segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Viaje no tempo: veja o primeiro avião de luxo da história

02/11/2015 - Panrotas


Aviação , (foto: divulgação/Air Europa)
(foto: divulgação/Air Europa)

Cruzar uma cidade ou um país hoje é tão fácil, rápido e cômodo que dificilmente pensamos em como era nos primeiros passos da aviação. Desde Santos Dumont e seu 14-Bis, há mais de 100 anos, a indústria da aviação tem se aprimorado cada vez mais e encurtado o tempo de ligação entre um destino e outro. O que hoje é acessível para muitos, no passado era privilégio de poucos.

A Air Europa, companhia aérea que completará 20 anos em 2016, relembrou um modelo pioneiro datado dos anos 1930. O Boeing 314 Clipper foi o primeiro avião do mundo de fuselagem larga e iniciou um serviço a bordo diferenciado, considerado luxuoso à época.

Fabricado no continente norte-americano, o B-314 cruzava o oceano atlântico oferecendo uma classe de luxo. Com uma largura de quase 33 metros e asas com superfície de 233 metros quadrados, alcançava uma velocidade máxima de 311 quilômetros e tinha um alcance de seis mil quilômetros.

Construído entre 1938 e 1941, cada modelo tinha um custo aproximado de US$ 1 milhão (à época) e chegaram a fabricar mais de 12 unidades para uso comercial. A primeira de 20 foi entregue em 1939 e iniciou seu primeiro voo de Seattle. Deste total, nove foram entregues à Pan Am e depois repassadas para a Força Aérea Norte-Americana. 

A aeronave foi batizada como Yankee Clipper pela primeira-dama dos Estados Unidos, Eleanor Roosevelt, em 3 de março de 1939, e realizava voos intercontinentais com dez integrantes da tripulação e 74 passageiros a bordo que desfrutavam de serviço cinco estrelas impensáveis em qualquer outro voo da época.

O hidroavião era composto de diferentes áreas nas quais os passageiros podiam passar as horas de voo entre um destino e outro de maneira cômoda, divertida e com as mesmas comodidades de um hotel ou navio da época. Quem viajava no B-314 Clipper encontrava um compartimento que se transformava em um “espaço sala de jantar” ou em camas beliches com cortinas para o descanso do viajante. 

SEGURANÇA

Segundo recorda a história, o Clipper era um avião seguro e inovador. Durante os anos de operação, foi registrado apenas um acidente, datado de 1943. O capitão Sullivan comandava a aeronave e foi surpreendido pela escuridão do céu na proximidade do avião ao mar em tentativa de aterrissagem no Rio Tagus, em Lisboa. Sem tempo de reação, o piloto viu uma das asas do B-314 tocar a água, o que provocou instabilidade e choque direto no contato com o mar.

As poucas unidades restantes deste hidroavião foram compradas pela British Airways em 1943.

Nenhum comentário:

Postar um comentário