quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

2º aeroporto na Região Metropolitana de Fortaleza tem vários locais em estudo

07/01/2015 - Diário do Nordeste

Versão final do relatório será apresentada ao governo do Estado por empresa americana no dia 31 deste mês

Um novo aeroporto, principalmente que sirva ao Pecém, é um projeto antigo do governo que, em 2008, já havia feito articulações neste sentido

Foi concluído o estudo de viabilidade econômica para a construção de um novo aeroporto internacional de carga e passageiros no Ceará. A localização já têm em vista vários locais da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) em área de influência do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp). Uma missão da empresa americana que elaborou o documento, inclusive, já esteve em Fortaleza em dezembro do ano passado, quando reuniu-se com diretores e o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado (Adece), Roberto Smith.

No encontro, a The Louis Berger Group, especializada em planejamento aeroportuário, com apoio da USTDA (sigla que, em inglês, significa Agência dos Estados Unidos para o Comércio e Desenvolvimento), apresentou o estudo de viabilidade.

O estudo é a primeira etapa do processo de negociação que envolve a apresentação do relatório final do documento, que ocorrerá em reunião agendada para o dia 31 deste mês, contando com a presença dos representantes da empresa, da Adece e do governador Camilo Santana.

A Louis Berger está sendo financiada pela USTDA, que foi contratada pela Adece, ainda em 2012, para elaborar o documento. A empresa fez uma parceria com uma consultoria de Recife. A demora na conclusão do projeto foi motivada pela inviabilidade detectada dos dois sites apresentados anteriormente pelo Estado. Após isso, os trabalhos pararam e foi feito um aditivo ao contrato para que fosse buscada uma nova localização e feita a continuação do projeto.

Modelo de PPP

De acordo com o apurado pela reportagem, vários lugares da RMF estão sendo analisados para a instalação do novo aeroporto. O projeto, conforme a agência, será realizado por meio de Parceira Público-Privada (PPP), mas não foi detalhado como será o modelo nem se já há empresas interessadas.

Entre as possibilidades que haviam sido cogitadas pelo Governo do Estado, além da PPP, estava a utilização de recursos do Tesouro estadual, ou de recursos federais, ou ainda de ambos. O relatório final do estudo trará, além da localização precisa e possível para o terminal, a viabilidade econômica do empreendimento e seu prazo para retorno do investimento, além de um cronograma de instalação, informando em quantas etapas o terminal deverá ser feito.

"Este aeroporto servirá como uma grande oportunidade para atração de investimentos. O Ceará tem vocação exportadora, e o fortalecimento da logística deve impulsionar ainda mais o setor", destaca Nicolle Barbosa, Secretária de Desenvolvimento Econômico.

Projeto antigo

Um novo aeroporto, principalmente que servisse ao Pecém, é um projeto antigo do governo. Em 2008, já havia articulações no sentido de construção de um aeródromo que pudesse impulsionar a movimentação de cargas por via aérea. Em 2013, o presidente da Adece cogitou que o terminal poderia servir a passageiros e, inclusive, tornar-se o responsável pelos voos internacionais do Estado.

Sérgio de Sousa

Repórter

Nenhum comentário:

Postar um comentário