terça-feira, 27 de agosto de 2013

Brasileiro viaja cada vez mais dentro do país de avião

17/04/2013 - Jornal Pequeno - MA

O brasileiro está viajando cada vez mais de avião dentro do país. É o que mostra estudo do Ministério do Turismo (MTur), consolidado em março de 2013, com base em dados da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Em 2012, os aeroportos brasileiros registraram 85.471.710 desembarques de passageiros em voos domésticos, crescimento de 70,94% desde 2007, quando foram registrados 50.002.469 voos.

Os números apresentados reforçam que há um aumento no trânsito de brasileiros dentro do país. "O brasileiro nunca viajou tanto quanto em 2012", observa o ministro do Turismo, Gastão Vieira. "O desafio é transformar esses deslocamentos na ampliação de consumo de serviços de turismo."

O aumento exponencial nos últimos anos foi impulsionado pelo crescimento do poder de compra da classe C, pela queda dos preços das passagens aéreas, junto com uma maior facilidade de financiamento dos bilhetes aéreos e aperfeiçoamento dos programas de milhagem. De 2011 a 2012, o crescimento no número de desembarques foi de 79.244.256 para 85.471.710, um aumento de 7,86%.

Considerando as viagens domésticas, que incluem deslocamentos de carro, ônibus e avião, o aumento também é significativo. O estudo do MTur aponta que de 2007 a 2012 o número de viagens domésticas subiu 26,3%. Em 2012, o número de viagens domésticas realizadas foi de 197 milhões, enquanto que em 2007, 156 milhões.

O secretário de Políticas de Turismo, Vinícius Lummertz, acredita que o Brasil tem potencial de desenvolver ainda mais o turismo dentro do país, mesmo com a concorrência dos destinos internacionais. "Embora observemos um crescimento do emissivo de brasileiros para o exterior, paralelamente percebemos que há um aumento mais expressivo de viagens domésticas. Queremos agora é qualificar o turismo interno, para que o brasileiro passe a gastar mais dentro do Brasil", observa.

O principal motivo das viagens é de lazer, dentro do próprio estado, ou seja, são passeios de curta distância. O meio de transporte mais utilizado pelos viajantes é o carro próprio. Na região Sudeste predomina este tipo de viagem, com 40,8%, seguida do Nordeste com 25,8% e Sul com 17,7%.

O período de maior fluxo de viagens sem dúvida é o de férias, nos meses de dezembro, janeiro, fevereiro e julho. As principais regiões receptoras de turistas são o Sudeste, com 36,5%, seguido do Nordeste, com 30% e o Sul com 18,5%.

"São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro são os estados mais receptores de turistas ao mesmo tempo em que também são os mais emissores", explicou o diretor do Departamento de Estudos e Pesquisas do MTur, José Francisco Salles Lopes.

José Francisco acrescenta que o número de turistas enviados do Sudeste ao Nordeste é o dobro do enviado do Nordeste ao Sudeste. Ainda segundo Lopes, o turista do Sudeste gasta, no Nordeste, três vezes mais do que o nordestino no Sudeste. "Dentro da economia, o turista doméstico tem uma expressiva contribuição na renda regional", afirma.

TURISMO INTERNACIONAL
A indústria do turismo no Brasil está crescendo e se consolidando no mercado mundial. O estudo do MTur aponta que os desembarques e gastos de turistas internacionais, no Brasil, tiveram considerável aumento, de 2007 a 2012.

A receita cambial turística registrou US$ 4,9 bilhões, em 2007, contra US$ 6,6 bilhões, em 2012, aumento de 34,18%. O ministro do Turismo, Gastão Vieira, avalia que, apesar das limitações enfrentadas pelos principais países emissores de turistas, o Brasil teve um bom desempenho na receita do turismo internacional. "É uma demonstração da força do turismo brasileiro, uma atividade que tem evidenciado capacidade de crescimento", disse Vieira.

A pesquisa também considerou dados da Polícia Federal e do Banco Central.

(FONTE: Ministério do Turismo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário