sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Tam inicia dia 28 de março voos para Toronto com tarifa a US$ 659

26/02/2015 - Mercado & Eventos

Luiz Marcos Fernandes

Toronto recebe os voos da Tam a partir do dia 28 de março


A Tam inicia dia 28 de março voos diários regulares do Rio e São Paulo para Toronto. A empresa acaba de lançar tarifa promocional para seus novos voos com destino a cidade canadense. A partir de R$ 1.789 (US$ 659) e R$ 1.952 (US$719), os passageiros do Rio de Janeiro e de São Paulo, respectivamente, poderão voar para uma das cidades mais importantes do Canadá. O novo destino será oferecido em cinco dias da semana, em uma extensão dos voos JJ8102 e JJ8103 da Tam, que já ligam diariamente durante o período da noite os aeroportos de São Paulo/Guarulhos, no Brasil, e John Fitzgerald Kennedy, em Nova York (Estados Unidos). O voo JJ8102 decolará às 11h15 do aeroporto John Fitzgerald Kennedy, em Nova York, e chegará a Toronto às 13h (hora local). No sentido inverso, o voo JJ8103 decolará de Toronto às 16h35 e chegará a Nova York às 18h30 (hora local). Além dos passageiros do mercado doméstico brasileiro com origem ou conexão em São Paulo/Guarulhos, em breve o novo destino no Canadá também poderá ser facilmente acessado por outros viajantes da América do Sul (sujeito às respectivas aprovações governamentais)

A moderna aeronave Boeing 767-300ER, configurada com Classe Econômica e Premium Business, operará o voo cinco dias por semana. As passagens podem ser adquiridas pelo site www.tam.com.br e em outros canais de venda, como agências de viagens e lojas da Tam e da Tam Viagens. É possível parcelar o valor em qualquer cartão de crédito aceito pela companhia. No Tam Itaucard, a compra pode ser dividida em até 10 vezes.

O modelo da aeronave está configurado com 191 lugares na Classe Econômica e outros 30 na Premium Business, recentemente lançada pela empresa com maior distância entre as poltronas e assentos full flat que reclinam até 180 graus.No Boeing 767-300ER, com interior totalmente remodelado, os clientes terão acesso a um serviço de entretenimento de bordo individual, que oferece 110 filmes de diversos gêneros e seriados de TV em todas as classes. Também será possível ouvir músicas e acessar o catálogo de produtos do Duty Free. As crianças poderão se divertir com uma programação exclusiva para o público infantil, com desenhos animados, filmes e jogos.

"Estamos colhendo os benefícios reais da união entre Tam e Lan. Com a consolidação do Grupo LATAM, seguimos buscando oportunidades e passamos a oferecer a maior conectividade e o melhor produto para os viajantes entre a América do Sul e a América do Norte", afirma Claudia Sender, presidente da TAM Linhas Aéreas. "Toronto representa mais um novo destino internacional com grande potencial para o viajante brasileiro. Vamos estrear as nossas operações ao Canadá com um produto de titleo nível, oferecendo uma experiência de viagem rápida e segura a bordo do moderno Boeing 767".

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Janeiro: Gol lidera doméstico e Tam domina internacional

25/02/2015 - Panrotas

Henrique Santiago


Aéreas obtiveram números expressivos no share doméstico e internacional


A Gol foi a líder no mercado doméstico em janeiro, segundo dados divulgados hoje pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). A companhia teve participação de 38,43%, seguida de perto pela Tam, que obteve demanda de 37,02%. Azul e Avianca registraram 16,45% e 8,10%, respectivamente.

No mercado internacional, as quatro aéreas registraram acréscimo de 32,9% ante o primeiro mês de 2014. A oferta internacional alcançou aumento de 26,4%, sendo o sétimo mês consecutivo de expansão. O total de passageiros transportados nos voos internacionais chegou a 703,6 mil, 28% a mais que em janeiro de 2014.

A Tam liderou em participação no internacional no mês, com 69,61% do total. A Azul conquistou o segundo posto com uma parcela de 15,87% do mercado. A seguir, a Gol registrou 14,47% de share. Já a Avianca obteve menos de 1% de participação.

Gol bate recorde com mais de 4 milhões de pax em um único mês

25/02/2015 - Mercado & Eventos


Em janeiro, a companhia também foi líder em participação do mercado

A Gol pelo segundo mês consecutivo, foi líder em market share no mercado doméstico com 38,4%, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). Esta conquista foi registrada em dezembro de 2014 e janeiro deste ano, meses de titlea temporada, e foi consequência da estratégia de flexibilidade da GOL para atender a demanda do período. A empresa obteve ainda o maior crescimento entre as aéreas nacionais na taxa de ocupação, alcançando 6% durante janeiro deste ano.

Manteve também a liderança no número de passageiros transportados e alcançou o recorde para uma companhia aérea no Brasil em um único mês, com mais de 4 milhões de clientes no mercado doméstico e internacional. Um crescimento de 9,1% se comparado com o mesmo período do ano passado. Em 2014, a empresa liderou o setor com um total de 35,8 milhões de passageiros transportados.

Rafael Massadar

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

GRU registra recorde de passageiros em janeiro

23/2/2015 - Panrotas

Raphael Silva

O Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, anunciou um recorde
histórico no primeiro mês deste ano. Foram 3,805 milhões de pessoas viajando
pelo aeroporto, representando um crescimento de 6% em relação a janeiro de 2013,
quando o movimento foi de 3,589 milhões. Deste total, 2,509 milhões de
passageiros eram de voos domésticos, e 1,296 milhões de voos internacionais. Em
relação às operações aéreas, foram 26,784 mil pousos e decolagens, sendo que
19,732 mil foram voos domésticos, e 7,052 mil internacionais.

Avianca e Azul buscam parceiros para fechar compra da Tap

23/02/2015 - Mercado & Eventos


Avianca e Azul estão no
páreo para comprar a Tap

O jornal Expresso, de Portugal, divulgou neste semana, que a Caixa
BI e Abreu Advogados assessoram o dono da Avianca, Germán Efromovich, para
tentar comprar a Tap. Ainda de acordo com a publicação, a Barclays e Cuatrecasas
vão apoiar David Neeleman, acionista da Azul. A apresentação formal de propostas
de compra da Tap é dia 15 de maio.

O Expresso disse que Germán Efromovich, que quase comprou a Tap no anterior
processo, contratou o banco de investimento do Estado para o assessorar
financeiramente, mantendo a consultora 3 angle capital, e escolheu a Abreu
Advogados para o apoiar a nível jurídico. E informou, ainda, que David Neeleman,
acionista da brasileira Azul, vai ter o Barclays como assessor financeiro e a
Cuatrecasas, Gonçalves Pereira é a sociedade de advogados que o apoia
juridicamente.
Rafael Massadar

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Azul adiciona 3 novos voos para Fort Lauderdale em maio 2015

20/02/2015 - Panrotas

A Azul adicionará mais três voos semanais - às quartas, sextas e domingos - para Fort Lauderdale. Desta forma, a rota até então operadora diariamente pela companhia passará a ser servida por dez voos por semana. A aérea foi autorizada pela Anac e pela Federal Aviation Administration (FAA) para que as operações tenham início em 6 de maio. 

O novo voo partirá de Viracopos às 13h, com o trajeto de retorno às 9h15. Com a inclusão da frequência, a Azul terá 34 ligações semanais regulares entre Brasil e Estados Unidos, somando o voo diário para Orlando. São aproximadamente dez mil assentos ofertados pela companhia entre os dois países. 

Aviação ,

"A novidade é fruto dos bons resultados que temos registrado nos voos para Fort Lauderdale/Miami e Orlando, nossos primeiros destinos internacionais", comemora o diretor de Planejamento e Alianças da companhia, Marcelo Bento. "Esperamos ter sucesso na inclusão destas novas operações, para que possamos levar mais vezes nossos clientes para dois dos locais mais procurados no Exterior."

Entre 2 de abril e 4 de maio, para atender feriados da Páscoa, Tiradentes e Dia do Trabalho, a Azul também terá 24 voos extras entre Campinas e Fort Lauderdale. 

Os voos são operados por A330-200, com 272 assentos. Os jatos passarão por total remodelação interna nos próximos meses, de modo a estabelecer um novo padrão de conforto e experiência aos clientes.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Pampulha terá voo direto para Vitória

19/02/2015 - O Tempo – MG

No aeroporto da Pampulha, a Azul já oferece conexões para Cabo Frio, São Paulo (Guarulhos), Governador Valadares, Ipatinga, Montes Claros, Uberlândia e Campinas

JULIANA GONTIJO

Pampulha ganha novos voos

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aprovou três voos da Azul Linhas Aéreas partindo do aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, para Vitória. As três frequências diárias poderão ser operadas a partir de 1º de abril e serão realizadas em aeronaves turboélice ATR com 70 assentos. As passagens já começaram ser vendidas a partir de R$ 119,90. "Somos a primeira companhia a comercializar passagens nesta rota e apostamos no sucesso desses voos", disse o diretor de Planejamento e Alianças da Azul, Marcelo Bento.

No aeroporto da Pampulha, a Azul já oferece conexões para Cabo Frio, São Paulo (Guarulhos), Governador Valadares, Ipatinga, Montes Claros, Uberlândia e Campinas. O primeiro voo da empresa no terminal foi em 16 de julho de 2007. Em Vitória, há frequências diárias para Campinas e Belo Horizonte (Confins).

A Anac também alocou às companhias aéreas Azul e Avianca Brasil frequências semanais para a realização de serviços aéreos mistos entre o Brasil e os Estados Unidos. A Azul recebeu dez frequências semanais, enquanto que a Avianca Brasil recebeu 14, conforme portaria publicada no Diário Oficial da União. Atualmente, a Azul possui voos internacionais partindo do Brasil com destino a Miami (Fort Lauderdale) e Orlando. E a Avianca Brasil voa para Bogotá, na Colômbia.

Aeroportos recebem mais passageiros no carnaval que na Copa

19/02/2015 - O Estado de S.Paulo

Média diária de circulação pelos terminais brasileiros foi, em relação ao Mundial, 23% maior durante festividades do carnaval deste ano

MÔNICA REOLOM – O ESTADO DE S. PAULO

SÃO PAULO – A média diária de passageiros que passaram pelos aeroportos brasileiros no carnaval de 2015 superou a Copa do Mundo, no ano passado. A Secretaria de Aviação Civil (SAC) informou que, entre sexta-feira, 13, e quarta-feira, 18, 627 mil pessoas circularam por dia nos 15 principais aeroportos do País. Durante a Copa, a média foi de 508 mil por dia.


Intenso movimento de passageiros no Aeroporto Internacional do Antônio Carlos Jobim (Galeão), na Ilha do Governador, zona norte do Rio.

Com o intuito de evitar atrasos e confusões, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) intensificou a atuação nos principais aeroportos desde a terça-feira, 11, e até esta sexta-feira, 20. Na denominada "Operação Carnaval", cento e vinte funcionários da agência, entre inspetores de aviação civil e técnicos, reforçaram a fiscalização e o atendimento a passageiros em sete aeroportos.

Os atrasos e cancelamentos de voos ficaram dentro do esperado. Dos 1261 voos programados, apenas 27 saíram fora do horário nos sete aeródromos mais movimentados do Brasil.

A sexta-feira, 13, foi o dia mais concorrido, com 711 mil viajantes circulando pelos saguões dos terminais aéreos de Viracopos, Brasília, Galeão, Guarulhos, Confins, Natal, Congonhas, Fortaleza, Porto Alegre, Santos Dumont, Recife, Curitiba, Manaus, Salvador e Cuiabá. Na Copa, o dia de maior movimentação foi 14 de julho, quando 560 mil pessoas passaram pelos 21 aeroportos que atenderam a competição, para voltar para casa após a final.

Entre os dias 12 e 23 de fevereiro, a SAC estima que 5,3 milhões passarão pelos sete aeroportos da "Operação Carnaval". Até esta quarta-feira, a estimativa é que 4,3 milhões de passageiros já tenham passado por esses terminais.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Cade aprova acordo de compartilhamento de voos entre TAM e Iberia

19/02/2015 - Gazeta do Povo – PR

Pelo acordo, os passageiros que voam com a TAM até Madrid, na Espanha, têm acesso a Barcelona, Roma, Zurique, Dusseldorf, Genebra, Veneza, Tenerife, Bilbao e Asturias, utilizando a malha aérea da parceira

ESTADÃO CONTEÚDO

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, aditivo ao contrato de "codeshare" atualmente vigente entre TAM Linhas Aéreas e Iberia Líneas Aéreas de España, conforme despacho publicado no "Diário Oficial da União".

O aditivo insere no acordo original algumas rotas a serem operadas em código compartilhado pelas empresas, entre elas São Paulo-Madrid.

As duas companhias já atuam em parceria ofertando opções de destinos dentro da Europa e América do Sul, com a emissão de todos os trechos em um único bilhete.

Pelo acordo, os passageiros que voam com a TAM até Madrid, na Espanha, têm acesso a Barcelona, Roma, Zurique, Dusseldorf, Genebra, Veneza, Tenerife, Bilbao e Asturias, utilizando a malha aérea da parceira.

Em contrapartida, os passageiros da Ibéria têm acesso a Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Natal, Salvador, Florianópolis, Curitiba, Manaus, Brasília, Porto Alegre e Recife.

As requerentes destacam em documento enviado ao Cade que o contrato principal não prevê reserva de assentos, qualquer forma de ingerência de uma parte sobre a outra, cláusulas potencialmente restritivas à concorrência ou troca de informações concorrencialmente sensíveis.

Voo Recife-Cabo Verde começa a operar em junho

18/02/2015 - Jornal do Commercio – PE

Viagens terão frequência semanal e serão realizadas com o Boeing 737-400

Do JC Online


A África está mais perto dos recifenses. A partir de junho, terá início voos saindo do Recife para à cidade de Praia, em Cabo Verde. Operado pela TACV (Cabo Verde Airlines), as viagens terão frequência semanal e conexão imediata para vários países da Europa como Lisboa, Madri, Paris e Milão.

A previsão é que o primeiro voo saia da capital pernambucana no dia 5 de junho. O serviço será operado com o Boeing 737-400. Nas sextas-feiras as viagens acontecem às 20h05, no horário local, e com chegada prevista para as 22h30 do horário recifense. Já os voos do sábado decolam às 00h30 e pousam em Praia às 06h30.

BUENOS AIRES – No dia 24 de janeiro, estreou o voo direto da TAM entre o Recife e Buenos Aires. Com cerca de cinco horas de duração, a viagem custa a partir de US$ 359 ou R$ 937(ida e volta – cotação de ontem com o dólar a R$ 2,61) ou 24 mil pontos no programa de fidelidade Multiplus.

Anac aloca frequências para Azul e Avianca voarem entre Brasil e EUA

G1 - 19/02/2015 

Companhia brasileira voa para Miami; Avianca faz Brasil-Colômbia.

Da Reuters


Avião da Embraer E-195 usado pela Azul


A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) alocou às companhias aéreas Azul e Avianca Brasil uma série de frequências semanais para a realização de serviços aéreos mistos entre o Brasil e os Estados Unidos.

A Azul recebeu dez frequências semanais, ao passo que a Avianca Brasil recebeu 14 frequências semanais, segundo portaria da agência publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial da União.

Atualmente, a Azul possui voos internacionais partindo do Brasil com destino a Miami (Fort Lauderdale) e a Orlando, nos EUA. A Avianca Brasil voa para Bogotá, na Colômbia.


Avião em voo comercial da Avianca chega ao aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, transportando o suspeito Caio Silva de Souza


sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

787 Dreamliner da Avianca pousa pela primeira vez em São Paulo

12/02/2015 - ;Jornal de Turismo



O Boeing 787 Dreamliner da Avianca Internacional pousou pela primeira vez no Aeroporto de Guarulhos hoje, às 6h50. Vinda de Bogotá, Colômbia, a aeronave é uma das duas que farão quatro voos diários entre as duas cidades. A Avianca recebeu recentemente quatro jatos 787, de um total de 15 que serão entregues ao longo dos próximos três anos. Os quatro novos aviões irão servir rotas que incluem, além de São Paulo e Bogotá, Buenos Aires, Nova Iorque, Santiago (Chile), México, e, a partir de junho, Madri, Barcelona e Londres.

"Confiamos no mercado brasileiro e continuaremos a expandir nossas operações no país, trazendo equipamentos com a melhor tecnologia a bordo e que proporcionam mais conforto e o melhor serviço aos passageiros", afirma José Efromovich, Presidente da Avianca Brasil.

O Dreamliner combina conforto, alto desempenho e tecnologia de ponta. É produzido com 50% de material compósito, 20% de alumínio, 15% de titânio, 10% de aço e 5% de outros materiais. O resultado é uma aeronave resistente, imune à corrosão e com menor necessidade de manutenção programada. Pesa 130 toneladas e consome, em média, 20% menos querosene que modelos semelhantes. O 787 emite 20% menos carbono e o impacto acústico é 40% menor, dentro e fora da cabine. Sua avançada aerodinâmica é mais resistente e flexível, resultando em voos mais suaves mesmo em situações de turbulência moderada.

Os horários dos voos operados com os novos 787 Dreamliner são:

Bogotá – São Paulo

AV85, parte às 21h50 (horário local), com chegada às 6h50 (+1 dia, horário local)

AV 249, parte às 15h20 (horário local), com chegada às 0h25 (+ 1 dia horário local)

São Paulo – Bogotá

AV 86, parte às 9h30 (horário local), com chegada às 12h22 (horário local)

Av 248, parte às 2h25 (horário local), com chegada às 5h30 (horário local)

Aeroporto de Viracopos bate recorde de passageiros no mês de janeiro

12/02/2015 - G1

Foram transportadas 978.371 pessoas no período, diz concessionária.

O número representa um aumento de 12,81% em comparação a 2013.

Do G1 Campinas e Região


Aeroporto de Viracopos transporta 12,81% a mais

que em janeiro de 2013. (Foto: Reprodução / EPTV)


O Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), bateu recorde de movimentação de passageiros no mês de janeiro. Foram transportadas 978.371 pessoas, o que representa um aumento de 12,81% em relação ao mesmo período de 2013. De acordo com a concessionária responsável pela administração do terminal aéreo, o crescimento foi impulsionado pelos voos internacionais.

O aumento foi acima da média, segundo a concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, porque os voos internacionais passaram de cinco para 40 por semana no novo terminal. No total, 66.640 passageiros embarcaram ou desembarcaram no local em janeiro para viagens para o exterior, o que representa 174 pousos e 175 decolagens. No mesmo período do ano passado, foram apenas 3.458 pessoas.

O novo terminal de Viracopos começou a operar voos comerciais regulares domésticos no dia 14 de outubro e internacionais, no dia 29 de novembro de 2014.

Balanço 2014

Viracopos registrou no ano passado a movimentação de 9.846.853 passageiros. De acordo com a concessionária, o número representa um crescimento de quase 6% em relação ao mesmo período de 2013, quando 9.295.808 pessoas voaram pelo aeroporto.

Bem avaliado

O aeroporto foi eleito o melhor terminal aéreo do país na última pesquisa de satisfação de passageiros realizada pela Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República. O estudo entrevistou 12.992 usuários, no embarque e desembarque, dos 15 principais aeroportos do Brasil nos meses de outubro, novembro e dezembro do ano passado.

Na satisfação geral dos passageiros, segundo a concessionária, Viracopos atingiu a nota 4,29, em uma escala que vai de 1 a 5 e a média geral dos 15 aeroportos nesse quesito foi de 3,94. O aeroporto já havia sido reconhecido como o melhor aeródromo do Brasil na pesquisa do último trimestre de 2013.


Aeroporto de Viracopos bate recorde no transporte de passageiros em janeiro

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Korean Air usará A330-200 na ligação de GRU-LAX

11/2/2015 - Panrotas

Artur Luiz Andrade



A Korean Air anunciou que a partir de 31 de março passa a operar seus quatro voos semanais entre São Paulo e Seul, com parada em Los Angeles, com o A330-200, que substitui o 777-300 usado atualmente. A empresa continuará oferecendo primeira classe, executiva e econômica, mas a cabine da first muda de Kosmo Suite para assentos Sleeper. Com isso a tarifa da primeira estará menor: US$ 13,7 mil para Los Angeles e US$ 15,8 mil para Seul.

TACV ligará Fortaleza a Paris e Amsterdã

12/02/2015 - Diário do Nordeste

As duas cidades europeias estarão ligadas à capital cearense com conexão em Cabo Verde



A companhia opera com aviões Boeing 757, de 210 lugares, e 737-800, para 174 passageiros

Os cearenses que pretendem viajar à Europa nas férias do meio do ano terão novas opções de voo para chegar ao Velho Continente. Fruto da expansão das operações da companhia aérea cabo-verdiana TACV, a partir de junho, Fortaleza estará conectada, além de Lisboa (Portugal), a Paris (França) e Amsterdã (Holanda).

As novas rotas estarão disponíveis para embarque todos os sábados, com início no dia 5 de junho, saindo da Capital cearense à 1h da manhã e chegando à Cidade de Praia, em Cabo Verde, por volta da 7h (horário local). De lá, o tempo de espera para o voo de conexão até a capital francesa é de apenas duas horas, onde faz escala, e quem preferir segue, tendo como destino final Amsterdã.

Atualmente, o voo que a TACV mantém da Cidade de Praia para Fortaleza parte às 20h30 (horário de local) às quartas-feiras e retorna a 1h10 toda quinta-feira da capital cearense para a ilha africana.

Segundo o diretor da empresa para o Brasil, José Luis Nogueira, a expectativa, em um horizonte de cinco anos, é transformar Cabo Verde em um grande "hub" internacional, com ligações para várias cidades europeias e de outros continentes. "Nesse momento, estamos trabalhando para melhorar a conectividade doméstica e lançamos ainda essa conexão para Paris e Amsterdã, assim como aumentamos a operação para o Brasil, voando, também, a partir de junho, para Recife, em Pernambuco", explica.

Comunicado da companhia divulgado pela imprensa cabo-verdiana, dá conta de que a empresa vai aumentar seus voos também para Portugal, e reestruturar a sua rede interna, inter-ilhas, passando a contar com 50 ligações semanais, incluindo voos diários da Cidade de Praia para seis das dez ilhas que formam o país africano.

Tarifas

Conforme José Luis Nogueira, as reservas para os voos de Paris e Amsterdã já podem ser feitas por meio do site da companhia (flytacv.Com) e agentes de viagem a tarifas bem competitivas. "O bilhete de ida e volta para Lisboa custa desde US$ 900, sem as taxas de embarque, e para Paris ou Amsterdã a partir de US$ 1.000, também sem taxas. Mas vale destacar que nos períodos de baixa temporada também faremos promoções nos valores das passagens", afirma.

Equipamentos

Ainda de acordo com o diretor da TACV, a companhia opera com aviões do tipo Boeing 757, de 210 lugares, e 737-800, com capacidade para 174 passageiros, com idade média de seis anos. "Mas com o projeto de expansão que estamos desenvolvendo, novas aeronaves deverão ser adquiridas, assim como poderemos ter mais frequências para Fortaleza e outras cidades brasileiras. No entanto, isso é o mercado que vai dizer, mas é o que esperamos", destaca.

Governo de Portugal confirma interesse da Azul em comprar a TAP

10/02/2015 - Estado de Minas

Empresa brasileira poderá ser dona de importante fatia da companhia portuguesa

Antônio do Nascimento




O ministro da Economia de Portugal revelou no Fórum Econômico Mundial de Davos/Suiça que a Azul está interessada em participar da privatização da TAP. Apesar das confusões havidas entre a OI e a Portugal Telecom, Portugal ficaria muito honrado de ter a empresa aérea brasileira como parceira.

Lisboa continuaria sendo a porta de entrada da Europa para os passageiros oriundos do Brasil, mesmo após a compra de parte da aérea portuguesa pela Azul.

Procurada pela reportagem, a Azul não quis comentar o assunto.

Atualmente, a TAP voa direto e diariamente de Belo Horizonte para Lisboa usando Airbus A330 e A340.Além de Confins, a empresa de Portugal também opera nos aeroportos de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Recife, Natal, Fortaleza, Belém, Manaus, Porto Alegre e Campinas (SP).

Líder nos EUA, Embraer tenta emplacar novos jatos no Brasil

12/02/2015 - O Estado de S.Paulo

Empresa entregou 1º de 60 jatos E175 comprados pela American Airlines; modelo ainda é pouco vendido no Brasil

MARINA GAZZONI

sergio fujiki

EUA. Embraer vendeu 240 jatos E175 no país em dois anos


Depois de vender 240 jatos E175 nos Estados Unidos nos últimos dois anos, a Embraer está voltando seu esforço comercial para emplacar o modelo no Brasil. Neste momento, Gol, TAM e Azul negociam a compra de aviões da fabricante brasileira. Com capacidade para transportar entre 70 e 90 passageiros, o E175 é uma grande aposta da Embraer para o mercado de aviação regional, segmento que o governo pretende estimular.

A Embraer entregou ontem o primeirodeumtotalde60jatos E175 vendidos à American Airlines em dezembro de 2013, em um contrato avaliado em US$ 2,5 bilhões, considerando preço de tabela. Republic Airways, United Airlines e Skywest também encomendaram o modelo.

O mercado americano foi estimulado após uma mudança na regulação do setorem2012 que viabilizou o uso de aeronaves maiores para voos regionais – o limite de assentos saltou de 50 para76 na categoria. Após a mudança, uma enxurrada de pedidos foram feitos nesse segmento e a Embraer conseguiu mais de 70% desses contratos.

Segundo o presidente da Embraer Aviação Comercial, Paulo Cesar Silva, ainda há oportunidades nos Estados Unidos. "Existemmuitosaviões antigos em operação, há um crescimento natural do mercado e temos opções de compra que podemos converter em pedidos firmes", disse. A estimativa dele é que o mercado americano demandará mais 200 a 300 aviões na categoria em até três anos.

Brasil. Hoje, cerca de 500 modelos do E175 e E170 estão em operação no mundo, mas apenas cinco deles voam no Brasil. São aeronaves que eram da companhia aérea Trip e foram incorporados à frota da Azul após a fusão das duas empresas.

A Embraer estima que, nas atuais condições de mercado, há uma demanda para 50 aviões de cerca de 100 assentos no Brasil nos próximos anos. "Esse demanda pode ser estimulada com a reforma de aeroportos regionais e a implementação do plano de aviação regional do governo", disse Silva.

O plano de aviação regional, que prevê reforma de 270 aeroportos e subsídio a voos, foi aprovado pelo Congresso no fim de 2014. O governo federal ainda precisa definir a regulamentação do setor antes de liberar o subsídio.

As líderes de mercado Gol e TAM, que hoje não operam com aviões da Embraer, já confirmaram no fim do ano passado que estão avaliando a compra de aviões da empresa, dentro de um plano de expandir os voos para o interior do Brasil. "Existem conversas com as empresas para que eles comecem a operar com os aviões de primeira geração e depois recebam os jatos de segunda geração", disse o executivo da Embraer.

Gol e TAM informaram que avaliam a compra de modelos da família E2 (segunda geração de jatos da Embraer), que foram lançados em 2013 e serão entregues a partir de 2018. As entregasdomodeloE175começam dois anos depois.

A TAM também informou, em dezembro, que estuda soluções de curto prazo para incrementar a frota regional, como arrendamento de aeronaves. A companhia aérea disse que decidirá sua estratégia para aviação regional até março.

A Azul, que já nasceu com frota da Embraer, anunciou que faria novas encomendas assim que o plano de aviação regional do governo fosse aprovado. A empresa assinou uma carta de intenções no ano passado para comprar 30 jatos de segunda geração da Embraer. O contrato ainda não foi fechado e as duas empresas estão em negociação para a confirmação do pedido. O valor do negócio é estimado em US$ 3,1 bilhões, pelo preço de tabela das aeronaves.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Embraer entrega Legacy 500 à empresa australiana

10/2/2015 - Panrotas

Henrique Santiago



Legacy 500


A Embraer anunciou a entrega de um Legacy 500 a uma companhia australiana de identidade não revelada, com base em North Queensland. O negócio foi realizado pela Norris Aviation Services Australia, representante do comprador, que utilizará o modelo para fins corporativos.

"O Legacy 500 vem provando ser um jato executivo de alta capacidade e bem apropriado para o mercado da Austrália. A aeronave oferece excelente desempenho de pista com fácil alcance transcontinental", afirma Marco Túlio Pellegrini, presidente de Embraer.

Sobre a identificação do cliente, o diretor executivo da Norris Aviation Services Austrália acrescenta: "O proprietário é um empresário de visão que cuidadosamente selecionou o Legacy 500 após avaliar todas as aeronaves da sua categoria".

Tráfego aéreo Brasil-EUA dispara

11/02/2015 - Valor Econômico

Por Daniel Rittner

Na reta final de preparação para a entrada em vigência dos "céus abertos" entre Brasil e Estados Unidos, autoridades brasileiras celebram os resultados da liberalização de voos entre os dois países. A Azul acabou de solicitar à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorização para mais dez voos semanais, que ela deve usar para o reforço nas rotas entre Viracopos (SP) e suas bases na Flórida (Orlando e Fort Lauderdale), e já acenou ao governo que pretende começar operações para Nova York até o fim deste ano.

Sem entrar em detalhes, a Avianca também pediu sinal verde da agência para estabelecer 14 frequências por semana aos Estados Unidos, conforme apurou o Valor. Trata-se de um mercado em franca expansão e cada vez mais disputado: o número de passageiros transportados em voos que ligam cidades brasileiras e americanas, segundo um balanço inédito da Anac, cresceu 89,2% entre 2008 e 2013 (o último dado disponível). No mesmo período, a quantidade de voos semanais aumentou de i66 para 260. Hoje, já são 300 frequências.


Um ponto de preocupação gira em torno da vigência, a partir de outubro, da quinta e última fase do acordo firmado entre os dois países para acabar definitivamente com as restrições à quantidade de voos permitidos (conhecido como "open skies", no jargão em inglês, ou "céus abertos"). O acordo de serviços aéreos, assinado em 2011, está na Casa Civil e até hoje não foi remetido pela Presidência da República ao Congresso Nacional. Todos os tratados internacionais precisam passar pelo crivo legislativo.

Suas quatro primeiras etapas, que acabavam progressivamente com os limites para novos voos, foram implementadas sem problemas. Para a quinta fase, que contempla o fim das restrições, o acordo de 1992 entre Brasil e Estados Unidos precisa ser formalmente substituído. Esse texto delimitava um teto para o número de voos. Embora ainda haja folga para novas rotas, ele funciona como entrave para os céus abertos.

Na prática, isso não chega a ser um problema no curto prazo. Há interesse mútuo em levar adiante a política de "céus abertos" e firme disposição em não criar obstáculos, mas o atraso na tramitação do acordo constrange a diplomacia brasileira e pode causar dores de cabeça no futuro, caso novos governos – no Brasil ou nos Estados Unidos – venham a ter uma postura mais defensiva.

Na avaliação do governo brasileiro, o maior grau de liberdade nos serviços aéreos com os Estados Unidos teve resultados amplamente positivos. Além de ter aumentado a conectividade do Brasil com destinos internacionais, gerou mais concorrência, com reflexos nas tarifas pagas pelos viajantes. Hoje existem 67 rotas entre os dois países. Em 2008, eram apenas 31 ligações.

Em 2013, as companhias americanas detinham 68% de participação no tráfego bilateral. No entanto, conforme sublinha uma fonte do governo, a interpretação de que as empresas brasileiras perdem de goleada essa concorrência merece um olhar mais atento. Nas rotas de maior disputa, as brasileiras competem em pé de igualdade: a participação da TAM alcança 45% e 42%, respectivamente, no total de passageiros transportados entre cidades brasileiras e os aeroportos de Nova York e Miami. Como efeito da concorrência, uma passagem comprada hoje na rota Guarulhos—Nova York, com embarque em julho, custa de 10% a 15% menos, em média, do que um bilhete para voar no trajeto Guarulhos-Paris.

Aéreas se preparam para ‘céus abertos’

11/02/2015 - Valor Econômico

Por Daniel Rittner

Na reta final de preparação para a entrada em vigência da política de "céus abertos" com os Estados Unidos, autoridades brasileiras celebram os resultados da liberalização de voos entre os dois países. A Azul acaba de solicitar à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorização para mais dez voos semanais, que deve usar para o reforço nas rotas entre Viracopos (SP) e a Flórida, e já acenou ao governo que pretende iniciar operações para Nova York ainda neste ano.

Sem entrar em detalhes, a Avianca também pediu sinal verde da agência para estabelecer 14 frequências por semana aos EUA, apurou o Valor. Trata-se de um mercado em franca expansão e cada vez mais disputado: o número de passageiros transportados em voos que ligam cidades brasileiras e americanas, segundo um balanço da Anac, cresceu 89,2% entre 2008 e 2013 (o último dado disponível). No mesmo período, a quantidade de voos semanais aumentou de i66 para 260. Hoje, já são 300 frequências.

Um ponto de preocupação gira em torno da vigência, a partir de outubro, da quinta e última fase do acordo entre os dois países para acabar definitivamente com as restrições à quantidade de voos, O acordo, assinado em 2011, está na Casa Civil e até hoje não foi remetido pela Presidência ao Congresso. Todos os tratados internacionais precisam passar pelo crivo do Legislativo.

Avianca começa a operar voo no Brasil com Boeing 787, mais espaçoso

11/02/2015 - Folha de São Paulo

A companhia aérea Avianca passará a operar dois voos diários no Brasil com um novo modelo de aeronave, o Boeing 787 Dreamliner, com capacidade para transportar 28 passageiros na classe executiva e 222 na classe econômica

O modelo promete menor consumo de combustível e corredores e assentos mais espaçosos.

O avião fará o trecho de São Paulo (GRU) para Bogotá todos os dias às 2h25 e às 9h30, começando a partir de quarta-feira (11), com preços a partir de US$ 599 (cerca de R$ 1.681).

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

TAM fecha 2014 como maior companhia do Brasil, mas GOL reduz a diferença

10/02/2015 - Melhores Destinos

Marcel Bruzadin  
 
A TAM fechou o ano de 2014 mais uma vez como líder de mercado na aviação brasileira. A companhia, porém, teve uma queda de participação em relação ao ano anterior e ficou com 38,4% dos voos domésticos no ano que passou. Com relação ao ano anterior a redução foi de 1,72 ponto percentual. Os dados são da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear).

Em segundo lugar e bem próximo à TAM, está a companhia GOL, com 36,4%. A companhia teve um ligeiro crescimento em relação ao ano de 2013 (0,79 ponto percentual), que em conjunto com a queda da TAM fez com que a diferença entre as duas diminuísse mais uma vez, chegando a apenas dois pontos. Será que teremos uma virada neste ano?

A Azul se manteve em terceiro lugar, com 16,7% de participação no mercado e um crescimento muito baixo, próximo a zero. Isso pode ser justificado pelos grandes esforços da companhia nos voos internacionais, que tiveram início no ano passado com as rotas para Fort Lauderdale e Orlando. No entanto, é esperado que a Azul volte a ter um crescimento expressivo a partir deste ano, com a chegada de novas aeronaves Airbus 320, que devem operar nos voos domésticos com mais capacidade que os atuais Embraer.

graficos_cias

Outro ponto bastante relevante sobre o mercado é que a companhia Avianca Brasil teve um crescimento expressivo em 2014 (1,24 ponto percentual). Apesar de ainda ocupar o 4º lugar, 8,43% de participação do mercado doméstico nacional ,a antiga OceanAir entrará na aliança Star Alliance ainda em 2015, o que certamente trará um crescimento significativo para a companhia.

Internacional

A TAM se manteve também como líder entre as companhias brasileiras nos voos internacionais, seguida novamente pela GOL. A TAM registrou 84,48% de participação do mercado internacional, (queda de 3 pp) contra 14,92% da GOL, que ganhou 2,45 pp.

A grande novidade do ano, no entanto, foram as estreias das companhias Azul e Avianca Brasil, que agora possui um voo para a cidade de Bogotá. A capital da Colômbia é o principal hub da Avianca internacional, que apesar de ter o mesmo nome e os mesmos donos é uma companhia separada da filial brasileira.

As quatro principais companhias aéreas do país transportaram aproximadamente 101 milhões de passageiros no ano de 2014, seja em voos domésticos ou internacionais. Pode parecer muita coisa, mas infelizmente o ritmo de crescimento vem diminuindo nos últimos anos, para se ter ideia, em 2014 o crescimento de passageiros em voo foi de 5,7%, menor volume dos últimos 3 anos.

​Aprovado o plano de expansão do London City Airport

09/02/2015 - Mercado & Eventos


O London City Airport (LCA)

Foi aprovado oficialmente o plano de expansão do London City Airport (LCA). O projeto de £ 200.000.000 (quase U$305 milhões) deverá estar ser concluído em 2020, o permitirá voos anuais para aumentar dos atuais 70.000 até 111.000. Este aumento da capacidade tem como objetivo aliviar a crise de congestionamento em infraestrutura de ar de Londres e do Reino Unido já existente, e melhor servir o grande número de viajantes de negócios que usam rotineiramente LCA.

Declan Collier, CEO do Aeroporto London City, falou sobre os detalhes em um comunicado. "O desenvolvimento do aeroporto irá culminar em 2023, quando, depois de ter construído sete novas posições de aeronaves e extensões de terminais para o oeste e para o leste. Com isso, o aeroporto vai receber cerca de seis milhões de passageiros a cada ano", disse ele.
Rafael Massadar

Aeroporto Aluízio Alves registra recorde histórico de passageiros em janeiro‏

09/02/2015 - Jornal de Hoje – RN 

Em comparação com janeiro do ano passado, crescimento foi de 20,7%. No segundo semestre, o aeroporto já havia registrado 12,5% de alta no movimento, em relação ao primeiro semestre.

Portal JH


Foto: Divulgação

O Consórcio Inframérica, operador do Aeroporto de Natal, registrou o movimento de 306.898 passageiros no Aeroporto de Natal neste mês de janeiro, entre voos nacionais e internacionais. O volume é recorde em números absolutos e supera os dois anos anteriores: 2013, com 270.654 pessoas e 2014, com 254.278 passageiros. O número é cerca de 30,5% maior do que o mesmo período do ano passado. Na tabela abaixo, estão os números estatísticos dos últimos 10 anos referentes ao mês de janeiro de cada ano. Em relação ao número de voos, a Inframérica registrou 44,8% de aumento em janeiro de 2015 (2823 voos), na comparação com 2014 (1950 voos).

Para o presidente do Consórcio, Alysson Paolinelli, a estatística reflete os esforços para transformar Natal em hub para voos domésticos e internacionais do país. "Embora o aeroporto ainda não tenha nem completado um ano de operação, já estamos certamente conseguindo ver resultados do nosso esforço para atrair novos voos para o Estado. O Rio Grande do Norte tem um potencial muito grande de crescimento e os dados são animadores", comemora Alysson Paolinelli, presidente da Inframérica.

A Inframérica iniciou a operação do o novo Aeroporto de Natal no dia 31 de maio de 2014. Nestes 7 meses de operação, o aeroporto registrou 2.483.704 passageiros e 22.512 voos, contra 2.408.206 passageiros e 25.020 voos durante todo o ano de 2013.

"Estamos também otimistas em relação à possibilidade de o governo do Estado conceder incentivo tributário para o combustível de aviação, o que irá não apenas trazer mais voos para o Estado, mas também desenvolver turismo, atrair novos investimentos, enfim, trazer mais desenvolvimento para o Estado como um todo, não apenas para o Aeroporto. Em Brasília, por exemplo, só nós três primeiros meses de incentivo fiscal na redução da alíquota do ICMS do querosene de aviação (QAV), houve registro de 56 voos a mais. Um ano depois, o número chegou a 206 novos voos, com duas novas empresas aéreas internacionais em operação e mais 36 frequências para o exterior a partir de Brasília. E, mesmo com a redução, no final das contas, o governo arrecadou comparativamente mais porque houve desenvolvimento da malha", explica o executivo.

Construído no Aeroporto de Palmas, Terminal de Cargas vai aquecer e fomentar a industria, e beneficiar todo País

09/02/2015 - Agora-Tô on-line – TO



Tharson Lopes


O Tocantins tem um grande potencial logístico e, por isso, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) construiu em Palmas, capital do Estado, um Terminal de Logística de Carga (Teca) no Aeroporto Brigadeiro Lysias Rodrigues. Num primeiro momento, o terminal possibilitará um aumento de 50% na movimentação, em termos de volume de cargas domésticas e, posteriormente, permitirá que as empresas realizem operações de comércio exterior dentro do próprio Tocantins, contribuindo para o fortalecimento da economia estadual.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Eudoro Pedroza, destaca o potencial estratégico do Tocantins no cenário Norte/Nordeste/Centro Oeste do país. "É importante ressaltar a situação estratégica do Tocantins e de Palmas. Temos que considerar não apenas a população existente na nossa cidade, que é de 250 mil habitantes, tampouco o Estado do Tocantins, que tem 1 milhão e 500 mil habitantes; e sim, o entorno do Tocantins. São sete estados em volta e que compõem um potencial enorme para o aeroporto de cargas de Palmas. São mais de 6 milhões de pessoas e milhares de empresas que têm condição de abastecer os nossos aviões, a ferrovia e a hidrovia. O Tocantins é realmente a "bola da vez", o Tocantins é a região do Brasil que está crescendo e vai crescer muito mais", disse.

Pedroza fez um chamado para os empresários que pensam em se instalar no Estado: "A hora é agora. Quem quiser vir se instalar no Tocantins, venha logo, pois estamos recebendo empresários do mundo inteiro. Aqui, nós temos tudo. Temos energia, terra, geografia privilegiada e, principalmente, água", enfatizou.

A construção do terminal de cargas em Palmas é fruto de um acordo de intenções firmado com o Governo, de maneira a fomentar a atividade industrial do Estado a partir do diagnóstico de oportunidades no setor de transporte de cargas da região. A execução da obra ficou sob a responsabilidade da Infraero, que investiu R$ 3,55 milhões.

Atualmente, os volumes movimentados em Palmas são processados diretamente pelas empresas aéreas, que utilizam parte do porão dos voos comerciais para transportar carga aérea. Com a instalação do Teca, essa movimentação poderá crescer consideravelmente, possibilitando a operação de aeronaves cargueiras para os processos logísticos no terminal, o que impulsionará as atividades de recebimento e envio de volumes no aeroporto.

Segundo a assessoria de imprensa da Infraero, a operacionalização do Teca de Palmas permitirá que empresas realizem operações de comércio exterior dentro do próprio Estado do Tocantins, sem a necessidade de passar pelos trâmites de nacionalização em outras unidades federativas. Essa possibilidade poderá fomentar o setor por meio do aquecimento da cadeia logística, beneficiando não apenas o Estado, mas todo o país, uma vez que o terminal terá condições de se configurar como um importante hub logístico – área onde são realizadas todas as atividades voltadas ao transporte, logística e distribuição de mercadorias por vários operadores – , conectando as regiões Norte e Nordeste com o Centro e Sudeste do País.

Teca

O complexo logístico de cargas de Palmas compreenderá uma construção modular, totalizando 1,2 mil m² de área construída, com uma área de armazenamento de 500 m², que poderá ser ampliada de acordo com a demanda local. O terminal de cargas vai operar inicialmente com a movimentação de carga nacional, com possibilidade de expandir as operações para importação e exportação, após ser liberado pela Receita Federal para tais atividades.

O armazém do complexo também contará com sala de atendimento ao cliente e espaços administrativos, guarita de segurança e três docas para o embarque e desembarque de cargas, que serão equipadas com elevadores. O terminal possuirá ainda um estacionamento de caminhões com seis vagas.

(Shara Rezende)

Voos Tam e Tap levam mais de 100 mil estrangeiros ao Pará

09/02/2015 - Panrotas

O primeiro ano de voos internacionais com partidas e chegadas no Pará das companhias aéreas Tam e Tap já mostram resultados positivos, de acordo com números que o turismo paraense divulgados no ano passado.

De acordo com as informações, 101.989 turistas internacionais buscaram o destino Pará, um aumento de 29,8%, em comparação com o ano anterior. Também houve crescimento de 93% do movimento operacional de passageiros vindos do Exterior no Aeroporto Internacional de Belém, o que ressalta a importância destes voos internacionais para a consolidação do turismo no Estado.

No ano passado, uma ação estratégica realizada pela Setur-PA inaugurou no Pará as rotas Belém-Miami, operadas pela Tam, e Belém-Lisboa, oferecidas pela Tap. A companhia brasileira avalia de forma positiva o primeiro ano de operações do voo entre Belém e Miami, já que as frequências da empresa nesta rota registram, até o momento, taxa de ocupação média aproximada de 80%.

Desde que o voo foi inaugurado, há um ano, a Tam já transportou quase 35 mil passageiros em cerca de 200 voos operados entre as duas cidades, sendo que o mercado brasileiro responde pela maior fatia de vendas das passagens para a rota.

Já no que se refere ao voo da Tap, os resultados também são positivos. A rota Manaus-Belém-Lisboa teve 16.795 bilhetes vendidos, com uma taxa de ocupação média de assentos das aeronaves nesse primeiro ano de operação de 77,16%. Dentre os assentos ocupados, 58,5% são em Belém e os demais 41,5% em Manaus. 

"A avaliação foi considerada positiva. No entanto, acreditamos que esta rota pode ser mais explorada, e estamos realizando divulgação do voo em outras localidades do Estado, como Marabá, Parauapebas, Macapá e Santarém, para aumentarmos a ocupação do voo e futuramente a frequência do mesmo", conclui o gerente regional da Tap, Douglas Lima.

Aeroporto de Brasília apresenta movimento recorde em janeiro deste ano

10/02/2015 - Correio Braziliense

O Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek registrou movimento recorde no primeiro mês de 2015. Em janeiro, mais de 1,78 milhão de pessoas embarcaram, desembarcaram e fizeram conexões nos dois terminais da unidade brasiliense. A quantidade é 12,6% maior em comparação com o mesmo período de 2014.

A quantidade de cerca de 1,69 milhão de passageiros em janeiro do ano passado era a maior até então. As viagens internacionais também apresentaram aumento: aproximadamente 35% a mais de movimentação em relação ao mesmo período do ano passado. Ao todo, 2014 registrou 18,1 milhão de passageiros, 10% a mais que em 2013.

Com os números, o Aeroporto JK como o segundo mais movimentado do país, atrás apenas de Guarulhos (SP), e o terceiro em viajantes que trafegavam entre diferentes países, atrás da unidade paulista e do Galeão (RJ).

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Amazonas ganhará quatro novos aeroportos, afirma SAC

09/02/2015 - A Crítica de Manaus

Construção dos aeroportos de Codajás, Jutaí, Maraã e Uarini já tinha sido prometida pelo ex-governador Omar Aziz. Com anúncio da Secretaria de Aviação Civil, obras devem finalmente sair do papel

Três cidades ficaram de fora: Amaturá, Pauini e Nova Olinda do Norte (Luiz Carlos Mendes da Silva/Pauini Hoje)

A Secretaria de Aviação Civil (SAC) vai investir R$ 2 bilhões na construção e reforma de 80 aeroportos regionais nos sete estados do Norte e no Mato Grosso. A medida faz parte do Programa de Desenvolvimento da Aviação Regional. As primeiras licitações devem ser lançadas a partir de julho deste ano.

De acordo com a secretaria, o enfoque na região amazônica vai permitir não só a interiorização do transporte aéreo, como também do desenvolvimento econômico da área. Os aeroportos que vão receber os investimentos foram escolhidos estrategicamente. Segundo a Secretaria de Aviação Civil, a dificuldade de acesso a esses locais foi decisiva para isso.

Amazonas

A intenção é deixar 96% da população a pelo menos 100 quilômetros de um terminal. Esses aeroportos devem ficar prontos em até 30 meses, a partir da apresentação do projeto.

Nove aeroportos serão construídos do zero. São eles: Codajás, Jutaí, Maraã e Uarini, no Amazonas, Cametá e Ilha de Marajó, no Pará, Bonfim e Rorainópolis, em Roraima, e Mateiros, no Tocantins. A construção desses quatro aeropostos no Amazonas já havia sido anunciada em 2012 pelo então governador Omar Aziz.

Anúncio

A construção dos aeroportos de Codajás, Jutaí, Maraã e Uarini foram anunciadas há quase quatro anos, quando o governador do Amazonas ainda era Omar Aziz, hoje senador. Com o anúncio da SAC, a construção deve sair, finalmente, do papel.

Além dessas quatro cidades, também estava na lista para receberem novos aeroportos os municípios de Amaturá, Pauini e Nova Olinda do Norte, porém ficaram de fora. Na época, cada obra custaria entre R$ 22 milhões e R$ 25 milhões, conforme o governo.

Além do investimento em infraestrutura, o governo federal também vai subsidiar gastos das companhias aéreas com enfoque especial para a Amazônia. O objetivo é que as empresas invistam nas rotas regionais e que a população consiga arcar com o valor das passagens.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

787 da Avianca voará para Bogotá a partir do dia 11/02/2015

5/2/2015 - Panrotas

Artur Luiz Andrade

O presidente da Avianca Brasil, José Efromovich, recebe no próximo dia 11 o primeiro Boeing 787 Dreamliner da Avianca Internacional a operar no País. Com capacidade para 28 passageiros na classe executiva e 222 na econômica, a aeronave fará o trecho São Paulo (GRU)–Bogotá, que terá duas frequências diárias. O 787 é considerado um dos mais modernos aviões em operação e é feito de materiais mais leves e resistentes, consome menos combustível e se destaca pelo design revolucionário e o conforto oferecido: corredores e assentos são mais espaçosos, com sistema de entretenimento de bordo com telas individuais sensíveis ao toque e iluminação ajustável nas diferentes fases do voo.

A Avianca Internacional já recebeu três aeronaves dessa categoria de um total de 15. Além de voos para o Brasil, o novo Boeing servirá destinos nos Estados Unidos, América Latina e Europa.

A Avianca Internacional será a terceira empresa aérea a operar o 787 no Brasil, depois de Ethiopian e Lan. A United Airlines será a quarta, na rota São Paulo-Houston, de abril a outubro deste ano.

Novo aeroporto internacional na RMF é viável

06/02/2015 - O Povo – CE

Estudo apontou 30 possibilidades de sítios para a instalação do equipamento. São necessárias outras pesquisas

Beatriz Cavalcante

beatrizsantos@opovo.com.br


Ferruccio Feitosa (d) foi empossado ontem por Nicolle Barbosa como presidente da Adece, sucedendo Roberto Smith (e)

Estudo aponta viabilidade econômica para um novo aeroporto internacional, de cargas e passageiros, nas proximidades do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), a 60 km da Capital, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O documento foi apresentado ontem pela empresa The Louis Berger Group, especializada em planejamento aeroportuário, com apoio da Agência dos Estados Unidos para o Comércio e Desenvolvimento (USTDA) e em parceria com a Consultoria Project, de Recife, na sede da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece).

A pesquisa ainda é a primeira fase de um processo de negociação que deverá apontar onde se localizará o empreendimento, que tem cerca de 30 possibilidades de sítios. Conforme já havia informado a Adece, o projeto será realizado por meio de Parceria Público Privada (PPP), sem definição de empresas que queiram investir e como será o modelo de participação do Governo e dos interessados.

Além de PPP já estavam sendo cogitados o uso de recursos ou do Tesouro Estadual, ou Federal, ou ambos. "Ficou combinado que nós vamos nos reunir com as secretarias que são responsáveis pela leitura desse estudo e para outros encaminhamentos desse projeto. Então vai ser a Seinfra (Secretaria da Infraestrutura), SDE (Secretaria de Desenvolvimento do Estado), Adece, Semace (Superintendência Estadual do Meio Ambiente) e Seplag (Secretaria do Planejamento e Gestão)", explica Nicolle Barbosa, titular da SDE, afirmando que a reunião acontecerá em 10 dias.

Segundo o secretário da Infraestrutura, André Facó, ainda é necessário se aprofundar em outro estudo, para que critérios dos possíveis sites sejam analisados. "Eles têm de estar distantes de aterros sanitários, têm de ser avaliados critérios de logística, qualquer relação com área ambiental e a parte de segurança. Depois que você vai buscar um detalhamento um pouco maior de qual o valor estimado, tanto das obras do próprio aeroporto quanto da própria infraestrutura necessária. A partir desses levantamentos iniciais é que você estabelece quais são as possíveis alternativas de alocação", esclarece.

Outro estudo

O próximo passo do Governo será detalhar o estudo de viabilidade técnica em um estudo de concepção para que seja tomada uma decisão a respeito do aeroporto. "Mas infelizmente a gente ainda não tem condição de fazer esse estudo", complementa Facó.

Para Nicolle, o aeroporto é importante porque o Ceará precisa ser um hub aéreo e marítimo. "Nós temos todas as condições pelo Porto do Pecém de sermos esse hub maritimo. A gente está proximo da Europa, dos Estados Unidos, da África e, com a abertura do canal do Panamá e começo da abertura canal da Nicarágua, vamos estar perto também da Ásia".

Saiba mais

A Louis Bergeré financiada pela USTDA foi contratada pela Adece, em 2012, para elaborar o documento.

Não houve desembolso de dinheiro por parte do Governo do Estado para a realização desse estudo, segundo André Facó. A pesquisa foi de intenção da USTDA, que recebe, anualmente projetos e os financia a fundo perdido.

Assim, disponibiliza recursos para uma cooperação técnica em termo de um acordo de entendimentos e, a partir desse recurso, viabiliza estudos para projetos que o Estado ou que o Governo ache interessante.

Foi feito um termo de cooperação entre as partes envolvidas no projeto e a apresentação do estudo é a conclusão do termo de cooperação com a USTDA

Infraero autorizará ampliação do Salgado Filho, diz Padilha

05/02/2015 - Panrotas

Rodrigo Vieira 

O ministro da Secretaria de Aviação Civil, Eliseu Padilha, informou que a Infraero deve autorizar a abertura de licitação para ampliação da pista do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre (RS). A confirmação pode ocorrer em 24 de fevereiro, data da próxima reunião do Conselho de Administração da Infraero.

"Precisamos resolver o caso do aeroporto de Porto Alegre, em sua plenitude, concluindo o Plano Diretor do Salgado Filho, que é de 2011. Dos 11 itens do plano, apenas dois ainda não foram implementados: o novo edifício-garagem e a ampliação da pista", avaliou Padilha. 

O ministro ainda afirma que segundo a Infraero, algumas condições estão pendentes, o que será resolvido entre ela e a prefeitura de Porto Alegre. "O que eu pedi, e vai acontecer, é a abertura da licitação da obra de expansão da pista do Salgado Filho. A Infraero é quem vai definir o período do início da obra, que deve ser desenvolvida entre 36 e 48 meses", completou. 

A obra tem valor estimado em R$ 1 bilhão e a concorrência pública deve se estender por cerca de seis meses. A Infraero e a prefeitura de Porto Alegre devem começar o trabalho em uma área em que não há moradores, visto que será necessário remover 1.777 famílias da área.

AEROPORTO 20 DE SETEMBRO

A informação foi comunicada a um grupo de prefeitos e parlamentares do Rio Grande do Sul, durante audiência no gabinete do ministro, em Brasília. Os políticos, liderados pelo deputado federal Marcon (PT-RS), visitaram Eliseu Padilha para debater a construção do aeroporto 20 de Setembro, que será construído entre os municípios de Portão e Nova Santa Rita.

"O Aeroporto Salgado Filho precisa ter sua situação resolvida. Sabemos disso, mas temos certeza que o Aeroporto 20 de Setembro já é uma realidade. Ele será internacional e de carga e descarga, para atender toda a região sul e o Mercosul. Saímos do encontro com o ministro Eliseu Padilha com a certeza que, em 2017, os estudos que já existem sobre o 20 de Setembro darão início à obra", comemorou a prefeita de Nova Santa Rita, Margarete Simon Ferretti.

O novo terminal aéreo deve ser construído na região metropolitana de Porto Alegre, entre os municípios de Nova Santa Rita e Portão. A proposta da Secretaria de Aviação Civil é de que o aeroporto seja referência no transporte de cargas, com quatro pistas de quatro mil metros, cada, semelhantes à existente no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.

O ministro Eliseu Padilha já entregou ao governo do estado um documento em que o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) afirma que o novo empreendimento, sob o seu ponto de vista, é perfeitamente viável. "A Região Metropolitana de Porto Alegre está a existir ao Aeroporto Salgado Filho, depois de 2029, quando ele estará saturado", definiu o ministro da Aviação.

Ele pediu às prefeitas de Nova Santa Rita e Pontão que não modifiquem a projeção feita pelo Decea para o Aeroporto 20 de Setembro e que delimitem o sítio. Para a pista ficar estrategicamente mais bem localizada.