quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Situação da obra sem conclusão do Aeroporto será levada ao Ministério da Aviação Civil

28/01/2015 - Jornal do Dia – AP

Obra está orçada em R$163,2 milhões, parada após a Operação Gautama, da Polícia Federal, em 2008



Na manhã de ontem (27), uma reunião ocorrida com o superintendente da Infraero no Amapá, Osmar Ferreira, tratou sobre a obra do novo prédio do Aeroporto Internacional de Macapá, que há seis anos se arrasta sem conclusão. A situação das obras do aeroporto será apresentada para o Ministro da Secretaria de Aviação Civil, Eliseu Padilha, amanhã (29), em Brasília.

A obra está orçada em R$163,2 milhões, parada após a Operação Gautama, da Polícia Federal, em 2008, sofreu pequenos avanços, como a construção do teto. De acordo com o superintendente da Infraero, o processo licitatório já foi finalizado, publicado em diário oficial, mas ainda faltam recursos para a conclusão do aeroporto. "Nossa vontade é entregar esse novo espaço para a população, oferecer mais conforto e possibilitar novos investimentos ao Amapá", afirmou Osmar Ferreira. "Temos acompanhado de perto a situação. O que não podemos é deixar a corrupção vencer, vamos trabalhar para garantir que o que é do povo, lhe seja entregue", disse o senador. "Iremos reivindicar ao ministro prioridade, tendo em vista que outros aeroportos, que passaram por investigação, tiveram suas obras retomadas", completou.

Em 2014, colhemos o fruto de algumas conquistas, como: a chegada de novas empresas aéreas para diversificar o mercado, redução nas tarifas de passagens aéreas, maior oferta de voos, além do conforto e ampliação do atendimento com os novos espaços de embarque e desembarque de passageiros. "É claro que não estamos satisfeitos, queremos a obra por completo", reivindicou.

O senador Randolfe Rodrigues também tratou sobre a possibilidade de uma linha de transporte coletivo que atenda ao aeroporto. O senador vai intermediar a pauta junto à Prefeitura de Macapá. Falou também sobre as frequentes quedas de energia que prejudicam a climatização do lugar, prejudicando principalmente os funcionários.

Obra

O gerente de empreendimentos da Infraero, Antônio Carvalho, explicou que o novo aeroporto terá área de 26.200 m², ou seja, cinco vezes maior do tamanho atual. A novo estacionamento acomodará 780 vagas, hoje são 150 vagas disponíveis. Serão três pontes de embarque e capacidade do pátio também será aumentada. "Assim que for assinado o contrato, o consórcio que ganhou o processo licitatório terá 18 meses para colocar o terminal em funcionamento", explicou. Afirmou ainda que para a conclusão será necessário apoio estrutural da Prefeitura de Macapá e do Governo do Estado.

Voo Internacional

Na semana passada, foi promovida uma reunião entre, parlamentares, a AZUL Linhas Aéreas e os comerciantes locais, na Associação do Comércio e Indústria do Amapá (ACIA), para tratar sobre a possibilidade de um voo direto Macapá-Caiena. O objetivo é fomentar o turismo local e promover desenvolvimento do Amapá. A empresa alega que o imposto sob o querosene de aviação é muito alto, o que torna o voo inviável. As negociações com o Governo do Estado foram iniciadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário