segunda-feira, 18 de julho de 2011

Anac suspende todos os voos da Noar

18/07/2011 - O Estado de Sao Paulo

Empresa que sofreu acidente no Recife com 16 mortos teria deixado de divulgar relatos de pilotos sobre problemas técnicos.

Silvana Mautone e Angela Lacerda - O Estado de S.Paulo

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) suspendeu ontem, de forma cautelar, as operações da Noar Linhas Aéreas, empresa do acidente com o LET410, na quarta-feira, que matou 16 pessoas no Recife. A agência investiga se a empresa feriu o Código Brasileiro Aeronáutico (CBA) ao esconder relatórios sobre voos.

Na tarde de sábado, a Anac recebeu da Rede Globo cópias de relatos de pilotos sobre problemas técnicos recorrentes na aeronave de prefixo PR-NOA, que não é a do acidente. Segundo o Fantástico, entre 3 de novembro e 9 de julho, foram 75 anotações sobre problemas no avião. Na última, o piloto escreve: "Urgente, atenção: um copiloto que voava como passageiro observou que a porta do trem de pouso esquerdo, que já se encontrava amassada, parecia que ia se soltar em voo, inclusive dobrando para cima pela ação do vento".

O próprio piloto que morreu no acidente, Rivaldo Cardoso, fez algumas anotações. Nelas, ele cita o excesso de temperatura do motor durante a decolagem e a necessidade de manter a potência em 60%.

Segundo a Anac, "as anotações deveriam constar no livro de registro de voo, jornada e ocorrências da aeronave e de seus tripulantes (diário de bordo), conforme estabelecido pelo Código Brasileiro de Aeronáutica, e confeccionado de acordo com as orientações da Instrução de Aviação Civil 3151".

A Anac agora vai constatar a veracidade das informações. O resultado da análise poderá levar a penalidades que variam de multa à cassação da licença da empresa. Caso seja verificada a ausência de irregularidades, a companhia aérea poderá ser autorizada a continuar suas operações normalmente. A Anac ressalta que a medida adotada é cautelar e visa a resguardar a segurança dos passageiros diante das informações apresentadas.

Já a Noar informou em nota que a Anac solicitou explicação sobre um documento auxiliar de registro de aeronavegabilidade que foi furtado nos dias subsequentes à queda do LET410. Mas a empresa afirma que o furto, registrado em boletim de ocorrência no sábado, "não trouxe prejuízos à companhia e à investigação", já que a Noar "dispõe de outras fontes de registros".

Vítimas. O corpo da última vítima do acidente a ser sepultada, do caminhoneiro Johnson do Nascimento Pontes, de 30 anos, seguiu ontem para São Paulo do Potengí (RN). Todas as outras já haviam sido sepultadas ou enviadas às suas cidades de origem.

A identificação das vítimas terminou anteontem. Um reconhecimento, da representante comercial paulista Camila Suficiel Marino, de 26 anos, foi feito por exame de DNA. Nas outras, a identificação foi por impressões digitais ou arcadas dentárias. Todas morreram por politraumatismo, segundo o Instituto de Medicina Legal (IML).

Nenhum comentário:

Postar um comentário