sexta-feira, 20 de julho de 2012

Infraero vai investir R$ 100 milhões no Aeroporto de Salvador

18/07/2012 - Mercado & Eventos

Rafael Massadar

Aeroporto Internacional de Salvador — Deputado Luís Eduardo Magalhães

Em visita técnica ao Aeroporto de Salvador, o secretario de Turismo da Bahia, Domingos Leonelli, tomou conhecimento que a Infraero vai investir R$ 100 milhões nas obras de modernização do equipamento na capital baiana. As informações foram dadas pelo superintendente regional do órgão, Cassiano Ferreiro. O objetivo é melhorar as condições do equipamento com vista na Copa do Mundo de 2014.

Mais balcões de check-in, que sairão das atuais 60 para 82 unidades, ampliação da área de desembarque, com mais esteiras de bagagem, modernização do sistema eletrônico, nova torre de controle, com 63 metros de altura, e ampliação do estacionamento são algumas das melhorias no aeroporto que ficarão prontas até dezembro de 2013. 

Outros equipamentos - O Pátio I terá o pavimento de asfalto substituído por um pavimento de concreto, o que irá permitir o estacionamento de aeronaves de grande porte.Ainda conforme Ferreiro, no Pátio III, do Terminal de Cargas, serão construídos mais três pontos de estacionamento. Já no Pátio IV, que comporta a aviação civil, a exemplo dos táxis aéreos, haverá ampliação das vias de acesso.

“Para dar maior comodidade e conforto a baianos e turistas, o terminal de passageiros vai passar por um processo de modernização, com a readequação e ampliação das áreas de desembarque e dos balcões de check-in, que passarão de 60 para 82, distribuídos em ilhas, além da criação de um espaço reservado para o web check-in”, disse o superintendente. O projeto ainda contempla a substituição das esteiras de bagagem e de todo sistema eletrônico, que inclui climatização, iluminação, segurança, informação de voos, combate a incêndio e demais serviços essenciais ao bom funcionamento do aeroporto.

Segunda pista - O superintendente da Infraero informou a Leonelli que a segunda pista do aeroporto não ficará pronta para 2014, mas reconheceu a sua necessidade. "Essa segunda pista poderia ampliar o fluxo anual de passageiros (embarques, desembarques e conexões) e possibilitaria a implantação de novos fingers, o que significaria um novo passo na logística da Bahia. Não só para passageiros, como para cargas, além de novas rotas e novos voos".

Nenhum comentário:

Postar um comentário