terça-feira, 31 de maio de 2011

Azul vai operar voos entre Campinas e Marília

31/05/2011 - Valor, Fábio Pupo


A Azul informou, há pouco, que a data para início das operações na cidade em Marília será em 1º de julho e não 4 de agosto, como havia divulgado no início da tarde. Segue a nota com a data alterada.

SÃO PAULO - A Azul Linhas Aéreas inicia em 1º de julho a frequência de voo entre o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, e o Aeroporto Estadual Frank Miloye Milenkovich, em Marília. 

As operações serão realizadas com os turboélices ATR 72-200, com voos diários, sendo três de segunda a sexta-feira, dois no sábado e dois no domingo. 

Segundo a empresa, desde Campinas, o cliente poderá realizar 29 conexões para cidades como Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Belo Horizonte, Belém, Fortaleza, Ilhéus, Joinville, Natal, Porto Alegre, Recife, Ribeirão Preto, Uberaba, Salvador, Vitória, dentre outras. 

A companhia já está vendendo passagens, cujos preços iniciam em R$ 99 por trecho, sujeito à disponibilidade de assentos. O pagamento pode ser parcelado em até dez vezes no cartão de crédito.

Na semana passada, a companhia aérea Trip anunciou o início de suas operações em Marília, com voos diários para a cidade, que será ligada aos aeroportos de Guarulhos e da cidade de Presidente Prudente.

Governo anuncia concessão de aeroportos de São Paulo e Brasília

31/05/2011 - Portal 2014

Guarulhos (SP), Viracopos (SP) e Juscelino Kubitscheck (JK) terão participação da iniciativa privada


Os aeroportos de Guarulhos (SP), Viracopos (SP) e Brasília serão de fato concedidos à iniciativa privada. A decisão foi anunciada hoje (31) pela presidente Dilma Rousseff durante reunião com prefeitos e governadores das cidades-sede da Copa de 2014, em Brasília.

O modelo prevê que as concessões serão feitas por meio de Sociedades de Propósito Específico (SPE) por investidores privados, com participação de até 49% da Infraero, estatal que administra os aeroportos do país.

A SPE será responsável pela construção e gestão dos três aeroportos, mas a Infraero terá voz nas principais decisões da empresa. A metodologia e os demais critérios do edital devem estar prontos nos próximos meses.

Segundo o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt, as concessões visam atender à demanda crescente por viagens aéreas, tendo em vista, inclusive, o período da Copa de 2014.

O governo finaliza estudos para a concessão de mais dois aeroportos, o de Confins (MG) e o Galeão (RJ).

Com real forte, estrangeiras apostam em 8 novos voos fora do eixo Rio-SP

31/05/2011 - O Globo, Geralda Doca e Danielle Nogueira

BRASÍLIA e RIO. Está começando no Brasil um movimento de desconcentração de voos internacionais, rumo a outros aeroportos fora do eixo São Paulo (Guarulhos)-Rio (Galeão). Depois das capitais do Nordeste que têm vocação turística, as companhias aéreas, sobretudo estrangeiras, miram outros centros. Oito novas rotas para o exterior, aprovadas recentemente pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) estão prestes a entrar em operação, a partir de Porto Alegre, Brasília, Curitiba e Salvador, com ofertas para fora do país.

Duas companhias estreiam no aeroporto de Brasília: a Pluna, fazendo a rota para Montevidéu, e a Copa, para o Panamá. A portuguesa TAP fará a rota Porto Alegre-Lisboa, que será inaugurada no próximo dia 12, seu décimo destino no país. Da capital gaúcha, será possível também viajar para o Panamá, pela Copa, e para Buenos Aires, pela Aerolíneas Argentinas. Em Curitiba, a Aerolíneas fará novo voo para Buenos Aires. E, de Salvador, haverá uma ligação direta da Condor para Frankfurt.

A American Airlines também aguarda autorização do governo brasileiro para iniciar em Manaus quatro voos diretos para Miami. E a Gol planeja voar para Buenos Aires a partir de Brasília, com escala em Porto Alegre, que já funciona como hub (centro de distribuição de rotas) nos destinos operados pela companhia para América do Sul.

Na rota Porto Alegre-Lisboa, pela TAP, 20 mil reservas

Segundo o professor de Transporte Aéreo da UFRJ Respício do Espírito Santo Jr., a desconcentração de voos é motivada por vários fatores: saturação dos terminais, sobretudo paulistas, o que obriga as companhias a buscarem alternativas, crescimento da economia e da renda dos brasileiros e estímulo do real valorizado às viagens internacionais.

Para ele, mantido o cenário atual e com a política de céus abertos (sem limite de voos para as empresas estrangeiras), a tendência é que o movimento se fortaleça. O professor lembrou que autoridades de países desenvolvidos (Estados Unidos e Canadá, principalmente) intensificaram campanhas no Brasil para captar o turista brasileiro, que “está bem”, enquanto os países desenvolvidos ainda se ressentem da crise financeira internacional. Além disso, os eventos da Copa e das Olimpíadas atraem a atenção do mundo para o país.

A portuguesa TAP é uma das pioneiras nesse processo de desconcentração. Com a inauguração do voo Porto Alegre-Lisboa, a empresa chega à Região Sul, onde ainda não atuava. Serão quatro frequências semanais, e cerca de 20 mil pessoas já fizeram reserva para a nova rota. Um bilhete de ida e volta, se comprado ontem para o fim de junho, sairia a R$1.714, considerando as tarifas mais baixas disponíveis.

- Percebemos que havia mercados importantes que não eram atendidos no Brasil. Estamos analisando, agora, a Região Norte - disse Mario Carvalho, diretor geral da TAP para América do Sul.

Hoje, a TAP tem voos diretos de Lisboa para Rio de Janeiro, São Paulo, Campinas, Natal, Recife, Fortaleza, Salvador, Belo Horizonte e Brasília. Quase 30% do total de passageiros transportados pela companhia no mundo têm o Brasil como origem ou destino.

Até recentemente, só era possível fazer voo direto de Brasília para o exterior pela TAP, pioneira no terminal brasiliense (2007). Em 2009, foi a vez da Delta (Atlanta), e, em 2010, passaram a operar no aeroporto de Brasília American Airlines (Miami), Taca e LAN (Lima), além da TAM, no trecho para Miami.

Os voos saem lotados, disse a empresária Gabriela Berlin, dona de uma agência de viagens em Brasília. Segundo ela, as companhias estão captando passageiros não só da capital, mas também de todo o Centro-Oeste e das regiões Sul e Norte, pois o aeroporto de Brasília é um dos maiores do país em conexões.

- Com aviões um pouco menores (de 94 a 224 lugares) e ocupação elevada, essas companhias inovaram com uma classe executiva mais acessível, que não chega a ser uma Brastemp, mas é muito bacana e está fazendo sucesso.

Para a funcionária pública Eliane Costa, voar direto de Brasília para o exterior, sem ter de fazer baldeação em São Paulo ou no Rio, é uma “facilidade fantástica”. Representa economia de tempo e menos risco de extravio de bagagem:

- Hoje, você gasta cerca de oito horas para chegar a Lisboa, por exemplo. Antes, levava ao menos mais quatro horas.

Segundo o superintendente de Relações Internacionais da Anac, Bruno Dalcolmo, a desconcentração de voos é uma tendência que deve ser confirmada nos próximos anos:

- Já há novos voos pleiteados para cidades como Belo Horizonte, Brasília, Manaus e as capitais do Nordeste. Estas cidades devem se consolidar como pontos de acesso ao mercado brasileiro.

A uruguaia Pluna é uma das que estão apostando na capital federal. No próximo dia 16 de junho, a aérea inaugura a rota Montevidéu-Brasília, seu nono destino no país. Serão cinco frequências semanais. Uma passagem de ida e volta sai a partir de US$299 (cerca de R$480 sem taxas), para viagens iniciadas até o dia 22 de junho.

- O bom momento da economia brasileira, com ganho de renda da população, e o dólar mais baixo favorecem o lançamento de novos voos no Brasil. Queremos fazer de Montevidéu um hub (centro de distribuição de voos) no Cone Sul para os viajantes brasileiros - disse Roberto Luiz, diretor de Vendas e Alianças da Pluna no Uruguai.

Pluna: fluxo de passageiros cresce 82% com novos voos

Em fevereiro, a empresa iniciara o trajeto Belo Horizonte-Montevidéu, que bateu a meta de ocupação em apenas quatro meses. Por isso, a Pluna também vai ampliar as frequências para a capital mineira de seis para 14 voos semanais a partir de outubro. Com a estratégia de descentralização de voos, o número de passageiros transportados pela aérea no Brasil cresceu 82% no primeiro trimestre deste ano, ante igual período de 2010.

Apesar do movimento de descentralização, o professor da Coppe-UFRJ Elton Fernandes destacou que os voos ainda continuam muito concentrados no eixo Rio-São Paulo:

- Esse movimento ainda é muito tímido. Mas as empresas estão experimentando, tentando aumentar a conectividade (ligações entre aeroportos).

Entre os aeroportos que deverão servir de entrada e saída do país, ele aposta em Porto Alegre, devido à tradição de voos para países da América do Sul, e Salvador, um dos principais centros de distribuição de rotas para o Nordeste. Também estão na lista Recife e Confins (Belo Horizonte), além de Brasília.

Azul pede autorização para base em Juiz de Fora (MG)

31/05/2011 - Panrotas

A Azul pediu autorização à Anac para a inclusão de duas frequências diárias ligando o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), com o Aeroporto Regional Zona da Mata, na cidade mineira de Juiz de Fora. As operações, se aprovadas, estão previstas para serem realizadas a partir do dia 4 de agosto.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Azul pode operar Campinas(SP)-Paulo Afonso(BA)

30/05/2011 - Panrotas

A Azul pediu autorização à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para inclusão da rota entreViracopos (SP) e Paulo Afonso, na Bahia. Se aprovado, os voos serão operados às segundas-feiras, sextas e sábados, com escala em Salvador, a partir de 15 de agosto, com jatos Embraer.


sexta-feira, 27 de maio de 2011

Voo que ligará a Bahia à Itália é lançado em Milão

27/05/2011 - Jornal de Turismo

A partir do dia 20 de julho a Bahia terá uma nova rota semanal para Milão, através do voo Milão - Porto Seguro – Salvador. O voo charter, que saírá às quartas-feiras, foi lançado na última quinta-feira, em evento realizado para 200 participantes entre operadores de viagem e jornalistas, no Hotel Marriott, na cidade italiana.

O secretário de Turismo, Domingos Leonelli, presente à cerimônia, destacou a importância do voo. “É uma operação que vai garantir o desembarque direto de 4 mil italianos na Bahia até abril do próximo ano. Nossa intenção é que a linha se torne regular e para isso a Bahiatursa fará promoções e publicidade dos destinos Salvador e Porto Seguro em Milão”, afirmou Leonelli.

A aeronave tem capacidade para 180 passageiros, de acordo com o empresário Américo Risotto, da operadora Axé Brasil, responsável por comercializar 85% dos assentos. Ele defende que a Bahia não seja trabalhada apenas como um destino de sol e praia, mas de outros atrativos.

Também estiveram presentes ao lançamento do voo, empresários do segmento hoteleiro de Porto Seguro, na Costa do Descobrimento, e Guarajuba, na Costa dos Coqueiros, assim como as operadoras Blue Panorama e Imoplanet.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Infraero autoriza Teca em aeroporto

26/05/2011 - Webtranspo

Terminal deve ser finalizado em seis meses

Teca do Aeroporto de Boa Vista terá investimento de R$ 2,2 milhões

A Infraero autorizou as obras para a construção do Teca (Terminal de Carga) do Aeroporto Internacional de Boa Vista, em Roraima. Com a licença para os serviços, a conclusão do empreendimento deve ficar para novembro. O orçamento dos trabalhos é de R$ 2,2 milhões.

O aeroporto passará a contar com uma área de 500 metros quadrados que será destinada ao recebimento de cargas domésticas e internacionais. Com a nova estrutura, as ZPEs (Zonas de Processamento de Exportação) da Boa Vista serão incentivadas. Para a construção, destas áreas serão destinados pela União aproximadamente R$ 17 milhões.

Além disso, Ângela Portela, senadora pelo Estado, afirmou que está articulando com a Receita Federal implantação de uma estrutura aduaneira no Teca, assim que estiver concluído. "A Receita já se comprometeu em ampliar o quadro de auditores e demais funcionários para dar suporte ao funcionamento do Terminal de Cargas. Estamos muito otimistas com mais esta conquista para Roraima", comentou.

De acordo com reportagem da Folha de Boa Vista, o atual terminal do aeroporto possuía um galpão de 70 metros quadrados que conseguia atender a duas carretas de mercadorias. Com a nova estrutura será possível o recebimento de até nove carretas, bem como aeronaves.

Geraldo Moreira Neves, diretor comercial da estatal, ressaltou a importância deste novo espaço destinado às cargas. “Com a construção de um novo Teca, a Infraero investe na expansão de sua rede logística, contribuindo também para o desenvolvimento das atividades econômicas no Estado”, afirmou.

Porto Alegre assina Ordem de Serviço para instalação de Módulo Operacional

26/05/2011 - Infraero

A Infraero assinou nesta quinta-feira (26/5) a Ordem de Serviço para instalação do Módulo Operacional do Aeroporto Internacional de Porto Alegre/Salgado Filho (RS). O investimento de cerca de R$ 4,17 milhões tem conclusão prevista até o final de 2011.

A instalação do Módulo Operacional cumprirá funções de uma sala de embarque remoto, contendo 20 balcões de check-in que serão dispostos ao lado do Terminal de Passageiros 1 em 1,8 mil m² de área. O Módulo aumentará em 1,5 milhão de passageiros/ano a capacidade do aeroporto da capital gaúcha.

Para o superintendente do Aeroporto de Porto Alegre, Jorge Herdina, o investimento possibilita melhorias necessárias para um atendimento de qualidade. “Os Módulos Operacionais oferecem as mesmas condições de infraestrutura de um Terminal de Passageiros, bem como isolamento termoacústico, climatização, entre outros, a fim de atender com qualidade a crescente demanda do aeroporto”, finalizou.

Assessoria de Imprensa - Infraero
twitter.com/canalinfraero

Pluna terá voo diário BH-Montevidéu em julho

25/05/2011 - Panrotas

A partir de 1° de julho, a Pluna começa a operar voos diários entre o aeroporto de Confins, na região metropolitana de Belo Hiorozinte, e o hub da aérea, em Montevidéu, no Uruguai.

Segundo a empresa, a alta demanda justificou a mudança. Mais informações pelo toll free (desde telefones fixos): 0800-892-3080.

Pedágio deixa transporte aéreo mais barato que carro em algumas regiões

26/5/2011 - Rede Brasil Atual, por Suzana Vier

Voos ganham consumidor que viaja sozinho entre cidades dentro do estado 

São Paulo – Depois de comparar o custo da viagem de automóvel com a de avião entre São Paulo e Ribeirão Preto, distantes 316 quilômetros, a arquiteta Juliana Vilarta optou pela passagem aérea. "Para viajar sozinha, é mais barato viajar de avião. Não que seja barato, mas vale mais a pena", calcula.

O preço mais acessível das passagens aéreas e o número crescente de praças de pedágio no estado levam cada vez mais pessoas a aderir ao avião, no lugar do carro ou do ônibus. Atualmente, o estado tem 239 pontos de pedagiamento em 98 cidades. Em diferentes comparações entre trechos ligando a capital ao sul de Minas Gerais, ao norte, e à região central do estado, os pedágios tornam o custo da viagem de avião mais em conta para cumprir os mesmos percursos.

Nos últimos dois meses, Juliana viajou, na maioria das vezes, de avião. "Já cheguei a pagar R$ 79 por um voo que demora 54 minutos. O ônibus fica em R$ 60 e levo seis horas", compara a arquiteta. Para o mês de junho, ela já tem passagem comprada por R$ 98, antecipou à Rede Brasil Atual.

No site da empresa aérea que interliga os dois destinos de Juliana, a reportagem encontrou passagens a R$ 108. A viagem dura 54 minutos. Quando decide viajar de carro, Juliana tem o gasto de R$ 43,35 por oito praças de pedágio e de pelo menos mais R$ 43 se usar álcool como combustível. Se decidir utilizar gasolina, o valor sobe para cerca de R$ 57.

Ao todo, o gasto da viagem de carro fica perto de R$ 100 e vai levar cerca de cinco horas, apenas R$ 8 a menos do que o bilhete regular da companhia aérea. Para a arquiteta, que enxerga nos pedágios a principal razão para o encarecimento dos deslocamentos, é "revoltante" o quanto se gasta nestas tarifas em São Paulo. "É um absurdo, por que não tem tanta manutenção (das estradas) pelo preço cobrado", avalia.

Écio Scandiuzzi também optou pelo transporte aéreo para viajar até Uberaba (MG). Ele mora em São Paulo, mas prefere ir até o aeroporto de Viracopos (em Campinas, a 99 quilômetros da capital), onde pega um avião R$ 89 até a cidade mineira – mais 391 quilômetros.

Utilizando carro, Écio passaria por oito praças de pedágio e pagaria R$ 47,70. Acrescentando-se a despesa com combustível, o gasto total seria de R$ 115. "É mais cômodo e mais rápido", avalia. Percorrer o trecho leva uma hora e meia de avião ou cinco de carro – que custaria R$ 26,70 a mais.

Atrativo

Em levantamentos realizados pela reportagem, em pelo menos outros três destinos no estado de São Paulo, utilizar avião mostra-se mais atrativo que usar rodovias concedidas à gestão privada. 

O deslocamento de Campinas a Presidente Prudente, cidades distantes 557 quilômetros entre si, é um exemplo. A passagem aérea sai por R$ 99. De automóvel, o valor ficaria em R$ 138. O gasto com combustível fica próximo de R$ 73, se for álcool, e o de pedágios em R$ 65. Além de mais barato, o voo dura perto de uma hora e 30 minutos, ante sete horas de viagem de carro.

Para ir da capital paulista a Bauru (330 quilômetros) também é mais econômico o avião. A passagem aérea mais barata pode ser encontrada por R$ 65, contra R$ 88,33 de gasto com automóvel. Quase a metade, R$ 44,20, fica nos pedágios. O passageiro demora 58 minutos de avião e por volta de quatro horas de carro.

No trajeto de São Paulo a São José do Rio Preto, os gastos praticamente se igualam. De avião fica em R$ 119 e de automóvel R$ 120,59. Mais da metade dos gastos são de pedágio, R$ 61,50. A diferença mesmo é o tempo despendido. Cerca de uma 1 hora e 17 minutos no transporte aéreo, contra 5 horas e 30 minutos quando se vai de carro.

Os valores de pedágio e combustível foram calculados por meio do site Mapeia.com, especializado em cálculos de viagem.

No valor das passagens aéreas não estão incluídas as taxas de embarque cobradas pela Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero). As taxas variam de acordo com os serviços oferecidos no local de embarque. Em aeroportos classificados pela Infraero como categoria 3, como o de Bauru e de Presidente Prudente, a taxa é de R$ 13,44. Em São José do Rio Preto, Campinas, Ribeirão Preto e Uberaba, cujos aeroportos são categoria 2, a tarifa fica em R$ 16,23, e nos aeroportos de São Paulo, categoria 1, em R$ 20,66.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Trip Linhas Aéreas inicia operações em Marília

25/05/2011 - Aviação Brasil


A Trip Linhas Aéreas, maior companhia de aviação regional da América do Sul, inicia hoje, 25 de maio, as operações em Marília. Inicialmente a companhia vai operar a rota a São Paulo – Presidente Prudente – Marília. Uma vez no Aeroporto Internacional de Guarulhos, o passageiro poderá fazer conexão com qualquer um dos 83 destinos que a TRIP opera.

As novas operações na cidade conectarão a Marília à maior malha aérea do país. O trajeto entre Marília e Presidente Prudente que de carro é feito em no mínino 2h30, poderá ser feita em 40 minutos. De Marília para São Paulo, o tempo mínimo no modal rodoviário é de aproximadamente 5h40, com a Trip serão apenas 1h20. Os voos serão realizados com o ATR42, um turbopropulsor de alto desempenho em pistas curtas, primordial para a operação em pequenos aeroportos e com capacidade de 46 assentos..

Com a inclusão da cidade na malha aérea, a Trip expande sua malha aérea para oito cidades no Estado de São Paulo. “Marília é uma das cidades de maior expansão no interior paulista, por isso é grande a expectativa do início das operações na cidade. Estamos certos que a conexão da cidade aos mais de 80 destinos da Trip irá acelerar o desenvolvimento de toda a região”, ressalta Evaristo Mascarenhas, diretor de Marketing e Vendas da TRIP.

Marília será o 85º destino atendido pela Trip Linhas Aéreas, que é a companhia aérea com a maior malha aérea do País. As passagens, para o trecho Marília – Presidente Prudente, se adquiridas com 30 dias de antecedência, poderão ser encontradas a partir de R$ 69,90.

Azul anuncia nova rota entre BH e Porto Seguro

25/05/2011 - Panrotas

A Azul, a partir do dia 1º de julho, haverá uma nova ligação entre o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins (BH), com o Aeroporto de Porto Seguro, na Bahia. Operados com jatos Embraer 190 e 195, os voos serão realizados de domingo a sexta-feira.

As passagens, que custam a partir de R$ 249, já estão disponíveis para compra por meio dos canais de venda da empresa aérea.

Embraer se prepara para uma nova decisão estratégica

25/05/2011 - Valor Econômico, Por Virginia Silveira e Ivo Ribeiro


Há duas semanas, a Embraer surpreendeu o mercado com o anúncio de várias mudanças em sua estrutura organizacional. A fabricante brasileira de aviões alegou adequação às evoluções dos cenários de mercado e à sua estratégia futura. As alterações envolveram posições consideradas chaves na estrutura de comando da companhia. “Foram mudanças fundamentais para a definição do próximo passo estratégico da companhia na área de aviação comercial”, disse ao ValorFrederico Fleury Curado, presidente da Embraer, em entrevista no novo escritório da empresa em São Paulo.

“Temos que tomar uma decisão no curto ou médio prazo e isso deve ocorrer nos próximos 12 a 18 meses”, afirmou. O desenvolvimento de novos produtos para a aviação comercial já é esperado pelo mercado, embora os E-Jets da companhia ainda sejam relativamente novos, com uma idade média de 6 a 7 anos. “O mercado aceita bem os nossos aviões e nós temos que ter muito cuidado, justamente para decidir o que fazer e quando fazer”, completou.

Para conduzir os novos programas de aeronaves, Curado escalou o engenheiro Luiz Carlos Affonso. Nos últimos cinco anos, o executivo comandou a área de aviação executiva. Lá liderou o lançamento dos principais produtos da Embraer nesse segmento, desde a linha do Phenom até os novos Legacy. “O Luiz Carlos é um dos melhores diretores de programa do mercado mundial e essa característica de senioridade dele nos dá tranquilidade para encarar os gigantescos desafios que temos pela frente”, disse.

Curado lembrou que foi sob o comando de Affonso que a Embraer desenvolveu o programa da família 170/190, de 70 a 120 assentos, até hoje um sucesso no mundo, com mais de 1000 unidades vendidas para 58 companhias de 39 países. Estimativa feita da empresa mostra que esses jatos ainda têm um mercado grande nos próximos 20 anos: demanda de 6875 aeronaves novas.

“Nós não temos dúvida de que também existe mercado para novos aviões. A nossa dúvida é muito mais na questão da competitividade, de como poderemos trazer uma solução para o mercado que seja vencedora, como foram os demais produtos da empresa. Não podemos errar e, por isso, há preocupação de ter um produto que também seja vencedor”, afirma.

A tomada de decisão da Embraer para um novo jato nesse mercado, segundo o executivo, depende de como seus grandes concorrentes vão se alinhar. “Nós não temos medo de competição, mas precisamos ter a convicção de que vamos trazer ao mercado algo que nos colocará em igualdade de competição ou que tenha um diferencial competitivo perante nossos principais concorrentes”. Airbus e Bombardier já se posicionaram, mas a Boeing ainda não anunciou a sua decisão sobre seus aviões de menor porte, concorrentes diretos da Embraer.

O fato é que poderá se abrir um “buraco” de mercado na faixa entre 120 e 150 assentos que poderia ser ocupado pela Embraer. Para isso, a empresa teria de ter uma nova aeronave. A plataforma da família atual não permite conceber ampliação da capacidade de transporte de passageiros além de 5%.

O desenvolvimento de um novo avião não é barato e, geralmente, conta com parceria de risco de grandes fornecedores, como fabricantes de turbinas e desenvolvedores da asa. A família 170-190 custou US$ 1 bilhão.

Além de ter que se adequar à evolução do mercado mundial de aviação executiva, comercial e de defesa, a empresa vem tentando amenizar, ao máximo, os impactos do câmbio valorizado e do aumento do custo da mão de obra na sua base de custos no Brasil. “A Embraer tem cerca de 90% da sua receita atrelada às exportações e há uma pressão de custos subindo a uma velocidade muito grande”, ressalta o executivo. Ele explica que a Embraer não está 100% exposta ao câmbio porque 70% dos seus custos são em dólar. “Mesmo assim, os 30% que sobram é bastante e nossas margens são de um dígito, mas não adianta esperar por uma solução milagrosa, até porque ela não é possível”, disse.

Para o executivo, pesa também a questão conjuntural mundial, não dependendo apenas da política monetária do Brasil. Sua expectativa é que em seis a 12 meses o dólar comece a se recuperar. “À medida que a taxa de juros dos EUA volte a crescer, a tendência é que a gente pare de ter essa pressão enorme em cima do real”.

A empresa tem focado muito em aumento de produtividade e expansão das vendas no mercado nacional. “Há cerca de cinco anos não tínhamos aviões da Embraer operando no Brasil. Hoje, mais de 30 aeronaves voam nas cores da Azul, Trip e Passaredo e perto de 100 na América Latina”, informou.

O Brasil e a América Latina, além da China são os mercados onde as vendas de jatos comerciais estão crescendo mais. Na Europa, disse, a Embraer tem conseguido exportar de maneira tranqüila e no Oriente Médio vem se detectando uma pequena queda na curva do crescimento, por conta dos conflitos na região.

O grande mercado que faz a diferença hoje ainda é o americano, que já representou mais de 80% das vendas da Embraer nos primeiros anos de entregas dos E-Jets. “Os EUA continuam estáveis. Não crescem porque as companhias aéreas tem trabalhado com ganhos de eficiência e a taxa de ocupação média dos aviões é de 70%”.

A expectativa do executivo é que a demanda na região volte a crescer à medida que a economia americana se recupere. “Nos próximos anos, as linhas aéreas do país vão estar muito otimizadas e aí só vai haver um caminho, o crescimento. Isso significa troca de aviões e modernização da frota”. Hoje, segundo Curado, a frota de aviões comerciais americana é considerada uma das mais antigas do mundo.

Para este ano, a previsão da empresa é faturar US$ 5,6 bilhões - US$ 3,1 bilhões na aviação comercial; US$ 1,2 bilhão com jatos executivos; US$ 700 milhões com serviços e outros negócios e US$ 600 milhões no mercado de defesa. Em dólar, isso vai representar crescimento de 5%, mas terá queda em reais.

Na área de defesa o grande desafio da Embraer é o programa de desenvolvimento do cargueiro de transporte militar KC-390, o maior e mais complexo avião já feito pela companhia. “O projeto está bem adiantado do ponto de vista de definição e vários parceiros já foram anunciados”, disse.

Anac marca leilão de São Gonçalo do Amarante para julho

25/05/2011 - Panrotas, por Claudio Schapochnik

Segundo a Anac, o leilão do Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, em Natal (RN), para concessão à iniciativa privada, acontecerá no dia 19 de julho na BM&F/Bovespa, em São Paulo.

Os interessados na concessão terão até o dia 12 de julho para entregar a documentação necessária. Empresas aéreas também podem participar, com limite de 10% do capital com direito a voto. O lance mínimo será de R$ 51,7 milhões, e o vencedor do leilão terá três anos de prazo para a finalizar das obras no terminal, podendo explorar a área aeroportuária durante 25 anos.

Ao final da concessão, o aeroporto voltará a ser patrimônio público, havendo chance de renovação do contrato por mais cinco anos. A previsão é que haja crescimento de aproximadamente 4,9 milhões de passageiros em 16 anos. 

Infraero publica edital para obras no Aeroporto de Manaus

25/05/2011 - Panrotas

A Infraero publicou hoje edital para execução das obras de reforma, adequação e ampliação do Terminal de Passageiros do Aeroporto Internacional de Manaus/Eduardo Gomes (AM). A estimativa de investimento é de R$ 415 milhões.

A abertura da licitação será no dia 30 de junho, às 9h, no Terminal de Cargas 3 do aeroporto. O prazo de vigência do contrato será de 840 dias contados a partir da data de emissão da Ordem de Serviço. Será permitida a participação de consórcio de empresas nacionais e estrangeiras em número máximo de três, sendo a líder, necessariamente, empresa de construção civil, atendendo as condições previstas na Lei 8.666/93 e as estabelecidas no edital.

Sala de embarque de Joinville (SC) será ampliada

25/5/2011 - Panrotas

A Infraero emitiu nesta segunda-feira (dia 23) a ordem de serviço para as obras de ampliação da sala de embarque do Aeroporto de Joinville/Lauro Carneiro de Loyola (SC), que receberá investimento no valor de R$ 184,5 mil. As obras têm conclusão previstas para o segundo semestre.

“Serão também instalados 110 novos assentos em adição aos 90 atuais, totalizando 200 assentos no espaço”, afirmou o superintendente do aeroporto de Joinville, Rones Heidemann.

Outra melhoria prevista para o Aeroporto de Joinville é a aquisição de ILS (Instrument Landing System – Sistema de Pousos por Instrumentos) de categoria 1 – um sistema de equipamentos de auxílio que orienta o direcionamento de aviões para pouso, facilitando estas operações especialmente em condições meteorológicas adversas.

O ILS de categoria 1 orienta aviões a uma altura a partir de 60 metros, visibilidade a partir de 800 metros e contato visual com a pista a partir de 350 metros.


segunda-feira, 23 de maio de 2011

Infraero homologa licitação para construção de hotel no Aeroporto de Brasília

23/05/2011 - Infraero

A Infraero homologou na quinta-feira (19/5) licitação para a construção e exploração comercial de hotel no Aeroporto Internacional de Brasília/Juscelino Kubitschek (DF). O empreendimento – com área de 3,3 mil m² e até oito pavimentos – tem investimento previsto de R$ 45,36 milhões, em contrato de concessão com vigência de 25 anos.

As obras devem ser iniciadas até 120 dias após a assinatura do contrato. O prazo de conclusão é de até 18 meses e o hotel deve entrar em funcionamento num período de dez (10) dias após a conclusão dos serviços. “Com a homologação da licitação, a Infraero dá mais um passo no sentido de prover facilidades a passageiros e usuários do Aeroporto de Brasília”, destacou o diretor Comercial da Infraero, Geraldo Moreira Neves. 

Outras informações sobre o assunto podem ser acessadas na área de “Licitações” no site da Infraero

Azul recebe mais dois aviões, frota soma 36

23/05/2011 - Panrotas

A Azul Linhas Aéreas acaba de receber mais um jato Embraer 195 e outro turboélice ATR 72-200. “Com a chegada das novas aeronaves, a frota da aérea chega a 36 aviões.

Batizado de “Estrela Azul”, o Embraer tem capacidade para 118 passageiros. O ATR, que recebeu o nome de “Azulzinho”, tem capacidade para 70 passageiros e deverá atuar em rotas regionais da empresa.

TAM recebe dois novos aviões da Airbus e aumenta frota para 155 unidades

23/05/2011 - Jornal de Turismo

A TAM incorporou à sua frota, neste mês, duas novas aeronaves – um A330 e um A321, vindos diretamente das fábricas da Airbus em Toulouse (França) e em Hamburgo (Alemanha). Agora, a TAM possui 155 aviões em operação na sua malha aérea, sendo 143 modelos da Airbus (26 A319, 86 A320, nove A321, 20 A330 e dois A340), sete da Boeing (quatro B777-300ER e três B767-300) e cinco ATR-42, estes utilizados pela Pantanal.

O novo A330, configurado com 221 assentos para passageiros, sendo quatro da Primeira Classe, 34 da Executiva e 183 da Econômica, é a segunda das duas aeronaves desse modelo que chegaram neste ano e permitiram à TAM expandir as frequências de suas rotas internacionais de longo curso que ligam o Aeroporto Internacional Tom Jobim/Galeão, no Rio Janeiro, a Frankfurt (Alemanha), desde o início deste mês, e a Nova York (Estados Unidos) e Londres (Inglaterra), a partir de agosto. O voo extra de ida e volta conectando diariamente São Paulo/Guarulhos a Orlando (Estados Unidos) durante as férias de julho também se tornou possível com a incorporação dos novos aviões.

Já o A321, com capacidade para transportar até 220 passageiros, está configurado em classe única e permite à TAM ampliar a oferta de assentos na malha aérea doméstica da companhia.

A TAM tem uma frota com idade média entre seis e sete anos, uma das mais novas do mundo, equipada com as melhores e mais avançadas opções de equipamentos e software oferecidos pelos fabricantes. A previsão do plano de frota da companhia é encerrar o ano com 156 aeronaves e chegar ao final de 2015 com 182 unidades em operação.

Infraero homologa licitação para Módulo Operacional do Aeroporto de Cuiabá

19/05/2011 - Infraero, Assessoria de Imprensa

A Infraero homologou na segunda-feira (16/5) licitação para implantação do Módulo Operacional no Aeroporto Internacional de Cuiabá/Marechal Rondon – Várzea Grande (MT). A empresa vencedora foi a Engeglobal Construções Ltda. O valor do investimento será de R$ 2,250 milhões.

A Engeglobal tem cinco dias para apresentar garantia contratual, depois de convocada para assinatura do contrato. Após a emissão da Ordem de Serviço, quando serão iniciadas as obras efetivamente, a empresa terá 150 dias para o fornecimento, implantação, montagem e instalação.

A ampliação é parte do cronograma de obras da Infraero em aeroportos relacionados com Copa de 2014. O Módulo terá as funções de sala de desembarque para suporte ao atendimento da demanda. A estrutura terá uma área de 675 m² e ampliará a capacidade operacional do aeroporto em 700 mil passageiros ao ano.

Os Módulos são estruturas similares às salas convencionais e oferecem as mesmas facilidades de infraestrutura, como isolamento termoacústico, climatização, sistema de som e informativo de voo.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Novo aeroporto gaúcho será em Caxias

20/05/2011 - Webtranspo

Governo anunciou local nesta semana

O governo do Rio Grande do Sul anunciou que o futuro aeroporto da Serra Gaúcha será construído em Vila Oliva, na divisa de Caxias do Sul e Gramado. A disputa foi vencida contra a cidade de Bento Gonçalves, que pleiteava o empreendimento no interior da Farroupilha, e outros nove municípios gaúchos.

Na definição do local foram considerados apenas os dados técnicos que indicavam Vila Oliva como o lugar mais apropriado para receber a obra. Milton Corlatti, presidente da CIC (Câmara de Indústria, Comércio) afirmou que a escolha é uma vitória da entidade comercial de Caxias.

“É uma luta antiga, mas reavivamos essa bandeira no início da nossa gestão porque entendíamos que o futuro da economia caxiense e regional depende dessa obra. Estamos muito felizes, conscientes de que valeu a pena assumir a responsabilidade de batalhar pelos interesses das nossas empresas e da nossa comunidade”, declarou Corlatti.

TAM recebe dois novos aviões da Airbus

20/05/2011 - Aviação Brasil

A TAM incorporou à sua frota, neste mês, duas novas aeronaves – um A330 e um A321, vindos diretamente das fábricas da Airbus em Toulouse (França) e em Hamburgo (Alemanha). Agora, a TAM possui 155 aviões em operação na sua malha aérea, sendo 143 modelos da Airbus, 7 da Boeing e 5 ATR-42, estes utilizados pela Pantanal.



O novo A330, configurado com 221 assentos para passageiros, sendo quatro da Primeira Classe, 34 da Executiva e 183 da Econômica, é a segunda das duas aeronaves desse modelo que chegaram neste ano e permitiram à TAM expandir as frequências de suas rotas internacionais de longo curso que ligam o Aeroporto Internacional Tom Jobim/Galeão, no Rio Janeiro, a Frankfurt (Alemanha), desde o início deste mês, e a Nova York (Estados Unidos) e Londres (Inglaterra), a partir de agosto. O voo extra de ida e volta conectando diariamente São Paulo/Guarulhos a Orlando (Estados Unidos) durante as férias de julho também se tornou possível com a incorporação dos novos aviões.

Já o A321, com capacidade para transportar até 220 passageiros, está configurado em classe única e permite à TAM ampliar a oferta de assentos na malha aérea doméstica da companhia.

A TAM tem uma frota com idade média entre 6 e 7 anos, uma das mais novas do mundo, equipada com as melhores e mais avançadas opções de equipamentos e software oferecidos pelos fabricantes. A previsão do plano de frota da companhia é encerrar o ano com 156 aeronaves e chegar ao final de 2015 com 182 unidades em operação.

Alitalia pretende ter apenas Embraer em voo regional a partir de 2012

19/05/2011 - Valor Online

RIO - A Alitalia pretende utilizar apenas aviões da Embraer na sua frota de jatos regionais, que deve atingir 20 unidades. Atualmente, a companhia tem 16 aeronaves regionais, sendo seis Embraer 170 e dez CRJ 900, da canadense Bombardier. A frota total da companhia soma 152 aeronaves.

O vice-presidente executivo de vendas e atendimento do cliente da Alitalia, Marco Sansavini, destacou que este ano serão recebidas mais cinco aeronaves da Embraer, sendo duas do modelo 190, com 100 lugares, e outras três do modelo 175, com 90 lugares. No ano que vem serão 15 unidades, sendo três 190 e 12 do modelo 175. Com isso, as 16 unidades usadas atualmente serão definitivamente substituídas.

Sansavini ressaltou que os clientes da companhia mostraram preferência pelos aviões da fabricante brasileira. O executivo explicou ainda que as aeronaves da Embraer têm uma autonomia maior que as da Bombardier, o quer permite o uso em voos regionais não apenas dentro da Itália, mas para outros países da Europa.

"Podemos usá-las para voos curtos e longos dentro da Europa", afirmou Sansavini. A frota atual da companhia é de 151 aeronaves, sendo 115 do tipo "narrow body" (fuselagem estreita) e 20 do tipo "wide body" (fuselagem larga), além dos 16 regionais. Entre os de fuselagem estreita, a companhia espera receber mais cinco Airbus 319 este ano e reconfigurar outros 40 Airbus 320 que já fazem parte da frota.

Entre os de fuselagem larga, a empresa espera receber mais dois Airbus 330 este ano e reconfigurar os Boeing 777 que possui. "Poderíamos ter uma frota maior, mas o problema não é o crescimento, mas o crescimento sustentável, que deve ser controlado", frisou Sansavini. "Devemos crescer para onde acreditamos que seja sustentável crescer", acrescentou.

Este ano, além da inauguração do voo direto para o Rio de Janeiro, a companhia pretende inaugurar - também no começo de junho - a ligação entre Roma e Pequim, e de criar, em julho, a oitava frequência semanal entre São Paulo e Roma, um voo à noite, em horário para passageiros que não desejam fazer conexões a partir de Roma.

Atualmente, a Alitalia voa para 28 cidades na Itália, 40 destinos na Europa e 16 cidades em outros continentes. A empresa está desde janeiro de 2009 nas mãos de um grupo de investidores italianos - como o grupo Benetton -, que na época fizeram um aporte de 1,2 bilhão de euros. O principal acionista individual é a Air France-KLM, com 25% de participação. O conselho de administração tem 19 membros, representando os diferentes acionistas.

Sansavini explicou que um terço dos custos da companhia vem da aquisição dos combustíveis. Segundo ele, a empresa utiliza uma série de instrumentos financeiros como hedge contra a volatilidade dos preços, além de transferir uma parte dessa volatilidade para as tarifas e ajustar a malha de acordo com a rentabilidade dos mercados.

(Rafael Rosas | Valor)


© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

Procura por voos domésticos cresce 31% em abril, segundo a ANAC

Agência Brasil, Daniella Jinking

Avião da empresa aérea TAM decolando em Cumbica - Foto: Bia Parreiras

Brasília - A procura por transporte aéreo em rotas domésticas aumentou 31,45% em abril, em comparação com o mesmo mês do ano passado. De acordo com os dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), em relação à oferta de voos, o aumento foi de 15,44%.


A empresa TAM continua na liderança dos voos domésticos, com 44,52% do mercado, seguida pela Gol/Varig, que tem 36,47%. A Azul ocupa o posto de terceira maior empresa brasileira, com 7,47%, na frente da Webjet, que tem 5,19% de participação. Em quinto lugar, ficou a empresa a Trip (2,66%) e, em sexto, a Avianca (2,60%).

Nas rotas internacionais feitas pelas empresas brasileiras, o crescimento foi de 34,88% em relação a abril do ano passado. Segundo a Anac, nas rotas internacionais operadas por empresas brasileiras, a TAM ampliou a liderança no setor e responde agora por 89,06% do mercado. A Gol/Varig possui 9,98% e a Avianca 0,95%.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Galpão vira terminal em Guarulhos

18/05/2011 - O Estado de São Paulo, Marta Salomon 

Antigos galpões da Vasp e da Transbrasil passarão por obras em caráter emergencial e serão transformados em terminais de passageiros

Dois galpões usados como depósitos pela Infraero e pela Receita Federal no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em Cumbica, serão transformados em terminais de passageiros, segundo estudo feito pela nova Secretaria de Aviação Civil, subordinada à Presidência da República. O projeto é concluir as obras, em caráter emergencial, até dezembro deste ano. Os galpões eram usados anteriormente pelas companhias Transbrasil e Vasp, que não existem mais.

Não haverá licitação para a escolha das empresas responsáveis pela transformação dos galpões em terminais de embarque remoto, sem o uso de "fingers", corredores suspensos que levam os passageiros até a porta dos aviões.

Por ser obra emergencial, passará por processo mais rápido de contratação. O orçamento do projeto deverá ser definido ainda nesta semana, segundo apurou o Estado.

As obras em Guarulhos fazem parte de um pacote de medidas em estudo para contornar a saturação dos aeroportos brasileiros antes mesmo dos investimentos planejados para a Copa do Mundo - e que estão atrasados.

No caso dos dois novos terminais no Aeroporto Internacional de Guarulhos, a decisão sairá antes mesmo do anúncio do modelo de concessão do terceiro terminal de passageiros.

Sem modelo. Obra mais cara entre os investimentos programados para a Copa do Mundo, o terceiro terminal de Guarulhos tem custo estimado em mais de R$ 700 milhões e ainda não tem um modelo definido de concessão à iniciativa privada.

O plano anunciado pelo governo é fazer as obras já programadas nos aeroportos de Guarulhos, Viracopos ( em Campinas) e Brasília por meio de parcerias com a iniciativa privada.

O modelo é definido por novos estudos em curso e contratados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

É provável que os editais só sejam lançados depois do leilão do primeiro aeroporto a ser privatizado, o de São Gonçalo do Amarante, em Natal. O leilão está marcado para 19 de julho.

Brasília. Além dos terminais de Guarulhos, há outra obra emergencial prevista no Aeroporto Internacional de Brasília, que consiste na construção de mais um módulo operacional provisório de embarque e desembarque de passageiros, semelhante ao que já existe. O aeroporto de Brasília também passará por reforma na atual área de embarque.

As obras emergenciais serão acompanhadas de medidas de gestão nos aeroportos, de modo a melhorar a operação. Uma das medidas já anunciadas foi o funcionamento de salas para a integração dos serviços em torno de uma autoridade aeroportuária.

Esse modelo começará a operar em fase de teste nos dois aeroportos que também receberão obras emergenciais, Guarulhos e Brasília.

Azul quer ampliar malha aérea no Brasil

18;05/2011 - Webtranspo

Empresa quer voo entre Teresina e Confins

Com dois anos atuando no mercado brasileiro, a companhia aérea Azul vem ampliando a sua malha operada no território nacional. Nesta semana, a empresa solicitou à Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) autorização para uma nova frequência entre as cidades de Confins (MG) e Teresina (PI). De acordo com Azul, se aprovada, a capital do Piauí ganhará sua segunda freqüência, que será diária ligando a cidade ao aeroporto mineiro.

Na oportunidade, foi pedida a inclusão da frequência Intranordeste que ligará Teresina com São Luís (MA), Fortaleza (CE), Recife (PE) e Salvador (BA).

Tais rotas, em adição aos voos que já existentes atualmente, vão possibilitar aos usuários viagens de ida e volta no mesmo dia, com voos em horários mais convenientes em ambos os sentidos. Se aprovados, os voos terão início em 10 de julho. As operações estão previstas para serem realizadas com os modernos jatos Embraer.

Pantanal terá frequências de São Paulo para Campo Grande e Cuiabá a partir de junho

18/05/2011 - Mercado e Eventos

A Pantanal Linhas Aéreas inicia, em 1º de junho, voo de ida e volta ligando o aeroporto internacional de São Paulo, em Guarulhos, a Campo Grande (MS). Com essa nova rota, a companhia passará a atender um total de 20 destinos, em 13 estados. Na mesma data, a Pantanal iniciará uma segunda frequência entre São Paulo e Cuiabá (MT).

Os novos voos serão operados por aeronaves Airbus A319, com capacidade para 144 passageiros. As passagens já estão disponíveis para vendas tanto no sitewww.voepantanal.com.br, quanto no www.tam.com.br.

Embraer cresce na aviação executiva e já é a terceira maior do mundo

17/05/2011 - Jamil Chade

No ano passado, empresa ficou atrás apenas da Bombardier e da Cessna nesse segmento: para ficar mais perto dos clientes e garantir a expansão, companhia abriu este ano uma fábrica nos Estados Unidos e prepara uma unidade na China

Para conquistar uma fatia ainda maior do mercado e se transformar em líder até 2015, a empresa já transfere para os Estados Unidos e China parte de sua produção, para estar mais próxima do mercado consumidor, e internacionaliza sua cúpula, até hoje dominada por executivos nacionais. 

Além disso, US$ 100 milhões ainda estão sendo investidos para montar centros de atendimento para os donos desses jatos em todo o mundo.

Há quinze dias, o americano Ernest Edwards, que era responsável pela área de vendas da empresa na América do Norte e Caribe, assumiu a vice-presidência para o Mercado de Aviação Executiva, substituindo a Luis Carlos Affonso.

Com sete jatos executivos em seu portfólio, a Embraer não disfarça a dificuldade do período de crise. Na empresa, todos admitem que a crise não acabou e que uma recuperação de vendas ocorrerá apenas a partir de 2012.

Mas a companhia destaca que ganhou uma nova parcela do mercado nos últimos anos. Em 2005, quando vendeu seu primeiro avião executivo de pequeno porte - o Phenom -, a Embraer tinha apenas 2,5% do mercado mundial no setor. Cinco anos depois, já são 200 Phenoms em operações, além de 99 Legacys.

Participação maior. No total, 19% de todas as vendas de aviões executivos no mundo em 2010 foram abocanhados pela Embraer. O Phenom 100 ainda foi o jato mais vendido do mundo no ano, com cem unidades, cada uma no valor de tabela de US$ 3,9 milhões.

O bom desempenho do modelo permitiu que um total de 146 jatos da empresa fossem entregues em 2010. No ano, apenas a Bombardier (com 24% do mercado) e a Cesna (com 21%) mantiveram vendas superiores às da empresa brasileira.

Para este ano, a Embraer projeta a entrega de um número menor - 118 aviões. Mas a companhia aposta em sua estratégia de internacionalização como forma de estar mais próxima ao cliente.

"O plano é de trazer a Embraer aos mercados consumidores", explicou Edwards, sobre sua estratégia. Para isso, a divisão de jatos executivos estará baseada na Flórida, Estado que concedeu subsídios à empresa brasileira para instalar uma fábrica nos Estados Unidos, inaugurada este ano. Outros quatro Estados norte-americanos foram consultados sobre as facilidades que dariam à empresa.

A planta na cidade de Melbourne, na Flórida, deve montar seu primeiro Phenom até o final do ano. Com 200 empregados, ela contou com investimentos de US$ 50 milhões. "O nosso centro de gravidade vai para Melbourne", disse Edwards.

A aposta é de que, ao trazer a Embraer para mais perto do maior mercado consumidor do mundo, a empresa possa ter facilidades em mostrar seus jatos aos potenciais compradores, sem ter de trazê-los ao Brasil.

A empresa garante que os aviões continuarão a ser fabricados no Brasil em sua grande maioria, e que a Flórida seria apenas um local de montagem. Os componentes também continuariam a ser enviados das instalações brasileiras.

Foco

ERNEST EDWARDS
VICE-PRESIDENTE PARA O MERCADO DE AVIAÇÃO EXECUTIVA

"O plano é de trazer a Embraer aos mercados consumidores."


Trip Linhas Aéreas inicia operações em Presidente Prudente

17/05/2011 - Aviação Brasil 


A TRIP Linhas Aéreas inicia no próximo dia 23 de maio operações em Presidente Prudente. Inicialmente a companhia vai operar a rota a São Paulo – Marília – Presidente Prudente. Uma vez no Aeroporto Internacional de Guarulhos, o passageiro poderá fazer conexão com todos os 83 destinos que a TRIP opera.

O trajeto entre Presidente Prudente e Marília que de carro é feito em no mínino 2h30, poderá ser feita em apenas 40 minutos. De Presidente Prudente para São Paulo o passageiro levará apenas 2h40 para realizar um percurso que é feito em até 08h no modal rodoviário. Os voos serão realizados com o ATR42, um turbopropulsor de alto desempenho em pistas curtas, primordial para a operação em pequenos aeroportos e com capacidade de 46 assentos.

Com a inclusão da cidade na malha aérea, a TRIP expande suas operações para oito cidades no Estado de São Paulo. “Há algum tempo temos avaliado o potencial de Presidente Prudente, por isso é grande a expectativa do início das operações na cidade. Estamos certos que a conexão da cidade aos mais de 80 destinos da TRIP irá contribuir para ampliar o desenvolvimento de toda a região”, ressalta Evaristo Mascarenhas, diretor de Marketing e Vendas da TRIP.

Mais Linhas Aéreas

17/05/2011 - AeroEntusiasta



Estão no Aeroporto Internacional do Galeão (GIG) os dois Fokker 100 da nova companhia brasileira MAIS LINHAS AÉREAS. As aeronaves voavam anteriormente na empresa Mexicana Click, e chegaram ao Brasil em meados de março, totalmente brancas, ostentando as matrículas mexicanas. Desde o início do mes de maio, ambas aeronaves foram vistas com os novos prefixos brasileiros PR-RMJ (c/n 11390 ex. XA-JXW) e PR-JFO (c/n 11400 ex. XA-KXJ).

Recentemente a MAIS fechou contrato com a TAM para pintura e padronização dos seus dois Fokker 100, que serão enviados para o Centro de Manutenção da TAM em São Carlos/SP. A MAIS será a quarta operadora do modelo no país, depois da TAM, TABA e OCENAIR/AVIANCA, que por questões de marketing, chama a aeronave de MK-28.

A nova companhia ainda não divulgou oficialmente sua malha de rotas, mas as informações são de que a MAIS projeta operar principalmente para o nordeste brasileiro.

Veja mais detalhes da MAIS em seu Facebook: www.facebook.com/voemais

terça-feira, 17 de maio de 2011

Exército abre caminho para obras do 3° Terminal em GRU

17/05/2011 - Panrotas

A Infraero e o Exército Brasileiro assinaram ontem (segunda-feira, dia 16) o Termo de Cooperação Técnica para iniciar as obras de terraplanagem das áreas do novo Pátio de aeronaves e do Terminal de Passageiros 3 do Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP). Ao todo, R$ 417 milhões serão investidos pela empresa nos trabalhos.

De acordo com o documento, assinado em solenidade ocorrida no Quartel General do Exército, em Brasília, o serviço será executado em até 28 meses pelo Departamento de Engenharia e Construção, com liberações parciais de etapas.

A terraplanagem abre caminho para a construção do terceiro Terminal e deve movimentar um volume de 1,3 milhão de metros cúbicos de terra, o que corresponde a aproximadamente 76,5 mil caminhões carregados.

A Infraero já obteve a licença de instalação na Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), bem como a autorização para realizar a retirada de vegetação por parte da Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura de Guarulhos. “Com esse acordo vamos contar com a mão de obra especializada do Exército para executar uma etapa crucial da obra, que é a preparação do terreno”, afirmou o presidente da Infraero, Gustavo do Vale.

De acordo com o documento, além do custeio do serviço, a Infraero fará também o acompanhamento e fiscalização dos serviços em conjunto com os engenheiros militares, que trabalharão conforme as orientações da empresa.

Azul pede autorização para frequência Teresina-Confins

17/04/2011 - Panrotas

A Azul pediu autorização à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para nova frequência entre o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins (MG), e o Aeroporto Petrônio Portela, em Teresina. Se aprovada, Teresina ganhará sua segunda frequência, que será diária ligando a cidade ao aeroporto de Confins, em Belo Horizonte. 

Também foi solicitado à Anac a inclusão da frequência intranordeste que ligará Teresina com São Luís, Fortaleza, Recife e Salvador. Se aprovados, os voos terão início em 1º de julho e operadas com jatos Embraer.

EUA serão base de jatos executivos da Embraer

17/05/2011 - Valor Econômico, Assis Moreira


O novo presidente da Embraer Jatos Executivos, Ernest Edwards, afirmou ontem que “o centro de gravidade” desse negócio da companhia brasileira vai ser Melbourne, na Flórida (EUA), para ficar mais perto dos clientes de seu maior mercado.

A Embraer vai privilegiar também uma linha de produção na China de jatos executivos Legacy 600/650, maiores e mais caros, que espera vender aos novos milionários da atual segunda maior economia do mundo.



No cargo há apenas 16 dias, Edwards falou ontem de sua estratégia a imprensa internacional, em Genebra, em meio a projeções da companhia indicando que o setor de jatos executivos, só em 2017, alcançará o nível das unidades vendidas em 2007, antes da pior crise financeira dos últimos tempos.

A ideia é produzir parte dos aviões Phenom nos Estados Unidos e ter uma linha de produção de Legacy na China, mas o Brasil continuará de longe sendo o principal centro de produção.

Na Flórida, a Embraer recebe incentivos do governo estadual para produzir localmente. O primeiro aparelho Phenom 100, jato leve que custa US$ 3,9 milhões, deve sair da fabrica até o fim do ano. Quando a operação estiver completa, a produção poderá chegar a oito jatos leves por mês. A Embraer estima que os EUA continuarão representando de longe o maior mercado para jatos executivos, podendo gerar negócios de US$ 90 bilhoes para o setor até 2020.

A China é um mercado ainda pequeno, com apenas 100 a 150 jatos executivos, comparados a mais de 500 no Brasil e 12 mil nos EUA, mas o potencial é enorme. A companhia será beneficiada, ficando isenta de pagar imposto de importação pelo componentes para montagem dos aparelhos. Um diretor da Embraer comentou que atualmente está mais caro produzir no Brasil, incluindo os impostos pagos e o cambio, enquanto os aviões estrangeiros entram sem pagar tarifa de importação no país.

Os chineses preferem os aviões executivos grandes, como o Legacy, de 13 assentos e preço de US$ 18 milhões em média. Pelas projeções de Embraer, entre 2011 e 2020 a China poderá representar 6,8% do mercado global, gerando negócios de US$ 14,3 bilhões. Em comparação, o Brasil poderia chegar a 3%, com negócios de US$ 6,3 bilhoes.

Cláudio Camelier, vice-presidente de Embraer Jatos Executivos, mostrou que no momento as vendas de jatos dessa linha continuam em baixa. As vendas de jatos leves, mais baratos, caíram bastante, e bem mais que as de aparelhos mais caros. No ano passado, houve queda líquida na venda de 155 aeronaves globalmente, e este ano a estimativa é de redução de 114. O cenário tem sido muito difícil por causa da lenta recuperação econômica na Europa e Estados Unidos. Os mercados emergentes continuam a sustentar a demanda.

A expectativa é de que as vendas de novos jatos sejam retomadas no ano que vem, embora analistas achem que as margens continuarão apertadas para as companhias. O fato é que há muito aparelho usado também a venda. Eles passaram de 1,7 mil em 2008 para 3 mil no ano passado, representando 14% do mercado.

A Embraer está, porém, otimista com base nos aumentos de 10% nos lucros de companhias americanas. Quanto mais o executivo volta a ganhar, mais o desejo de pilotar seu próprio avião. Para este ano, a companhia espera entregar 118 aparelhos executivos, sendo 100 jatos leves.

Para os próximos dez anos, Embraer projeta que o setor de jatos executivos globalmente venderá 10 mil jatos, rendendo US$ 210 milhões A companhia aumentou sua fatia para 19% do setor, só atrás dos 23% da Cessna. A concorrência é feroz, incluindo Airbus, Boeing e Bombardier. Os japoneses surgem com jato executivo da Honda.

GOL terá sistema de entretenimento Wi-Fi

16/05/2011 - Melhores Destinos

No começo de 2011 surgiram boatos de que a GOL estaria preparando um sistema de entretenimento Wi-Fi para os seus aviões. Como era apenas boato não postamos nada, mas agora deixou de ser boato e é fato! Alguns aviões já estão com Wi-Fi e a GOL está em fase final de testes para oferecer um sistema de internet sem fio em seus voos para destinos nacionais e internacionais. A empresa faz mistério sobre os detalhes, mas confirmou ao Melhores Destinos que em breve os clientes terão uma opção de entretenimento “inovadora” em suas aeronaves.

A rede sem fio já está disponível em alguns aviões. Nosso leitor Diogo Germano Cheminski relatou que ontem (15/05) voou de Brasília a Curitiba com a empresa e conseguiu captar o sinal com seu laptop.

“Liguei meu notebook e percebi que havia sinal de Wi-fi. Chamei o comissário e ele me informou que nos próximos dias a GOL estará disponibilizando internet aos passageiros durante o voo. Infelizmente ainda estava em fase de testes e não pude desfrutar do serviço, mas acredito que dentro de pouco tempo teremos serviços de aviação com uma qualidade próxima da qualidade dos países do exterior”

Procurada pelo Melhores Destinos, a GOL confirmou pela Assessoria de Imprensa que lançará o sistema em breve, mas preferiu não antecipar seu funcionamento, se o mesmo será pago e valores:

“A GOL informa que está trabalhando numa solução inovadora de entretenimento de bordo, porém ainda não pode adiantar detalhes”

Os rumores em torno do assunto apontam duas possibilidades. A primeira é que a empresa realmente disponibilizaria acesso à Internet aos passageiros pelo sistema, provavelmente com a cobrança de uma taxa pelo uso. A segunda é que o serviço não daria acesso à rede mundial, mas sim a um conteúdo de entretenimento produzido pela GOL(ou parceiros) para ser acessado durante o voo.

Ainda sobre o tema o Blog do iPhone publicou relato de seus leitores sobre a rede sem fio e a presença de tomadas e portas USB e ethernet em aviões que fazem rotas internacionais.

Resta aguardarmos o anúncio oficial da empresa para conhecermos o funcionamento e detalhes do novo sistema, mas é certo que será um grande avanço para os passageiros em termos de conforto.

É bom lembrar que a Azul também se prepara para liberar TV ao vivo (semelhante à SKY) em todos os seus aviões com telas de LCD individuais e Avianca já tem um sistema de entretenimento muito bom nos seus Airbus.

Iniciados preparativos para obras no saguão de embarque de Brasília

16/05/2011 - Infraero

A Infraero vai construir uma rampa central de acesso às salas de embarque do Aeroporto Internacional de Brasília/Juscelino Kubitschek (DF) e isolar as laterais hoje existentes. A melhoria facilitará a circulação de passageiros e usuários, inclusive para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Para isso, interditou o acesso central no saguão de embarque, logo atrás do Balcão de Informações. Após as obras haverá um único acesso – central – aos portões de embarque.Neste momento, o embarque está sendo feito apenas pelas entradas laterais do saguão.

A construção da rampa faz parte do primeiro lote das obras de reforma e ampliação do aeroporto. Essas melhorias, que receberão R$ 4,9 milhões em investimentos, incluem ainda a construção de novos sanitários nos saguões de embarque e desembarque; nova sala de inspeção na área de desembarque e a ampliação da sala de embarque remoto no satélite norte do Terminal de Passageiros. A previsão é de que os serviços sejam concluídos em seis meses.

O superintendente do aeroporto, Antonio Sales, afirmou que os passageiros já recebem todas as orientações para garantir o conforto e a segurança durante as obras. “O aeroporto recebeu uma sinalização que orienta os passageiros sobre as mudanças na circulação. Além disso, eles podem pedir auxílio aos empregados da Infraero com o colete amarelo ‘Posso ajudar?’”, explicou.


Assessoria de Imprensa – Infraero

segunda-feira, 16 de maio de 2011

TAM anuncia voo direto para a cidade do México ainda neste ano

16/05/2011 - Melhores Destinos

A TAM, maior companhia aérea brasileira, deve iniciar no segundo semestre um voo direto para a Cidade do México. O anúncio foi feito hoje (16/05) pelo presidente da empresa, Líbano Barroso, durante videoconferência de divulgação dos resultados do trimestre.

Segundo Barroso, a ocupação dos voos internacionais da empresa subiu de 77% para 80%, o que justifica o investimento no setor. A ideia da TAM é aumentar em 10% seus voos para fora do País, incluindo a nova linha para o México e um novo voo para Orlando – considerados pela empresa como prioridades: “Nossa estratégia é sempre buscar rotas com alta demanda e é por isso que estamos anunciando o voo direto para a cidade do México”.

Procurada pelo Melhores Destinos, a TAM confirmou, por meio de sua Assessoria de Imprensa, que o novo voo deve começar ainda neste ano e que a previsão é de uma frequência diária para a capital mexicana.

Com o novo voo, é provável que os preços das viagens entre os países sejam reduzidos, com mais promoções. A Aeroméxico, por exemplo, deverá olhar com mais carinho para nosso país – até hoje a empresa sequer criou um site voltados aos brasileiros, como fez para países vizinhos como a Argentina.

Com informações da revista Exame e jornal O Estado de S. Paulo

Infraero licita elaboração de projetos

16/05/2011 - Infraero


Processo escolherá os responsáveis pelas diretrizes de expansão de 14 aeroportos

O futuro de 14 dos principais aeroportosdo país começa a ser definido nos próximos meses.

A Infraero já tem em mãos o resultado técnico da licitação que escolherá as empresas responsáveis pela elaboração dos planos diretores de cada um deles.

E promete para junho a abertura das propostas de preços, o julgamento das propostas e a fase de recursos.

Com isso, afirma a estatal, será possível homologar o resultado no mês de julho. “Cabe destacar que o cronograma está sujeito a alterações em função de recursos administrativos dos licitantes que podem ser apresentados durante a fase de julgamento das propostas”, ressalva, emcomunicado.

Elaborados com base em projeções de demanda, os planos diretores orientarão a expansão dos aeroportos pelos próximos 20 anos e são pré-requisitos para que o governo possa licitar qualquer obra civil.

Eles contêm uma lista de melhorias que devem ser feitas ao longos dos anos para que a expansão da capacidade de recepção e envio de cargas e passageiros seja atendida ao longo dos anos.

É a partir deles que são desenvolvidos projetos executivos de novos terminais, estacionamentos e pistas de pouso e decolagem, por exemplo.

“A legislação diz que obras em aeroportos só podem ser feitas com base em um planejamento global”, afirma Edison Morozowski, sócio e presidente da Morozowski & Perry Arquitetos, uma das empresas que participamda concorrência.

A atual licitação está dividida em quatro lotes. No primeiro aparecem cinco aeroportos da região Sudeste: Confins, Pampulha, em Minas; Galeão, Santos Dumont e Jacarepaguá, no Rio de Janeiro.

No segundo, estão Afonso Pena, de Curitiba; Salgado Filho, de Porto Alegre; Cumbica e Congonhas, de São Paulo.

O terceiro lote inclui os aeroportos Augusto Severo, de Natal, e Luís Eduardo Magalhães, de Salvador.

Por fim, o lote quatro é formado por Brasília; Marechal Rondon, de Cuiabá; e Eduardo Gomes, de Ma-naus. Todos em estados onde haverá jogos da Copa doMundo.

Entre as empresas com propostas técnicas mais bem colocadas na licitação estão a Concremat (lote 1, 3 e 4), o consórcio formado pela Morozowski & Perry e a Aeroservice (lotes 1, 2, 3 e 4), e a Themag (lote 4).

A contratação de todos os projetos deverá custar aos cofres da Infraero pouco menos de R$ 10 milhões.

O cronograma desde o início dos trabalhos até a aprovação pela estatal é de sete meses.

O que viabilizaria a licitação de obras civis apenas no início do ano que vêm. Após a licitação dos planos dos 14 aeroportos em questão, há a expectativa no mercado de que a Infraero abra licitação para a elaboração das diretrizes de expansão de outros 16

Trip coloca avião maior na rota BH a Cuiabá

16/05/2011 - Panrotas

Com o objetivo de suprir a alta demanda, a Trip aumenta a capacidade de assentos ligando o aeroporto de Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte, a Cuiabá. A empresa vai tirar o ATR-72, com capacidade para 66 passageiros, e colocar o Embraer 175, com capacidade para 86 lugares.

“A novidade proporcionará um impacto muito positivo para a economia das cidades inteligadas pela rota, já que este modelo de aeronave possui superior capacidade de transporte de passageiros, além de permite levar maior volume de carga”, explica o diretor de Marketing e Vendas da companhia, Evaristo Mascarenhas de Paula.

As passagens poderão ser compradas nas agências de viagens credenciadas, pelo portal www.voetrip.com.br, nos aeroportos ou na Central de Vendas 0300-789-8747 ou 3003 8747 (regiões metropolitanas).

Confira a rota e os horários (locais):

Voo 5608, Jato 175 Confins (BH) – Goiânia, 11h58/13h25
Voo 5609, Jato 175 Confins (BH) – Santos Dumont, 17h/17h56
Voo 5500, Jato 175 Santos Dumont – Goiânia, 18h36/20h20
Voo 5500, Jato 175 Goiânia – Cuiabá, 20h50/21h10
Voo 5501, Jato 175 Cuiabá – Goiânia, 5h10/7h30
Voo 5501, Jato 175 Goiânia – Santos Dumont, 8h/9h47
Voo 5608, Jato 175 Santos Dumont – Confins (BH), 10h26/11h21
Voo 5609, Jato 175 Goiânia – Confins (BH), 15h/16h24

Comissão discute melhor local para aeroporto da Serra Gaúcha

16/05/2011 - Agência T1

A Comissão de Viação e Transportes realiza audiência pública nesta quinta-feira (19) para discutir o melhor local para o novo Aeroporto Regional da Serra Gaúcha, cuja escolha está entre as localidades de Vila Oliva (Caxias do Sul) e de Mato Perso (Farroupilha).

O debate foi proposto pelo deputado José Stédile (PSB-RS). “Já existem três estudos prontos, que apontam as duas áreas com possibilidades técnicas para acolher o novo aeroporto. Dessa forma, é de grande relevância a manifestação de agentes políticos e lideranças locais, Poder Executivo Federal e Estadual, bem como o envolvimento de membros desta comissão”, afirmou. Segundo ele, dois estudos são da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e um do Instituto de Aviação Civil (IAC).

Foram convidados:

- o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt;

- o presidente da Anac, Carlos Eduardo Pellegrino;

- o diretor do Departamento Aeroportuário do Rio Grande do Sul, Roberto Barbosa de Carvalho Netto;

- o presidente da Associação das Entidades Representativas da Classe Empresarial da Serra Gaúcha, Ademar Petry;

- o vice-presidente da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (RS), Nelson Fábio Sbabo.

A reunião será realizada às 10 horas, no plenário 11.

Fonte: Agência Câmara de Notícias, Por Redação/WS

Odebrecht confirma interesse por aeroportos

28/04/2011 - Exame.com, Alexandre Rodrigues

A companhia tem um grande interesse pelas concessões de aeroportos anunciadas pelo governo esta semana e está preparada para definir as melhores oportunidades

O caminho natural para participar do setor é formar parcerias com grupos estrangeiros que tenham experiência na gestão de aeroportos

Rio - O diretor de investimentos da Odebrecht, Felipe Jens, confirmou que a companhia tem um grande interesse pelas concessões de aeroportos anunciadas pelo governo esta semana e está preparada para definir as melhores oportunidades.

"Não temos hoje nada definido, existem muitas ideias de parcerias, até com, eventualmente, outras operadoras internacionais. Há parceiros locais que poderiam coinvestir conosco também, mas isso é absolutamente ainda no campo das ideias. O que tem de concreto é que vamos participar e temos uma intenção grande porque esse é um setor em que a gente se posicionou para participar muito antes que isso (o anúncio das concessões) acontecesse", afirmou Jens.Segundo Jens, o caminho natural para participar do setor é formar parcerias com grupos estrangeiros que tenham experiência na gestão de aeroportos, que nunca foram concedidos à iniciativa privada no Brasil. Seria uma reprodução do modelo adotado para as duas arenas que a empresa está construindo para a Copa de 2014 em regime de parceria Público-Privada (PPP): a Odebrecht tem sócios estrangeiros com experiência no setor nos estádios de Pernambuco e da Bahia (Fonte Nova). No entanto, ele também não descartou associações com grupos nacionais.

Ele lembrou que a Odebrecht criou no ano passado uma empresa de concessões em infraestrutura voltada para quatro setores principais: rodovias, portos e logística, mobilidade e aeroportos. A empresa tem no portfólio rodovias como a Dom Pedro (SP) e a Linha 4 do metrô de São Paulo. Sobre a área de aeroportos, ele disse que técnicos estudam oportunidades no setor "há anos" e agora poderão começar a direcionar as decisões da companhia no setor.

sábado, 14 de maio de 2011

Edital para obra do aeroporto de São Gonçalo do Amarante é entregue na BNTM

13/05/2011 - Jornal de Turismo, Sérgio Nery, Natal

A situação dos aeroportos começa a ser solucionado em Natal. O deputado Henrique Eduardo Alves entregou, na última quinta-feira, durante a BNTM (Brazil National Tourism Market), o edital da obra do aeroporto de São Gonçalo do Amarante para a governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini. Trata-se da primeira concessão publica de aeroporto com a iniciativa privada no Brasil.

Segundo Rosalba, a situação do aeroporto da cidade hoje já é complicada devido à crescente demanda e, agora, com o novo equipamento, Natal estará mais preparada para o evento esportivo. A governadora espera que em 60 dias, o processo licitatório tenha inicio.

Nesta sexta-feira, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) retificou o aviso de licitação do aeroporto. O leilão de concessão será realizado no dia 19 de julho e não no dia 15 de julho, informado anteriormente. A retificação foi publicada na edição desta sexta do DOU (Diário Oficial da União).

De acordo com o deputado Henrique Eduardo Alves, líder do PMDB na Câmara dos Deputados, a luta para superar esse gargalo já dura 14 anos. Alves lembra que o caminho percorrido passou pelos governos dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva e chegou a um desfecho positivo, na gestão de Dilma Rousseff, depois de muito empenho e articulação para que o projeto caminhasse. 

A expectativa do deputado é que o processo de licitação dure aproximadamente 45 dias, para que no mês de outubro, finalmente, a obra seja iniciada.

O aeroporto de São Gonçalo do Amarante será voltado tanto para passageiros como para cargas. O investimento deve passar de R$ 1 bilhão e gerar mais de 20 mil empregos. Segundo Alves, pelos menos 80% dessas vagas deverão ser ocupadas por pessoas do Rio Grande do Norte. “O consorcio vencedor da licitação deverá entregar o aeroporto em janeiro de 2014. Para que o Brasil e o mundo possa conhecer o Rio Grande do Norte”, cobrou.

As empresas interessadas em participar da concorrência têm até o dia 12 de julho para a entrega de documentos e apresentação das propostas econômicas. A agência disponibilizou uma página eletrônica para a busca de informações sobre o processo de concessão.

À venda, TAP é estrangeira que voa para mais cidades brasileiras

13/05/2011 - IG, Marina Gazzoni


Malha forte entre Brasil-Europa é um dos grandes ativos da companhia portuguesa, que será privatizada; TAM pode fazer oferta.

A privatização da TAP trará reflexos diretos no setor aéreo brasileiro. Com uma oferta de voos a partir de nove cidades do País, a companhia portuguesa transportou 1,4 milhão de passageiros entre o Brasil e a Europa no ano passado. A TAP é a companhia estrangeira presente no maior número de destinos brasileiros, posição que será reforçada no próximo mês, quando inicia sua operação em Porto Alegre. Há rumores de que o grupo Latam, formado pela brasileira TAM e a chilena LAN, esteja interessado em adquirir a companhia portuguesa.

A decisão de vender a TAP reflete dificuldades financeiras do País e não da companhia aérea. Embora Portugal esteja em crise, a empresa lucrou 62,3 milhões de euros em 2010, valor equivalente a R$143 milhões na cotação atual. Endividado, o governo português precisou pedir socorro à União Europeia e ao Fundo Monetário Internacional (FMI). Em troca de um empréstimo de 78 bilhões de euros (R$ 180 bilhões), se comprometeu a privatizar um grupo de estatais, entre elas, a TAP.

A notícia de que a companhia portuguesa está à venda agitou o setor aéreo. Sua rede de conexões com 65 cidades de 31 países da Europa, África, América do Sul e do Norte faz da empresa uma peça fundamental no xadrez entre as aéreas.

Interesse da TAM

Esse alto potencial de conectividade saltou aos olhos da TAM. A companhia evita falar da questão, e se limita a declarar, em nota, que “sempre acompanha a evolução do mercado de aviação, inclusive as fusões e as aquisições no setor”.

Mas o presidente do conselho da empresa, Marco Antonio Bologna, admitiu que a TAM acompanha a privatização da TAP e que aguarda a publicação do edital pelo governo português para se manifestar, em entrevista ao jornal “O Globo” no final de abril.

“Para a TAM seria um ótimo negócio. E para os passageiros brasileiros também”, afirma Nelson Riet, especialista no setor. O motivo é que a aquisição da TAP possibilitaria a TAM firmar uma posição relevante na Europa e impulsionar sua oferta de voos internacionais, com conexão em Lisboa.

A integração de TAP e Trip seria facilitada pela semelhança na frota – as duas operam aeronaves da Airbus – e pelas parcerias comerciais já existentes. TAP e TAM são membros da associação de empresas aéreas Star Alliance e possuem acordos de codeshare (compartilhamento de voos) desde 2007. As parcerias são o primeiro passo para as fusões no setor aéreo. A TAM, por exemplo, praticava compartilhamento de voos com a chilena LAN e com a brasileira Trip antes de anunciar uma sociedade com as empresas.

Disputa com europeias

Enquanto a TAM faz mistério sobre uma eventual proposta pela empresa, a Gol nega que fará uma oferta pela TAP. A possibilidade chegou a ser discutida entre analistas do mercado financeiro como uma oportunidade para a Gol de reagir à fusão de TAM e LAN. Mas, para a empresa, a prioridade é o mercado doméstico. “Não temos interesse na TAP”, disse o diretor financeiro da Gol, Leonardo Pereira.

Na Europa, uma das principais interessadas na TAP é a IAG, que nasceu da fusão entre a Iberia e a British Airways, segundo o jornal Sunday Times. A proximidade da espanhola Iberia com Portugal poderia favorecer o negócio, mas fragilidade da financeira pode ser um entrave. No Oriente Médio, a Qatar Airways também deve entrar na disputa, informou a emissora portuguesa SIC.

A expectativa é que as companhias europeias tentem impedir o avanço de empresas de outros continentes sobre a TAP. “Para elas, uma empresa brasileira ou asiática com um pé na Europa é um perigo”, afirma Riet.

As companhias europeias não estão tão bem posicionadas no Brasil quanto a TAP, mas concentradas nos principais aeroportos do País. A Air France, a Lufthansa e a British Airways, por exemplo, só voam a partir de Guarulhos e do Galeão. A estratégia da TAP de diversificação de saídas a partir do Brasil foi certeira. Em 2010, ela cresceu 25% no Brasil, mais do que a operação internacional da TAM, que se expandiu 16%. Falta saber quem ficará com a fatia desse bolo.