domingo, 6 de janeiro de 2013

Dilma cria quarta empresa estatal do seu governo

21/12/2012 - O Estado de S.Paulo

Presidente apresenta a Infraero Serviços, que vai ser responsável por absorver tecnologia em gestão de aeroportos

O Brasil acorda hoje com mais uma empresa estatal na árvore do setor público. Ontem, a presidente Dilma Rousseff anunciou a criação da Infraero Serviços, subsidiária da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), estatal que administra os aeroportos no País há exatos 40 anos. A nova empresa terá como tarefa absorver tecnologia internacional em gestão de aeroportos e aplicá-la no País.

Com isso, a presidente Dilma criou quatro estatais em seus 23 meses de mandato – seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, autorizou cinco estatais em oito anos. Além da Infraero Serviços, a lista das estatais de Dilma é composta pela Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A., a Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias S.A, e a Empresa Brasileira de Planejamento e Logística.

A Infraero Serviços será parceira dos operadores internacionais, pois terá uma participação de até 49% nos consórcios que administrarão os terminais privatizados. Nessa condição, ela absorverá tecnologia estrangeira de gestão de serviços. Esse conhecimento será utilizado em outro campo de atuação, que é ofertar serviços de planejamento, consultoria, administração, apoio à operação e treinamento de pessoal em aeroportos.

Haverá também uma parceria entre a nova estatal e o Banco do Brasil (BB) para viabilizar os projetos para os investimentos nos aeroportos regionais.

O organograma do setor aeroportuário em Brasília passa a ganhar um novo ator. Ao todo são cinco protagonistas. Ao Ministério dos Transportes e à SAC cabe a estratégia do setor, enquanto a Infraero é responsável pela malha de 61 aeroportos essencialmente públicos do País, e a nova Infraero Serviços pela coadministração dos terminais recém privatizados. E tudo é regulado e fiscalizado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)./J. V.

Nenhum comentário:

Postar um comentário