domingo, 16 de janeiro de 2011

Pequenas empresas aéreas conquistam espaço

13/1/2011 - CNT

Foto: Divulgação

Azul ultrapassou Webjet em participação em 2010A demanda pelo transporte aéreo doméstico registrou alta de 23,47% em 2010. Já nos destinos internacionais, o crescimento foi de 20,38%. O balanço, divulgado nesta quinta-feira (13) pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), mostra ainda que as maiores altas foram das empresas aéreas de pequeno porte.

Se em 2009, 87,14% do mercado era controlado pelas duas maiores empresas do país, em 2010, esse número caiu para 82,32%.

Para se ter uma ideia, a novata Azul mais que dobrou a quantidade de passageiros no ano passado em relação a 2009: alta de 103,53%, e ultrapassou a Webjet no quesito participação de mercado. A Azul, terceira maior companhia aérea do país em 2010, abocanhou 6,05% do total de viajantes.

A Webjet, por sua vez, cresceu 64,10% e alcançou 5,87% do mercado aéreo. A Avianca, que operava até abril de 2010 como OceanAir, teve alta de 27,05% com participação de 2,59%, se colocando como a quinta maior empresa brasileira.

A Trip registrou forte alta e em dezembro superou a Avianca em movimentação. Entretanto, fechou o ano na sexta posição, com alta de 82,64% e com a fatia de 2,21% do mercado nacional.

O grupo TAM, formado pela TAM e Pantanal, manteve a liderança em 2010. Com crescimento de 16,31% conquistou 42,81% do mercado, fatia menor do que a registrada em 2009: 45,45%.

A Gol/Varig, segunda maior empresa, cresceu 16,99%. Entretanto, também teve participação reduzida no mercado total: passou de 41,69% em 2009 para 39,51% em 2010.

Ocupação

Em média, 68,81% dos assentos disponíveis estiveram ocupados em 2010, ante 65,76% no ano anterior, segundo a Anac. A empresa com o melhor aproveitamento foi a Azul, com 79,6%, seguida pela Webjet, com 76,44% e a Avianca, com 74,27% dos assentos ocupados.

No segmento internacional, as empresas brasileiras também ampliaram a taxa de ocupação: de 69,16% em 2009 para 76,38% no ano passado.


Aerton Guimarães, com informações de assessoria
Redação CNT

Nenhum comentário:

Postar um comentário