domingo, 17 de junho de 2012

Viracopos terá novo terminal para 14 milhões até a Copa

15/06/2012 - Valor Econômico

Por De Brasília

A concessionária Aeroportos Brasil, que assume a administração de Viracopos por 30 anos, investirá R$ 1,4 bilhão na construção de um novo terminal com capacidade para 14 milhões de passageiros por ano - quase três vezes acima da exigência do governo na primeira fase do contrato de concessão. A nova estrutura terá 110 mil metros quadrados de área total, edifício-garagem com três pisos e 28 posições para o estacionamento de aeronaves com pontes de embarque e desembarque (fingers), além de sete posições remotas (com acesso aos aviões por meio de ônibus).

A previsão da concessionária é entregar essa nova estrutura em 22 meses, antes da Copa do Mundo de 2014. A exigência do governo, no edital de licitação, era de um terminal com capacidade para 5,5 milhões de passageiros/ano. "As obras devem começar em outubro", diz o presidente do conselho de administração da Aeroportos Brasil, João Santana.

Com essa primeira fase de expansão, que poderá implicar na desativação do atual terminal quando o novo ficar pronto, "talvez tenhamos certa ociosidade no início, mas isso nos dará tranquilidade", segundo Santana.

A nova concessionária - uma aliança entre a Triunfo (45%), a UTC (45%) e a operadora francesa Egis (10%) - promete "melhorias imediatas" em Viracopos. Há um mês, funcionários da Aeroportos Brasil têm dado plantão no terminal, "conhecendo e conversando com a Infraero ". A partir de hoje, uma série de intervenções tem início: mudanças no lay-out da área de embarque, limpeza dos banheiros, troca de sinalização, instalação de guaritas de vigilância e passarelas cobertas na ligação com o estacionamento.

"São dezenas de itens", afirma Santana. A princípio, será usado um projeto desenhado pela própria Infraero nessa etapa inicial, mas que a estatal não conseguia implementar por excesso de burocracia. As intervenções estão orçadas em R$ 69 milhões, mas a concessionária acredita que o valor pode ficar abaixo disso.

Não estão previstas, nos primeiros anos, abertura de capital nem mudanças societárias. Nos planos financeiros da empresa, o equilíbrio operacional será atingido em cinco anos e os dividendos serão pagos a partir do 16º ano de contrato. Em 2011, segundo números da Infraero, a receita de Viracopos alcançou R$ 313,7 milhões e houve despesas de R$ 208 milhões. A operação atual dá lucro, mas o aeroporto entra em um período de fortes investimentos de ampliação, além do pagamento anual de outorga.

Na estrutura da Aeroportos Brasil, o conselho de administração será presidido por João Santana e terá outros oito integrantes - como o presidente da Triunfo, Carlo Bottarelli, e o principal acionista da UTC, Ricardo Pessoa.

Para a presidência-executiva, a concessionária chamou Luís Carlos Kuster, que comandava a implantação da usina hidrelétrica Garibaldi (SC), uma concessão detida pela Triunfo. Carlos Valente, oriundo da própria UTC, trabalhou na montagem do negócio para o leilão e ficou com a diretoria comercial. Marcelo Mota, baiano com experiência de dez anos na operação do aeroporto de Toronto, foi repatriado e assumirá a diretoria operacional. Gustavo Müssnich, da Triunfo, ocupará o cargo de diretor de engenharia. Finalmente, a diretoria financeira ficará com Roberto Guimarães, executivo que vem da HRT e participou da abertura de capital da petrolífera. (DR)

Nenhum comentário:

Postar um comentário