segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Economia ajuda e Embraer cresce

01/08/2011 - Webtranspo, Joao Vidal

Segundo tri apresentou alta no setor executivo

Foram entregues 25 aviões comerciais no segundo trimestre.
No segundo trimestre deste ano, a Embraer entregou 25 aeronaves comerciais e 23 executivas. A receita líquida, no período, foi de R$ 2,168,6 milhões aumentando a margem bruta de 20,2%, de abril a junho de 2010, para 22,4% no mesmo espaço de tempo deste ano. De acordo com Frederico Curado, diretor presidente da companhia, os números obtidos pela empresa indicam uma melhora do setor no cenário global.

“Nós temos uma perspectiva de aumento de receita na aviação comercial; a executiva deve-se manter e podemos ter uma pequena surpresa positiva na área de segurança”, comentou Curado. No acumulado do ano, a recuperação no setor aéreo no segmento de passageiros rendeu a fabricante 62 novas encomendas de E-Jets, outros 42 jatos podem ser adicionados na carteira de pedidos firmes em breve.

De acordo com o dirigente, a aviação executiva começou a dar sinais de recuperação após a crise econômica mundial, no segundo semestre isso deve se intensificar, porém ainda sem grandes saltos. Neste último trimestre, este segmentou aumentou a participação para 18,1% da receita líquida da empresa, enquanto os setores comerciais e de defesa diminuíram, respectivamente, para 65,4% e 14,7%, outros negócios da companhia atenderam por 1,8%.

Com este desempenho, a Embraer revê a sua previsão para o desempenho no fim do ano, de forma pragmática ainda, segundo seu próprio presidente. A receita esperada para 2011 é de R$ 5,8 bilhões. Com a ascensão do faturamento, a fabricante espera que o resultado e a margem operacional cresçam de US$ 420 milhões e 7,5%, para US$ 465 milhões e 8% respectivamente.

Fábrica na China

A Embraer possui desde julho do ano passado uma planta na China, contudo a unidade ainda não começou a operar. A expectativa é que com confirmação do acordo com a Misheng Financial Leaseing Co., que incluem 20 jatos, algumas aeronaves sejam produzidas em território chinês. “Nós estamos trabalhando na formalização da fábrica”, afirmou Curado.

O executivo explicou que a unidade ainda está recebendo o ferramental necessário e os funcionários estão sendo treinados, a projeção é que as operações na fábrica comecem em 2012 e as primeiras entregas aconteçam em 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário