quinta-feira, 5 de julho de 2012

Passaredo cancela cinco rotas para cidades do Sul

05/07/2012 - Valor Econômico,  Alberto Komatsu

A Passaredo Linhas Aéreas deve anunciar, em breve, uma importante reestruturação na sua malha de voos. A companhia regional está desativando cinco rotas que incluem cidades na Região Sul do país. Ela pretende redirecionar a sua operação para os estados de São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, Paraíba, Mato Grosso do Sul e Paraná.

Na segunda-feira, a Passaredo solicitou à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) a exclusão das rotas Curitiba-Ribeirão Preto, Curitiba-Goiânia, Curitiba-Cascavel, Brasília-Londrina, Porto Alegre-Londrina. A Passaredo foi fundada em julho de 1995, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo.

Segundo a Anac, a exclusão dessas rotas começa a vigorar a partir do dia 17 de julho. Uma simulação de compra de passagens para esses trechos, feita pelo Valor, mostra que não há passagens disponíveis nessas rotas a partir de 10 de julho.

A Passaredo só não abandonou por completo a região Sul do país porque solicitou à Anac uma nova rota entre Maringá (PR) e o Aeroporto Internacional de Guarulhos (Cumbica). Além desse voo, a companhia regional pediu autorização para criar mais seis rotas: Cumbica-Ribeirão Preto, Cumbica-Três Lagoas (MS), Cumbica-Ipatinga (MG), Cumbica-Campina Grande (PB), Cumbica-Petrolina (PE) e Cumbica-Uberlândia (MG).

Segundo a Anac, o pedido para a criação dessas novas rotas está sendo analisado e têm prazo de vigência a partir do dia 2 de setembro.

"Sou cliente da Passaredo e utilizava o voo entre Curitiba e Cascavel. Tentei recentemente comprar uma passagem nessa rota, mas ela estava indisponível. Procurei a empresa, o serviço de atendimento, mas não souberam responder o motivo. Depois, o serviço de vendas informou que essa rota estava suspensa temporariamente", afirmou o advogado Julio Cesar Martins, de Balneário Camboriú (SC).

A Passaredo informou ontem que estava preparando um comunicado sobre a reestruturação de sua malha aérea. O presidente da companhia, José Luiz Felício Filho, foi procurado, mas não retornou.

De acordo com uma fonte do setor aéreo, que pediu anonimato, a Passaredo não conseguiu suportar a competição com as grandes do setor, como TAM e Gol, na região Sul. "A Passaredo não consegue competir com TAM e Gol em aeroportos grandes", afirmou a fonte.

Em maio, a Passaredo anunciou, em Paris, a encomenda de 20 turboélices ATR 72-600, para 70 passageiros, sendo 10 pedidos firmes e 10 opções de compra, um investimento de US$ 450 milhões. A empresa tem 14 jatos da Embraer, modelo ERJ 145, para 50 pessoas.

A Passaredo também foi alvo de rumores de que estaria sendo vendida para a Gol, mas as duas companhias negam a negociação.

A Passaredo respondeu por 0,65% da demanda por voos domésticos em maio, segundo a Anac. O fluxo de passageiros transportados pela Passaredo no mês teve recuo de 7% na comparação anual. A oferta de assentos teve redução de 6% em relação a maio de 2011. A taxa média de ocupação dos aviões ficou em 69,54%, uma redução de 1,79 ponto percentual ante igual mês do ano passado. O último dado financeiro da Passaredo disponível é de 2010, quando a Anac divulgou que a companhia teve prejuízo de R$ 10,3 milhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário