quinta-feira, 7 de junho de 2012

Empresas aéreas escondem média de atrasos dos voos

05/06/2012 - Folha de São Paulo

Companhias deixam informação sobre pontualidade sem destaque na internet
Norma entrou em vigor ontem; dado serve para ajudar cliente escolher passagem de empresa por sua pontualidade

RICARDO GALLO
DE SÃO PAULO

Companhias aéreas esconderam dos passageiros o percentual de voos atrasados e cancelados. Desde ontem, elas são obrigadas a publicar os dados em seus sites.

Resolução da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) determina que as informações têm de ser apresentadas quando o passageiro selecionar destino e dia do voo.

A intenção da agência, com a norma, é dar mais opções ao passageiro ao escolher a empresa em que voará.

A Folha testou o serviço nos sites de 12 companhias nacionais e internacionais. Só dois mostravam atrasos e cancelamentos claramente - o da KLM e o da United.

Uma das piores foi a página da TAM, onde encontrar o ícone "Pontualidade Anac" exigia clicar em quatro lugares, três dos quais sem indicação. A reportagem só descobriu o caminho após pedir ajuda a uma assessora de imprensa.

Ocultar os dados sob títulos diversos foi outro subterfúgio. Na Avianca, o índice só aparecia ao clicar sobre o número de escalas do voo. Na Azul, em "Detalhes".

A Gol usou um relógio. Pela manhã, a Webjet não tinha o índice. A informação foi colocada no ar à tarde, ao lado da tabela de voos -após a reportagem procurar a empresa.

Houve quem colocasse a informação perdida, como a Air France, que usou título sem destaque no fim da página. A KLM é do mesmo grupo da Air France. Na Emirates, ela só era exibida na página inicial, e não na escolha de voos, como diz a norma. Três empresas não mostravam os índices: British, Iberia e American Airlines.

Ontem, o Procon autuou Azul, Avianca e Webjet por não informarem, em seus balcões de vendas em Congonhas, a média de atrasos. As empresas terão 15 dias para apresentar defesa e, em seguida, o órgão vai definir se aplica multa.

MUDANÇAS

Sem dar números, a Anac disse fiscalizar as empresas, inclusive se notar cumprimento insatisfatório da norma. A multa pode chegar a R$ 10 mil.

A redação pode ser alterada se a norma estiver sendo desvirtuada pelas empresas, diz a agência, que também exibe os índices em seu site.

Nenhum comentário:

Postar um comentário