais de Guarulhos e Viracopos, em São Paulo, sejam concedidas para a iniciativa privada por até 20 anos. O trabalho será feito pela nova Secretaria de Aviação Civil, que deve ser criada ainda este mês.

Nos estudos do governo, a ideia é que, ao invés de obras permanentes, as empresas construam os terminais de passageiros em alguns aeroportos em um modelo móvel de longa duração (25 a 30 anos durabilidade).
Sobre as obras civis, os terminais em módulos têm a vantagem de poderem ser feitos num prazo de 9 meses. O custo seria um pouco menor que o de uma obra civil permanente. Eles já estão em operação em alguns aeroportos na Europa e nos Estados Unidos.

A legislação atual permite que a Infraero conceda terminais de passageiros para a operação privada. Mas a concessão de um aeroporto inteiro (que inclui, entre outros, a operação da pista e de terminais de carga) ainda não existe. Um modelo será testado no Aeroporto de Natal.

O Ministério da Defesa prepara edital que deve sair neste semestre para a concessão desse aeroporto -que pode ser usado de modelo para outras concessões.

PRAZO APERTADO
A construção de novos terminais permanentes pode encontrar dificuldades para ser finalizada até a Copa, mesmo se concedida para a iniciativa privada.

O prazo de três anos e meio até 2014 é considerado curto, já que ao menos um ano seria consumido com a licitação. Com pouco tempo para construir, as empresas poderiam pedir um preço alto para ficar com a concessão.

Para se ter uma ideia, o início e o término das obras do Terminal 3 de Guarulhos, orçado em R$ 653 milhões, estão previstos -caso seja feito pela Infraero- para agosto de 2011 e novembro de 2013, respectivamente - prazo de dois anos e quatro meses.

A Infraero diz em seu site que a obra está "em projeto". A pressa é tanta que a previsão é começar a obra antes do projeto executivo ficar totalmente pronto -o que está previsto para junho de 2012.

A empresa de infraestrutura aeroportuária chegou a anunciar em 2010 que faria na Copa os chamados Módulos Operacionais Provisórios em alguns terminais. Eles já estão em operação em Brasília e Florianópolis, mas têm prazo de duração curto (cinco anos). A Infraero foi criticada pela solução.

Nenhum comentário:

Postar um comentário