sexta-feira, 25 de outubro de 2013

BNDES fará estudo sobre setor aéreo

09/04/2013 - O Estado de S.Paulo

Ricardo Leopoldo/SÃO PAULO
Vinicius Neder/RIO

O ministro da Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC), Moreira Franco, pediu ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) estudos sobre as empresas do setor de aviação, em reunião realizada há uma semana, no Rio. O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, classificou ontem, em São Paulo, a aviação civil como "um setor de infraestrutura importante" e reconheceu que "as empresas apresentaram resultados não muito animadores".

Gol e TAM apresentaram fortes prejuízos em 2012. A direção do BNDES e o ministro, anunciado no cargo no mês passado, tiveram encontro oficial na semana passada, na sede do banco, no Rio. Segundo Coutinho, Moreira pediu ao banco para observar "a situação do setor".

'Achismo'. Moreira afirmou ao Estado que é preciso acabar com "achismos", daí o pedido de estudos. "Não podemos fazer um esforço de melhoria na infraestrutura aeroportuária, tanto nos grandes terminais quanto na aviação regional, se não tivermos empresas robustas", disse Moreira, que voltou a defender a discussão sobre o aumento da participação de capital estrangeiro nas companhias aéreas, atualmente limitado em 20%.

O BNDES ficou de levantar dados sobre as empresas para a SAC. Ontem, Coutinho não informou se o banco estuda conceder financiamentos para o setor no curto prazo. A principal forma de atuação do BNDES no setor aéreo é por meio do financiamento aeronaves. No entanto, esse apoio está restrito a fornecedores de capital nacional.

Por isso, as principais operações do banco têm sido para a Azul Linhas Aéreas, que usa jatos regionais da Embraer. A TAM e a Gol usam aviões da Airbus e da Boeing.

Nenhum comentário:

Postar um comentário