segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Frota da aviação executiva cresce 6,4% no país em 2011

12/08/2012 - Folha de São Paulo

Nos próximos dez anos, venda de jatinhos novos no Brasil deve movimentar US$ 8 bi

MARIANA BARBOSA
DE SÃO PAULO

Puxado pelas vendas de jatos executivos, o número de registros de aeronaves da chamada aviação geral cresceu 6,4% no ano passado e alcançou 13.094 aeronaves.

Foram 784 novos registros, segundo dados do "Anuário Brasileiro de Aviação Geral 2012", que a Abag (Associação Brasileira de Aviação Geral) divulga amanhã.

A aviação geral engloba turboélices, helicópteros e outras aeronaves de uso particular ou de táxi aéreo.

O país tem hoje a segunda maior frota da aviação geral no mundo. Nos últimos três anos, transformou-se também no segundo maior mercado para jatos executivos novos, atrás apenas dos EUA. O segmento cresceu 15,35% no ano passado, alcançando 623 jatos.

Os empresários brasileiros não só estão viajando mais de avião particular como estão preferindo aviões maiores e de mais longo alcance.

"Há um amadurecimento do mercado. Os empresários veem cada vez mais o jato executivo como ferramenta de produtividade", afirma Marco Túlio Pellegrini, vice-presidente de operações da Embraer Aviação Executiva.

A fabricante estima que o mercado nacional deverá absorver mais 550 novos jatos executivos nos próximos dez anos, de diversas marcas e modelos, movimentando US$ 8 bilhões. Hoje, a Embraer detém 17% do mercado.

Acompanhando o aumento da demanda por aeronaves de maior porte, a fabricante vai levar, pela primeira vez para a feira de aviação executiva Labace, nesta semana, seu maior jato no segmento, o Lineage 1000.

Com capacidade para 19 passageiros e um interior luxuoso que comporta cama de casal e chuveiro, o Lineage tem a fuselagem do tamanho do jato comercial 190 (de até 114 lugares) e autonomia para voar de São Paulo a Lisboa sem escalas. Preço de catálogo: US$ 55 milhões (cerca de R$ 110 milhões).

Outras 70 aeronaves executivas, dos grandes fabricantes mundiais, como Airbus, Bombardier e Gulfstream, estarão em exposição na feira, entre os dias 15 e 17 deste mês no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. O ingresso custa R$ 200.

Ao todo serão 190 expositores e a expectativa é que a feira movimente US$ 700 milhões em novos negócios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário