quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Estado assume obras do aeroporto de Volta Redonda

22/12/2011 - O Globo, Dicler de Mello e Souza

O secretário estadual de Obras, Hudson Braga, assinará na sexta-feira, às 11h, com o prefeito de Volta Redonda, Antonio Francisco Neto (PMDB), na sede da prefeitura, a transferência da obra do aeroporto do Vale do Aço para a esfera estadual. O novo aeroporto receberá aeronaves de até 150 passageiros e tem como meta atender à grande demanda de passageiros dos municípios de Volta Redonda, Barra Mansa, Piraí e Porto Real.

O aeroporto será construído num terreno de 1,9 milhão de metros quadrados, que já foi desapropriado por um decreto do governo estadual. O investimento está em cerca de R$ 50 milhões, e o prazo para a construção do novo aeroporto é de 12 meses. Paralisadas desde dezembro, quando começou o processo de desapropriação do terreno pelo governo do Estado do Rio, as obras do Aeroporto Regional Vale do Aço, que será construído no bairro Roma II, começaram há cerca de um mês e meio, com a chegada dos equipamentos está em fase de estruturação do terreno, incluindo as etapas de terraplanagem para realizar a limpeza do terreno. Executada pela empresa Carioca Engenharia, a obra tinha até 31 de dezembro para ficar pronta, mas alguns problemas, como a própria questão das desapropriações, fizeram com que o trabalho sofresse atraso.

Com o acréscimo publicado em dezembro do ano passado, o aeroporto terá uma pista de 2,2 mil metros de comprimento por 30 metros de largura. O investimento foi feito em parceria com o Governo Federal, através do Profaa (Programa Federal de Auxílio a Aeroportos).

Para Neto, o aeroporto regional proporcionará um grande progresso para a região, pois promoverá desenvolvimento para as cidades próximas ao aeroporto, oferecendo voos regulares para Rio, São Paulo e Belo Horizonte. Além de atender a população de Volta Redonda, Piraí, Barra Mansa e redondezas, o aeroporto regional também vai servir às empresas da região, como a Companhia Siderúrgica Nacional e as fábricas da Peugeot-Citroën, da Volkswagen e a Votorantim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário