sábado, 1 de setembro de 2012

Azul Trip investe US$ 342 milhões para renovar a frota 

31/08/2012 - Valor Econômico

Por Alberto Komatsu | De São Paulo

A Azul Trip S.A., holding da fusão entre a Azul Linhas Aéreas e a Trip Linhas Aéreas, vai investir US$ 342 milhões, o equivalente a R$ 684 milhões, para trazer 12 aeronaves de setembro até abril de 2013. A informação é do futuro principal executivo de finanças da empresa resultante da união, que se chamará apenas Azul, John Rodgerson. A extinção da marca Trip na comunicação visual da nova companhia aérea foi antecipada na edição de ontem do Valor.

Segundo Rodgerson, os recursos foram obtidos por meio de financiamentos com bancos como o Santander e o Deutsche Bank. A empresa de leasing de aviões da General Electric, a Gecas, também faz parte do pacote.

"Todos os recursos já estão financiados. O prazo médio de financiamento varia de dez a 12 anos", disse o executivo, que preferiu não divulgar as taxas de juros negociadas. Rodgerson contou que, das 12 aeronaves, metade são modelos da família 195 da Embraer, para 118 passageiros. Os outros seis são turboélices da franco-italiana ATR, modelo ATR 72-600, para 70 pessoas.

A chegada das 12 aeronaves integra parte do programa de renovação de frota da Azul e da Trip. O atual presidente-executivo da Trip, José Mario Caprioli, afirmou que os modelos mais antigos das duas companhias serão devolvidos até o fim do primeiro semestre de 2013.

São nove jatos modelo 175 da Embraer, para 86 passageiros, e sete turboélices ATR 42-300, para 48 pessoas. Entre substituições e aquisições, a frota da Azul e da Trip deverá encerrar este ano com 116 aeronaves. Atualmente, são 114.

Caprioli, que será o principal executivo operacional da nova Azul, também afirmou que o acordo de compartilhamento de voos (do jargão em inglês codeshare) entre a Azul e a Trip deverá estar 100% implementado e em vigor entre os dias 20 e 30 de outubro, incluindo a venda integrada de passagens. A aprovação do codeshare pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) foi concedida no dia 20 de agosto, uma semana depois de o pedido ter sido divulgado publicamente, conforme antecipado pelo Valor ontem.

Caprioli e o diretor de comunicação, marca e produto da Azul, Gianfranco Beting, afirmaram que o codeshare é uma espécie de preparação para a futura integração operacional da empresa. Segundo eles, seria "desejável" que a total integração fosse visível aos passageiros até o fim deste ano, mas as duas empresas permanecem operando de forma independente até as devidas aprovações necessárias.

Juntas, as duas companhias protocolaram na Anac 380 pedidos de alteração de horários de transporte (hotran, no jargão do setor, que são autorizações para operar voos regulares). Segundo Caprioli, essas solicitações correspondem ao total de voos operados pelas duas empresas, em torno de 840 por dia. Cada hotran pode incluir de um a sete voos por semana.

"Marca mexe muito com a emoção das pessoas. A marca Trip é de 1998, uma alusão à nossa origem, em Campinas. Eu fui o criador dessa marca e estou muito contente por anunciar que decidimos por uma marca associada", afirmou Caprioli, sobre a manutenção de detalhes da comunicação visual da Trip no novo desenho.

O novo logotipo da Azul passará por modificações. A letra U, na palavra Azul, será grafada com um tom da cor azul contrastante das demais letras A, Z e L. O objetivo é remeter ao logotipo atual da Trip, que também usa a cor azul, com a letra I pintada em tonalidade diferente das demais letras da marca. O objetivo de grafar a letra U com um tom diferente é também mostrar a "união" das duas empresas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário