segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Plano de aviação regional deve facilitar voos

14/01/2013 - O Povo - CE

Viajar entre as cidades brasileiras é, muitas vezes, mais caro que ir ao exterior, principalmente pelo preço do combustível brasileiro, que é o terceiro mais caro do mundo. Incentivos federais deve modificar esse cenário
Liane Braga
lianebraga@opovo.com.br

Clique na imagem pra ampliar
Viajar de Fortaleza para cidades vizinhas, do ponto de vista aeroportuário, é mais complicado e caro que ir a outros países. Isso porque só existem 13 voos nacionais e três internacionais diretos, de acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Mesmo com os 720 aeródromos públicos disponíveis no Brasil. Mas, essa situação pode mudar, para o alivio do viajante, a partir dos próximos anos, quando os investimentos de R$ 7,3 bilhões começarem a sem implantados. O Ceará, por exemplo, vai receber R$ 363 milhões do montante. Com esse valor, novos aeroportos regionais serão criados, promovendo a expansão da malha aeroportuária cearense.

Pelo menos é o que espera o titular da Secretaria do Turismo do Ceará (Setur), Bismarck Maia. "Com a implantação de novos aeroportos e as reformas dos que já existem, o Ceará, que já um roteiro turístico consolidado, vai se expandir ainda mais. Esse tipo de investimento é fundamental para o turismo local e desde 2007 nós já estamos pensando nisso. Mas isso só se faz de duas formas. Investindo em infraestrutura e aplicando uma política de incentivos fiscais", explicou.

Segundo ele, a falta de opção de voos diretos e as altas tarifas praticadas pelo mercado podem prejudicar o turismo regional. "As pessoas chegam aqui e têm dificuldades em se deslocar para outros lugares. Esse tipo de obstáculo pode, inclusive, afastar o turista. Mas, com esses incentivos, torna-se mais viável a implantação de novos voos regionais, com aviões menores, que possam se deslocar durante o dia, proporcionando conforto e comodidade para os passageiros. Esse tipo de demanda existe já há algum tempo no nosso estado. Assim, a concorrência entre as operadoras ficará maior e os preços das passagens tendem a cair", disse.

Para o presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), Eduardo Sanovicz, esses incentivos serão recebidos de maneira positiva pelo setor. "Esse pacote vai ampliar a oferta de transporte aéreo à população brasileira", disse.

Segundo ele, os resultados deverão ser sentidos em médio prazo. "Se avançarmos nesse debate com a sociedade, é muito provável que no segundo semestre do ano que vem já vejamos resultados. Também não haverá mais aumento de tarifas previsto para 2013. Isso significará uma economia de pelo menos R$ 400 milhões para as empresas. Mesmo com a redução nos custos que as companhias aéreas terão por conta da desoneração da folha de pagamento (R$ 300 milhões/ano), esse montante só com tarifas impactaria muito na saúde financeira e econômica dessas empresas", avalia.

O vice-presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav), Edmar Bull, acredita que esse investimento é só o começo para a criação de novos voos. "Com esse aperfeiçoamento da malha aérea, as empresa aéreas poderão investir mais e os turistas poderão se descolar com maior facilidade para outros estados", disse.

Para o vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Ceará (Abih-CE), Régis Medeiros, também está otimista. "A movimentação regional é muito importante para o setor, mas nem sempre sai lucrativo para as empresas", disse. "Quando uma pessoa viaja movimenta uma cadeira produtiva que permeia 54 setores da economia", ressalta.

Onde
ENTENDA A NOTÍCIA

Juazeiro do Norte, Iguatu, Quixadá, Aracati, Crateús, Canindé, Sobral, Itapipoca e Jijoca de Jericoacoara serão contempladas pelo pacote de investimentos do setor aeroportuário, anunciado Governo Federal.

SERVIÇO
Pesquisa de preço realizada no dia 13 de janeiro de 2013
Passagens para 21 de janeiro de 2013

TAM
Fortaleza/ Buenos Aires (Argentina)
Tarifa mais barata R$ 809,57
Fortaleza/São Paulo (Guarulhos)
Tarifa mais barata R$ 1.028
Fortaleza/Belo Horizonte
Tarifa mais barata R$ 2.144

GOL
Fortaleza/Buenos Aires (Argentina)
Tarifa mais barata R$ 1.470,65
Fortaleza/São Paulo (Guarulhos)
Tarifa mais barata R$ 409
Fortaleza/Belo Horizonte
Tarifa mais barata R$ 1.255,90

Dicionário
Aeródromo

De acordo com o Código Brasileiro de Aeronáutica (Lei nº 7.565, de 19 de dezembro de 1986), aeródromo é toda área destinada a pouso, decolagem e movimentação de aeronaves.
Os aeródromos podem ser classificados em civis (quando destinados ao uso de aeronaves civis) e militares (quando destinados ao uso de aeronaves militares).

Aeroportos
Aeroportos são os aeródromos públicos dotados de instalações e facilidades para apoio de operações de aeronaves e de embarque e desembarque de pessoas e cargas.

Helipontos
Helipontos são os aeródromos destinados exclusivamente a helicópteros.

Saiba mais
Escala e conexão
Escala é uma parada que o voo faz em outra cidade para receber mais passageiros. Neste caso, não há troca de aeronave, apenas um espera para o embarque de novos passageiros. Conexão implica em diferentes voos, sendo necessário o desembarque para a troca do avião.

Abastecimento
Todas as aeronaves são abastecidas antes do voo com querosene de aviação. Alguns modelos, no entanto, são abastecidos com gasolina de aviação. O cálculo da quantidade necessária de combustível é feito por meio da distância do voo medido em horas, peso do avião, número de passageiros, peso total da carga e as cozinhas da aeronave. É preciso, ainda, calcular o voo com uma faixa de segurança, pois em caso de algum problema, haverá combustível para aeronave pousar em outro aeroporto.

(Com informações do Blog da TAM).

Nenhum comentário:

Postar um comentário