terça-feira, 1 de março de 2016

Primeiro Boeing 727 fabricado fará último voo e depois se ‘aposenta’

27/02/2016 - O Dia

Cinquentão dos ares fará curto trecho na terça-feira

O DIA

Estados Unidos - O primeiro 727 a sair da fábrica da Boeing, há 54 anos, fará seu voo de despedida na terça-feira — para virar cobiçada peça de museu. A aeronave cobrirá curto trecho de pouco mais de 50 quilômetros no Estado de Washington, no noroeste americano, para ficar de vez no Museu da Aviação, que já prepara os festejos pelo centenário da Boeing, em julho.

O primeiro 727 reformado para o último voo, acima, e o painel de controle padrão: modelo, para curtas distâncias, foi o primeiro a bater a marca de mil unidades
Foto: Reprodução

O primeiro voo foi em 9 de fevereiro de 1963, dois meses e meio depois de pronto. Ficou em testes por um ano e foi entregue à United Airlines em outubro de 1964. Até 1991, quando se aposentou, o 727 voou quase 65 mil horas, fez 48 mil aterrissagens e carregou três milhões de passageiros.

“Muita gente achava que este avião jamais levantaria voo novamente”, afirmou ao site ‘Mashable’ Bob Bogash, responsável pela última reforma e pelos ajustes para a derradeira decolagem.

SUCESSO DE VENDAS

O 727 foi feito ‘por encomenda’ da United, da American e da Eastern Airlines, que queriam um jato de médio porte, porém potente, para atender cidades pequenas, com pistas curtas — tal como a do Santos Dumont. A cauda em T, novidade para a época, e as três turbinas causaram desconfiança nos compradores, o que levou a Boeing a fazer um ‘tour’ de 100 mil quilômetros.

A partir daí, os pedidos explodiram, e o 727 foi o jato mais vendido nos anos 70 e 80. A Boeing fabricou 1.832 unidades desse modelo — o primeiro a bater a marca de mil aeronaves. Até o bilionário Donald Trump teve um jato para chamar de seu. Hoje, há 69 727s em atividade, pelo menos dez no Brasil.

Um dos mais marcantes acidentes aéreos no país foi com um 727. Em 8 de junho de 1982, avião da Vasp com destino a Fortaleza se chocou contra a Serra da Aratanha, no Ceará. Todos os 137 passageiros morreram.

FICHA TÉCNICA

FABRICANTE
Boeing Commercial

CUSTO UNITÁRIO
US$ 4,25 milhões, em 1962; US$ 22 milhões, em 1982 (ou R$ 215 milhões, em valores de hoje)

LOTAÇÃO 
Três tripulantes e 189 passageiros

DIMENSÕES
Comprimento: 46,69 metros. Envergadura (asa a asa): 32,92 metros. Altura: 10,36 metros

PESO
Máximo de decolagem: 95 toneladas

PERFORMANCE
Trijato com motores Pratt & Whitney JT8D-17R. Velocidade de cruzeiro: 1.102 km/h (0.9 mach). Autonomia: 4.509 km. Teto máximo: 13.000 metros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário