quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

TAM e LAN formam maior empresa aérea da America Latina

14/12/2011 - Jornal do Brasil

Agência AFP

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira a fusão da TAM com a chilena LAN, permitindo a criação da LATAM, a maior empresa aérea da América Latina, informou a Agência Brasil.

O Cade impôs como condição para a fusão uma redução dos voos entre São Paulo e Santiago, para permitir a concorrência, e que a nova companhia escolha apenas uma aliança internacional, já que a TAM integra a Star Alliance e a LAN pertence à Oneworld.

O conselheiro do Cade Olavo Chinaglia explicou que a nova empresa terá 80% dos voos existentes atualmente entre Santiago e São Paulo.

A decisão do Cade foi unânime e de última instância, explicou Chinaglia.

A TAM destacou em um comunicado que a fusão cria "um dos três maiores grupos de empresas aéreas do mundo em valor de mercado".

O novo grupo é um gigante com valor estimado de 14,5 bilhões de dólares e 6% do transporte aéreo mundial.

Sobre as exigências do Cade, a TAM revela que "as duas companhias já analisavam tais medidas, que são similares às requeridas pelo Tribunal de Defesa da Livre Concorrência do Chile (TDLC)".

TAM e LAN informaram em outubro passado que esperavam concretizar a criação do Grupo LATAM até o final do primeiro trimestre de 2012.

A transação já foi autorizada pelas autoridades chilenas, onde o Tribunal de Defesa da Livre Concorrência (TDLC) impôs 11 condições, incluindo a redução de alguns voos para Lima.

TAM e LAN informaram em outubro que tentariam derrubar algumas das condições impostas pelo TDLC, mas que a decisão não afetaria o processo de fusão.

A TAM é lider no mercado brasileiro, com uma frota de 156 aviões, e a LAN é a principal companhia aérea do Chile, com 139 aparelhos.

A LATAM deve estabelecer rotas de passageiros para 115 destinos, em 23 países, além do transporte de carga. No ano passado, as duas companhias transportaram mais de 45 milhões de passageiros e 832 mil toneladas de carga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário