terça-feira, 30 de abril de 2013

Embraer fecha venda de até 70 jatos E-175 para United Airlines


30/04/2013 - Valor Econômico

Por Virginia Silveira

Para o Valor, de São José dos Campos

A Embraer anunciou ontem a segunda maior venda de jatos do modelo E-175 do ano para a americana United Airlines, contrato que tem potencial para 70 aviões e pode chegar a US$ 2,9 bilhões. As encomendas firmes, que somam 30 aeronaves, estão avaliadas em US$ 1,2 bilhão, informou o presidente da Embraer Aviação Comercial, Paulo Cesar Silva.

A notícia foi divulgada algumas horas antes dos resultados do primeiro trimestre, que não foram tão positivos. O lucro da companhia recuou 67% ante ao mesmo período de 2012, e somou R$ 61,7 milhões. A receita registrou alta de 5,6% e fechou em R$ 2,16 bilhões.

O resultado foi impactado pela queda no volume de entregas. Foram 29 aeronaves entregues nos três primeiros meses do ano, cinco a menos em relação ao mesmo período de 2012. As receitas, por sua vez, foram impulsionadas pela desvalorização do real, já que seus custos fixos são em reais e a receita é calculada em dólar. A área de defesa e segurança ajudou a incrementar a receita, com faturamento de R$ 498 milhões, cerca de 23,1% do faturamento total.

O contrato com a United só foi superado pela venda de 47 jatos E 175 para a companhia americana Republic Airways, no valor estimado de US$ 2 bilhões. Com as opções de compra o negócio pode envolver 94 jatos, alcançando o valor total de aproximadamente US$ 4 bilhões, segundo o preço de lista das aeronaves.

"O contrato com a United demonstra o reconhecimento do mercado de que estamos bem posicionados no nosso segmento, com um produto extremamente competitivo e atualizado para suprir as necessidades dos clientes americanos", afirmou Silva.

A Embraer tem a expectativa de que nos próximos 18 a 24 meses o mercado americano absorva entre 200 e 400 jatos no segmento de 70 a 75 assentos e aguarda, ainda para este ano, a decisão de compra de mais unidades por outras três companhias americanas. Esse mercado, segundo o executivo da Embraer, deverá movimentar negócios da ordem de US$ 6 bilhões e US$ 9 bilhões nos próximos 18 meses.

Em dezembro, a Delta Airlines comprou 40 jatos CRJ 900, de 76 lugares, da concorrente Bombardier, um contrato avaliado em US$ 1,5 bilhão, mas que pode chegar a US$ 3,2 bilhões se forem incluídas as opções de compra.

A Republic Airways será a primeira a receber a versão melhorada do jato E175, que estará disponível para o mercado entre abril e maio do próximo ano. Os jatos serão operados pela Republic Airlines, subsidiária da Republic Airways, mas nas cores da American Eagle, braço regional da American Airlines.

O jato terá novas pontas de asa (wingtips), otimização de sistemas e refinamentos aerodinâmicos, que permitirão uma redução de combustível da ordem de 5%, informou Silva. "Este será o jato com o menor custo operacional da categoria no mundo", ressaltou.

Os jatos E-175 adquiridos pela United serão operados com a marca United Express. A primeira entrega está prevista para o primeiro trimestre de 2014. O vice-presidente da United, Jim Compton, disse que os aviões da Embraer vão substituir os jatos de 50 lugares da companhia, com mais eficiência de combustível.

A carteira de pedidos firmes de jatos comerciais da Embraer conta com 211 aeronaves. O valor total do backlog da companhia é de US$ 13,3 bilhões, mas o montante também inclui aeronaves da área de defesa, como os 20 Super Tucano vendidos para a Força Aérea dos Estados Unidos e os contratos de serviços e apoio logístico fechados com a Força Aérea Brasileira (FAB). Segundo Silva, a venda para a United deverá ser incluída na carteira de pedidos que será divulgada em junho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário