terça-feira, 31 de julho de 2012

Aperto é para justificar preço baixo, diz empresa

29/07/2012 - Folha de São Paulo

A Webjet disse que, por ser a única empresa "ultra low cost" do Brasil, usa o máximo de assentos permitidos pelo fabricante nos aviões; daí a distância entre as poltronas ser a menor e, consequentemente, obter a pior classificação pela Anac.

Outro fator que motivou a decisão de manter assentos mais apertados, diz a empresa, foi que a média dos seus trajetos é curto, de cerca de 1 hora e 20 minutos.

As poltronas são travadas, diz a empresa, porque, se reclinassem, provocariam desconforto ao passageiro que estivesse sentado no banco imediatamente atrás.

A empresa afirmou que está em processo de troca dos antigos Boeings 737-300 pelo modelo 737-800.

Nos sete aviões do novo modelo que já estão em uso (um quarto da frota), a distância entre as poltronas varia entre 71 e 73 centímetros, a segunda melhor pela classificação da Anac -e, neles, os bancos reclinam.

Há previsão de mais dez aviões Boeing 737-800 até novembro, segundo a Webjet.

A Gol tem dez dos seus 127 aviões com o pior espaço entre as poltronas. Mas 70% da frota está na categoria B, a segunda mais espaçosa.

A empresa diz oferecer opções de conforto como iluminação especial em parte da frota e compartimentos de bagagem espaçosos. Em voos internacionais, dispõe de uma classe especial, com poltronas mais confortáveis.

A Azul oferece assentos mais espaçosos (86 cm) por R$ 25 nos seus jatos Embraer, quase 80% da frota. Já a Avianca diz que o conforto é seu principal atributo.

A TAM informou não ter nenhum avião nas duas piores faixas de espaço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário