sábado, 28 de agosto de 2010

Boeing inicia testes de voo do 787

ESCRITO POR REDAÇÃO WEBTRANSPO - 27/08/2010

Treinamento foca as necessidades dos clientes



A Boeing iniciou a certificação do treinamento de voo do 787 Dreamliner, De acordo com a fabicante, como parte do treinamento, os pilotos treinam em um dispositivo de tela plana e em um simulador completo do modelo, ambos produzidos pela Thales.

Segundo a Boeing, a designação “provisória” será removida assim que o avião estiver completamente certificado. Os escritórios locais da FAA aprovarão cursos de treino customizados e individuais para operadoras do 787 e isso também poderá ter base em aprovações provisórias antes da certificação do avião.

“As inovações do 787 nos instigaram a desenvolver um currículo de treino mais eficaz, com base nas necessidades de formação de nossos clientes combinada com entrega eficiente e modernas ferramentas de simulação”, disse Sherry Carbary, vice-presidente da divisão Flight Services da Boeing Commercial Airplanes.

Mike Fleming, diretor de Serviços e Suporte do 787, da Boeing Commercial Airplanes, afirma que, “estamos satisfeitos com o progresso que estamos fazendo no sentido de garantir que nossos produtos e serviços de apoio estejam prontos para nossos clientes“.

Hoje, há oito dispositivos de treinamento em cinco unidades da Boeing Training & Flight Services: em Tóquio (Japão), Cingapura (China), Seattle (EUA) e Gatwick, no Reino Unido.

http://www.webtranspo.com.br/aereo/19421-boeing-inicia-testes-de-voo-do-787?utm_source=Zartana&utm_medium=emailmarketing&utm_campaign=News+n+668&utm_content=MARCELO+ALMIRANTE+row701%40yahoo.com.br&utm_term=19421

Subsídio financiará as linhas regionais

WEBTRANSPO: MARCO GARCIA - 27/08/2010

Projeto reajusta 0,5% preço de passagens

Adicional será recolhido pelas empresas


Com o objetivo de impulsionar as linhas aéreas regionais pelo interior do Brasil, a Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara acaba de aprovar um projeto que fornece subsídio de 0,5% sobre o preço das passagens áereas domésticas e internacionais provenientes do Brasil.


O deputado Marcelo Teixeira, autor do projeto, afirma que tal medida foi pensada para preencher uma lacuna aberta com a extinção do adicional de 3% destinado ao setor nos anos 90.

“Com a mudança no critério de distribuição de linhas e o questionamento judicial da cobrança, a tarifa foi extinta. Como resultado, houve uma queda no número de linhas regionais, prejudicando os passageiros que possuem compromissos nesses trechos”, declara o deputado.

Que prossegue, “em apenas alguns anos, milhões de pessoas perderam acesso aos aviões, o que é extremamente grave para aqueles que habitam em regiões nas quais a única opção para deslocamentos rápidos é o transporte aéreo”.

São consideradas regionais aquelas frequências que interligam duas localidades das regiões Norte, Nordeste ou Centro-Oeste, em que pelo menos uma delas é classificada como de baixo ou médio potencial de tráfego.

De acordo com o decreto, o adicional tarifário – repassado ao consumidor - será recolhido pelas empresas aéreas e seu produto utilizado, exclusivamente, na suplementação de linhas aéreas regionais.

Sobre a questão de aumento no valor das passagens para financiar essas novas linhas, Teixeira afirma que o percentual extra não alterará significativamente os preços cobrados atualmente pelos bilhetes no mercado brasileiro.

“O adicional tarifário não representa virtualmente nada para os usuários do transporte aéreo, ainda mais se for considerada a proposta de instituí-lo na forma de um percentual de apenas 0,5% do valor dos bilhetes”, concluiu o parlamentar.

O relatório do projeto define que a regulamentação da lei estabelecerá condições de fiscalização da arrecadação e da aplicação dos recursos provenientes do ajuste de tarifas, bem como as penalidades cabíveis em caso de descumprimento das companhias aéreas.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Embraer completa hoje 41 anos

26/08/2010 12:22:00

Terceira maior indústria aeronáutica do mundo faz aniversário


Fundada em 19 de agosto de 1969, a Embraer comemora o seu 41º aniversário. Nesse período, já foram produzidos cerca de 5.000 aviões, que operam em 88 países, nos cinco continentes. Hoje, ela é o terceiro maior fabricante de jatos comerciais do mundo.

A empresa não programou nenhuma festividade, havendo apenas uma comemoração interna entre funcionários e colaboradores. Mas não é preciso festa: a melhora significativa no mercado aeronáutico pós-crise já é comemoração suficiente. E tem presente melhor do que firmar venda de 25 jatos comercias para a britânica Flybe, com valores estimados em US$ 1,3 bilhão, só em julho desse ano?

Karina Bernardino - Avião Revue

http://aviaorevue.terra.com.br/index.asp?codc=1338

Trip compra aviões maiores para crescer no Rio

AVIAÇÃO

Publicada em 25/08/2010 às 23h53m
Danielle Nogueira- O Globo

RIO - Enquanto avalia a aquisição de estações de rádio usadas pela antiga Varig (atual Flex), cuja falência foi decretada pela Justiça sexta-feira passada, a Trip Linhas Aéreas aposta na compra de aviões maiores para crescer em aeroportos saturados, como o Santos Dumont, um de seus cinco principais destinos. Neste e no próximo ano, a empresa planeja investir de US$ 200 milhões a US$ 250 milhões para elevar sua frota de 27 aeronaves em 2009 para 50 em 2011. Com essa estratégia, prevê mais que dobrar seu faturamento, dos R$ 450 milhões registrados em 2009 para R$ 1,2 bilhão em 2011 e, assim, manter a posição de maior companhia aérea regional da América Latina.

Por definição, as aéreas regionais são aquelas que voam com aeronaves de até cem assentos e atendem a municípios com demanda de até 80 mil passageiros por ano, entre embarques e desembarques. Hoje, a Trip tem em sua frota aviões modelo ATR, com entre 45 e 68 assentos, e jatos 175 fabricados pela Embraer, com 86 assentos. No próximo ano serão incorporados à frota jatos 190, também da Embraer, que dispõem de 106 lugares.

No momento em que o setor de aviação passa por um processo de consolidação - com a recente união entre a TAM e a chilena LAN - as encomendas de aviões maiores suscitaram dúvidas quanto à estratégia da empresa. Seria uma investida para concorrer com as grandes do setor?

- Não - responde o presidente da Trip, José Mario Caprioli. - Nossa atuação tem foco diferenciado, voltado para a ligação de pequenos e médios centros aos grandes polos urbanos. As aeronaves de maior capacidade têm o simples objetivo de consolidar rotas já existentes. Em aeroportos onde não é possível fazer novos pedidos de rotas, como o Santos Dumont, que já está saturado, o único jeito de crescer é aumentar o número de passageiros transportados por viagem.

Atualmente, o fluxo de passageiros da Trip no Santos Dumont é de 12,1 mil pessoas por mês, seis vezes mais que os 2,2 mil de 2008 e volume suficiente para fazer do Rio um dos cinco principais destinos da companhia, ao lado de Belo Horizonte, São Paulo, Cuiabá e Manaus. Considerando as cerca de 80 cidades atendidas pela aérea, são 160 mil passageiros por mês ou 1,9 milhão por ano. Os números garantem à Trip liderança incontestável na aviação regional, com 73% de participação de mercado. No setor com um todo, porém, a aérea tem modestos 2,5%.

Leia mais: Embraer anuncia novas encomendas da Azul e da Trip

Parcerias com bancos para atrair classe C
A meta da empresa é elevar para 3,7 milhões o número de passageiros em 2010. Uma das apostas para atingir a marca é atrair a classe C. Em janeiro deste ano, a empresa fechou parceria com o Banco do Brasil pela qual os correntistas podem pagar passagens em até 60 meses a juros de 1,99% mensais. Este ano, a parceria será estendida a Bradesco, Itaú e Santander.

A transferência de estações de rádio da antiga Varig para a Trip também deve favorecer suas operações. A aérea foi a única interessada nas unidades, hoje usadas em pousos e decolagens de várias companhias. A Trip não fala em valores. Limita-se a dizer que o negócio será apreciado pelo conselho de administração da companhia esta semana.

Criada em 1998 pelo grupo Caprioli, com tradição no transporte rodoviário, a Trip tem 2.100 funcionários. Em 2006, o grupo Águia Branca comprou 50% do negócio. Dois anos depois, uma fatia de 20% foi adquirida pela americana Sky West, maior aérea regional do mundo.

Bilhete poderá ser comprado por iPhone
A Trip está investindo US$ 1,5 milhão no desenvolvimento de uma nova plataforma tecnológica que permitirá que os clientes comprem passagens com iPhone ou qualquer outro smartphone, a partir de janeiro do ano que vem. Dessa forma, a aérea pretende acompanhar a mudança no comportamento dos empresários brasileiros que, segundo o próprio presidente da empresa, José Mario Caprioli, vem se tornando mais independente de suas secretárias, comprando seus próprios bilhetes aéreos:

- O novo executivo é cada vez mais autossuficiente. Temos que acompanhar essa tendência.

O mercado corporativo responde por 75% do público atendido hoje pela Trip.

Noar Linhas Aéreas divulga horários de voos para novos destinos

As cidades de João Pessoa (PB) e Natal (RN) receebem a partir de 30 de agosto os voos da Noar Linhas Aéreas. O voo Recife-João Pessoa-Natal sairá da capital pernambucana às 6h42, com escala em João Pessoa às 7h07, saindo de terras paraibanas às 7h20 e com chegada em Natal, às 7h55. Já o voo Natal-João Pessoa-Recife decola às 8h20, chega a João Pessoa às 8h55, voa para o Recife às 9h10 com chegada prevista às 9h35.

No horário da tarde, o voo Recife-João Pessoa-Natal sai às 15h36, com escala em João Pessoa, às 15h57. Sai da Paraíba às 16h14 e pousa em Natal às 16h47. O voo Natal-João Pessoa-Recife sai da capital potiguar às 19h40, com escala em João Pessoa de 20h15 às 20h30 e chega em Recife às 20h52.
A Noar Linhas Aéreas já oferece voos para Maceió, Aracaju e Caruaru.

Obras em aeroporto do MT será agilizada

QUA, 25 DE AGOSTO DE 2010 11:39 ESCRITO POR REDAÇÃO WEBTRANSPO - FOTO: GOV. MT 0 COMENTÁRIOS

O governo local deve solicitar o fim do impasse

Lideranças temem que obras não estejam concluídas na Copa 2014

Nesta semana, o governador do Mato Grosso, Silval Barbosa, discutiu com representantes da Agecopa (Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo do Pantanal) uma série de ações a serem deflagradas para agilizar a reforma do aeroporto Marechal Rondon.

Na ocasião, os diretores da Agência pediram intervenção do governo local junto ao Ministério da Defesa (ao qual está vinculada a Infraero) ou mesmo à Presidência da República para a solução do impasse.

Com isso, o governador garantiu que liderará uma caravana a Brasília com dirigentes da Agecopa, empresários e os parlamentares da bancada federal. O atraso na licitação das obras por parte da Infraero está causando preocupação tanto na Agecopa como no trade turístico.
“Já falei com nossa bancada federal. O trade está certo e a preocupação da Agecopa também é nossa. Não podemos mais permitir que as obras sejam proteladas. Vamos conversar até com o presidente Lula. O que não podemos é ficar protelando estas obras tão importantes”, declarou Silval.

O governador disse que se a Infraero não fizer logo a licitação, iniciando as obras, o Estado vai pedir para que os convênios venham para o Estado executar as obras. “Não faz sentido o Estado executar todas as obras previstas para a Copa se não ampliarmos o aeroporto, que é o portão de entrada dos visitantes e especialmente dos turistas estrangeiros”, justificou.

Vila Floresta dá espaço a Salgado Filho

QUI, 26 DE AGOSTO DE 2010 10:24 ESCRITO POR REDAÇÃO WEBTRANSPO / FOTO: JORGE BRAZIL 0 COMENTÁRIOS

Infraero e governo acertam detalhes para obra

Desapropriação em Vila Velha possibilitará aumento da pista de pouso e decolagem



O convênio firmado entre o Governo do Rio Grande do Sul e a Infraero para a expansão do Aeroporto Salgado Filho foi publicado no Diário Oficial da União nesta quarta-feira, 25. O documento define a desapropriação das áreas 15 e 17, na Vila Floresta, para o início das obras.



O Estado ficará responsável pela retirada das famílias e pela transferência da área para a União; as despesas cartoriais estão estimadas em R$ 200 mil. À Infraero caberá a responsabilidade sobre os R$ 61,1 milhões restantes.

A área da Vila Floresta será utilizada para a extensão da pista de pouso e decolagem, dos atuais 2.280 metros para 3.200 metros. Com isso, o aeroporto poderá receber aeronaves maiores, inclusive cargueiros, e sem escalas, de Porto Alegre para a Costa Oeste dos Estados Unidos e o Leste Europeu, reduzindo o custo do frete.

“Estamos ingressando em uma nova fase da ampliação do Aeroporto Salgado Filho. Com o trabalho já realizado, é possível o lançamento dos editais e, com as empresas escolhidas, iniciar as obras”, disse Marcelo Soares, secretário de Habitação, Saneamento e Desenvolvimento Urbano.

A expectativa é que a obra seja concluída para a Copa das Confederações, em 2013. A Fepam (Fundação Estadual de Proteção Ambiental) já entregou a licença prévia e, agora, prepara a licença de instalação, que deverá ser finalizada nas próximas semanas.

Eficiência

Orçado em R$ 900 milhões, aproximadamente, a ampliação do Aeroporto Salgado Filho prevê a instalação do ILS 2 - equipamento que permitirá operações em dias de muita neblina - e a construção dos novos terminal de cargas e edifício garagem.

O terminal de passageiros e do pátio de estacionamento de aeronaves também serão expandidos, entre outras obras de infraestrutura.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

AEROPORTO EM NATAL SERÁ O PRIMEIRO NO PAÍS A SER CONCEDIDO À INICIATIVA PRIVADA; CIDADÃOS PODEM ENVIAR SUGESTÕES PARA MELHORAR PROPOSTA DO EDITAL

da Redação - Aero Magazine - 25/08/2010 19:30

A ANAC (Agência Nacional da Aviação Civil) vai receber, até o próximo dia 24, contribuições do público para melhorar a proposta do edital de concessão do Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, em Natal, no Rio Grande do Norte. O aeroporto será o primeiro a ser concedido à iniciativa privada e será uma experiência para definir um modelo de concessão da administração aeroportuária no País. O decreto que prevê a concessão do aeroporto foi assinado em junho pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A minuta do edital, bem como os estudos com as condições econômicas, técnicas e ambientais da proposta podem ser acessados no site da agência, onde também está disponível o formulário para o envio das contribuições.

Em setembro, a ANAC deve agendar audiências públicas presenciais, em Brasília (DF) e Natal (RN), para receber outras contribuições. As propostas serão analisadas pelo órgão regulador, que em seguida vai enviar os documentos para o TCU (Tribunal de Contas da União). Após a aprovação do TCU, será lançado o edital.

O aeroporto está dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e foi incluído no Programa Nacional de Desestatização (PND) em fevereiro de 2008. A minuta do contrato, que é um dos documentos da consulta pública, prevê a concessão por um prazo de 28 anos, com investimentos no período estimados em R$ 650,29 milhões.

Início das concessões

http://aeromagazine.uol.com.br/noticia/inicio-das-concessoes/

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Governo do MT quer assumir obras do aeroporto de Cuiabá

Terminal do Marechal Rondon, em Cuiabá (crédito: Edson Rodrigues)
ampliar
Tamanho da letra
Thompson Neto - Cuiabá
postado em 24/08/2010 13:06 h


O governo do Mato Grosso decidiu intervir junto à Presidência da República para que acelere as obras de ampliação e reforma do Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Cuiabá. Caso o governo federal não demonstre empenho em concluir as obras a tempo de a capital mato-grossense sediar os jogos da Copa das Confederações em 2013, o governo estadual poderá baixar um decreto emergencial e assumir os trabalhos.

A decisão foi tomada durante uma reunião nesta segunda-feira (23) entre os diretores da Agecopa (agência que executa projetos do Mundial) e o governador Silval Barbosa, no Palácio Paiaguás.

A preocupação dos diretores da Agecopa é a possibilidade de que as obras sejam concluídas apenas em 2013, o que inviabilizaria a realização da Copa das Confederações em Cuiabá, um ano antes da Copa de 2014. A Infraero havia se comprometido a concluir as obras um ano antes, em 2012, mas a demora no início do processo licitatório poderá atrasar o cronograma e prejudicar a candidatura da cidade.

O governador Silval Barbosa pretende viajar à Brasília com os diretores da Agecopa e representantes do setor de turismo mato-grossense para conversar com o presidente Luis Inácio Lula da Silva sobre o impasse. Também deve participar da reunião o presidente da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), Murilo Marques Barboza. A data da reunião ainda não foi definida.

“O governo do estado tem condições de assumir as obras. Hoje, investimos na construção de um estádio de futebol novo, na melhoria da infraestrutura e mobilidade urbana, que nos habilita também a assumir a obra de ampliação do nosso aeroporto”, disse o governador.

As obras do aeroporto incluem reforma, ampliação do terminal de passageiros, adequação do sistema viário e estacionamentos, ao custo de R$ 87,5 milhões. A capacidade do aeroporto passará de 1,6 milhão de passageiros ao ano para 2,8 milhões.

Exército
No início do mês, a Infraero cogitou até mesmo acionar o Exército Brasileiro para trabalhar nas obras do Aeroporto Marechal Rondon. A proposta foi avaliada pela Infraero e apresentada, juntamente com o cronograma das obras, durante o Fórum Estadual de Turismo realizado no dia 10 de agosto em Cuiabá. Empresários do setor de turismo reclamaram da demora no início das obras do aeroporto e da possibilidade de que os prazos não fossem cumpridos.

O superintendente da Infraero em Mato Grosso, Sérgio Kennedy, afirmou em julho deste ano que o aeroporto Marechal Rondon terá as condições operacionais necessárias para receber passageiros na capital mato-grossense até o final de 2012. No entanto, a superintendência em Brasília informou que apenas em 2013 as obras estariam concluídas.

Resolução da Anac agiliza acesso às salas de embarque

18/8/2010


Resolução publicada nesta quarta-feira (18) pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) altera o procedimento adotado, nos aeroportos brasileiros, pelos agentes de aviação civil no momento em que o passageiro passa pelo detector de metais e sua bagagem, pelo raio x.

De acordo com o novo texto, os agentes só pedirão que os passageiros retirem peças de roupa e calçados caso toque o alarme sonoro do detector de metais. No caso da bagagem de mão, inclusive pastas com computadores, elas só precisarão ser abertas caso seu conteúdo não possa ser identificado pelo aparelho de raio x.

Segundo a agência, com a mudança o processo de inspeção deve ficar mais eficiente e ágil. A nova resolução detalha as diretrizes de segurança já previstas no Programa Nacional de Segurança da Aviação Civil Contra Atos de Interferência Ilícita (PNAVSEC), decretado pelo presidente Lula no último dia 5 de maio.

Outra alteração diz respeito ao trânsito do passageiro entre a fila do raio x e o acesso ao detector de metais. Agora, esse trajeto só poderá ser feito em companhia de um agente de proteção da aviação civil.


Érica Abe, com informações de assessoria
Redação CNT

Anac autoriza Puma a voar para Angola

Ter, 24 de Agosto de 2010 11:01
Escrito por Redação Webtranspo - Foto: Divulgação


Empresa busca demanda de 50 mil pessoas

Empresa terá quatro voos semanais para o país


A Puma Air, companhia aérea que opera voos regionais no Estado do Pará, acaba de receber autorização da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para expandir suas operações, iniciando uma frequência para Angola.


De acordo com a agência, a Puma terá direito a quatro voos semanais para a capital do país, Luanda. O pedido da companhia aconteceu para suprir a demanda dos mais de 50 brasileiros que residem naquela região da África.

“A realização deste voo Brasil-Angola visa atender à demanda de mercado e interesse do Brasil em estar conectado ao continente africano. O resultado de hoje nos traz imensa satisfação”, afirma Jorge Vianna, vice-presidente da Puma Air.

A companhia já possui toda a estrutura montada e a previsão é de que até o final do ano as operações sejam iniciadas e as tarifas e canais de vendas sejam lançados no mercado.

Vianna ressalta que, em termos de participação de mercado, a estimativa equivale a uma fatia de 1,5% dos voos doméstico e de 2,5% para o exterior. Inicialmente, a perspectiva é transportar um milhão de passageiros nos primeiros 12 meses de atuação, contando os voos nacionais e internacionais.

Procon-SP deve multar Gol em mais de R$ 3 milhões por atrasos e cancelamentos de voos

24/08/2010

Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo (Procon-SP) informou que vai instaurar um processo administrativo contra a empresa aérea Gol. Segundo o órgão, a companhia teria descumprido o Código de Defesa do Consumidor (CDC) ao deixar de fornecer serviços adequados e eficientes para os clientes. Se as infrações forem confirmadas, a empresa pode receber uma multa cujo valor pode chegar a R$ 3,1 milhões.

De acordo com o Procon-SP, a infração foi constatada durante uma operação de fiscalização no Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo (SP), entre os dias 31 de julho e 3 de agosto. Na ocasião, os fiscais do órgão observaram que a empresa não deu a devida assistência material nem prestou informações aos passageiros que tiveram voos cancelados ou atrasados.

Ainda segundo o órgão de defesa do consumidor, após ser notificada, a Gol teria confirmado que os atrasos e cancelamentos de voos ocorridos no período foram de responsabilidade exclusiva da empresa, que havia agendado viagens sem tripulantes em número suficiente para atender adequadamente aos passageiros.

A assessoria de imprensa do Procon-SP declarou não ser possível precisar o prazo para a conclusão do processo. Procurada, a Gol se limitou a a informar que ainda não foi notificada oficialmente.

Qualquer usuário de transporte aéreo que tenha enfrentado problemas em consequência de atraso ou cancelamento de voo e que não tenha recebido apoio adequado da companhia, tem direito ao ressarcimento de gastos incluindo alimentação, hospedagem, comunicação (telefonemas, internet), transporte, entre outros . Caso tenha sofrido danos morais - como não chegar a tempo em uma reunião de trabalho ou não comparecer a uma reunião familiar importante etc. -, o passageiro pode ainda ajuizar processo no Poder Judiciário, mesmo já tendo recebido de volta o valor da passagem ou indenização da companhia.

Fonte: Agência Brasil

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Anac libera celular em aviões da TAM

20/8/2010
Correio Braziliense

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) liberou o uso de telefones celulares e internet durante alguns períodos dos voos da TAM. A empresa aérea cumpriu todas as determinações da agência e realizou todos os testes necessários, como de interferência eletromagnética e modo de falhas no sistema. O pedido da empresa aérea foi feito no ano passado, com a Airbus, fabricante da maioria das aeronaves da companhia, mas não vale para as outras companhias. A TAM informou que ainda não tem previsão de quando o serviço começará a ser utilizado e nem quais serão os custos.

Os testes para a utilização de telefones celulares a bordo foram realizados pela Airbus na Europa, e aprovados pela Easa - sigla em inglês da Agência Europeia de Segurança na Aviação. Diante disso, a TAM e a fabricante entraram com o pedido para que a Anac validasse a certificação da instituição internacional. Apesar de aprovar os testes realizados no exterior, o governo determinou novas simulações para atender a legislação e os regulamentos da aviação brasileira. Segundo a Anac, as empresas cumpriram todas as etapas. "O processo de certificação encontra-se encerrado e a TAM já está autorizada a utilizar esses serviços nessas aeronaves", descreve uma nota da Anac.

Segundo a agência, os principais testes foram de interferência eletromagnética, para verificar se sistemas essenciais da aeronave são suscetíveis, e de falhas no sistema. Nesse caso, simula-se falhas para verificar se o resultado está coerente com as análises técnicas apresentadas. O procedimento foi adotado, conforme a agência, para atender particularidades dos aviões que operam no Brasil. A Anac informou que não há outros pedidos de certificação para liberar sistemas dessa natureza. "A tecnologia é recente e a liberação do uso de celular a bordo em aeronaves não preparadas para tal não é permitida", alertou o órgão.

O uso de celulares em voos comerciais só é permitido no momento em que o avião encontra-se no solo e com as portas abertas. Com o novo sistema, desenvolvido na Europa, os telefones poderão ser utilizados quando a aeronave estiver a uma altitude de três mil metros. Especialistas afirmam, porém, que apenas um certo número de pessoas - em torno de 12 - poderão fazer ligações ao mesmo tempo, tanto da internet quanto de celulares. Toda a operação é feita por satélite, que emite sinais para um aparelho instalado no avião, que são retransmitidos para os celulares. O custo não está definido, mas por ser um serviço de roaming internacional, pode chegar a US$ 9 por minuto.

A proibição do uso de celular a bordo chegou a ser discutida no Brasil a partir de 1996, quando um avião Fokker da TAM caiu em São Paulo, matando mais 100 pessoas. Na época, se atribuiu ao aparelho a falha, mas nada ficou comprovado. Hoje, além da Europa, o Oriente Médio utiliza esse tipo de serviço. Apesar de ter sido aprovado pelo Congresso, os Estados Unidos têm receio de adotar o sistema por temer seu uso pelo terrorismo.

sábado, 21 de agosto de 2010

Cade decide que TAM pode controlar a Pantanal e atuar nos trechos regionais que eram da empresa

20/08/2010

A empresa aérea TAM poderá controlar a Pantanal sem restrições, decidiu o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Por unanimidade, os conselheiros decidiram que a TAM poderá atuar em todos os trechos da Pantanal, que são de caráter regional.

De acordo com o conselheiro Ricardo Ruiz, relator do caso, a compra da Pantanal pela TAM, em dezembro do ano passado, não representou uma aquisição convencional. Segundo ele, a Pantanal estava em recuperação judicial – processo para tentar evitar a falência – e a compra ocorreu por meio de um leilão que teve a participação apenas da TAM.

O relator entendeu, ainda, que a compra não prejudicará a concorrência no setor aéreo porque existe a possibilidade de novas empresas entrarem nesse mercado e as rotas operadas pela Pantanal são complementares às da TAM, sem sobreposição. Apesar da compra, as marcas foram mantidas separadamente e a Pantanal aumentará o número de destinos de seis para 15, em trechos que não eram operados pela TAM.

Ruiz ressaltou que a compra da Pantanal pode ser vantajosa para o consumidor, que precisará fazer apenas uma operação para voar até São Paulo e, de lá, partir para um destino regional.

Na semana passada, a TAM anunciou a fusão com a chilena LAN Airlines. De acordo com o advogado da companhia aérea, a união não afetará a os planos de ampliação de rotas regionais decorrentes da compra da Pantanal.

Fonte: Agência Brasil

Aeroportos: obras dentro do prazo

Qua, 18 de Agosto de 2010 11:32
Escrito por Redação Webtranspo - Foto: Divulgação


Infraero deve concluir em dezembro de 2013

Infraero prevê aumento de 83% na demanda para a Copa


A Infraero informou que deve concluir as obras em aeroportos dentro do prazo estipulado para atender a demanda de passageiros na Copa do Mundo de 2014. Segundo a empresa de infraestrutura aeroportuária, os trabalhos estarão finalizados até dezembro de 2013.


O cronograma de conclusão das obras apresentado prevê que a primeira obra a ser concluída para a Copa, em dezembro próximo, é o módulo operacional (estrutura pré-moldada de baixo custo, comum em vários aeroportos internacionais) do aeroporto de Viracopos, em Campinas.

A última obra a ser entregue, justamente em dezembro de 2013, é a ampliação do terminal de passageiros do aeroporto de Manaus.

Os empreendimentos para suprir a demanda da Copa do Mundo de 2014, quando haverá um aumento de 2,5 milhões de passageiros nos 16 aeroportos nas 12 cidades-sede, chegando a 28,7 milhões de passageiros, conferindo uma elevação de 69% na comparação com o mesmo período deste ano.

O diretor de Engenharia e Meio Ambiente da Infraero prevê investimentos de R$ 6,4 bilhões nas obras aeroportuárias para atender a Copa do Mundo. Desse total, 60% virão de recursos próprios da estatal e os restantes R$ 2,5 bilhões de aportes da União.

Dos 16 aeroportos que atenderão a Copa de 2014, responsáveis por 83% do tráfego aéreo do país, somente o do Galeão, no Rio de Janeiro, de acordo com a Infraero, não tem gargalos até a Copa de 2014. Os 15 restantes apresentam problemas.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Noar: João Pessoa-Recife custará R$ 67,40

18/08/2010

Correio da Paraíba


Utilização de uma aeronave de pequeno porte - um LET, de fabricação da República Tcheca - será um diferencial no desenvolvimento da Noar no Nordeste



Um voo panorâmico marcou o início das operações da Noar Linhas Aéreas - uma companhia de empresários pernambucanos -, em João Pessoa, ontem. A partir do dia 30 de agosto, a Noar inicia efetivamente seis voos no Aeroporto Internacional Presidente Castro Pinto com opções de rotas para seis cidades do Nordeste - Natal e Mossoró (RN), Recife e Caruaru (PE), Maceió (AL), Aracaju (SE) e Paulo Afonso (BA). Até 2011, a empresa estuda ampliar a malha aérea para os aeroportos de Campina Grande e Cajazeiras.

A diretora Comercial e de Marketing da Noar, Fernanda Bittencourt, não informou os preços das tarifas a serem cobradas, mas no site da empresa (www.voenoar.com.br) aponta que a menor tarifa cobrada será para um voo entre João Pessoa e Recife, que custará a partir de R$ 67,90, acrescido de R$ 15,42 (correspondente a taxa de embarque cobrada pela Infraero no aeroporto de João Pessoa). A maior custará a partir de R$ 312,90 (mais a taxa de embarque), com destino para Paulo Afonso (ver tabela nesta página).

Para Fernanda Bittencourt, o início de operações da Noar na região Nordeste será um marco para a regionalização da malha aérea. Em sua exposição, ontem, no auditório da Infraero no Castro Pinto, ela apresentou gráficos que apontam o encolhimento de opções de voos nas regiões Norte e Nordeste do País, a partir 1958, e a atual concentração de voos em apenas 10% dos aeroportos brasileiros, entre eles, os de São Paulo e Rio de Janeiro. A Noar também tem projeto para chegar ao Ceará e estender voos para todo o Nordeste.

A utilização de uma aeronave de pequeno porte - um LET, de fabricação da República Tcheca - será um diferencial no desenvolvimento da Noar no Nordeste, na opinião da diretora de Marketing. O LET tem capacidade para atender a 19 passageiros por voo.
Atualmente, a frota da Noar é de dois LETs, com chegada de mais dois equipamentos até início de 2011, e mais dois que estão sendo construídos na fábrica, que serão colocados e operação também no próximo ano. Um voo entre João Pessoa e Recife, num LET, tem a duração máxima de 30 minutos.

Paraíba terá mais seis voos a partir deste mês

18/08/2010

Jornal da Paraíba


Preços competitivos, opções de voos para outras capitais nordestinas e mais horários disponíveis para embarque e desembarque no Aeroporto Internacional Castro Pinto. Estas são algumas das propostas da Noar Linhas Aéreas, que deverá começar a operar na Paraíba no próximo dia 30. Inicialmente, serão disponibilizados apenas voos diretos para Recife e Natal, mas haverá conexões também para Mossoró (RN), Caruaru, Maceió, Aracaju e Paulo Afonso. Ao todo, serão seis voos diários saindo da Paraíba para as duas capitais vizinhas, com horários ainda não definidos.

O mercado da Noar está centrado na região Nordeste e a pretensão é de que até 2011 sejam atendidas as nove capitais dos Estados da região e mais 30 cidades do interior. Na Paraíba, Campina Grande e Cajazeiras também estão nos planos da companhia aérea. Atualmente a empresa opera com duas aeronaves, mas já existe a previsão da chegada de mais quatro até o próximo ano. "Campina Grande e Cajazeiras devem começar a ser atendidas já com a chegada da terceira aeronave, que está prevista para o mês de dezembro", informou a diretora Comercial e de Marketing da Noar, Fernanda Bittencourt.

Para o secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico do Estado, Diego Tavares, este é um passo importante para o desenvolvimento do turismo regional. "É um grande avanço. Teremos mais opções de voos para Recife, além disto teremos voos também para o Rio Grande do Norte, que era uma necessidade antiga que nós tínhamos", salientou o secretário acrescentando que estão sendo realizadas negociações para que João Pessoa passe a ser o centro das conexões realizadas pela Noar com destino a outras cidades nordestinas. Atualmente Recife é o centro das conexões.

A presidente da Convention Bureau na Paraíba, Elízia Lopes, comentou que com a atuação da Noar, a Paraíba poderá atrair mais eventos para o Estado. "Acho que só elevará mais nosso potencial. Um dos pontos principais na hora de captar eventos é a quantidade de voos e horários disponíveis. Necessitamos de horários de voos mais diversos e isto vai ser um ponto-chave", acredita.

O superintendente da Infraero na Paraíba, Alexandre Oliveira, comentou que ainda não há como estimar de quanto deverá ser o aumento do fluxo de passageiros com a chegada da nova companhia aérea, mas que horários ociosos deverão ser preenchidos, beneficiando os passageiros que utilizam o aeroporto.
Para marcar o início das operações na Paraíba, ontem foram realizados voos panorâmicos para a imprensa, autoridades e agentes de viagens. No voo de 30 minutos sobre o Litoral de João Pessoa e Cabedelo, foi utilizada a aeronave de fabricação tcheca, o L-410, uma das mais modernas na categoria de até 30 passageiros e que será utilizada em todas as operações da empresa.

A companhia atuará somente com este modelo de aeronave que tem capacidade para 19 passageiros e dois tripulantes e tem custo operacional em curtas distâncias muito abaixo dos seus potenciais concorrentes. Os preços que deverão ser cobrados pelas passagens aéreas, no entanto, ainda não foram divulgados.


A Noar é uma empresa pernambucana de investimentos exclusivamente privados. Para a etapa inicial de suas operações, que começaram neste ano, foram investidos R$ 40 milhões e gerados cerca de 200 empregos diretos e indiretos.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Noar pensando grande

16/08/2010


O Jornal - AL | Marco Aurélio Mello



Com pouco tempo de atividade, a nordestina Noar, empresa aérea regional com sede em Caruaru (PE) vai dizendo a que veio. Além de está ampliando a oferta de voos para as capitais como Maceió e Aracaju, a companhia se tornou representante no Brasil, com exclusividade, das aeronaves Piaggio Avanti II, modelo considerado o turboélice mais rápido do mundo.

A representação é fruto da parceira com a italiana Piaggio Aero. E com isso, a Pernambuco entra em um mercado muito lucrativo que é o da aviação executiva, dominada por grandes empresas e que no Brasil tem a Embraer como um das maiores fabricantes de aviões dessa categoria do mundo.

Já na aviação comercial, a Noar Linhas Aéreas vai oferecer voos aos sábados e domingos para Maceió e Aracaju, cidades que já eram atendidas pela companhia, com voos de segunda à sexta. Para Maceió, o serviço vai estar disponível a partir do próximo dia 21. E quem deseja viajar para a capital de Sergipe deve esperar mais uma semana. "O Aeroporto Internacional de Aracaju está com obras na infraestrutura, por isso, esse voo adicional nos finais de semana só vai começar a operar, na cidade, no dia 28 de agosto. Mas os voos durante a semana não serão prejudicados", afirma Fernanda Bittencourt, diretora de marketing da Noar.

Aos sábados, o novo voo sairá do Recife às 9h03, chega a Maceió às 9h50 e aterrissa em Aracaju às 11h05. Aos domingos, o avião sairá do Recife às 14h57, com chegada prevista em Maceió às 15h47 e por fim, pousa em Aracaju às 19h40.

A expectativa e projeções da empresa são de ampliar cada vez mais a lista de municípios atendidos, não apenas as capitais nordestinas como também as cidades de médio porte, a exemplo de Arapiraca, em Alagoas e Garanhuns, em Pernambuco.

sábado, 14 de agosto de 2010

Pantanal moderniza sua identidade visual


12/08/2010 (Pantanal, Assessoria de Imprensa (press-release))
Pantanal
São Paulo, 12 de agosto de 2010 - A Pantanal Linhas Aéreas apresenta hoje (12) a atualização de sua logomarca e a nova identidade visual de toda a linha de frente da empresa. Haverá reformulação no design do mobiliário, paredes e fachadas do check-in nos aeroportos, lojas e quiosques de vendas de passagens aéreas, assim como nos uniformes da tripulação e da equipe de atendimento. "A companhia ganhará um visual mais moderno e alinhado com a identidade do grupo TAM", explica Manoela Amaro, diretora de Marketing da TAM. O vermelho e o azul serão as cores dominantes em todo material de comunicação da empresa.

A repaginação dos pontos de atendimento ao público visa, além da aproximação com a TAM, a aumentar a funcionalidade dessas áreas e oferecer maior conforto aos clientes. A inauguração dos novos layouts está prevista para 23 de agosto, quando a Pantanal inicia a operação de sua nova malha em 14 dos seus 17 destinos no Brasil. A loja de Congonhas, entretanto, será repaginada antes e estará pronta no dia 16 de agosto.

"A uniformidade na linguagem das duas empresas contribuirá para a sinergia de todas as nossas ações. Com a chegada da Pantanal, estendemos nossas operações aéreas para novos mercados, estratégicos para o nosso desenvolvimento", afirma Líbano Barroso, presidente da TAM Linhas Aéreas e da Pantanal.

As aeronaves ATR 42, que operarão os voos da nova malha da Pantanal no aeroporto de Guarulhos, serão atualizadas com a nova marca e esquema de cores na pintura externa, além de receberem novas estampas nas poltronas. A previsão é que dois aviões já estejam repaginados no dia 23 de agosto. Os demais ATR 42 receberão a nova pintura ao longo dos próximos meses.

Os dois Airbus A319 e o A320 que atenderão os passageiros nos aeroportos de Congonhas (SP) e de Brasília receberão a pintura da frase "A serviço da Pantanal". Essas três aeronaves foram alugadas para a Pantanal, por um período de seis meses, pela TAM Linhas Aéreas, até que a Pantanal defina a ampliação e renovação de sua frota própria.

Para Manoela Amaro, a motivação da mudança significa mais do que trazer modernidade à marca da Pantanal: "O alinhamento de traços e cores com a logomarca da TAM possibilita a utilização dos mesmos materiais, com simples adaptações às particularidades de cada companhia", explica.

O site da Pantanal (www.voepantanal.com.br) também será atualizado.


Atendimento

No aeroporto de Congonhas, a Pantanal manterá suas três posições de check-in e a loja de passagens. Em Guarulhos, a companhia implantará um quiosque de vendas. O check-in neste último será feito na antiga área de calçada da TAM, do lado de fora do aeroporto.

Os demais aeroportos nos quais a Pantanal já opera também terão suas áreas de atendimento modificadas. Nos novos destinos, a companhia implantará lojas e o check-in será feito nas posições de atendimento da TAM, indicadas por um totem da Pantanal.


Campanha publicitária

A Pantanal criou uma campanha publicitária para divulgar seus novos destinos, a ampliação da oferta de assentos nas rotas já existentes e a entrada de novas aeronaves na frota. O plano de mídia, desenvolvido pela agência Young&Rubicam, inclui peças para rádio na capital e interior de São Paulo, revistas de interesse geral e de turismo (nacionais e regionais), além de jornais do interior de São Paulo, Minas Gerais e Paraná, onde a companhia opera. Há também um plano de mídia online que engloba os principais portais de entretenimento e de informação.


Serviço de bordo

As aeronaves ATR 42, que operarão exclusivamente no aeroporto de Guarulhos, terão os cabeçotes e os materiais do serviço de bordo atualizados com a nova marca da Pantanal. O sanduíche passará a ser fornecido pela LSG Sky Chefs, a mesma empresa de catering da TAM.

O ambiente das aeronaves Airbus a serviço da Pantanal em Congonhas também será modificado: o cabeçote das poltronas e os materiais de bordo utilizarão as mesmas cores da nova logomarca (vermelho e azul). Os sanduíches quentes serão fornecidos pela RA Catering, que já trabalha com a TAM.


Sobre a Pantanal

A Pantanal Linhas Aéreas, fundada em 1993, atua no serviço de transporte aéreo público regular de passageiros, cargas e mala postal para cidades de média e alta densidades do Brasil. É uma das empresas da holding TAM S/A, controladora da TAM Linhas Aéreas. Sua aquisição foi anunciada em dezembro de 2009 e aprovada em março de 2010 pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil).

Pantanal terá novos voos para Ribeirão Preto e Uberaba


12/08/2010 (Pantanal, Assessoria de Imprensa (press-release)


São Paulo, 12 de agosto de 2010 - A Pantanal Linhas Aéreas, que recentemente anunciou a ampliação de sua malha, acaba de receber autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para operar em mais dois novos destinos: Ribeirão Preto (SP) e Uberaba (MG). A empresa, que hoje atende seis destinos, passará a voar para 17 localidades.

O voo para Ribeirão Preto já está disponível no sistema de vendas da Pantanal. A operação na cidade do interior paulista começará em 23 de agosto e será realizada com a aeronave A319, de 144 lugares, com saída e chegada no aeroporto de Congonhas (SP).

Já a cidade mineira de Uberaba será atendida a partir de outubro, com uma aeronave ATR 42 para 45 passageiros, tendo como origem ou destino o aeroporto de Guarulhos (SP). O voo estará disponível em breve para venda.

A nova malha terá 48 voos, sendo 23 deles em Congonhas, outros 23 em Guarulhos e dois em Brasília. A Pantanal passará a operar 405 etapas de voo por semana, com crescimento de 84,1% em relação às 220 etapas realizadas atualmente. Nos fins de semana, o aumento é mais expressivo ainda: de 150% aos sábados e domingos.

A companhia aguarda ainda a autorização da ANAC para iniciar um voo de ida e volta entre Guarulhos, Ribeirão Preto e Uberaba, além de outros dois voos entre as cidades de São José do Rio Preto e Brasília e entre Brasília e Uberlândia, todos com ATR 42.


Outras cidades atendidas a partir de Guarulhos

Bauru terá também voos operados a partir de 23 de agosto com ATR 42, partindo e voltando ao aeroporto de Guarulhos: PTN 4702 - Guarulhos/Bauru/Araçatuba/Guarulhos; PTN  4703 - Guarulhos/Araçatuba/Bauru/Guarulhos; PTN 4706 - Guarulhos/Bauru/Marília; e  PTN 4707 - Marília/Bauru/Guarulhos.

Araçatuba, Marília e Presidente Prudente, no Estado de São Paulo, além de Maringá, no Paraná, e Juiz de Fora, em Minas Gerais, são os outros destinos que continuarão sendo atendidos pela nova malha da Pantanal, a partir do aeroporto de Guarulhos, com início em 23 de agosto. A cidade de São José do Rio Preto terá duas frequências diretas com Guarulhos, com os voos PTN 4750/4751 e PTN 4752/4753, que tiveram o início da operação adiado para 13 de setembro.


Destinos a partir de Congonhas, Brasília e Galeão

Os 23 voos que serão operados a partir de 23 de agosto com saídas e chegadas no aeroporto de Congonhas com Airbus A319 e A320 atenderão nove cidades brasileiras: Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Rio de Janeiro/Galeão (RJ), Belo Horizonte/Confins (MG), Brasília (DF), Cuiabá (MT), Salvador (BA), além de Bauru (SP) e Ribeirão Preto (SP). Em Brasília, serão operados os voos de ida e de volta a Recife (PE).

A partir de 21 de setembro, no aeroporto Tom Jobim (Galeão - RJ), a companhia terá voos diretos de ida e volta para Salvador operados com A320.

Como cortesia, os clientes da Pantanal terão à sua disposição, tanto na ida quanto na volta de suas viagens, a linha de ônibus da TAM Linhas Aéreas que liga os aeroportos de Congonhas e de Guarulhos. Com funcionamento nos sete dias da semana, no sentido Congonhas-Guarulhos, os ônibus partem em intervalos de uma hora, a partir das 05h00 da manhã até 01h00 da madrugada. Já no sentido inverso, os veículos partem de Guarulhos em intervalos de meia hora, a partir das 06h30 até 01h30 da madrugada.

Confira a nova malha no site www.voepantanal.com.br.


Sobre a Pantanal

A Pantanal Linhas Aéreas, fundada em 1993, atua no serviço de transporte aéreo público regular de passageiros, cargas e mala postal para cidades de média e alta densidades do Brasil. É uma das empresas da holding TAM S/A, controladora da TAM Linhas Aéreas. Sua aquisição foi anunciada em dezembro de 2009 e aprovada em março de 2010 pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil).

Prazo médio entre vistoria e certificação de aeronaves cai de 68 para 8 dias


12/08/2010 (ANAC, Assessoria de Imprensa (press-release)


Brasília, 12 de agosto de 2010 – Em apenas nove meses, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) reduziu em 88% o tempo médio entre a data da vistoria técnica de aeronave proposta pelo proprietário ou operador e a emissão do Certificado de Aeronavegabilidade, documento obrigatório para que um avião ou helicóptero seja autorizado a voar. Em outubro de 2009, o prazo médio entre a data proposta para a vistoria e a certificação superava dois meses de espera: eram 68 dias, caindo para apenas 8 dias em julho de 2010. Com isso, proprietários e operadores de aeronaves em todo o Brasil ganham agilidade para seus negócios.

As mudanças feitas pela ANAC visam reduzir a burocracia, padronizar o atendimento em todo o País e ampliar a transparência sobre os processos. A partir de hoje, já é possível consultar pela Internet as vistorias agendadas pela Agência, no endereço www.anac.gov.br/aeronaves/vistoria.asp. Nos próximos meses, os usuários poderão também agendar as vistorias pelo site da ANAC. Atualmente, os proprietários e operadores solicitam a vistoria técnica em qualquer Unidade Regional da ANAC.

Na página da ANAC na Internet também estão disponíveis informações sobre as vistorias, com os documentos e demais requisitos necessários, tanto para aeronaves novas quanto usadas. Após concluída essa etapa, se todos os requisitos da legislação foram cumpridos, é emitido o Certificado de Aeronavegabilidade que permite que a aeronave possa operar com segurança.

O Brasil possui cerca de 12,5 mil aeronaves, sendo 1,3 mil helicópteros. Nos últimos 10 anos, a frota brasileira cresceu 21,7%.
LAN E TAM ANUNCIAM INTENÇÃO DE SE UNIREM

O NOVO GRUPO LATINO-AMERICANO DE LINHAS AÉREAS ESTARIA ENTRE OS MAIORES DO MUNDO

Viagens facilitadas por toda a América Latina e para o resto do mundo

Malha de transporte de carga incomparável

Compromisso mantido com os mercados atuais, novos destinos serão adicionados, funcionários seriam beneficiados pelo crescimento acelerado e mais estabilidade no emprego

LAN e TAM continuam operando como marcas independentes; As sedes em Santiago e São Paulo serão mantidas.

400 milhões de dólares são esperados como sinergia

Release:

SANTIAGO e SÃO PAULO, 13 de agosto de 2010 - LAN Airlines S.A. (LAN) (NYSE: LFL) e TAM Airlines S.A. (TAM) (NYSE: TAM) anunciaram hoje que assinaram um memorando de entendimento não-obrigatório (MoU) que esboça suas intenções de unir suas holdings em uma única entidade controladora. A união criaria um novo grupo latino-americano de linhas aéreas que ofereceria viagens diretas e serviços de carga na América Latina e no mundo. O nome da nova empresa será LATAM Airlines Group e incluiria a LAN Airlines e suas subsidiárias no Peru, Argentina e Equador; Lan Cargo e suas subsidiárias; TAM Linhas Aéreas S. A.; TAM Mercosur e todas as holdings da LAN e da TAM. A transação está sujeita a um acordo definitivo entre ambas as partes e à aprovação dos órgãos reguladores.

As companhias aéreas continuarão operando com as marcas existentes e sob suas próprias certificações de operação. As empresas trabalharão para criar em conjunto uma ampla malha internacional de vôos de passageiros e de carga em toda a região. O novo crescimento viabilizado pela transação resultará em novos destinos, mais oportunidades para funcionários de ambas as empresas, criará mais valor para os acionistas; e promoverá desenvolvimento econômico e criação de empregos nos países de origem das companhias aéreas e naqueles onde atuam.

A transação baseada em troca de ações pretende consolidar interesses econômicos dos grupos acionistas em uma única entidade atendendo a restrições à participação do capital estrangeiro em cada país. Em linha com a transação, a LAN Airlines S.A. passará a se chamar LATAM Airlines Group S. A. (LATAM) e será a empresa holding que alinhará as atividades de todas as holdings do grupo. Aos acionistas da TAM seriam oferecidas 0,90 ações ordinárias da LATAM para cada ação da TAM.

LATAM permanecerá listada na Bolsa de Valores de Santiago, assim como na Bolsa de Valores de Nova Iorque (NYSE) e planeja listar suas ações, via BDRs, na BOVESPA em São Paulo.

Dentro do grupo, TAM Airlines S.A. continuará operando como uma empresa brasileira com sua própria estrutura. A holding atual da LAN Airlines S.A. operará como uma unidade de negócio independente dentro do grupo (e será referida como LAN Airlines). Ambas as companhias do grupo manterão suas sedes e estruturas de governança atuais.

Os acionistas controladores de ambas as empresas concordaram com a criação de um modelo de governança único que gerenciará todas as decisões estratégicas relacionadas à coordenação e alinhamento de atividades das holdings do grupo LATAM. Mauricio Rolim Amaro, atual vice-presidente do Conselho de Administração da TAM, será o presidente do Conselho da LATAM e Enrique Cueto, atual CEO da LAN, será o CEO da LATAM.

Dentro do grupo, Maria Claudia Amaro, atual presidente do Conselho de Administração da TAM, será presidente do Conselho da TAM sob a nova estrutura. Marco Bologna, atual CEO da TAM S. A. será o CEO da TAM. Líbano Barroso, atual presidente da TAM Linhas Aéreas permanecerá nesta posição. Ignácio Cueto atual presidente/COO da LAN, será o CEO da LAN.

Marco Bologna, CEO da TAM, disse: “A consolidação das nossas forças e malhas complementares trará grandes benefícios para os nossos clientes, funcionários, acionistas e para a América Latina. Juntas, LAN e TAM oferecerão novos destinos para onde nenhuma das companhias poderia voar individualmente. Isto nos posicionará para competir com as companhias aéreas estrangeiras que continuam aumentando suas participações na região, além de nos permitir criar mais empregos em nossos países de origem.”

Enrique Cueto, CEO da LAN Airlines disse “Hoje é um grande dia para a LAN, nossos clientes, colaboradores e acionistas. Juntos, nós tornamos a LAN uma líder na América Latina. Temos muito do que nos orgulhar e agradecer. Entretanto, conforme a indústria se consolida, não podemos permanecer parados. Hoje anunciamos nossa intenção de unir forças com nossos amigos da TAM, iniciando uma caminhada que criará um dos líderes aéreos no mundo. Temos grande admiração e respeito pelos nossos amigos da TAM e contamos com muitos anos de colaboração. Eles compartilham nossa paixão pela qualidade de serviço, pela integridade e nossa confiança no grande potencial do mercado latino-americano. Com essa união, a partir de dois líderes regionais, criamos um líder mundial que trará orgulho aos latino-americanos.“

As companhias aéreas do grupo oferecerão operações de passageiro e carga para mais de 115 destinos em 23 países, provendo transporte de carga em toda a América Latina e em boa parte do mundo. O grupo operará uma frota de mais de 220 aeronaves e terá mais de 40 mil funcionários. Em 2009, as empresas somaram mais de $8,5 bilhões de dólares de receita, 45 milhões de passageiros transportados e 832.000 toneladas de carga. LATAM estará entre os maiores grupos de companhias aéreas do mundo em termos de tamanho, lucratividade e alcance de mercado.

A união deve gerar sinergias anuais de aproximadamente $400 milhões de dólares. Grande parte destas sinergias será capturada em proporções iguais entre alinhamento das malhas de passageiros, crescimento da malha de transporte de carga (no Brasil e internacionalmente), e redução de custo. A organização espera implementar aproximadamente um terço de todas as sinergias em um ano a partir da conclusão da transação e terminar de implementar todas as sinergias ao final do terceiro ano.

Os funcionários seriam beneficiados com melhores oportunidades de carreira e com a aceleração do crescimento. O tamanho e a diversidade da LATAM ajudariam a promover estabilidade financeira, beneficiando todos os envolvidos. As duas companhias já teriam hoje mais de 200 pedidos de aeronaves para entrega futura, que viabilizariam o crescimento e aumento de empregos na região.

Passageiros se beneficiariam com maior número de vôos, destinos e conexões. A união das empresas permitiria vôos numa mesma companhia não importa o destino. Membros do programa de fidelidade poderiam acumular e resgatar milhas em número muito maior de vôos e de parceiros.

Clientes de carga teriam acesso a mais abrangente malha cargueira da América Latina – com mais capacidade, freqüências e destinos do que qualquer outra empresa aérea. As companhias aéreas trabalhariam rapidamente para garantir que os clientes pudessem agendar, despachar e rastrear suas cargas de maneira facilitada através de toda a malha expandida.

Sob os termos do memorando de entendimento (MoU), as duas empresas se empenharão em negociações exclusivas parar criar um acordo vinculativo definitivo, que estará sujeito a um acordo na documentação final, due diligence, aprovações e ações das empresas e acionistas e aprovações dos agentes regulatórios. Não há garantias de que um acordo vinculativo definitivo será alcançado ou de que a transação será concluída.

Mais informações podem ser encontradas em www.latamairlines.com


Conselheiros
BTG Pactual é conselheiro financeiro e Turci Attorneys, Machado, Meyer, Sendacz e Opice Advogados, Clifford Chance e Cariola Diez Pérez-Cotapos & Cía. Ltda. são conselheiros legais da TAM. JP Morgan Securities Inc. é conselheiro financeiro e Claro y Cia., Sullivan & Cromwell LLP e Pinheiro Neto Advogados são conselheiros legais da LAN.

Conference Call and Webcast
LAN e TAM organizarão uma conference call hoje, 13 de agosto de 2010, às 18:00 (horário de Santiago) / 19:00 (horário de Brasília). Para acessar esta conferência, é preciso ligar para um dos seguintes números, utilizando o número de identificação 94458484:
Número para participantes nos Estados Unidos: (866) 610-1072
Número para participantes internacionais: (973) 935-2840
Número para participantes no Brazil: 08008919722
Número para participantes no Chile: 12300206927

Também estará disponível um webcast em áudio ao vivo, que ficará arquivado na página de Relações com investidores de ambas as empresas, nos endereços www.lan.com e www.tam.com.br, assim como no Web site da união a ser lançado hoje por ambas as empresas, www.latamairlines.com.

Uma cópia da conference call estará disponível assim que possível após o final da conferência e ficará disponível até 27 de agosto de 2010, às 23h59. Para acessar a re-transmissão é preciso ligar para um dos seguintes números, utilizando o número de identificação 94458484:
Número para participantes nos Estados Unidos: (800) 642-1687
Número para participantes internacionais: 1 706 645 9291
Número para participantes no Brazil: 08008916201
Número para participantes no Chile: 12300206914



Sobre a LAN
LAN Airlines é umas das empresas aéreas líderes na América Latina para transporte de passageiros e de carga. A companhia e suas subsidiárias atendem a mais de 70 destinos ao redor do mundo devido a sua extensa malha que oferece conectividade em toda a América Latina e conecta esta região com a América do Norte, Europa e com o Pacífico Sul, além de servir outros 70 destinos internacionais através de suas várias alianças. LAN Airlines e suas subsidiárias apresentam posições de liderança em seus respectivos mercados domésticos do Chile e do Peru, e possuem uma importante presença nos mercados domésticos da Argentina e do Equador.

Atualmente, LAN Airlines e suas subsidiárias operam uma das mais modernas frotas do mundo, com 86 aeronaves de passageiros. LAN Cargo e suas respectivas subsidiárias possuem uma frota de 11 cargueiros. A companhia tem uma das frotas mais jovens do mundo, o que vêm se traduzindo em maior eficiência e uma significativa redução nas emissões de CO2, refletindo seu grande comprometimento com a proteção ambiental.

LAN é uma das poucas companhias aéreas de Investment Grade em todo o mundo (BBB). Padrões de qualidade de classe mundial permitiram que a empresa conquistasse sua participação na oneworld ™, uma aliança global de companhias aéreas líderes, da qual a LAN tem sido membro efetivo há mais de 10 anos. Para mais informações, visite www.lan.com

Sobre a TAM

A TAM é membro da Star Alliance, lidera o mercado doméstico desde 2003 e fechou o mês de julho de 2010 com 43,0% de participação no mercado doméstico e com 82,7% de participação no mercado internacional. Voa para 44 cidades do Brasil. Com os acordos comerciais firmados com companhias regionais, chega a 88 destinos diferentes do território nacional. As operações para o exterior abrangem voos diretos para 18 destinos nos Estados Unidos, Europa e América do Sul. Além disso, mantém acordos de codeshare que permitem o compartilhamento de assentos em voos com companhias internacionais, possibilitando ao passageiro viajar para outros 79 destinos nos EUA, América do Sul e Europa. A Star Alliance, por sua vez, oferece voos para 1.172 aeroportos em 181 países. A TAM encerrou o primeiro semestre de 2010 com uma frota de 143 aeronaves, composta por Airbus A340, A330, A321, A320 e A319, além de modelos Boeing B777 e B767, operando aproximadamente 720 voos domésticos e 90 voos internacionais diariamente. A TAM é pioneira no lançamento de um programa de fidelização para companhia aérea no Brasil. Atualmente o programa possui 7,2 milhões de membros e já distribuiu 10,8 milhões de bilhetes aéreos por meio do resgate de pontos. Para mais informações, por favor, visite www.tam.com.br.



Declarações prospectivas

Este relatório contém declarações sobre eventos futuros, inclusive informações sobre a negociação, implementação e efeitos da proposta de união das empresas. Tais afirmações podem incluir palavras como "antecipa", "estima", "espera", "projeta", "pretende", "planeja", "acredita", “pode” ou outras expressões similares. Declarações prospectivas são declarações que não são fatos históricos, incluindo declarações sobre as nossas crenças e expectativas.

Estas declarações são baseadas em planos atuais, estimativas e projeções, e, portanto, não se deve depositar confiança indevida sobre eles. Declarações prospectivas envolvem riscos e incertezas inerentes. Advertimos que uma série de fatores importantes pode causar resultados reais materialmente diferentes daqueles contidos em qualquer declaração prospectiva. Esses fatores e incertezas incluem, em particular, aqueles descritos nos documentos que temos arquivado junto à Securities and Exchange Commission E.U (Comissão de valores mobiliários e de câmbio). As declarações prospectivas valem somente a partir da data em que são feitas e não assumimos nenhuma obrigação de atualizar publicamente qualquer uma delas, seja em função de novas informações, eventos futuros ou qualquer outro motivo.


INFORMAÇÕES ADICIONAIS SOBRE A PROPOSTA DE UNIÃO DAS EMPRESAS E ONDE A ENCONTRAR:
Este press release se refere a uma proposta de união de negócios entre LAN Airlines S.A. (“LAN”) e TAM S.A. (“TAM”), que será objeto da declaração de registro e prospectos a serem arquivados junto a SEC pela LAN e pela nova entidade que será formada a partir da união das empresas.
Este press release não substitui a declaração de registro, prospectos e documentos de oferta que a LAN e a nova entidade irão arquivar junto a SEC ou qualquer outro documento que venha a ser arquivado junto a SEC ou enviado aos acionistas relacionados a proposta de união. OS INVESTIDORES E DETENTORES DE TÍTULOS DEVERÃO LER A DECLARAÇÃO DE REGISTRO, PROSPECTOS, DOCUMENTOS DE OFERTA DE CÂMBIO E TODOS OS OUTROS DOCUMENTOS RELEVANTES ARQUIVADOS OU QUE SERÃO ARQUIVADOS JUNTO À SEC À MEDIDA QUE ELES FOREM DISPONIBILIZADOS PORQUE TAIS DOCUMENTOS CONTERÃO IMPORTANTES INFORMAÇÕES SOBRE A PROPOSTA DE UNIÃO DAS EMPRESAS. Todos os documentos, se arquivados, estarão disponíveis gratuitamente no endereço eletrônico do SEC (www.sec.gov) ou por meio de solicitação direta à LAN ou à TAM .


Contatos da LAN
Contato com imprensa:
René Muga
Senior Vice President of Corporate Affairs
Rene.muga@lan.com
Tel +562 565 3878


MVL Comunicação
Assessoria de Imprensa TAM
Tel.: (11) 3594-0336 / 0302 / 0344 / 0316 / 0306
Plantão: (11) 9323-3702
equipetam@mvl.com.br

TAM
Gerência de Relações com Imprensa
www.tam.com.br
www.taminforma.com.br

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Acertada ampliação do Salgado Filho


Acertada ampliação do Salgado Filho

Rio Grande do Sul e Infraero assinam acordo
Aeroporto poderá operar voos diretos à Europa e EUA

Nesta segunda-feira, 9, o Estado do Rio Grande do Sul e a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) assinaram o acordo para a ampliação e qualificação do Aeroporto Internacional Salgado Filho. Prioridade para a Copa do Mundo 2014, que terá Porto Alegre como uma das subsedes, a obra é uma das exigências dos executivos da Fifa.

A pista do aeroporto será ampliada em 900 metros. Atualmente, ela possui 2.280 metros. Para isso, serão realizadas ações de desapropriação de famílias que ocupam 150 imóveis na vila Floresta. A medida ficará a cargo do Governo do Estado, enquanto a Infraero responderá pelo aporte de R$ 61 milhões necessários para o reassentamento.
“O processo de ampliação do Aeroporto Salgado Filho vem sendo realizado desde agosto de 2007, quando foi instituído um Grupo de Trabalho que estudou, planejou e está operacionalizando a transferência das famílias do entorno, priorizando condições dignas e seguras para as pessoas que moram irregularmente na beira da pista”, disse Marcelo Soares, secretário de Habitação, Saneamento e Desenvolvimento Urbano.
Com a extensão da pista, o Aeroporto Salgado Filho terá condições de operar voos diretos de Porto Alegre para a Europa e Estados Unidos. Além disso, será construído um novo terminal de cargas na unidade. O terminal de passageiros também passará por reformas para fica maior, assim como o pátio de estacionamento das aeronaves.
Segundo a Infraero, as obras devem ter início ainda neste mês, com previsão para serem concluídas em 2013, um ano antes da realização da Copa do Mundo.
 

Governador anuncia obras no aeroporto de Ponta Grossa


O governador Orlando Pessuti anunciou, sexta-feira (6) à noite, em Ponta Grossa, investimentos de R$ 300 mil para o balizamento, iluminação e reforma do Aeroporto Comandante Antônio Amilton Beraldo ou Sant´Ana, como é mais conhecido.
A reforma do aeroporto é reivindicação não só da Maçonaria, mas também da Associação Comercial e Industrial, Sociedade Rural e lideranças políticas de Ponta Grossa. “Nos próximos meses assinaremos convênio, para restabelecer a iluminação na pista ou seja o balizamento noturno. Com este mecanismo, o aeroporto poderá receber vôos noturnos e, ao mesmo tempo, pleitear voos ligando Ponta Grossa a São Paulo, Foz do Iguaçu e outras cidades”, afirmou Pessuti.
O governador pediu ao coordenador da região dos Campos Gerais, Djalma de Almeida Cesar, para que efetuasse o levantamento para a implantação da macrorregião dos Campos Gerais e Centro-Sul. Os municípios de Ponta Grossa, Telêmaco Borba e Irati estariam nesta macrorregião. “Poderemos unir esforços. O trabalho está caminhando e espero, nos próximos meses, não só detalhar mais este projeto da macrorregião, como também encaminhar à Assembleia Legislativa proposta de lei instituindo esta macrorregião, que hoje está instituída apenas por um decreto. Queremos que ela seja implantada por lei, para ser perenizada”, afirmou Pessuti.
O prefeito Pedro Wosgrau Filho disse que os recursos para o aeroporto estão sendo liberados em momento oportuno, para que sejam feitas as melhorias. “Assim o nosso aeroporto poderá receber aviões à noite. Isso é muito bom para Ponta Grossa e região”. Em sua opinião, todo investimento em aeroportos e rodovias representa desenvolvimento. “É mais uma ferramenta que temos para atrair empresários que queiram se instalar no município. É preciso que a cidade tenha estrutura adequada para atender a demanda e crescer mais”.
Agência T1, com Ascom Governo do Paraná

TAM e Azul agora vendem passagens aéreas em supermercados

Nos últimos dias, a TAM e a Azul anunciaram que irão vender passagens aéreas em supermercado, a Azul até já está vendendo em supermercados de São Paulo e a TAM irá vender nas Casas Bahia de todo  Brasil. Mas e para o passageiro, isso é bom ou ruim?
Como sempre, há o lado bom e o lado ruim. O foco dessa nova modalidade de vendas não são vocês, são as pessoas das classes C e D que não acessam Internet. As empresas aéreas estão querendo os passageiros que nunca viajaram de avião e estão indo atrás deles no supermercado.
Desvantagens? Lá no supermercado não tem o Melhores Destinos ;) pra você saber se tem promoção em outras companhias aéreas. O cliente vai comprar a passagem em uma companhia aérea sem saber o preço da concorrente que pode ser bem menor e pode até ter um horário melhor.
Vantagens? dezenas de formas de pagamentos com parcelamento a perder de vista.
Pelo visto a idéia que prevalece aqui é mostrar para o cliente que a companhia aérea oferece uma parcela mensal que ele pode pagar.
É bem provável que essa busca por consumidores de baixa renda vá aquecer ainda mais o mercado das viagens de avião, resta saber em que aeroportos irão colocar tanto avião.