terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Demanda exige o 3º aeroporto

11/12/2011 - Diário Online

JÚLIA GUIMARÃES

O movimento nos 35 aeroportos paulistas cresceu 55,73% desde o ano de 2007, quando o Governo Federal anunciou a construção de um terceiro terminal na Região Metropolitana de São Paulo. A medida foi comunicada oficialmente pela própria presidente Dilma Rousseff (PT), que na época ocupava o posto de ministra-chefe da Casa Civil, como uma resposta ao caos aéreo do País, agravado pela tragédia envolvendo o Airbus A320 da TAM em Congonhas. Quatro anos mais tarde, a rede aeroviária paulista é praticamente a mesma, porém os embarques e desembarques aumentaram sensivelmente, pulando de 30.559.847 no acumulado de janeiro a outubro de 2007, para 47.591.607 no mesmo período deste ano. No total, foram quase 17 milhões de registros de passageiros a mais em um sistema já confirmadamente saturado, o que corrobora a ideia de que é urgente a construção do terceiro aeroporto na RMSP.

O Estado de São Paulo possui cinco aeroportos federais sob responsabilidade da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero). Os outros 30 terminais são estaduais (confira relação nesta página) e administrados pelo Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp). Ambos os órgãos mantêm estatísticas mensais sobre o acumulado de embarque e desembarque de passageiros (confira quadro nesta página). Os dados mais recentes são de outubro de 2011 e indicam que apenas as unidades federais receberam um total de 45.465.352 pessoas nos 10 primeiros meses deste ano. No mesmo período de 2007, foram 29.595.691 registros, o que representa um crescimento de 53,62% em média para o acumulado de Congonhas (São Paulo), Cumbica (Guarulhos), Viracopos (Campinas), Campo de Marte (São Paulo) e São José dos Campos.

O detalhamento dos números da Infraero deixa evidente que os aeroportos maiores, de Congonhas e Cumbica, estão saturados. Isso porque o estrangulamento da demanda tem provocado um fenômeno de crescimento extremamente significativo nas unidades menores, em Campinas e São José dos Campos. O maior aumento, quase absurdo, foi registrado em Viracopos, cujos embarques e desembarques saltaram de 829.803, entre janeiro e outubro de 2007, para 6.198.373 neste ano, em um aumento de 646,96%. No terminal do Vale do Paraíba a situação é semelhante, sendo que os números passaram de 45.480 para 192.382, em um crescimento de 323,00%.

O Aeroporto Internacional de Guarulhos registrou crescimento menor de 61,6%, mas não menos expressivo levando-se em consideração o número de passageiros registrados na unidade. Em 2007, entre janeiro e outubro, um total de 15.320.894 de pessoas passaram pelo local. Apenas nos dez primeiros meses de 2011, houve registros de 24.758.986 embarques ou desembarques. No ano passado, no mesmo período, foram 22.087.385 operações do tipo, o que indica que apenas neste ano o terminal internacional recebeu cerca de 2,7 milhões de viajantes a mais do que em 2010.

Já em Congonhas, o crescimento foi mais tímido, de 5,88% de 2007 para 2011 (confira números no quadro). Apesar de a estatística ser aparentemente pequena, o aumento pode ser considerado preocupante já que existe um consenso de que o aeroporto precisa ter o movimento reduzido. A unidade foi palco do desastre aéreo de 17 de julho de 2007, quando o Airbus A320 da TAM se acidentou matando todos os seus tripulantes. Três dias mais tarde, em 20 de julho, a então ministra Dilma Roussef anunciou a construção de um terceiro aeroporto na RMSP, o que nunca se concretizou. A proximidade com a Copa do Mundo de 2014 acabou obrigando o Governo Federal, ainda que tardiamente, a entregar os aeroportos federais à iniciativa privada para ampliação da rede. Para o Governo do Estado, no entanto, a medida não é suficiente.

No início desta semana, o vice-governador Guilherme Afif Domingos (PSD) revelou os planos do Estado para o terceiro aeroporto da RMSP. O projeto, que vinha sendo mantido em sigilo até então, prevê uma Parceria Público-Privada (PPP) para construção do empreendimento, linkada à concessão dos 30 aeroportos paulistas sob administração estadual. Afif deixou claro que Mogi das Cruzes está entre as localidades passíveis recebimento do novo aeroporto. Logo depois, o prefeito Marco Bertaiolli (PSD) também confirmou, em entrevista exclusiva a O Diário, que os estudos do Estado para viabilização do projeto já estão bastante avançados e que a Cidade está cotada para recebimento do empreendimento já que a ideia inicial é para construção de pistas paralelas a Cumbica.

Aeroportos estaduais

Nos 30 aeroportos estaduais, o movimento de passageiros foi bem menor do que nas unidades federais, com 2.126.255 embarques e desembarques registrados neste ano. Porém, o crescimento foi alto, de 120,53%, já que em 2007 o Daesp registrou a passagem de 964.156 pessoas nos terminais. O salto pode ser um indicativo de que o setor tem potencial de crescimento no Interior. Possivelmente, seja de olho nessa tendência que o Estado já prepara a concessão da rede, conforme revelado por Afif.

Nenhum comentário:

Postar um comentário