quarta-feira, 15 de maio de 2013

Número de helicópteros em BH cresce mais que média nacional

15/05/2013 - O Tempo - MG
Na capital, percentual é de 30% ao ano, contra 20% no país; são cerca de 50 pousos e decolagens ao dia













Custo-benefício.
Renato Las Casas garante que comodidade e agilidade compensam o custo alto

Fugir do trânsito cada vez mais caótico de Belo Horizonte e economizar tempo. Esses foram os argumentos do empresário Renato Las Casas, 30, para comprar um helicóptero. Ele é um dos moradores que contribuíram para a alta no número de aeronaves na capital, que cresce acima da média nacional. De acordo com a Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero (Abraphe), enquanto no Brasil o número de helicópteros cresce 20% ao ano, em Belo Horizonte, o percentual é de 30%.


Dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) mostram que o Estado já conta com 194 helicópteros, número 70% maior que o de 2007, quando eram 113. Só na capital são 58 aeronaves que fazem por dia cerca de 50 pousos e decolagens. O diretor da Abraphe em Minas, Theo Rolfs, destaca que o interesse é natural diante das dificuldades do trânsito e do crescimento da economia. “O empresário precisa chegar cada vez mais rápido para garantir os negócios, e o trânsito está cada vez pior”.

Las Casas recebeu o helicóptero em dezembro, três meses antes de tirar o brevê para pilotar. Hoje, ele não precisa terceirizar o serviço. “Fui até Ipatinga (no Vale do Aço) e gastei 40 minutos. De carro, seriam duas horas e meia e, muito provavelmente, teria que pernoitar na cidade”, disse o empresário, que usa o helicóptero quase que diariamente para ir ao trabalho – o deslocamento da região Centro-Sul da capital até Betim, na região metropolitana, dura cerca de sete minutos.

Custo. Mas a comodidade tem um preço. Um helicóptero novo não sai por menos de R$ 800 mil. Além disso, há gastos com a manutenção, que podem chegar a R$ 30 mil por mês. “É um custo que vale muito a pena. Consigo dedicar mais tempo para o que gosto de fazer”, argumentou Las Casas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário