terça-feira, 28 de agosto de 2012

Demanda tem menor avanço desde 2008

28/08/2012 - Valor Econômico

Por Alberto Komatsu

A demanda por voos domésticos cresceu 7,86% em julho, na comparação anual. Apesar de ser um bom desempenho, por causa das férias escolares, foi o resultado mais fraco para julho desde 2008, quando o indicador subiu 7%. Nos mesmos meses de 2011, 2010 e 2009, o fluxo teve aumentos de 20,07%, 18,5% e 9,43%, respectivamente. Os dados são da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Esse cenário de crescimento menor da demanda, porém, não impediu que os voos domésticos atingissem, em julho, o maior nível mensal, em termos absolutos, desde o início da série histórica da Anac, em 2000. O principal índice do setor aéreo (RPK), que multiplica o número de passageiros pagantes pela quantidade de quilômetros voados, somou 8,2 bilhões.

A desaceleração do crescimento da demanda doméstica já havia sido apurada por TAM e Gol, que revisaram para baixo projeções de demanda e oferta para o encerramento deste ano. Para elas, a aviação doméstica vai crescer, no máximo, 9% até dezembro. De janeiro a junho, a expansão foi de 7,4%.

O aumento de capacidade dos aviões no país, de 2,06% em julho, é o mais baixo em sete anos. Só ganha de julho de 2006, quando a oferta de assentos mostrou recuo de 2,7%, ante igual mês de 2005. O resultado foi impactado pela estratégia de TAM e Gol de reduzir a oferta para aumentar taxa de ocupação dos aviões.

Pelos dados da Anac, essa estratégia começa a surtir efeito. Isso porque a taxa média de ocupação dos aviões, de 79,45% em julho, foi a maior desde o início da série histórica da Anac. A taxa de ocupação dos aviões da TAM nos voos domésticos ficou em 81,43%, um crescimento de 8,48 pontos percentuais. Na Gol, por sua vez, a taxa foi de 77,62%, um recuo de 1,87 ponto percentual em relação a julho de 2011.

A TAM teve expansão de 10,11% na demanda por voos domésticos no mês passado. Na Gol, houve recuo de 7,07%. As maiores taxas de expansão de demanda foram verificadas pelas companhias de médio porte, fenômeno que tomou corpo desde meados do fim do ano passado.

A Avianca teve alta de 70,22% no fluxo de passageiros em julho, ante igual período de 2011. A Trip, que está em processo de fusão com a Azul, registrou crescimento de 68,66%, na mesma base de comparação. Na Azul, a expansão foi de 20,55%.

O cenário de desaceleração do mercado doméstico também tem impacto forte nos voos ao exterior, operados por companhias brasileiras. Esse índice teve recuo de 2,33% em julho, diante de igual mês de 2011. Foi o pior resultado desde julho de 2009, quando a redução nesse indicador foi de 10,15%.

De janeiro a julho deste ano, a demanda internacional ficou estável, com variação positiva de 0,59%. O desempenho acumulado de 2012 só é melhor do que o registrado em 2009, quando a variação acumulada ficou negativa em 6,36%, segundo a Anac.

Nenhum comentário:

Postar um comentário