quinta-feira, 5 de abril de 2012

JAL assina acordo para adicionar novo jato Embraer 170 à frota

04/04/2012 - Jornal de Turismo

Após entregar dez jatos Embraer 170 à JAL (Japan Airlines), a Embraer assinou um aditamento ao contrato original, assinado em junho de 2007 com a companhia aérea japonesa, para um novo jato E170. O valor do contrato, a preço de tabela, é de US$ 38 milhões.

Como os anteriores, este E170, com motores GE CF34-8E, será configurado para 76 passageiros, em classe única, e operado pela J-AIR, subsidiária integral da JAL que atende a rede regional da empresa no Japão. A entrega está planejada para o último trimestre de 2012.

“Este novo pedido da JAL é um reconhecimento importante do excelente desempenho dos E-Jets em termos de confiabilidade de horários, conforto e economia”, disse Paulo Cesar de Souza e Silva, presidente da Embraer, Aviação Comercial. “Continuamos construindo uma sólida relação com a JAL, que tem usado nossos E-Jets para reestruturar parte de seus mercados de narrowbodies e desenvolvendo novas rotas pelo Japão.”

“Com a encomenda de um Embraer 170 adicional, a Japan Airlines dá continuidade ao processo de otimização de sua rede de rotas domésticas, iniciado em fevereiro de 2009, quando o primeiro E-Jet começou a voar comercialmente na J-Air. O E170 é extremamente popular por uma série de razões. Primeiro, com nossos clientes de negócios, porque nos permite acrescentar vôos conforme a demanda em importantes mercados em crescimento; segundo, com nossos acionistas, pela contribuição econômica da frota ao nosso plano de reestruturação; e, terceiro, com nosso Departamento de Operações, porque está entre as aeronaves mais confiáveis que operamos hoje", disse Tsuyoshi Yamamura, presidente da J-AIR e diretor-executivo da JAL.

Com a frota atual de dez E170, a J-Air substituiu aeronaves antigas e ineficientes em rotas como Tokyo-Haneda a Nanki-Shirahama e entre Osaka-Itami e Aomori. A companhia aérea também relançou algumas rotas, como a de Osaka-Itami a Miyazaki, feita anteriormente com jatos antigos e maiores, ajustando a capacidade à demanda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário