sexta-feira, 7 de julho de 2017

Aeroporto 'Eduardinho' será desativado até 1º de agosto em Manaus, diz Infraero

06/07/2017 - G1 AM

Mudança ocorre dois anos após obras de ampliação e reforma do espaço em Manaus.

Por Ive Rylo

Terminal 'Eduardinho' (Foto: Reprodução/Rede Amazônica)
Terminal 'Eduardinho' (Foto: Reprodução/Rede Amazônica)

O terminal 2 do Aeroporto Eduardo Gomes, o "Eduardinho", será desativado a partir do dia 1º de agosto deste ano, segundo anunciou a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) nesta semana. As atividades realizadas no local serão transferidas para o Terminal 1. A mudança A ocorre dois anos após obras de ampliação e reforma do espaço. Empresários do setor que operam no terminal criticam a data prevista para a mudança.

De cordo com informações repassadas pela Infraero, a mudança ocorre após estudo realizado pela Diretoria de Aeroportos, com apoio das Diretorias de Operações e Segurança.

“A alteração traria mais conforto para os atuais usuários do terminal 2 devido à infraestrutura e serviços disponíveis no terminal 1, além de ganhos de eficiência operacional e econômica para as atividades do aeroporto”, apontou nota.

No “Eduardinho” operam duas empresas aéreas, a Total e a Map. De acordo com dados da Infraero, passam pelo terminal 360 pessoas diariamente. Tanto o fluxo de passageiros como o operacional do terminal 2 serão absolvidos no terminal 1.

“O complexo inteiro tem capacidade operacional para receber 13,5 milhões de passageiros por ano, sendo que a capacidade do terminal 2 é de 2 milhões de passageiros por ano. Em 2016, o Eduardo Gomes recebeu 2,61 milhões de passageiros, contando embarques e desembarques”, afirmou a empresa.

Segundo a empresa de aviação, nenhum funcionário do terminal 2 será demitido e não haverá prejuízo para as empresas do ramo de táxi aéreo que operam no “Eduardinho”. O órgão estuda alternativas para a utilização do espaço do terminal 2 para outras atividades.

Reforma

O terminal 2 foi reformado e ampliado entre os anos de 2013 e 2015. Foram investidos aproximadamente R$ 20 milhões na transformação do espaço que teve a capacidade de receber 2 milhões de passageiros por ano. Houve a mudança do piso, pé direito que passou de 5 metros para 8 metros, cobertura em aço galvanizado e climatização dos ambientes.

Também foram ampliadas as salas de embarque, desembarque e os banheiros. Uma parede de vidro foi instalada na sala de embarque para que os passageiros pudessem acompanhar a movimentação das aeronaves no pátio. As vagas no estacionamento saltaram de 131 para 267.

Prazo

O diretor comercial da empresa MAP, Décio Assis, questiona o prazo apontado pela Infraero para que seja feita a transferência. Ele diz que a empresa precisa de um tempo maior para se adequar.

“Comercialmente atender o ‘Eduardinho’ no terminal 1 não tem grande mudança. Para o passageiro, a alteração é apenas uma questão de ter tempo para absolver o novo endereço. Mas operacionalmente é uma coisa que não pode ser feita a toque de caixa, é uma mudança que envolve toda uma estrutura operacional”, disse Décio.

Ele acredita que a mudança repentina poderá trazer transtornos para a empresa taxou como “inviável” o prazo de 1º de agosto.

“Isso ser feito agora para 1º de agosto já estar no outro terminal é praticamente inviável. Vai trazer transtornos para toda nossa área de manutenção. É preciso saber como que vai ficar o acesso dos nossos funcionários aos hangares, que hoje é feito através do terminal 2. Tudo que tem aqui, vai ter que ser transferido para la, toda a operação, todos os equipamentos vão ter que ser transferidos para o terminal 1 e isso não é feito com a simplicidade que estão pensando”, analisou o diretor da MAP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário