segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Viracopos quer ser conhecido no mundo para tentar virar de fato internacional

24/08/2013 - Folha de São Paulo

LUCAS SAMPAIO

A concessionária que administra o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), vai rodar o mundo para tentar fazer com que o "internacional" não fique só no nome.

O objetivo é apresentar o projeto de ampliação do aeroporto e tentar atrair companhias aéreas internacionais.

Viracopos tem hoje apenas um voo internacional, com destino a Lisboa (três vezes por semana pela TAP), e o só em julho deste ano o atual terminal passou a ter duas lojas free shop.

Obras do novo terminal do aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). Uma fiscalização do MTE (Ministerio do Trabalho e Emprego) encontrou 168 infrações que podem resultar em multa de ate R$ 1 milhão

Se seu projeto tiver êxito, a concessionária espera trazer voos internacionais para o novo terminal de passageiros, que tem previsão de ser entregue em maio de 2014.

O investimento no novo terminal é de R$ 2 bilhões --valor que deve aumentar para R$ 7,4 bilhões até 2043, quando acaba a concessão.

"Precisamos mostrar o nosso aeroporto para o mundo. Vamos vendê-lo, mostrar o que estamos fazendo", disse à Folha Luiz Alberto Küster, diretor-presidente da concessionária Aeroportos Brasil Viracopos.

O giro internacional de Viracopos começará por Las Vegas (EUA), em outubro, no World Routes 2013 (evento que reúne as maiores empresas de aviação comercial do mundo).

Depois seguirá por Europa (novembro) e Ásia e Oriente Médio (dezembro).

"A grande verdade é a seguinte: hoje nós não temos condições de receber um grande fluxo de passageiros internacionais", diz Küster.

Os motivos para essa avaliação são o fato de que hoje Viracopos não tem "fingers" (os corredores móveis que conectam a aeronave ao terminal) e, portanto, ainda usa ônibus para embarque e desembarque. "A partir de maio, teremos 28 fingers."

CONCORRÊNCIA

Sobre o rival Cumbica, em Guarulhos, Küster diz ter pesquisas que mostram que 40% dos passageiros internacionais que vão a Guarulhos são do interior de São Paulo. Por isso, diz ele, Campinas "pode ser uma opção". "Em algumas regiões de São Paulo já é mais rápido vir a Viracopos do que ir a Guarulhos."

O executivo diz que outro objetivo da concessionária é transformar Viracopos no principal centro nacional de distribuição de voos -função hoje de Congonhas, na cidade de São Paulo.

Dessa forma, diminuiria a dependência mútua entre o aeroporto e a Azul (90% dos voos no atual terminal são da companhia).

Hoje Viracopos opera 70 destinos no país, e negocia com TAM, Gol e Avianca para aumentar esse número.

TREM-BALA

Para isso, o projeto do TAV (Trem de Alta Velocidade), do governo federal, e o de trens metropolitanos (ligando Campinas a Santos e Sorocaba a Taubaté, com as linhas se encontrando em São Paulo), do governo estadual, são essenciais aos planos da concessionária.

"O trem metropolitano começa também a propiciar um esvaziamento de Congonhas, e quando o TAV se viabilizar Congonhas vai passar a ser nosso maior competidor", afirma Küster, que diz ter condições operacionais "muito melhores" do que o aeroporto da capital paulista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário