terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Tam anuncia mais aviões e destinos para aviação regional

19/12/2014 - PANROTAS

O presidente do Conselho de Administração da Tam S.A, Marco Antonio Bologna, e a presidente da Tam, Claudia Sender

Maria Izabel Reigada
O primeiro trimestre de 2015 será de grandes novidades para a Tam. Além do anúncio do novo nome do grupo, já previsto para o período, a Tam divulgará a escolha do modelo de jato que deverá incorporar sua frota de aviação regional. O presidente do Conselho de Administração da Tam S.A., Marco Antonio Bologna, e a presidente da Tam, Claudia Sender, anunciaram agora o plano de aviação regional da empresa, na mesma semana em que o Congresso aprovou a Medida Provisória que garante os subsídios para o segmento. "Nosso plano não depende de subsídios. Desde a criação do Fundo Nacional de Aviação Civil defendemos que seus recursos fossem usados para desenvolver infraestrutura, não subsídios", disse Bologna. "Os subsídios não entram em nossas contas, até porque eles duram apenas cinco anos, sem garantia de renovação, e a média de vida de nosso aviões é de 12 anos", completou.

Bologna afirmou que as negociações com a Embraer estão adiantadas, mas há conversas com outros fornecedores. Decidido, por enquanto, apenas o que será adquirido: a compra de 30 aeronaves, sendo 18 ordens firmes e 12 opções do mais moderno modelo de jatos. "Queremos algo que será entregue a partir de 2018. Estamos fechando preço e modelo do financiamento para assinar com algum fornecedor", completou Bologna.

Segundo a presidente da Tam, de 12 a 15 novas cidades brasileiras serão incluídas à malha doméstica da companhia nos próximo três anos, dentro do plano de aviação regional. "Pode parecer pouco, mas estamos falando de levar o serviço aéreo a 17 milhões de habitantes", acrescentou. Hoje, dos 42 aeroportos brasileiros em que a Tam atua, nove são regionais, de acordo com Claudia. A inclusão dos novos destinos à malha será gradativa. Para 2015, entre três e cinco cidades devem ser acrescentadas. "Vamos utilizar os aviões que já temos para essas primeiras operações, no caso, o A-319, nosso modelo menor, com 144 assentos. Mas essas cidades já representam impacto de nove milhões de habitantes", completou Claudia Sender.

Os 30 aviões que a Tam deve adquirir serão somados aos investimentos de expansão da frota da companhia, que já tem R$ 11 bilhões anunciados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário