segunda-feira, 6 de outubro de 2014

No Paraná, 4 aeroportos têm potencial maior

06/10/2014 - Gazeta do Povo

70 aeroportos regionais devem receber investimentos do governo federal dentro do programa de expansão da aviação regional. Estudo mostra que apenas 40 têm potencial alto ou muito alto.

Quatro aeroportos regionais paranaenses estão entre os dez com maior potencial de desenvolvimento econômico do país, segundo uma pesquisa da empresa de inteligência de mercado Urban Systems realizada entre maio e agosto deste ano. O aeroporto mais bem pontuado, o de Maringá, aparece na 6.ª colocação, seguido pelos terminais de Cascavel, Londrina e Foz do Iguaçu.

O estudo, que traz uma relação de 100 aeroportos regionais brasileiros com potencial de desenvolvimento, foi feito com base no programa de investimento em logística do governo federal e levou em conta quatro indicadores: infraestrutura e localização, transporte de passageiros, transporte de cargas e, desenvolvimento imobiliário e receitas acessórias, o que inclui hospedagem, varejo, educação e saúde.

Os quatro terminais paranaenses fazem parte dos 20 que apresentam potencial 'muito alto' de desenvolvimento. Os 20 seguintes têm potencial 'alto', os 20 posteriores potencial 'médio' (grupo no qual se encaixa o de Ponta Grossa), e o restante 'baixo' potencial.

Os aeroportos paranaenses mais bem posicionados estão na lista dos 15 que foram incluídos no Programa de Desenvolvimento em Logística, que está sendo conduzido pela Secretaria de Aviação Civil (SAC). Também fazem parte da relação os terminais de Bandeirantes, Campo Mourão, Francisco Beltrão, Guarapuava, Paranaguá, Pato Branco, Ponta Grossa, Telêmaco Borba, Toledo, Umuarama e União da Vitória. No total, o investimento previsto para esses aeroportos, segundo a SAC, é de R$ 319,9 milhões.

O governo federal está contemplando, em todo país, 270 aeroportos regionais no programa. Desses, 240 já possuem estudo de viabilidade técnica analisado pela SAC. O estudo de viabilidade aponta as principais necessidades dos terminais. A estimativa é de que sejam investidos R$ 7,3 bilhões.

Para receber os recursos, o Paraná precisa concluir seu Plano Aeroviário Estadual, cujo objetivo é fazer o levantamento da demanda por transporte aéreo no estado, distribuição da demanda futura até 2030, crescimento da oferta por aeroporto, além de calcular lacunas entre oferta e demanda. O plano também vai apurar casos nos quais a intervenção estatal pode vir a ser produtiva e analisar a estrutura dos aeroportos do estado, conforme a Secretaria de Infraestrutura e Logística (Seil).

De acordo com a Seil, o Plano Aeroviário Estadual está sendo concluído e deve ser fechado até o final deste ano. Existem hoje no estado 39 aeroportos públicos e 50 privados. Em todo país hoje, há cerca de 100 aeroportos regionais em funcionamento. O governo pretende ampliar esse número para 270 para possibilitar que 96% da população brasileira tenha um aeroporto a menos de 100 quilômetros de distância. A aviação civil brasileira tem registrado crescimento anual médio de 11%.

Demanda

Em Cascavel, movimento aumentou 4,5 vezes em poucos anos

Com alta demanda e pouca oferta de serviço, alguns aeroportos regionais funcionam no limite. O de Cascavel é um exemplo. Lá, o movimento no aeroporto municipal cresceu 4,5 vezes entre 2010 e 2014. Em janeiro de 2010 passaram pelo terminal 4,5 mil passageiros. Em janeiro de 2014 foram 21 mil. Atualmente, está em andamento uma reforma para ampliação da área de embarque e desembarque, que vai desafogar as operações no terminal. Pelo menos 70% dos recursos vieram do governo federal e outros 30% do governo estadual.

No entanto, o projeto de ampliação mais aguardado ainda está no papel. O aeroporto de Cascavel conseguiu liberação de R$ 50 milhões para ampliar a estrutura, em uma primeira fase. Ao todo, o projeto encaminhado prevê recursos de R$ 97 milhões. Entre as melhorias previstas, estão a ampliação da pista dos atuais 1.780 metros para 2.300 metros, colocação de cerca no entorno da área patrimonial e de operações, aquisição de um caminhão contra incêndio . Também será feita a ampliação da área de pátios para aeronaves que passará de quatro para dez posições. Outra melhoria prevista é a construção de uma pista de manobras.

Investimentos

Projetos estão em estágios diferentes de desenvolvimento

Cada aeroporto apresenta diferentes necessidades. Em Maringá, o Aeroporto Regional Silvio Name Júnior já está com o projeto aprovado para receber os investimentos. Estão previstos R$ 62 milhões. O montante, segundo o superintendente da empresa Terminais Aéreos Maringá S.A., que administra o terminal, será aplicado no aumento da pista de 2.100 para 2.380 metros, ampliação das salas de embarque e desembarque, implantação do IL-S categoria 1, além de outras melhorias.

Em Umuarama, o município conseguiu licença ambiental para ampliar o aeroporto. Agora é preciso regularizar a situação patrimonial antes de licitar a obra. O valor da desapropriação da área para ampliação é estimado em cerca de R$ 16 milhões. O município de Toledo enviou o projeto à Secretaria de Aviação Civil (SAC) e aguarda retorno. A expectativa dos moradores é atrair voos comerciais. Hoje o aeroporto só recebe voos particulares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário