sábado, 31 de dezembro de 2011

Super Tucano da Embraer vence concorrência nos EUA

31/12/2011 - Valor Online

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - O avião de combate leve Super Tucano, fabricado pela Embraer, foi anunciado como vencedor do programa americano LAS (Light Air Support), que prevê a compra de 20 aeronaves para missões de treinamento avançado de pilotos e operações de contrainsurgência no Afeganistão.

A decisão da Força Aérea dos Estados Unidos foi anunciada hoje em comunicado enviado pela Embraer. O contrato, segundo a Embraer, está avaliado em US$ 355 milhões e também inclui o fornecimento de apoio terrestre para treinamento de pilotos, manutenção e outros serviços.

A Embraer disputou o fornecimento dos aviões em parceria com a empresa americana Sierra Nevada Corporation, em atendimento à legislação americana, que também exige a instalação de uma linha de fabricação das aeronaves nos EUA. A empresa americana Hawker Beechcraft, que disputou o programa LAS em parceria com a Lockheed Martin, foi desclassificada da concorrência.

Inconformada com a sua eliminação da concorrência, a Hawker Beechcraft divulgou esta semana que iria entrar uma petição no Tribunal de Ações Federais dos EUA, em repúdio à decisão do governo americano de não revisar o protesto da empresa sobre a exclusão da aeronave AT-6 da competição da Usaf.

(Virgínia Silveira| para o Valor)

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Aracati - CE

Obras do aeroporto de Aracati estão 97,35% concluídas
30/12/2011 - O Povo

LITORAL LESTE

A partir do próximo ano, entrará em funcionamento o aeroporto de Aracati. O equipamento está com a pista de pouso e decolagens e o pátio de taxiamento de aeronaves prontos. O terminal de passageiros tem 97,35% das obras concluídas. O objetivo é integrar o estado, para o incremento do turismo interno, externo e de negócios.



Aeroporto de Aracati incrementará o turismo no Litoral Leste
29/12/2011 - O Povo - CE

A partir de 2012, o Ceará contará com o aeroporto de Aracati para realizar voos regulares. O novo equipamento, além de integrar as regiões cearenses, contribuirá para o incremento do turismo interno, externo e de negócios. Segundo informações do Governo do Estado, o aeroporto está com a pista de pouso e decolagens, e o pátio de taxiamento de aeronaves prontos. O terminal de passageiros tem 97,35% das obras concluídas.

Por solicitação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), no final da primeira quinzena de dezembro, o Departamento Estadual de Rodovias (DER) acompanhou um engenheiro e dois técnicos para realizar o teste de coeficiente de atrito. O objetivo é definir requisitos de atrito e de textura superficial para pavimentos de pistas de pouso e decolagem resistentes às derrapagens, e estabelecer procedimentos para o acompanhamento contínuo da evolução (monitoramento) de tais requisitos, visando à implementação de medidas preventivas e corretivas que assegurem às pistas níveis de atrito adequados às operações aéreas. De acordo com o assessor aeroportuário, Paulo Edson, a medição é feita com um equipamento chamado Mu-Meter, a uma velocidade de 65 Km/h.

Ele ressalta que outro procedimento importante exigido pela Anac é a macrotextura. O teste avalia a profundidade de textura superficial e a profundidade média do pavimento foi realizado pelos técnicos e será enviado um relatório para a Agência com todas as informações para haja a liberação do aeroporto de Aracati. Uma vez concluído, o aeroporto será o segundo maior do Estado. O equipamento dará uma nova dinâmica ao turismo do Litoral Leste do Estado e apoio aos empreendimentos turísticos que se instalam na região, especialmente nos municípios de Beberibe, Icapuí, Fortim e Canoa Quebrada, em Aracati.

Redação O POVO Online

Aracati - CE

Obras do aeroporto de Aracati estão 97,35% concluídas
30/12/2011 - O Povo

LITORAL LESTE

A partir do próximo ano, entrará em funcionamento o aeroporto de Aracati. O equipamento está com a pista de pouso e decolagens e o pátio de taxiamento de aeronaves prontos. O terminal de passageiros tem 97,35% das obras concluídas. O objetivo é integrar o estado, para o incremento do turismo interno, externo e de negócios.



Aeroporto de Aracati incrementará o turismo no Litoral Leste
29/12/2011 - O Povo - CE

A partir de 2012, o Ceará contará com o aeroporto de Aracati para realizar voos regulares. O novo equipamento, além de integrar as regiões cearenses, contribuirá para o incremento do turismo interno, externo e de negócios. Segundo informações do Governo do Estado, o aeroporto está com a pista de pouso e decolagens, e o pátio de taxiamento de aeronaves prontos. O terminal de passageiros tem 97,35% das obras concluídas.

Por solicitação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), no final da primeira quinzena de dezembro, o Departamento Estadual de Rodovias (DER) acompanhou um engenheiro e dois técnicos para realizar o teste de coeficiente de atrito. O objetivo é definir requisitos de atrito e de textura superficial para pavimentos de pistas de pouso e decolagem resistentes às derrapagens, e estabelecer procedimentos para o acompanhamento contínuo da evolução (monitoramento) de tais requisitos, visando à implementação de medidas preventivas e corretivas que assegurem às pistas níveis de atrito adequados às operações aéreas. De acordo com o assessor aeroportuário, Paulo Edson, a medição é feita com um equipamento chamado Mu-Meter, a uma velocidade de 65 Km/h.

Ele ressalta que outro procedimento importante exigido pela Anac é a macrotextura. O teste avalia a profundidade de textura superficial e a profundidade média do pavimento foi realizado pelos técnicos e será enviado um relatório para a Agência com todas as informações para haja a liberação do aeroporto de Aracati. Uma vez concluído, o aeroporto será o segundo maior do Estado. O equipamento dará uma nova dinâmica ao turismo do Litoral Leste do Estado e apoio aos empreendimentos turísticos que se instalam na região, especialmente nos municípios de Beberibe, Icapuí, Fortim e Canoa Quebrada, em Aracati.

Redação O POVO Online

Voo inaugural da TRIP leva multidão ao Aeroporto de Cacoal

28/12/2011 - Rondoniadinâmica

Diversas autoridades estaduais, de municípios circunvizinhos e de Cacoal estiveram na solenidade que marcou definitivamente o funcionamento do “Capital do Café”

Na noite da última terça-feira, 27 de dezembro, milhares de Cacoalenses foram ao Aeroporto “Capital do Café” conferir de perto o primeiro voo comercial realizado pela empresa Trip Linhas Aéreas em Cacoal.
 
Além da multidão que se aglomerou em frente ao aeroporto, diversas autoridades estaduais, de municípios circunvizinhos e, principalmente, de Cacoal estiveram na solenidade que marcou definitivamente o funcionamento do “Capital do Café”.
 
Em seu discurso, o prefeito de Cacoal, Pe. Franco Vialetto (PT), ressaltou a importância do aeroporto para o desenvolvimento e crescimento da cidade. Para Pe. Franco, o aeroporto promoverá a vinda de novos investidores para o município de Cacoal, além de facilitar a vida dos cacoalenses.

“O Aeroporto é do povo e para o povo! É uma felicidade muito grande ser, neste momento, o representante do povo cacoalense e poder estar presenciando esse voo inaugural da Trip”, enfatizou o prefeito de Cacoal.
 
Pe. Franco ainda agradeceu os esforços dos ex-prefeitos de Cacoal, Divino Cardoso Campos e Sueli Aragão, do ex-governador e atual senador de Rondônia Ivo Cassol, do deputado federal Nilton Capixaba, do diretor do DER – Departamento de Estradas de Rodagem – Lúcio Mosquini, da COPAHRC – Comissão Pro Aeroporto e Hospital Regional de Cacoal, e do governador Confúcio Moura, além de outras pessoas e autoridades que somaram esforços na conquista do Aeroporto “Capital do Café”.
 
Em sua fala, o governador de Rondônia, Confúcio Moura, aproveitou a ocasião para, novamente, elogiar Cacoal. Para o governador, Cacoal se tornou a melhor cidade de Rondônia. “Cacoal é uma das melhores cidades do Brasil e a número 1 de Rondônia. Possui índices excelentes, como por exemplo, o baixo índice de violência. Além disso, Cacoal é destaque na educação, na saúde, tem uma economia pujante. Eu fico feliz em poder dizer a todos vocês nesta noite que Cacoal é o modelo a ser seguido no restante do Estado”, concluiu Confúcio Moura.
 
Giliane Perin/AIPMC

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Frotas atualizadas – Empresas brasileiras (Dezembro de 2011)

28/12/2011 - Aviação Brasil

A TAM recebeu este mês dois novos Airbus A320-200 e a Trip 2 Embraer 190. A Webjet recebeu o Boeing 737-800NG, ex-Gol, PR-GTI. A Avianca já recebeu os novos Airbus A320 e a Azul novos Embraer 195 e ATR 72-600. A Passaredo tem encomendado ATR 72-600! Puma Air, Meta e Noar não estão operando.

Empresas domésticas:

Azul Linhas Aéreas:
10 Embraer 190 + 52 encomendados
28 Embraer 195
08 ATR 72-200
03 ATR 72-600 + 27 encomendadas e que gradativamente chegarão até 2015, além de 10 opções de compra.
Avianca Brasil:
05 Airbus A318-121 mais 10 encomendados, sendo que 5 chegam em 2012 e 5 em 2013.
03 Airbus A319-115
04 Airbus A320-214.
14 Fokker 100 (MK 28)
Gol Transportes Aéreos
35 Boeing 737-700NG
70 Boeing 737-800NG
Em 2012 mais 4 Boeing 737-800NG SPF; Em 2013  mais 2 Boeing 737-800NG SPF; Em 2014 mais 4 Boeing 737-800NG SPF e em 2015 mais 6 Boeing 737-800NG SPF.
PumaAir (Não está operando)
02 Boeing 737-322
01 Boeing 767-300ER arrendado da VRG para operar a linha de Luanda encomendado.
TAM Linhas Aéreas
28 Airbus A319
87 Airbus A320
09 Airbus A321
20 Airbus A330-200
02 Airbus A340-500
03 Boeing 767-300ER
04 Boeing 777-300ER
Soma-se a este 2 Airbus A319 e 1 Airbus A320 da Pantanal.
Sobre planos futuros da frota TAM:
Em 2012 chegarão 4 Boeing 777-300ER, 1 Airbus A330-200 e 13 Airbus da família A320, além da devolução de dois Airbus A340 e outros 13 Airbus A320, sendo que quatro com vencimento de leasing;
Em 2013 chegarão 2 Boeing 777-300ER, 3 Airbus A330-200 e 5 Airbus da família A320;
Em 2014 chegarão 2 Boeing 777-300ER e 5 Airbus A320.
Em 2015 chegam mais 2 Airbus A330 e 6 Airbus A320.
Entre 2016 e 2018 espera receber 22 Airbus A320neo, 10 aeronaves da família A320 (podendo ser A319, A320 e A321). Existe também encomendados 27 Airbus A350-900.
VRG Transportes Aéreos
08 Boeing 737-700NG
08 Boeing 737-800
Webjet
24 Boeing 737-300
01 Boeing 737-800NG + 8 para entrar na frota até o final de 2012. A expectativa da empresa é substituir toda a frota de Boeing 737-300 por 737-800NG.
Whitejets
01 Airbus A310-300 e 01 A320-200.

Empresas regionais:

Abaeté: 2 Embraer 110
Mais Linhas Aéreas: 02 Fokker 100 encomendados (encontram-se em São Carlos, no Centro de Manutenção da TAM)
MAP Linhas Aéreas: 01 ATR 42-312
Meta (Não está operando): 2 Embraer 120
NHT: 6 Let 410
Noar (Não está operando): 1 Let 410 mais um encomendado.
Passaredo: 14 ERJ 145, além de outro ERJ 145 encomendado e 4 ATR 72-600 encomendados.
Sete: 5 Cessna 208B Caravan e 2 Embraer 120.
Sol: 1 Let 410
Team: 1 Let 410
Trip: 10 ATR 42-300, 9 ATR 42-500, 13 ATR 72-212A (Série 500), 1 ATR 72-212, 2 ATR 72-600, 9 Embraer 175 e 10 Embraer 190. Existem encomendas ainda de outros 15 ATR 72-600, 6 Embraer 170 e 11 Embraer 190.

Empresas cargueiras:

Absa: 3 Boeing 767-300ERF
Air Brasil: 1 Boeing 727-227F, 1 Boeing 727-2M7F (PR-MTJ)
CargoBis: 2 Boeing 757-200F encomendados
Mega: 1 Cessna 208B Caravan
Rio Linhas Aéreas: 7 Boeing 727-200F e 2 Boeing 767-20oF
Sideral: 1 Boeing 737-300F
SP Cargo Air: 1 Boeing 727-200F encomendado
Total: 3 ATR 42-500 e 6 Boeing 727-200F
Varig Log: 1 Boeing 727-200F, 2 Boeing 737-400F e 1 Boeing 757-200F. Deve receber mais um Boeing 737-400F e um 767 Cargueiro ainda em 2011.

Empresas Particulares:

Air Amazônia: 3 Embraer 120RT mais 2 encomendados

TAM recebe dois A320 e fecha ano com 156 aeronaves

28/12/2011 - Paraná-online

AE - AGÊNCIA ESTADO

A TAM incorporou à sua frota duas novas aeronaves A320, vindas da fábrica da Airbus em Hamburgo (Alemanha). Ambas estão configuradas com 174 assentos e eram as últimas unidades aguardadas pela companhia em 2011. Com isso, a TAM encerra o ano com 156 aeronaves.

As novas unidades da Airbus recebidas pela empresa neste mês serão alocadas na operação doméstica no início de 2012. Hoje, a frota da TAM tem idade média entre 6 e 7 anos. A previsão, de acordo com o plano da companhia, é chegar a 179 aeronaves até o fim de 2015.

Os dois novos A320 já vêm da fábrica equipados com o sistema OnAir de conectividade a bordo, baseado na tecnologia SwiftBroadband (SBB) da Inmarsat. Com ele, os passageiros podem usar seus telefones celulares para fazer ligações, enviar e receber mensagens ou dados, possibilitando o acesso à internet e às redes sociais em smartphones.

Após a incorporação, a TAM somará 31 aeronaves com os serviços OnAir. Nos próximos anos, 80 aviões da companhia serão equipados com o sistema, que será instalado na frota internacional a partir do segundo semestre de 2012. A decisão pela expansão foi anunciada em julho deste ano.

Trip inaugura voo Cacoal-Porto Velho com presença do governador de RO

28/12/2011 - Mercado & Eventos

O primeiro voo da Trip Linhas Aéreas para a rota Porto Velho – Cacoal, ambas em Rondônia, foi prestigiado pelo Governador de Rondônia, Confúcio Aires Moura, e diversas autoridades da região, como secretários de estado, deputados estaduais e o prefeito de Cacoal, além de executivos da Trip.

”Entendemos a importância de ligar as cidades do Brasil, em especial àquelas regiões mais remotas onde os modais são escassos. A chegada da Trip em Cacoal vai proporcionar rapidez e comodidade aos cacoalenses que precisam se deslocar pelo país”, reforça Evaristo Mascarenhas, diretor de marketing e vendas da Trip.

Infraero assina contrato para obras em Goiânia

28/12/2011 - Panrotas

A Infraero publicou ontem (27) a assinatura do contrato para a execução da reforma no terminal de passageiros do Aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia. Após a próxima etapa do processo, a assinatura da ordem de serviço, a empresa terá 180 dias para concluir o trabalho e que receberá investimentos na ordem de R$ 250 mil.

Outros trabalhos no mesmo aeroporto já estão em andamento, como a expansão e reforma do estacionamento e a revitalização geral de pinturas e forro de gesso do terminal. Além disso, está previsto para o próximo mês, o início das obras de ampliação do saguão.

Cada melhoria estrutural ou operacional, mesmo que pequena, é sentida positivamente pelo nosso cliente", ressaltou o superintendente do aeroporto, Ricardo Signorini.

Danilo Teixeira Alves

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Trip começa operações em Cacoal (RO)

27/12/2011 - Mercado & Eventos

A Trip Linhas Aéreas inicia hoje (27/12) as operações no aeroporto da Capital do Café, em Cacoal (RO). A empresa é a primeira aérea a voar para o município rondoniense, que entra na malha da companhia como o 88º destino da Trip no Brasil. A rota inicial vai ligar Cacoal a Vilhena (RO), Porto Velho (RO) e Cuiabá (MT) com conexões para outras 20 cidades.

As tarifas, se adquiridas com antecedência de 30 dias, podem ser encontradas com valores promocionais. Po exemplo: Cacoal/Cuiabá com tarifas a partir de R$ 149,90; Cacoal/Vilhena a partir de R$ 79,90 e Cacoal/Porto Velho a partir de R$ 99,90. As passagens já estão à venda.

Aeroporto de Crateús passará para médio porte

28/12/2011 - Diário do Nordeste

As obras de ampliação, a serem feitas em oito meses, garantirão que o novo terminal receba até aviões Boeing.

Crateús. O Aeroporto Lúcio Lima, neste Município, receberá obras de reforma e ampliação. O projeto está sendo elaborado pela Prefeitura Municipal. A pista será reformada e ocorrerá a construção de um novo terminal de passageiros. As obras iniciarão dentro de oito meses e o aeroporto passará para o nível de médio porte, podendo receber qualquer tipo de aeronave, inclusive Boeing. A informação é do prefeito Carlos Felipe Saraiva, após receber técnicos do Departamento de Estradas e Rodovias (Der), na última semana.

O Aeroporto foi vistoriado, a partir da pista de pouso e em toda a sua estrutura. Com o projeto em mãos, a Prefeitura Municipal, com o apoio do Governo do Estado, firmará parceria com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para o início das obras de ampliação.

De acordo com o prefeito, o Município está entre os cinco aeroportos que o Governo Federal tem interesse de ampliar dentro do Estado. "O serviço de reforma, ampliação e melhoria fazem parte de estratégias de investimento em vários aeroportos do País, por parte da Anac. No Ceará, Crateús chamou a atenção para a necessidade de desenvolvimento nessa área a partir da vinda da Esquadrilha da Fumaça em novembro, por ocasião do centenário do Município", ressalta. Ele não arrisca informar o valor do investimento na reforma e ampliação, antes da conclusão dos estudos e projetos. Mas será preciso o aporte de recursos federais no projeto.

Segundo ele, até então, os estudos mostram que a pista não sofrerá grandes alterações. Será somente recapeada. "Os técnicos verificaram as condições do solo, no que diz respeito à resistência e a necessidade de nova drenagem e os estudos iniciais mostraram que a pista precisará ser somente recapeada", declara. Informa também que a área de taxiamento aéreo será ampliada. Já a área do terminal de passageiros constará de ampliação da sala de espera, espaços de embarque e desembarque, restaurantes e área de lazer, bem como banheiros. "Contaremos, então com uma estrutura digna de um aeroporto de médio porte, apto a proporcionar conforto aos passageiros e receber aeronaves de pequeno e grande porte e voos comerciais", destaca.

Voos comerciais

O anúncio da reforma no aeroporto local já prenuncia a implantação de voos comerciais na região, segundo o prefeito. O Município faz articulações políticas e com empresas aéreas com vistas a concretizar a ação. A rota prevista é Crateús/Picos/Tauá/Fortaleza, em dois voos comerciais, ida e volta. A previsão é de que a nova possibilidade de transporte de passageiros na região inicie já em fevereiro.

Segundo o prefeito, há empresas demonstrando interesse de explorar o transporte aéreo na região. A previsão é de que sejam transportados entre 20 e 40 passageiros por vôo e o bilhete comercializado a R$ 120,00.

"Estamos mantendo contatos com empresas e prefeituras da região para estabelecer a rota em breve, pois muitas vezes a população necessita se deslocar para a capital de forma mais rápida e os voos comerciais supririam essa necessidade", afirma.

Prefeitura Municipal de Crateús
Centro Administrativo
Rua Coronel Totó, S/N
Bairro São Vicente
Telefone: (88) 3692.3315

Pioneiro

120 reais é o preço estimado para o primeiro voo comercial a ser inaugurado no Aeroporto de Crateús, com destino para Picos, Tauá e Fortaleza

Silvania Claudino

Trip realiza seu primeiro voo charter internacional

27/12/2011 - Mercado e Eventos

A Trip Linhas Aéreas realizou seu primeiro voo internacional com destino à ilha caribenha Aruba. Os passageiros embarcaram neste domingo (25/12), em Manaus (AM). O voo, realizado por um Jato Embraer 190, foi fretado pela agência de turismo ACRAM. A decolagem ocorreu às 07h30. O voo da volta será realizado no dia 1º de janeiro, com decolagem de Aruba prevista para as 11h30. O próximo voo internacional já está programado para dia 31 de dezembro.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Publicado edital para realização de projetos e obras do Aeroporto de Fortaleza

26/12/2011 - Infraero

      A Infraero publicou nesta segunda-feira (26/11), no Diário Oficial da União (DOU), o edital para a contratação de empresa para elaboração dos projetos executivos e execução das obras de reforma, ampliação e modernização do terminal de passageiros do Aeroporto Internacional de Fortaleza/Pinto Martins (CE). O edital também contempla a adequação do sistema viário de acesso e ampliação do pátio de aeronaves.

      A abertura da licitação está agendada para as 9h de 24 de janeiro de 2012, no Auditório da Administração da Infraero (1º andar do Aeroporto Pinto Martins, localizado na Av. Senador Carlos Jereissati, 3000 - Bairro Serrinha).  O edital poderá ser retirado mediante comprovação de recolhimento de R$ 50,00 ou gratuitamente no site de Licitações da Infraero.

      Realizada pelo Regime Diferenciado de Contratações (RDC), a licitação seguirá o critério de menor preço. De acordo com as regras estabelecidas pelo RDC, o investimento estimado será divulgado após a análise das propostas recebidas.
 
Investimentos em Fortaleza

      O programa de melhorias da Infraero para o Aeroporto Internacional Pinto Martins englobam a ampliação, reforma e modernização do terminal de passageiros, a adequação do sistema viário e a ampliação do pátio de estacionamento de aeronaves, além de obras complementares. Os trabalhos serão realizados em duas etapas, sendo que a primeira fase estará pronta até o final de 2013, quando a capacidade do terminal passará de 6,2 para 9 milhões de passageiro por ano. A segunda etapa tem previsão de conclusão em 2016 e aumentará a capacidade operacional para 14,2 milhões de passageiros por ano.

      A Licença Ambiental de Instalação para as obras do terminal de passageiros foi concedida em julho de 2011 pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace).

Webjet inicia renovação da frota

26/12/2011 - Mercado e Eventos

A Webjet iniciou, na última semana, voos com o seu novo Boeing 737-800 Next Generation. A aeronave opera as frequências entre Recife, Rio de Janeiro e São Paulo. A chegada deste aviaão marca o início da renovação da frota da companhia, que pretende fechar 2012 com nove aparelhos deste modelo e um aumento de 10% da capacidade de assentos oferecidos.

Para o presidente da Webjet, Julio Perotti, a chegada dos novos aviões demonstra o compromisso da companhia em continuar a ser uma das mais eficientes do Brasil. “O 737-800 proporcionará aos nossos clientes ainda mais conforto, segurança e a garantia dos menores preços, já que é um dos equipamentos mais eficientes da indústria”, disse. O executivo acredita que a novidade vai ajudar a Webjet a manter os preços mais baratos que os da concorrência e auxiliar na liderança da pontualidade, já que em novembro a empresa alcançou pelo nono mês consecutivo o primeiro lugar, de acordo com os dados publicados no site da Infraero.

As passagens para voar no novo avião já estão sendo oferecidas e a companhia programou novos voos para Recife neste final de ano e início de 2012. De olho no aumento da demanda, as novas aeronaves que chegarão em janeiro e fevereiro farão rotas para o Nordeste e o Sul do país.

A Webjet é a segunda companhia no país a ter em sua frota o 737-800 e tem planos para colocar um novo avião em operação a cada 45 dias, um total de oito novos aviões no ano. Em breve, todas as 18 capitais atendidas pela empresa receberão voos com as novas aeronaves. O 737-800 Next Generation é um dos aviões mais seguros e modernos do mercado e pode transportar até 184 passageiros; o modelo é conhecido pela estabilidade e economia, chegando a alcançar uma média de 850 Km/h de velocidade.

Embraer apresenta o jato executivo Legacy 500

26/12/2011 - O Estado de São Paulo

Aeronave acomoda 12 passageiros em uma cabine de 1,82 metro de altura e piso plano

Agência Estado

Exterior do Legacy 500, da Embraer
Divulgação

SÃO PAULO - A Embraer apresentou seu mais novo jato executivo, o Legacy 500, da categoria midsize. O rollout, como o evento é conhecido em inglês, aconteceu dia 23 de dezembro no hangar de produção, localizado na sede empresa, em São José dos Campos (SP). Segundo a companhia, a partir de agora os engenheiros de teste e de desenvolvimento poderão realizar importantes ensaios em solo antes do primeiro voo da aeronave, programado para o terceiro trimestre de 2012.

"A entrega da aeronave pela equipe de produção ao time de ensaios nos permitirá obter informações vitais durante os testes em solo, os quais serão utilizados para acelerar a campanha de testes em voo", disse Maurício Almeida, diretor de Programas da Embraer - Aviação Executiva, em nota á imprensa.

Após esta primeira apresentação, este avião realizará testes preliminares de sistemas, que abrirão caminho para a primeira partida de motor e, posteriormente, para os testes de vibração em solo (GVT) e demais ensaios em solo. Esta aeronave é a primeira de três protótipos que serão usados nos testes de desenvolvimento, em solo, em voo e de certificação.

Mais de 800 engenheiros da Embraer trabalham atualmente no programa de desenvolvimento do Legacy 500, que será certificado autoridades de aviação de diversos países.

O Legacy 500 acomoda 12 passageiros em uma cabine de 1,82 metro (6 pés) de altura e piso plano.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Webjet inicia voos com o Boeing 737-800

26/12/2011 - Panrotas

A Webjet iniciou na última semana seus voos com o Boeing 737-800 NG. O novo avião vem operando voos entre Recife, Rio de Janeiro e São Paulo nesta estreia. A companhia pretende fechar 2012 com nove aeronaves deste modelo e um aumento de 10% da capacidade de assentos oferecidos.

“O 737-800 proporcionará aos nossos clientes ainda mais conforto, segurança e a garantia dos menores preços, já que é um dos equipamentos mais eficientes da indústria”, destaca o presidente da Webjet, Julio Perotti.

O executivo acredita que a novidade vai ajudar a Webjet a manter os preços mais baixos que os da concorrência. As passagens para voar no novo avião já estão sendo oferecidas e a companhia programou novos voos para Recife neste final de ano e início de 2012.

Azul quer 14º frequência entre Campinas (SP) e Rio

26/12/2011 - Panrotas

A Azul solicitou autorização à Anac para operar o 14º voo entre o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, e o Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Se aprovado, a frequência deverá iniciar em 1º de março e realizada de segunda a sexta-feira por jatos Embraer 190/195.

A saída de Campinas (SP) será às 15h22 e a chegada no Rio de Janeiro às 16h37. No sentindo inverso, a decolagem da capital fluminense é às 17h17 e chegada no interior paulista às 18h33.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Santos Dumont ainda precisa concluir obras que iniciou em 2004

22/12/2011 - Mercado e Eventos, Fernanda Lutfi

Na tarde de hoje (22/12) a Comissão de Turismo e Desporto da Câmara dos deputados, representada pelo deputado Otavio Leite, e acompanhada pela Infraero, fizeram uma vistoria técnica nas obras do aeroporto Santos Dumont no Rio de Janeiro. As obras tiveram no início em 2004 e estão paralisadas desde 2007, quando o Tribunal de Contas da União cortou a verba em função do sobrepreço das obras, e até hoje não existe uma conclusão para o problema. Dados do ministério do Planejamento, entre 2005 e outubro de 2011, mostram que do total de R$ 353.777.528 bilhões da dotação, apenas R$ 252.048.212 milhões foram executados, ou seja, 71%.

“O que me preocupa são os nós e as barreiras que não conseguem ser ultrapassadas. O objetivo dessa vistoria é chamar a atenção do ministro da Aviação Civil para que as devidas providências sejam tomadas. Essa é uma obra que duplicaria o tamanho do Santos Dumont, e traria grandes performances para o aeroporto, mas que está parada desde 2007. É preciso desatar esse nó, porque temos uma série de espaços que não rendem o que poderia estar sendo gerado.”, afirma o deputado Otavio Leite.

O terceiro andar de um dos prédios está sendo construído e as obras já estão avançadas, o novo andar vai abrigar uma área maior de comércio, que é o setor com mais reclamações na ouvidoria do aeroporto, além de um restaurante que tem previsão de abertura na segunda metade de janeiro de 2012. O gerente de Obras e Empreendimentos da Infraero, Cristiano Brito, estima que para conclusão dessa parte da obra serão necessários mais 5 milhões de reais. E existe também a parte da obra que não começou, que são os andares que pegaram fogo em 1997 e ainda não foram reformados. A área deve ser transformada em um hotel ou será utilizada para abrigar a parte administrativa do aeroporto, segundo o superintendente Regional do Rio de Janeiro, Lucinio Baptista.

Para que as obras sejam retomadas é preciso que seja realizada uma perícia no que foi feito até o momento. Apenas após a vistoria que a autorização para a retomada das obras será concedida. “Enquanto não tiver uma perícia não podemos continuar a obra. A solicitação já foi feita, mas o assunto ainda está na justiça. O problema não é concluir as obras, mas ter a autorização para que elas continuem.”, disse Lucinio Baptista.

No entanto, conseguir a autorização não é a última etapa no processo para a que as obras sejam concluídas. O projeto feito em 2004 ainda terá que ser revisto, antes que possa ser feito um novo orçamento para a obra. O gerente de Obras da Infraero comenta que o projeto também precisa ser incrementado, porque as necessidades de um projeto feito em 2004 não são mais as mesmas de hoje.

“Estou muito preocupado com a situação do país em relação aos eventos esportivos que vamos sediar, porque muitas mudanças ainda precisam ser feitas. Existe sempre uma desculpa, mas o problema prossegue sem soluções. O ministro da Aviação Civil precisa tomar providências, porque é inadmissível ter uma área tão grande do aeroporto não sendo utilizada.”, ressalta Otavio Leite.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Estado assume obras do aeroporto de Volta Redonda

22/12/2011 - O Globo, Dicler de Mello e Souza

O secretário estadual de Obras, Hudson Braga, assinará na sexta-feira, às 11h, com o prefeito de Volta Redonda, Antonio Francisco Neto (PMDB), na sede da prefeitura, a transferência da obra do aeroporto do Vale do Aço para a esfera estadual. O novo aeroporto receberá aeronaves de até 150 passageiros e tem como meta atender à grande demanda de passageiros dos municípios de Volta Redonda, Barra Mansa, Piraí e Porto Real.

O aeroporto será construído num terreno de 1,9 milhão de metros quadrados, que já foi desapropriado por um decreto do governo estadual. O investimento está em cerca de R$ 50 milhões, e o prazo para a construção do novo aeroporto é de 12 meses. Paralisadas desde dezembro, quando começou o processo de desapropriação do terreno pelo governo do Estado do Rio, as obras do Aeroporto Regional Vale do Aço, que será construído no bairro Roma II, começaram há cerca de um mês e meio, com a chegada dos equipamentos está em fase de estruturação do terreno, incluindo as etapas de terraplanagem para realizar a limpeza do terreno. Executada pela empresa Carioca Engenharia, a obra tinha até 31 de dezembro para ficar pronta, mas alguns problemas, como a própria questão das desapropriações, fizeram com que o trabalho sofresse atraso.

Com o acréscimo publicado em dezembro do ano passado, o aeroporto terá uma pista de 2,2 mil metros de comprimento por 30 metros de largura. O investimento foi feito em parceria com o Governo Federal, através do Profaa (Programa Federal de Auxílio a Aeroportos).

Para Neto, o aeroporto regional proporcionará um grande progresso para a região, pois promoverá desenvolvimento para as cidades próximas ao aeroporto, oferecendo voos regulares para Rio, São Paulo e Belo Horizonte. Além de atender a população de Volta Redonda, Piraí, Barra Mansa e redondezas, o aeroporto regional também vai servir às empresas da região, como a Companhia Siderúrgica Nacional e as fábricas da Peugeot-Citroën, da Volkswagen e a Votorantim.

Hebei recebe jatos da Embraer

21/12/2011 - Webtranspo

Empresa chinesa adquiriu jatos do modelo E190

Jatos operaram no hub da empresa.

A Embraer realizou nesta terça-feira, 20, a entrega de dois jatos do modelo E190 para Hebei Airlines, da China em sua sede na cidade de São José dos Campos, no interior paulista. A compra destas duas unidades pela companhia chinesa foi confirmada neste mês, há ainda a encomenda de mais oito aeronaves esperando a aprovação do governo do país.

Os aviões prestarão serviço na base Shijiazhuang, capital da província chinesa de Hebei, dando suporte ao plano da companhia em estabelecer um hub na região. Os E190 farão a conexão da cidade com outras capitais chinesas, ampliando rota e frequência da empresa no país.

“Damos as boas vindas à Hebei Airlines como o mais novo operador de E-Jets e estamos honrados que as características operacionais do E190 tenham despertado o interesse dos líderes do governo da província, o que consideramos um grande reconhecimento dos nossos produtos”, destaca Paulo Cesar de Souza e Silva, vice-presidente executivo da empresa para o mercado de aviação comercial. “O E190 tem sido bem aceito pelo mercado, em todo o mundo, devido à economia, desempenho e conforto destacados. Temos a confiança que os E-Jets apoiarão o desenvolvimento do mercado em que a Hebei Airlines atua e terão um papel importante na promoção do crescimento da economia e do transporte aéreo na região”, completou.

“Estamos felizes em receber nossos dois primeiros E190. A entrada em operação destes jatos durante o 12º plano quinquenal chinês (2011-2015) está alinhada com a estratégia de marketing da empresa e é uma das nossas principais iniciativas para apoiar o governo e seu objetivo de ter uma indústria de aviação civil robusta, por meio do fortalecimento da aviação regional no país. Reforçaremos as vantagens dos jatos em termos de capacidade de assentos e alcance para estabelecermos um centro de operações. Esperamos que as duas empresas possam trabalhar juntas e contribuir com o desenvolvimento da aviação civil regional, promovendo o intercâmbio de experiências econômicas e culturais”, destacou disse Luo Zhanling, Vice-Presidente do Conselho de Administração da companhia aérea.

Na China, a Embraer é líder de mercado na aviação regional com 76% de participação. A fabricante possui 153 pedidos firmes para jatos comerciais e executivos no país, dentre esses estão 85 E190. Já foram entregues pela empresa 46 ERJ 145 e 55 E190 ( contando com os aviões entregues nesta terça-feira).

Infraero assina contrato para obras em Viracopos (SP)

21/12/2011 - Panrotas

A Infraero publicou ontem (terça-feira, dia 20), no Diário Oficial da União, o contrato para elaboração dos projetos de engenharia, nas etapas de serviços e estudos preliminares e projetos básicos e executivos, para a reforma e ampliação do Terminal de Passageiros do Aeroporto Internacional de Viracopos/Campinas (SP).

A elaboração dos projetos permitirá a contratação das obras de reforma e ampliação do terminal campineiro. Com o término dos serviços, previsto para dezembro de 2013, o novo terminal passará a ter 103.982 mil m² e poderá atender até 9,5 milhões de passageiros por ano, ampliando o nível de conforto aos passageiros e usuários do aeroporto.

A partir da emissão da Ordem de Serviço, que deve ocorrer nos próximos dias, a empresa contratada terá 270 dias para conclusão dos trabalhos. O investimento para desenvolvimento dos projetos será de R$ 1,86 milhão.

Claudio Schapochnik

Azul inicia venda de bilhetes para Goiânia-Palmas

21/12/2011 - Panrotas

A Azul iniciou a venda de passagens para o novo voo Goiânia-Palmas. Será uma frequência diária de segunda a sábado, com saída de Goiânia às 0h45 e chegada às 1h10 em Palmas. Já no sentido oposto, a partida acontece às 3h com chegada às 5h15 no Aeroporto Santa Genoveva.

As passagens estão sendo comercializadas por meio do site www.voeazul.com.br, call center (4003-1118) ou nas lojas da Azul.

Savia Reis

Azul lança novos voos do GIG para JPA, POA e VIX

21/12/2011 - Panrotas

A Azul iniciou ontem (terça-feira, dia 20) a operação de novos voos com saídas do Aeroporto Tom Jobim, no Rio de Janeiro, e com destino às cidades de João Pessoa, Porto Alegre e Vitória. As operações estão sendo realizadas com os jatos Embraer 190/195.

As passagens já estão a venda pelo site da aérea (www.voeazul.com.br), pelo call center, pelas lojas da empresa e agências de viagens.

Danilo Teixeira Alves

American Airlines chega a 88 frequências e inicia Manaus em novembro

21/12/2011 - Mercado e Eventos, Luiz Marcos Fernandes

A American Airlines decidiu ampliar seus voos para o Brasil nesta temporada de verão. Segundo Dilson Verçosa, diretor da AA, a companhia está com um total de 88 frequências semanais. "Estamos com Brasílai e Belo Horizonte diários e colocamos mais um para São Paulo na rota para Miami. A expectativa desta temporada é das melhores possíveis e o Brasil tem tido um papel estratégico na nossa decisão de reforçar nossos voos para a América do Sul", adiantou ele.

O dirigente confirmou também que para 2012 a programação de novos voos para o Brasil tem como grande novidade o início das operações para Manaus. "Serão quatro frequências semanais inicialmente interligando a capital amazonense a Miami. O Amazonas desperta um grande interesse dos norte americanos pelo seu potencial de ecoturismo", adiantou ele.

Trip recebe dois novos Jatos Embraer 190

21/12/2011 - Mercado e Eventos

Jato Embraer 190 que foi incorporado a frota da Trip Linhas Aéreas

A Trip Linhas Aéreas acaba de incorporar dois novos Jatos Embraer 190 a sua frota, que agora totaliza 54 aviões. Apenas de Embraer 175 e 190 já são 19 jatos em operação nos mais de 80 destinos da Trip no País.

A estratégia de aquisição de aeronaves da fabricante brasileira faz parte do plano de expansão da Trip e amplia a oferta de assentos e capacidade de carga em suas rotas que integram todas as regiões do país. Um dos dois novos Jatos Embraer 190 entrará, a partir de 8 de Janeiro, em operação na rota Rio de Janeiro (RJ) – Curitiba (PR) – Londrina (PR) – Cuiabá (MT) – Sinop (MT), o outro ficará em disponibilidade, como aeronave extra, para atender o aumento do volume de voos do final do ano.

“As novas aquisições irão aumentar a capacidade da Trip para transportar mais passageiros em centros regionais, além de permitir que a empresa reforce suas operações neste período em que a demanda aumenta naturalmente”, ressalta o diretor de marketing e vendas da Trip Linhas Aéreas, Evaristo Mascarenhas.

O executivo disse que a companhia espera manter o foco da empresa na qualidade dos serviços. Os novos modelos Embraer 190 têm maior capacidade para o transporte de passageiros, com 110 assentos.

Webjet oferece novo voo entre Rio e Fortaleza a partir de janeiro

21/12/2011 - Mercado e Eventos

A partir de 12 de janeiro a Webjet terá um voo diário, de ida e volta, entre o Galeão e Fortaleza. A ligação entre as duas cidades será feita pelo novo Boeing 737-800, que a empresa acaba de receber. Para quem quiser se antecipar, a reserva das passagens já está disponível em www.webjet.com.br com valores promocionais a partir de R$ 299,99 para cada trecho. No site é possível ainda fazer a compra em até seis vezes sem juros no cartão de crédito, ou optar por outras formas de pagamento. Além da compra on line, as passagens também podem ser adquiridas nos agentes de viagens.

Competição faz preço de passagem cair 39%

22/12/2011 - Valor Econômico, Daniel Rittner

A Gol já comprou a Webjet e a TAM absorveu a Pantanal, além de ter adquirido 31% da Trip, mas esses negócios não interrompem um outro processo em curso: a desconcentração do setor aéreo no Brasil. Essa é a opinião do diretor-presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Marcelo Guaranys, que vê espaço para o crescimento de outras empresas.

"Ainda há muito mercado para ser explorado e a infraestrutura vai se expandir. Empresas pequenas podem crescer e empresas novas podem entrar", diz.

A participação de mercado do "duopólio" TAM-Gol nos voos domésticos, que chegou a 92,7% em 2008, caiu para 76,7% em outubro de 2011. Mesmo considerando a fatia da Webjet, cuja incorporação pela Gol foi congelada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) até o julgamento definitivo do negócio, TAM e Gol têm juntas 82,5% do mercado. Enquanto isso, a participação da terceira maior companhia - hoje papel exercido pela Azul - ultrapassa 9%, proporção que não era atingida desde o último ano de operação antiga Varig, em 2006.

Guaranys apresenta dados que demonstram a importância da concorrência no setor. Na comparação com rotas operadas por apenas uma empresa, o preço médio da tarifa cai 39%, quando três companhias disputam passageiros e operam nesses destinos. O presidente da Anac menciona o "yield" da aviação comercial, indicador do valor pago por quilômetro voado. Nas rotas com somente uma companhia, é de R$ 0,56. O "yield" cai para R$ 0,39 quando há duas empresas operando e para R$ 0,34 - sempre na média - em cidades atendidas por três concorrentes.

"O importante é que haja pelo menos um competidor efetivo", diz Guaranys. Para ele, a desconcentração de mercado deve se manter nos próximos anos. "É natural que o processo continue, embora não tenhamos como prever movimentos de consolidação. Precisamos continuar brigando para que os procedimentos sejam mais rápidos e que não haja barreiras de entrada a novas companhias."

A agência, segundo o presidente, já tem agido para simplificar e acelerar procedimentos. Os pedidos de hotrans (horários para pousos e decolagens), antes apreciados nas reuniões de diretoria, levavam "de dois a três meses para sair". Agora passam apenas pela área técnica e ficaram "absurdamente mais rápidos", recebendo parecer em questão de dias e acelerando a implantação de voos regulares.

A entrada em operação de novas empresas ganhou rapidez. "A Azul, por exemplo, demorou oito meses entre o pedido e o início efetivo das operações. Antes, o processo levava pelo menos um ano. "Quanto mais tempo se demora para entrar, piores são as condições de concorrência", avalia Guaranys.

As concessões dos aeroportos de Guarulhos, Viracopos e Brasília permitirão aumentar a infraestrutura disponível. A estimativa da Anac é que a capacidade do sistema aeroportuário triplique até 2030. Com isso, o problema da falta de espaço físico - de horários para uso das pistas e de balcões de check-in - para o crescimento de empresas menores nos grandes aeroportos deve diminuir. "A expansão dos terminais vai aumentar a oferta para todo o mundo. E o amadurecimento do mercado, com a inclusão de mais municípios como novos destinos, também propicia a desconcentração", afirma o presidente da agência.

O mercado brasileiro cresceu 118% entre 2003 e 2010, ritmo três vezes maior do que a média mundial, segundo dados da Anac. Hoje, no Brasil, é de 0,6 a relação entre o número de passageiros que voam por ano e a população total. Mas o país ainda fica longe de mercados em que a aviação está mais disseminada, como Reino Unido (3,9), EUA (4,7) e a Austrália (5,2).

Acionistas da Lan aprovam fusão com a Tam

21/12/2011 - O Estado de São Paulo

REUTERS

Os acionistas da companhia aérea chilena LAN aprovaram nesta quarta-feira a compra da brasileira TAM, marcando um dos últimos passos antes da conclusão do negócio que dará origem à maior empresa do setor na América Latina.

Em reunião extraordinária, os acionistas também aprovaram a mudança da razão social da empresa para Latam Airlines Group, o que deve ocorrer no primeiro trimestre de 2012.

(Por Felipe Iturrieta)

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Gol e TAM têm plano de aumento de capacidade modesta para 2012

20/12/2011 - Jornal de Turismo

O CEO da TAM, Libano Barroso, disse a TAM, que aumentou a sua capacidade doméstica em 12% este ano, planeja expandir 4% em 2012. O CEO da Gol, Constantino de Oliveira Júnior, disse que a capacidade do Grupo Gol vai aumentar em 2012, 4%, com a maioria da capacidade adicional que vem da nova subsidiária Webjet, como os B737-300s. Nos três primeiros trimestres deste ano, a capacidade doméstica da Gol subiu em 5% enquanto a capacidade da Webjet foi até 10%.

Oliveira espera que o mercado brasileiro interno cresça de 7% para 9% em 2012, enquanto Barroso espera um crescimento na faixa de 8% para 12%. Isso marca uma desaceleração significativa em relação ao crescimento de 24% de voos domésticos registrado em 2010 e o crescimento de 19% nos três primeiros trimestres de 2011.

A Azul Linhas Aéreas está sendo acompanhada pela TRIP e Avianca Brasil no planejament o de expansão significativa da capacidade. Companhias aéreas internacionais também prevém o mesmo investimento no Brasil, como é o caso da Uruguaia Pluna, a portuguesa TAP e as americanas Continental e Delta. Como resultado, este trio será responsável pela maior parte do esperado crescimento de um dígito no Brasil no próximo ano e irá crescer a sua quota de mercado à custa da Gol e TAM.

A Azul e outras companhias aéreas brasileiras também iniciaram uma campanha para baixar os preços dos combustíveis. O relativamente elevado preço do combustível no Brasil é visto como um grande obstáculo ao crescimento.

Cumbica duplica área de embarque internacional

19/12/2011 - O Estado de São Paulo

Além do espaço para passageiros, aumentou de 26 para 40 número de balcões da PF; melhorias no desembarque ficarão para 2012

NATALY COSTA

Com as obras do Terminal 4 atrasadas, o Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, ampliou o setor de embarque internacional de passageiros para suportar o movimento de fim de ano. Nos Terminais 1 e 2, a área duplicou de tamanho - de 1.290 m² para 2.660m². Na checagem de passaportes - um dos inúmeros gargalos do aeroporto -, o número de balcões de atendimento da Polícia Federal cresceu de 26 para 40, divididos entre os dois terminais (20 em cada).

As obras de ampliação estão em andamento desde novembro do ano passado e a reforma ficou pronta no começo desta semana. O embarque doméstico nos Terminais 1 e 2 foi ampliado: a área física passou de 740 m² para 1.045 m². As filas para inspeção de bagagens de mão também devem melhorar: os oito balcões de raio X do embarque nacional aumentaram para 13; no internacional, de 12 para 14.

Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), a reforma "aproveitou melhor o espaço de circulação" e foi feita em etapas, sem interdições, para "proporcionar maior fluidez e conforto para os viajantes". Em abril, parte da reforma do Terminal 1 foi concluída; nesta semana, o restante.

As melhorias no setor de verificação de passaportes, porém, só funcionarão se as 40 posições de atendimento forem efetivamente ocupadas pela Polícia Federal. E essa é uma das inúmeras exigências feitas pela Secretaria de Aviação Civil (SAC) para o período crítico de férias: que a PF ocupe todos os guichês em horário de pico e evite filas. As outras são evitar overbooking e colocar mais funcionários no check-in (por parte das empresas), diminuir o tempo de restituição de bagagens e pôr aeronaves reservas nos aeroportos.

Prometido para inaugurar ontem e desafogar Cumbica, o Terminal 4, ou Terminal Remoto, a dois quilômetros do aeroporto, fica agora para a segunda quinzena de janeiro, depois do dia 20. No começo do mês, parte do teto que dava sustentação aos dutos de ar-condicionado do futuro terminal caiu, deixando dois operários feridos.

Desembarque. Grande gargalo de Cumbica, a área de desembarque internacional também deverá ganhar melhorias no primeiro semestre. Segundo a Infraero, estão sendo feitas no desembarque reformas semelhantes às realizadas no setor de embarque: ampliação do espaço físico e aumento de guichês de verificação de passaportes.

Outro problema que atormenta a vida do passageiro - a demora na entrega de bagagens, principalmente de voos internacionais - ainda vai depender da boa vontade das áreas para ter uma solução definitiva. Não existe uma meta para reduzir o tempo de espera na devolução das malas, mas a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vem cobrando "mais agilidade e eficiência" por parte das companhias.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Privatização pela metade

19/12/2011 - O Estado de São Paulo

As peripécias do processo dos leilões de privatização dos aeroportos de Guarulhos, Viracopos e Brasília continuam a causar estupor no mercado. O Tribunal de Contas da União (TCU) examinou a minuta do edital, elaborada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), e mais que dobrou o valor mínimo total dos terminais de Guarulhos, Viracopos e Brasília, que passou de R$ 2,9 bilhões para R$ 6,3 bilhões, sob a justificativa de que houve superestimativa de 25% dos investimentos necessários. Dadas as condições em que se encontram esses aeroportos, a alteração é surpreendente.

Mas, ao publicar o edital fixando as condições para os leilões - marcados para o dia 6 de fevereiro -, o governo concordou com as avaliações do TCU. Embora o valor mínimo total das outorgas, de R$ 5,48 bilhões, seja 13,2% menor do que o determinado pelo TCU, é 89,7% maior do que constava na versão inicial do edital.

O TCU afirmou que a revisão do preço para outorga não vai significar tarifas maiores para os usuários, o que só o futuro dirá. Além disso, o Tribunal pressupõe que, com os lances iniciais mais elevados, a Infraero terá mais recursos para investir em aeroportos sob sua administração. Mas o órgão considerou - muito acertadamente, aliás - que a participação de até 49% da Infraero nas concessionárias que administrarão os três aeroportos é um risco para a concessão e recomendou que a Anac retirasse essa obrigatoriedade dos editais. Mas isso não foi feito.

O pior foi ter o governo, por meio da Secretaria-Geral da Presidência da República e da Secretaria da Aviação Civil, negociado com o Sindicato Nacional de Aeroportuários (Sina) um verdadeiro trem da alegria para os funcionários da Infraero que migrarem para as concessionárias. A demonstração de fraqueza do governo diante de interesses corporativos diz muito mal de sua capacidade de gestão.

Pelo acordo entre o governo e o Sina, será estruturado um Programa de Demissão Voluntária (PDV) que simulará a dispensa desses funcionários, dando o direito a cada um de 1,2 salário por ano de serviço até o limite de R$ 180 mil. Programas como este foram adotados em desestatizações para valer, mas, no caso dos integrantes do quadro da Infraero, eles terão, no "novo emprego", direito à estabilidade até 2018. E os aposentados da estatal nos últimos cinco anos também serão premiados por esse estrambótico PDV, com dois salários por ano de trabalho.

Quer dizer, o Sina trata a Infraero como se fosse de propriedade de seus funcionários e ainda ameaça impedir os leilões. O governo fez concessões absurdas depois de cinco meses de negociações com o sindicato, mas não obteve nem uma promessa sequer em troca. "Não aceitamos a concessão de jeito nenhum", disse o presidente do Sina, Francisco Lemos, como noticiou o jornal Valor (8/12). "Agora, vamos partir para ações políticas e jurídicas (...). A gente vai para a Justiça e quer que esse debate vá para o Congresso Nacional, mas a gente tem que ter a responsabilidade de garantir o mínimo dentro do pior cenário."

O pior cenário, para Lemos, é uma maravilha para a Infraero, que permanecerá como poderosa sócia, podendo dar voz de comando nas futuras concessionárias. Do jeito que as coisas caminham, essa "privatização" pode comprometer a eficiência dos serviços aeroportuários e "dar errado", como vaticinou Tony Tyler, presidente da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês). Tyler observou que incluir a Infraero como sócia das empresas que administrarão os maiores aeroportos brasileiros é o mesmo que "colocar uma raposa tomando conta das galinhas".

Estas são questões cruciais que precisariam ter sido resolvidas previamente para afastar riscos ao processo de outorga e, sobretudo, à eficiência da nova gestão dos três aeroportos. A concessão foi determinada pela presidente Dilma Rousseff como forma de apressar os investimentos no setor, que o governo não tem condições de realizar. Mas a experiência demonstra que privatização pela metade é como uma porta meio aberta e meio trancada. Não funciona.

Novo terminal de Guarulhos não será entregue antes do Natal

18/12/2011 - Jornal do Brasil

Portal Terra

A entrega do terminal remoto de passageiros do Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, que pretende ampliar a capacidade de atendimento no local, será entregue somente em janeiro, mas dentro do prazo inicial, informou a Infraero neste domingo. A entrega do terminal havia sido antecipada para o dia 20 de dezembro para aliviar a movimentação de fim de ano, mas a queda de uma estrutura metálica no começo de dezembro atrasou as obras.

Segundo a Infraero, mesmo com o desabamento da estrutura, a obra será entregue dentro do prazo oficial, até 21 de janeiro. O órgão disse que para dar maior agilidade e atender a demanda do grande número de passageiros do aeroporto no final do ano, todas as folgas dos funcionários foram suspensas.

A queda da estrutura aconteceu em 2 de dezembro e deixou dois operários feridos. A obra do terminal remoto está orçada em R$ 85,7 milhões e a empresa Delta foi contratada sem licitação. Por isso, a obra chegou a ser suspensa pela Justiça Federal em setembro. A construção do terminal está incluída na segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), do governo federal, que prevê a ampliação dos aeroportos brasileiros para os grandes eventos esportivos dos próximos anos, principalmente a Copa do Mundo de 2014.

Quando pronto, o terminal remoto permitirá a ampliação da capacidade de atendimento do Aeroporto Internacional de Guarulhos, o maior e mais movimentado do País, dos atuais 20,5 milhões de passageiros por ano para 26 milhões. O terminal está sendo construído na área de um hangar de cargas desativado da extinta Vasp, com 12,2 mil m².

Azul oferecerá TV nos aviões em fevereiro

19/12/2011 - Folha de São Paulo

Jatos terão monitor individual exibindo programas via satélite sem custo adicional

MARIANA BARBOSA

Três anos depois do início de suas operações, a Azul Linhas Aéreas está em processo de homologação de uma antena que permitirá aos passageiros assistir televisão dentro do avião.

Segundo o vice-presidente de operações Miguel Dau, o serviço será gratuito e deve entrar em operação em fevereiro. "Serão 36 canais, ninguém mais vai perder a novela", diz Dau.

Esse serviço de TV já é oferecido pela Jetblue, empresa fundada por David Neeleman nos EUA. O empresário, que também fundou a Azul, prometeu lançar o serviço quando a companhia começou a operar no país.

Problemas técnicos atrasaram a entrada do serviço em operação. Foi preciso desenvolver uma nova antena, mais compacta, para que as aeronaves voando sobre o Brasil pudessem captar sinais de TV via satélite.

"A antena já está pronta", disse Dau. "Na semana passada, um dos nossos aviões Embraer voou para Orlando para fazer os testes de certificação na FAA [autoridade aeronáutica dos EUA]."

Com o aval da FAA, o equipamento terá de ser certificado também pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), mas não serão necessários mais testes porque existe um convênio entre os dois órgãos.

As antenas serão instaladas nos 38 jatos Embraer da Azul ao longo de janeiro. Todos os aviões terão monitores individuais, de 16x9 polegadas. Os demais jatos da frota da Azul, 11 turboélices ATRs, não terão o equipamento.

Com base operacional em Campinas, a Azul voa para 42 destinos no país e detém quase 10% do mercado doméstico nacional.

DIVERSÃO EM VOO

TAM e Gol também entraram na era do entretenimento de bordo de alta tecnologia, mas cada uma optou por um caminho distinto.

A TAM oferece telefonia celular. O serviço já está disponível em 18 aviões da companhia, mas o consumidor paga "roaming" para a operadora como se estivesse no exterior. Até meados de 2012, o serviço será oferecido também em voos internacionais.

A Gol optou por oferecer um pacote de conteúdo que pode ser acessado gratuitamente do equipamento do próprio passageiro (notebook, tablet ou celular), desde que tenha conexão Wi-Fi. O serviço não dá acesso à internet. O conteúdo é gravado, mas é atualizado pelo menos uma vez ao dia. É possível ver programas e seriados de TV, jogar videogames, ouvir música e ler artigos de jornais e revistas selecionados.

Azul quer voo Congonhas (SP)-Campinas aos sábados

19/12/2011 - Panrotas

A Azul pediu autorização à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para alteração de sua operação aos sábados no aeroporto de Congonhas para atender Campinas, onde tem seu hub. Se aprovada, a capital paulista ganhará uma frequência aos sábados para a cidade campineira com início dos voos previsto para 4 de fevereiro. Com a operação, a companhia deixará de atender o mercado de Porto Seguro via o aeroporto paulista.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Azul comemora três anos de operações com crescimento expressivo

15/12/2011 - Jornal de Turismo

A Azul comemora nesta quinta-feira três anos de operações no mercado de voos domésticos brasileiro com quase 10% de participação, consolidando-se como a terceira maior companhia aérea do Brasil. Neste período, a empresa atingiu recordes mundiais e conquistou alguns dos melhores índices do setor de aviação brasileira, firmando-se como a mais bem-sucedida aérea surgida no País nas últimas décadas.

E os números de 2011 atestam esse resultado. Somente neste ano, a companhia voou para 14 novos destinos, transportou nove milhões de clientes e recebeu 23 aeronaves, sendo três ATR 72-600, oito ATR 72-200 e 12 jatos Embraer 195. Desde o início de suas operações, em dezembro de 2008, a empresa totaliza 4.500 funcionários, 42 destinos servidos, 49 aeronaves e 350 voos diários.

Se compararmos com 2010, o crescimento é expressivo. Confira os números:




“Construímos algo ímpar no mundo. Nossa marca está sendo bem recomendada por milhares de brasileiros, que voam todos os dias em nossas rotas e propagam a experiência de voar Azul. Está é uma das maneiras mais eficazes de divulgar um produto com credibilidade.” afirma Pedro Janot, presidente da companhia.

Entre os destaques da Azul no ano estão: a ampliação de seus canais de vendas com o lançamento de cinco lojas – Shopping Piracicaba, Shopping Campinas, Alpha Shopping, Shopping Esplanada Sorocaba e Polo Shopping Indaiatuba (todas no estado de São Paulo); a aquisição de mais um simulador de voo próprio – um investimento de R$ 20 milhões; o anúncio da compra de mais 11 jatos Embraer 195; o início das operações com o ATR 72, com a chegada de oito ATR72-200 e três dos modernos turboélices ATR 72-600 e, finalmente, as pinturas especiais que já se tornaram marca registrada da companhia. Destaque para a Brasil, pintada com as cores e o desenho da bandeira nacional, uma homenagem ao Brasil e ao povo brasileiro.

No Brasil e no mundo, a Azul está sendo reconhecida como uma marca forte que consegue conectar-se emocionalmente com seus consumidores. O sucesso é atestados pelos prêmios recebidos: “Melhor Empresa Aérea do Brasil” pela revista Viagem e Turismo e revista Avião Revue, “One of the 30 World’s Hottest Brands” pela Advertising Age de Nova York, eleita a melhor companhia aérea low-cost da América Latina pela Skytrax World Airline Awards – premiação reconhecida como referencial de excelência no setor aéreo e “One of the world´s 50 most innovative companies” pela revista Fast Company. E por sua moderna frota de E-Jets que são os mais jovens em operação no mercado, com média de apenas oito meses de uso, enquanto os concorrentes vão de cinco a 17 anos.

“Assim é o jeito Azul: surgiu no mercado para mudar a maneira de voar no Brasil. Tornamos o transporte aéreo mais humano, fácil, com serviço de qualidade e preços justos. Este é o diferencial da Azul”, ressalta Janot.

Aeroporto de Sobral custará R$ 40 milhões

16/12/2011 - Diário do Nordeste

Aprovação de emendas ao Orçamento 2012 da União assegurará recursos para novo aeroporto de Sobral

O atual aeroporto não teve ampliação aprovada pela Anac. A alternativa foi buscar recursos para construção de novo terminal,a partir de 2012.

Sobral Esta cidade da Zona Norte do Ceará vai ganhar um novo aeroporto. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) condenou a ampliação da pista do atual Aeroporto Virgílio Távora. O anúncio foi feito pelo prefeito Clodoveu Arruda (Veveu). Ele garantiu haver R$ 40 milhões em emendas ao orçamento federal para a construção do novo aeroporto.

"Conseguimos os recursos necessários para o novo aeroporto. A Comissão de Acessibilidade da Câmara dos Deputados já acolheu emenda parlamentar de R$ 40 milhões para o novo aeroporto de Sobral, visando ao Orçamento da União de 2012", informou o prefeito.

Segundo ele, existem três estudos de localização feitos pela Secretaria de Turismo do Estado (Setur). "Em seguida, é lutar pela aquisição dessa área e ao mesmo tempo a contratação pela elaboração do projeto para o aeroporto".

O prefeito revelou que o novo aeroporto, apesar da possível localização nos arredores da sede de Sobral, vai servir para toda Zona Norte. "É uma luta para que aconteça a liberação dos recursos e para a imediata implantação desse aeroporto, que é fundamental para o nosso Município, além de ter serventia regional", assinalou Veveu.

O novo aeroporto será de passageiros e de cargas. "A gente aqui foi ousado e não teve medo do desafio, pois o atual, Virgílio Távora, não serve mais. Vamos então construir um para o presente e futuro", disse Veveu.

Ele fez questão de agradecer o apoio da bancada federal para o aceite da emenda do novo aeroporto. "Temos o apoio fundamental de toda bancada federal, mais especialmente dos autores da emenda, os deputados federais Antônio Balhmann, Padre Zé e Edson Silva, da Comissão de Orçamento, através do deputado Danilo Forte e o apoio do deputado federal José Nobre Guimarães e do senador Inácio Arruda", citou Veveu.

Antes do aceite da emenda, o prefeito trabalhava com duas alternativas para a questão do aeroporto. Uma era apenas o prolongamento da pista atual. Seriam mais 250 metros em direção ao Rio Acaraú. Esta proposta tinha um custo menor, cerca de R$ 8 milhões. Porém, a Anac descartou a ampliação do atual equipamento.

A partir dai, o prefeito seguiu pelo caminho da segunda alternativa. "A outra opção era a construção de um novo aeroporto. E agora conseguimos garantir os recursos. Partimos agora para estes estudos do Governo do Estado que sugerem que a localização no novo aeroporto seja em algumas áreas aqui nas proximidades de Sobral", afirmou Veveu.

O prefeito informou que a estratégia para garantir os R$ 40 milhões foi tomada conjuntamente com a bancada dos 22 deputados federais.

"Fomos atrás da bancada federal cearense", disse, explicando que foi mantido contato com os parlamentares, quando ficou estabelecida uma estratégia de definir seis grupos de três deputados e um grupo de quatro deputados para a constituição das emendas. "Nós conseguimos que um desses grupos assumisse a emenda necessária para construção de um novo aeroporto de Sobral. Este grupo tem os deputados federais Padre José Linhares, Antônio Balhmann e Edson Silva. Claro, que isso num acordo com a bancada, o que fortaleceu a aprovação dessa emenda", disse.

Relatório

Veveu Arruda lembrou que a decisão de construção de novo aeroporto se deu principalmente pelo relatório da Anac. "Foi muito especialmente o problema da localização. A Anac hoje tem um relatório que já apresenta resistências, sobretudo da ampliação do aeroporto atual. A gente teria que fazer justificativas de qual o motivo, qual a razão da permanência no mesmo local, o que não atenderia nossas necessidades presentes imagine as futuras".

Veveu Arruda definiu o novo projeto como uma função estratégica para o desenvolvimento da Zona Norte. "O novo aeroporto é em função de uma estratégia. Estamos trabalhando, por exemplo, na montagem de um Polo Metalmecânico. Tem o Porto Seco, que é um equipamento importante para animar a produção local. Então é necessário trabalhar a infraestrutura que é fundamental para estimular e promover o desenvolvimento", afirma, complementando que o novo equipamento de transporte aéreo compõe essa infraestrutura necessária.

MAIS INFORMAÇÕES

Prefeitura Municipal de Sobral, Gabinete do Prefeito
Rua Viriato de Medeiros, 250 - Centro Telefone: (88) 3677.1110

Lauriberto Braga

Terminal de Guarulhos fica pronto só em 2012

16/12/2011 - Valor Econômico, André Borges

A construção do terceiro terminal de passageiros do aeroporto de Guarulhos (SP), contratada em regime de urgência pela Infraero para atender o aumento da movimentação deste fim de ano, não vai ficar pronta antes de 31 de dezembro. O desabamento do teto do terminal, tornou o atraso inevitável.

O adiamento, que tinha sido negado pelo governo, foi confirmado ao Valor pelo presidente da Infraero, Gustavo Vale. "O plano era inaugurar o terminal dia 20, mas com o incidente as coisas mudaram. Ficou impossível concluir o trabalho antes do Réveillon."

A Infraero enfrentou críticas, inclusive do Tribunal de Contas da União (TCU), por ter contratado sem licitação a empresa Delta Construções para tocar as obras em Cumbica. O contrato, no valor de R$ 85,75 milhões, firmado em julho, dá 180 dias para que a Delta conclua o serviço. Como o prazo se encerra em 21 de janeiro, não há quebra de acordo configurada.

As razões que levaram a Infraero a bancar uma contratação sem o processo licitatório, no entanto, caíram por terra. Quando fechou o contrato, a estatal argumentou que a urgência da obra era necessária para evitar um apagão aéreo no fim do ano.

"Aconteceu um problema, um incidente. O que podemos fazer? Paciência. Como não teremos a estrutura disponível, vamos buscar uma forma de diminuir os problemas em Cumbica, que fatalmente vão ocorrer", disse Vale.

O presidente da Infraero afirmou que cerca de 200 colaboradores da empresa serão deslocados para o atendimento em Cumbica nas duas próximas semanas. "Estamos alinhando ações com as companhias aéreas e a Receita Federal. Todas as folgas estão suspensas nos próximos dias. Até o pessoal do setor administrativo vai ajudar nas operações. Agora vamos ter que resolver as coisas no braço."

As causas da queda do teto do terminal em construção estão sendo apuradas pela Polícia Federal, Infraero e pela Delta. Segundo Vale, cerca de mil metros da proteção da cobertura do terminal desabaram. A Infraero decidiu trocar todos os 7 mil metros da estrutura, para evitar novos riscos de segurança. "Os fabricantes foram acionados para fazer uma nova estrutura, mas esse tipo de material não tem pronta entrega, vamos ter de aguardar", disse.

Procurada pelo Valor, a Delta não quis se pronunciar sobre o assunto. Em relatório divulgado em setembro, os auditores do TCU chamaram a atenção para a "falta de comprovação de capacidade técnica da empresa contratada para a execução do objeto contratado". A Infraero, no entanto, garantiu que iria realizar "rigoroso controle na fiscalização e no acompanhamento da execução" da obra.

No dia do incidente em Guarulhos, o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt, chegou a garantir que a entrega do novo terminal ocorreria no dia 20.

A capacidade de atendimento do novo terminal é de 5,5 milhões de passageiros por ano. Em 2010, o aeroporto teve crescimento de 23% no volume de passageiros sobre o ano anterior, recebendo 26,8 milhões de pessoas. No primeiro semestre deste ano, a alta foi de 16% sobre igual período de 2010. A previsão é que 31,5 milhões de passageiros passem pelo aeroporto até o dia 31.

Classe C no avião

16/12/2011 - O Globo, Ancelmo Gois

Veja como a classe C, cada vez mais, viaja de avião.

Tem feito tanto sucesso o quiosque aberto em novembro pela Gol na gare da Central
do Brasil, no Rio, que, acredite, já compete em vendas com o balcão da voadora no Aeroporto Santos Dumont.

Aeroportos a serem privatizados terão operador estrangeiro

16/12/2011 -O Estado de São Paulo

MARTA SALOMON/BRASÍLIA

Por exigência dos editais de concessão à iniciativa privada, os aeroportos de Guarulhos, Campinas e Brasília serão operados por sócios estrangeiros. Os grupos privados que quiserem disputar os negócios terão de contar com operador com pelo menos cinco anos de experiência em aeroportos com trânsito de mais de cinco milhões de passageiros por ano.

O diretor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Marcelo Guaranys, calcula que haja "pelo menos" dez empresas com esse perfil interessadas na privatização dos aeroportos brasileiros. Esses operadores poderão participar da disputa dos três aeroportos, mas só poderão ganhar em um deles, com pelo menos 10% de participação.

"Tem de ser estrangeiro", confirmou Guaranys. No Brasil, apenas a Infraero opera aeroportos com a capacidade mínima exigida pelo edital.

A estatal ficará com 49% das ações das empresas privadas que administrarão os aeroportos por prazo entre 20 e 30 anos.

Os editais de concessão foram lançados ontem à consulta pública, em edição extra do Diário Oficial. O leilão, inicialmente previsto para este mês, foi marcado para 6 de fevereiro.

O governo arrecadará pelo menos R$ 5,5 bilhões pelas concessões, com base no preço mínimo das outorgas, fixados nos editais. Guarulhos terá o maior lance mínimo, de R$ 3,4 bilhões. Viracopos e Brasília serão disputados, respectivamente, a partir de R$ 1,5 bilhão e R$ 582 milhões. O governo avalia que a competição será grande e que o preço final ficará acima desses valores.

O dinheiro será destinado ao Fundo Nacional de Aviação Civil para investimentos no sistema e na rede de aeroportos regionais. O fundo também receberá um porcentual variável do faturamento das futuras concessionárias. O pagamento será anual e poderá aumentar, caso o faturamento supere as expectativas.

Em Brasília, o porcentual variará de 2% a 4,5%. Em Viracopos, de 5% a 7,5%. Em Guarulhos, com expectativa de faturamento maior, de 10% a 15% da receita bruta irá para o Fundo Nacional de Aviação Civil.

O preço mínimo das outorgas foi fixado pelo governo R$ 834 milhões abaixo daquele estimado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) na semana passada, após rever o preço das obras que os futuros concessionários terão de fazer. Para o conjunto dos três aeroportos, o tribunal havia estimado R$ 6,3 bilhões. A Anac fixou a soma do valor das outorgas em R$ 5,5 bilhões.

Os editais limitam em 2% das ações a participação de empresas aéreas nas concessionárias. O limite é maior do que o inicialmente previsto, mas se resumiria ao que o governo chama de "reserva técnica". Segundo Guaranys, a ideia era excluir as aéreas. O governo decidiu isso porque quer evitar que uma companhia aérea acabe privilegiando suas aeronaves nos aeroportos.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Passaredo encerra suas operações em Santarém

15/12/2011 - Flashnews

A Passaredo Linhas Aéreas informa que encerrou suas operações na cidade de Santarém (PA), devido a uma nova estratégia de readequação de sua malha aérea.

Os consumidores que estiverem com as suas passagens compradas com data posterior ao dia 13, serão reacomodados em voos de outras companhias ou poderão solicitar reembolso.

Azul inicia venda de passagens para Londrina (PR) e Belo Horizonte (MG)

15/12/2011 - Portal Transporta Brasil, Por Bruno Martins

Operações estão programadas para serem iniciadas em 1º de fevereiro de 2012, e podem ser encontradas a partir de R$ 59,90 e R$ 69,90, respectivamente

A Azul Linhas Aéreas iniciou a venda de passagens para seus novos destinos: Londrina (PR) e Belo Horizonte (MG). As operações nas duas cidades, com partida no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), serão iniciadas em 1º de fevereiro de 2012.

As passagens para a cidade paranaense estão à venda a partir de R$ 59,90 o trecho. Já para a mineira, a partir de R$ 69,90. Para as duas, os preços estão sujeitos à disponibilidades de assentos e o pagamento pode ser parcelado em até dez vezes no cartão de crédito.
Para Londrina, ao todo, são duas frequências diárias de segunda a sexta-feira e duas aos fins de semana – uma ida-volta no sábado e outra ida-volta no domingo –, sendo operadas pelos jatos Embraer 190/195.

Para BH, o novo voo será diário, exceto aos domingos, com saídas às 13h15 do Aeroporto de Viracopos e chegada às 14h30 em Confins.

Já no sentido oposto, o voo tem saída às 15h02 e chegada às 16h12 no aeroporto campineiro. Esta é a 8ª frequência entre as cidades.

Azul inicia venda de passagens do Galeão para BH e POA

14/12/2011 - Mercado & Eventos

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras iniciou a venda de passagens para novos voos a partir do Aeroporto Internacional Tom Jobim – Galeão – no Rio de Janeiro, para Confins, na grande Belo Horizonte, e Porto Alegre. Com os novos voos, que começam em 1º de fevereiro de 2012, a companhia vai oferecer mais comodidade aos seus clientes e mais opções de destino ao viajar para essas cidades.

As passagens estão à venda a partir de 10 x R$ 11,99 para Confins e para Porto Alegre (a partir de 10 x R$ 20,99. A compra pode ser feita pelo site (www.voeazul.com.br), por meio do Call Center (4003-1118) ou nas lojas da Azul, e os preços estão sujeitos à disponibilidades de assentos. As operações serão realizadas com os jatos Embraer 190/195.

TAM e LAN formam maior empresa aérea da America Latina

14/12/2011 - Jornal do Brasil

Agência AFP

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira a fusão da TAM com a chilena LAN, permitindo a criação da LATAM, a maior empresa aérea da América Latina, informou a Agência Brasil.

O Cade impôs como condição para a fusão uma redução dos voos entre São Paulo e Santiago, para permitir a concorrência, e que a nova companhia escolha apenas uma aliança internacional, já que a TAM integra a Star Alliance e a LAN pertence à Oneworld.

O conselheiro do Cade Olavo Chinaglia explicou que a nova empresa terá 80% dos voos existentes atualmente entre Santiago e São Paulo.

A decisão do Cade foi unânime e de última instância, explicou Chinaglia.

A TAM destacou em um comunicado que a fusão cria "um dos três maiores grupos de empresas aéreas do mundo em valor de mercado".

O novo grupo é um gigante com valor estimado de 14,5 bilhões de dólares e 6% do transporte aéreo mundial.

Sobre as exigências do Cade, a TAM revela que "as duas companhias já analisavam tais medidas, que são similares às requeridas pelo Tribunal de Defesa da Livre Concorrência do Chile (TDLC)".

TAM e LAN informaram em outubro passado que esperavam concretizar a criação do Grupo LATAM até o final do primeiro trimestre de 2012.

A transação já foi autorizada pelas autoridades chilenas, onde o Tribunal de Defesa da Livre Concorrência (TDLC) impôs 11 condições, incluindo a redução de alguns voos para Lima.

TAM e LAN informaram em outubro que tentariam derrubar algumas das condições impostas pelo TDLC, mas que a decisão não afetaria o processo de fusão.

A TAM é lider no mercado brasileiro, com uma frota de 156 aviões, e a LAN é a principal companhia aérea do Chile, com 139 aparelhos.

A LATAM deve estabelecer rotas de passageiros para 115 destinos, em 23 países, além do transporte de carga. No ano passado, as duas companhias transportaram mais de 45 milhões de passageiros e 832 mil toneladas de carga.

Azul avalia voos para região do Mercosul no fim de 2012

14/12/2011 - O Estado de São Paulo

REUTERS

SÃO PAULO - A companhia aérea Azul avalia iniciar voos internacionais para a região do Mercosul entre o final de 2012 e início de 2013, em uma futura ampliação de sua atuação num momento em que altera seu foco para rentabilidade, afirmou nesta quarta-feira o vice-presidente de planejamento da empresa, Trey Urbahn.

A empresa, atualmente terceira maior companhia aérea do Brasil em participação de mercado e encerrando o terceiro ano de existência, deve começar sua operação internacional com um primeiro voo regular para Punta del Leste, no Uruguai, afirmou o executivo. Ele citou ainda como interesse da Azul cidades menores da Argentina como Córdoba, Mendoza e Bariloche, além de Montevidéu, no também no Uruguai.

"Buenos Aires já está muito bem servido (por outras empresas), então estamos avaliando cidades secundárias da Argentina", disse Urbahn. Apesar da Azul já ter possibilidade de começar a operar voos no Mercosul, o executivo afirmou que a empresa ainda não tem um número de aeronaves suficiente. Segundo ele, para ter uma "presença mais forte (nos voos internacionais) precisamos de pelo menos 4 aeronaves."

Para 2012, a Azul vai ampliar sua frota em 8 a 10 jatos da Embraer e 9 a 10 aviões turboélice da francesa ATR, disse o executivo a jornalistas. A frota atual da Azul é formada atualmente por 49 aviões, dos quais 38 jatos e 11 ATRs.

Segundo Urbahn, a operação internacional pode se dar a partir de Porto Alegre, de modo a facilitar o alcance dos jatos da Embraer, mas "(o aeroporto de) Viracopos, em Campinas (SP), pode servir muitas cidades do Mercosul".

O executivo comentou que a Azul tem interesse em operar aviões maiores, como o Airbus A320, mas para a empresa ter eficiência precisaria de uma frota de pelo menos 10 aviões do modelo. O uso de jatos maiores se adequaria mais para rotas mais longas, como Viracopos - Salvador ou Santos Dumont (RJ) - Viracopos. "Hoje operamos com seis voos para Salvador, não precisaríamos de tantas frequências com uma aeronave maior." Apesar disso, ele não comentou quando a Azul poderia fazer uma encomenda junto à Airbus ou à Boeing.

Em novembro, o fundador da companhia aérea David Neeleman, afirmou que a Azul poderá ter aviões maiores, mas apenas depois de 2015 .

Urbahn comentou que parte dos novos aviões que a Azul receberá em 2012 servirão para reforçar seus serviços no Sul do país, com mais frequências, e que a companhia não "está mais tão dependente de preço e de tirar gente das grandes cidades. Estamos focados em rentabilidade".

Diante disso, e dos custos ainda elevados de combustível, a companhia estima um cenário propício em 2012 para recuperação de preços de passagens no Brasil. A avaliação da empresa é que a oferta de assentos no ano que vem pela indústria vai crescer ligeiros 4 a 5 por cento, enquanto o aumento da demanda "talvez não seja maior que (a média de) quatro vezes o PIB".

"Achamos que o ambiente para o ano que vem está muito bom. Gol e TAM não estão aumentando muito a oferta. Temos mais racionalidade agora", disse Urbahn em referência aos preços de passagens aéreas para o próximo ano.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Cade aprova fusão com a Lan e TAM sobe 1,45%

15/12/2011 - O Estado de São Paulo

A ação PN da TAM subiu 1,45% e fechou entre as maiores altas da Bolsa. O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou por unanimidade, mas com restrições, a fusão da companhia aérea com a Lan.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Embraer quer definir parceiro de novo motor de E-Jets em 2012e

13/12/2011 - O Estado de São Paulo

REUTERS

SÃO PAULO, 13 DEZ - A Embraer quer definir o fornecedor potencial para o novo motor da próxima geração de seus E-Jets no próximo ano, uma etapa importante no plano de remotorização de sua família de jatos regionais de 70 a 122 assentos.

"(O ano de) 2012 será de definição para estas questões, determinar um parceiro para desenvolver o novo motor, discutir as necessidades com clientes e então apresentar o plano ao Conselho", disse o presidente-executivo da Embraer, Frederico Curado, durante almoço de fim de ano com a imprensa nesta terça-feira.

A decisão da Embraer de colocar um novo motor em seus E-Jets, desistindo de partir para o desenvolvimento de uma aeronave maior, ocorreu depois que as gigantes Airbus e Boeing anunciaram mais cedo este ano que iriam remotorizar seus modelos mais vendidos, o A320 e o 737.

A fabricante brasileira entendeu que não haveria espaço para um novo concorrente no mercado de aviões para levar ao redor de 150 passageiros, devido ao domínio de Airbus e Boeing. "(Remotorizar os E-Jets) é uma decisão que potencializa nossa longevidade", disse Curado.

A Embraer já está conversando com clientes a respeito da nova geração dos E-Jets, que receberão novas asas e trem de pouso, além de possivelmente novos sistemas de pressurização e aviônica, entre outros, disse o vice-presidente de Novos Negócios na Aviação Comercial da Embraer, Luis Carlos Affonso.

MAIS ENGENHEIROS

A Embraer pretende contratar cerca de 200 engenheiros em 2012, disse Curado.

Apesar de antever dificuldades no cenário internacional à frente, o presidente-executivo da Embraer avalia que o Brasil e a empresa estão agora tão bem ou melhores preparados do que estavam para enfrentar a crise global de 2008, que teve origem no sistema financeiro.

"Nossa postura é de continuar investindo", disse Curado, que prevê investimentos em 2012 superiores aos 450 milhões de dólares deste ano.

Atualmente, a Embraer tem cerca de 3.500 profissionais trabalhando no desenvolvimento de produtos, sendo 2.500 engenheiros e ao redor de 1 mil com outra especialização.

Os novos engenheiros serão alocados em projetos como o do cargueiro KC-390, na área de Defesa.

Além disso, a equipe de Novos Negócios na Aviação Comercial, atualmente com cerca de 50 engenheiros, deverá ao menos triplicar em 2012, segundo o vice-presidente Affonso.

O total de empregados da companhia no Brasil e exterior era de 17,2 mil no final de setembro.

O número de colaboradores da fabricante se situa na faixa de 17 mil desde 2009. Naquele ano, o quadro caiu de 23,5 mil para 16,9 mil, devido ao corte de pessoal diante da crise global que teve origem no setor financeiro.

RECEITA CUMPRIDA

A Embraer deve cumprir a meta para 2011 de receita de 5,6 bilhões a 5,7 bilhões de dólares, alta ao redor de 5 por cento sobre 2010, disse Curado.

O executivo afirmou ainda que a empresa vai fechar o ano com mais novas encomendas do que entregas na aviação comercial, elevando sua carteira de pedidos (backlog) nesse segmento.

(Por Carolina Marcondes, Brad Haynes; Reportagem adicional de Cesar Bianconi)

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Azul fecha o ano com balanço positivo

12/12/2011 - Mercado&Eventos

Por: Lisia Minelli

A Azul promoveu na tarde desta segunda-feira (12/12) uma confraternização com a imprensa para comemorar os bons resultados da companhia no ano de 2011. Estavam presentes no almoço Antônio Américo, diretor Comercial; Comandante Miguel Daw, vice-presidente Técnico Operacional Nacional; Gianfranco Beting, diretor de Comunicação e Marca; Paulo Nascimento, diretor Comercial, Marketing e TI; e Adalberto Febeliano, diretor de Relações Institucionais.

Segundo Nascimento, 2011 foi positivo para a Azul, que fechou o ano com 49 aeronaves, 42 destinos atendidos e 4.500 funcionários. "Esse ano tivemos um crescimento muito grande com a abertura de 14 novas bases e o recebimento de 23 aviões. E o mais importante foi que apesar desse crescimento, mantivemos nossa qualidade nos serviços. Por meio de pesquisas, contatamos que nosso índice de satisfação está acima dos 70%", disse. "Não perder isso é essencial para a companhia", completou. A Azul já transportou cerca de 15 milhões de passageiros, sendo que 9 milhões foram somente no ano de 2011.

Para o diretor, as perspectivas para o próximo ano também são boas. "Continuaremos a crescer mas com a preocupação nos custos. Os impostos e as tarifas no Brasil são muito altas e pressionam os custos. Nosso desafio será reduzi-los. Um trabalho que deverá ser feito em parceria com o Governo. Queremos que o Governo assuma o seu papel de indutor de turismo e que isso possibilite a aviação se tornar cada vez mais acessível", finalizou.

Avianca prevê expansão de 70% no próximo ano

13/12/2011 - ZERO HORA

Novos aviões, ampliação de frequências e da malha aérea se somam para a Avianca projetar crescimento de 70% no número de passageiros transportados no próximo ano sobre 2011. A projeção é alcançar em 2012 cerca de 5,4 milhões de usuários nos 147 voos diários para 22 destinos no país e um no Exterior.

Até 2 de janeiro, a companhia terá quatro novos Airbus A320 em voo. O primeiro dessa encomenda entrou em operação na sexta-feira, fazendo a rota Porto Alegre-Recife, com escalas em São Paulo (Guarulhos) e Brasília. Com capacidade para 162 passageiros, o A320 amplia a oferta de assentos no primeiro horário dessa linha. Além de zero-quilômetro, os novos Airbus têm um completo sistema de entretenimento, com telas individuais e conexão USB.

Em 2012, ainda chegarão mais cinco A318 (a partir de maio), com capacidade para 120 passageiros, somando-se aos cinco já em operação. Nesse caso, são aviões que estavam voando na companhia chilena Lan. A ampliação da frota faz parte de investimento de R$ 2,7 bilhões até 2016.

Conforme Tarcísio Gargioni, vice-presidente comercial e de marketing da empresa, o mercado de aviação deve continuar com avanço expressivo em 2012, entre 8% e 9%:

– A classe média se acostumou a viajar de avião.

Ainda de acordo com o executivo, 70% das passagens na Avianca são pagas por meio de cartão de crédito, em até cinco parcelas. Cerca de 65% dos usuários da empresa são pessoas que viajam a trabalho. Esse segmento é puxado pelos voos entre Rio e São Paulo. Os novos aviões serão utilizados para ampliar a oferta de assentos nas rotas já realizadas, principalmente para o Nordeste. A única nova operação prevista para 2012 é o voo para Maceió. No Rio Grande do Sul, além de Porto Alegre, a companhia voa para Passo Fundo.

– Vamos fortalecer nossos destinos – explica Gargioni.

Demanda exige o 3º aeroporto

11/12/2011 - Diário Online

JÚLIA GUIMARÃES

O movimento nos 35 aeroportos paulistas cresceu 55,73% desde o ano de 2007, quando o Governo Federal anunciou a construção de um terceiro terminal na Região Metropolitana de São Paulo. A medida foi comunicada oficialmente pela própria presidente Dilma Rousseff (PT), que na época ocupava o posto de ministra-chefe da Casa Civil, como uma resposta ao caos aéreo do País, agravado pela tragédia envolvendo o Airbus A320 da TAM em Congonhas. Quatro anos mais tarde, a rede aeroviária paulista é praticamente a mesma, porém os embarques e desembarques aumentaram sensivelmente, pulando de 30.559.847 no acumulado de janeiro a outubro de 2007, para 47.591.607 no mesmo período deste ano. No total, foram quase 17 milhões de registros de passageiros a mais em um sistema já confirmadamente saturado, o que corrobora a ideia de que é urgente a construção do terceiro aeroporto na RMSP.

O Estado de São Paulo possui cinco aeroportos federais sob responsabilidade da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero). Os outros 30 terminais são estaduais (confira relação nesta página) e administrados pelo Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp). Ambos os órgãos mantêm estatísticas mensais sobre o acumulado de embarque e desembarque de passageiros (confira quadro nesta página). Os dados mais recentes são de outubro de 2011 e indicam que apenas as unidades federais receberam um total de 45.465.352 pessoas nos 10 primeiros meses deste ano. No mesmo período de 2007, foram 29.595.691 registros, o que representa um crescimento de 53,62% em média para o acumulado de Congonhas (São Paulo), Cumbica (Guarulhos), Viracopos (Campinas), Campo de Marte (São Paulo) e São José dos Campos.

O detalhamento dos números da Infraero deixa evidente que os aeroportos maiores, de Congonhas e Cumbica, estão saturados. Isso porque o estrangulamento da demanda tem provocado um fenômeno de crescimento extremamente significativo nas unidades menores, em Campinas e São José dos Campos. O maior aumento, quase absurdo, foi registrado em Viracopos, cujos embarques e desembarques saltaram de 829.803, entre janeiro e outubro de 2007, para 6.198.373 neste ano, em um aumento de 646,96%. No terminal do Vale do Paraíba a situação é semelhante, sendo que os números passaram de 45.480 para 192.382, em um crescimento de 323,00%.

O Aeroporto Internacional de Guarulhos registrou crescimento menor de 61,6%, mas não menos expressivo levando-se em consideração o número de passageiros registrados na unidade. Em 2007, entre janeiro e outubro, um total de 15.320.894 de pessoas passaram pelo local. Apenas nos dez primeiros meses de 2011, houve registros de 24.758.986 embarques ou desembarques. No ano passado, no mesmo período, foram 22.087.385 operações do tipo, o que indica que apenas neste ano o terminal internacional recebeu cerca de 2,7 milhões de viajantes a mais do que em 2010.

Já em Congonhas, o crescimento foi mais tímido, de 5,88% de 2007 para 2011 (confira números no quadro). Apesar de a estatística ser aparentemente pequena, o aumento pode ser considerado preocupante já que existe um consenso de que o aeroporto precisa ter o movimento reduzido. A unidade foi palco do desastre aéreo de 17 de julho de 2007, quando o Airbus A320 da TAM se acidentou matando todos os seus tripulantes. Três dias mais tarde, em 20 de julho, a então ministra Dilma Roussef anunciou a construção de um terceiro aeroporto na RMSP, o que nunca se concretizou. A proximidade com a Copa do Mundo de 2014 acabou obrigando o Governo Federal, ainda que tardiamente, a entregar os aeroportos federais à iniciativa privada para ampliação da rede. Para o Governo do Estado, no entanto, a medida não é suficiente.

No início desta semana, o vice-governador Guilherme Afif Domingos (PSD) revelou os planos do Estado para o terceiro aeroporto da RMSP. O projeto, que vinha sendo mantido em sigilo até então, prevê uma Parceria Público-Privada (PPP) para construção do empreendimento, linkada à concessão dos 30 aeroportos paulistas sob administração estadual. Afif deixou claro que Mogi das Cruzes está entre as localidades passíveis recebimento do novo aeroporto. Logo depois, o prefeito Marco Bertaiolli (PSD) também confirmou, em entrevista exclusiva a O Diário, que os estudos do Estado para viabilização do projeto já estão bastante avançados e que a Cidade está cotada para recebimento do empreendimento já que a ideia inicial é para construção de pistas paralelas a Cumbica.

Aeroportos estaduais

Nos 30 aeroportos estaduais, o movimento de passageiros foi bem menor do que nas unidades federais, com 2.126.255 embarques e desembarques registrados neste ano. Porém, o crescimento foi alto, de 120,53%, já que em 2007 o Daesp registrou a passagem de 964.156 pessoas nos terminais. O salto pode ser um indicativo de que o setor tem potencial de crescimento no Interior. Possivelmente, seja de olho nessa tendência que o Estado já prepara a concessão da rede, conforme revelado por Afif.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Destinos Azul

Em operação:

1 Aracajú [AJU]
2 Araçatuba [ARU]
3 Belém [BEL]
4 Belo Horizonte/Confins [CNF]
5 Brasília [BSB]
6 Campo Grande [CGR]
7 Caxias do Sul [CXJ]
8 Cuiabá [CGB]
9 Curitiba [CWB]
10 Florianópolis [FLN]
11 Fortaleza [FOR]
12 Foz do Iguaçu [IGU]
13 Goiânia [GYN]
14 Ilhéus [IOS]
15 João Pessoa [JPA]
16 Joinville [JPI]
17 Juazeiro do Norte [JDO]
18 Maceió [MCZ]
19 Manaus [MAO]
20 Marília [MII]
21 Maringá [MGF]
22 Natal [NAT]
23 Navegantes [NVT]
24 Palmas [PMW]
25 Porto Alegre [POA]
26 Porto Seguro [BPS]
27 Presidente Prudente [PPB]
28 Recife [REC]
29 Ribeirão Preto [RAO]
30 Rio de Janeiro/Santos Dumont [SDU]
31 Rio de Janeiro/Galeão [GIG]
32 Salvador [SSA]
33 São José do Rio Preto [SJP]
34 São José dos Campos [SJK]
35 São Luis [SLZ]
36 São Paulo/Campinas [VCP]
37 São Paulo/Congonhas [CGH]
38 Teresina [THE]
39 Uberaba [UBA]
40 Vitória [VIX]
41 Zona da Mata [IZA]

A entrar em operação e a venda:

42 Bauru [JTC] (1º de Fevereiro)
43 Cabo Frio [CFB] (25 de Dezembro)
44 Caldas Novas [CLV] (8 de Dezembro)
45 Londrina [LDB] (1º de Fevereiro)

Destinos Solicitados:

46 Chapecó [XAP] (27 de Fevereiro)
47 Ipatinga (IPN) (15 de Fevereiro)
48 Paulo Afonso [PAV] ?
49 Sinop [OPS] ?
__________________

Azul pretende lançar voos para outros países da América do Sul em 2012

12/12/2011 - Melhores Destinos

Enquanto aumenta sua rede de destinos no Brasil, a Azul se prepara para um voo ainda mais alto no próximo ano: rotas internacionais para cidades da América do Sul. De acordo com o fundador da companhia, David Neeleman, o primeiro destino já está definido - o badalado balneário de Punta Del Leste, no Uruguai. A data de início, todavia, ainda não foi definida.
“Por enquanto vamos voar por perto. Ainda não temos equipamento para voos internacionais mais longos, mas vamos receber cinco novos jatos da Embraer até 2015″, disse o executivo em entrevista ao jornal Brasil Econômico.

Segundo a publicação, os jatos Embraer 195 encomendados pela Azul têm autonomia de voo de cerca de 4 mil quilômetros, suficientes para alcançar vários destinos na América do Sul.
Além dos planos de internacionalização da empresa, Neeleman afirmou ao jornal que espera um aumento de 25% no faturamento da companhia em 2012 graças à estratégia de ampliação do transporte regional, em especial após o acréscimo dos turboélices ATR à sua frota. Para isso, a Azul planeja passar de 49 para 63 aviões e de 42 para 60 rotas no próximo ano.
“Há muita gente querendo voar, precisamos chegar até esses locais e resgatar esses passageiros. Essas pessoas são as que usam o sistema rodoviário para se locomover entre estados”, afirmou ao jornal.

De acordo com o empresário, atualmente cerca de 150 milhões de brasileiros têm condições de viajar de avião e 85% dos passageiros da companhia estão voando pela primeira vez. “A fase é muito boa”, disse.

A Azul completa três anos no próximo dia 15 com a marca de 15 milhões de passageiros transportados no país. Neste período, a aérea conseguiu conquistar 10% do mercado brasileiro, ocupando a terceira posição de mercado, atrás de TAM e GOL.

A expansão da Azul é sempre uma ótima notícia em nosso mercado aéreo cada vez mais concentrado nas duas maiores companhias. Vale lembrar que a empresa tem ensaiado o início de suas  operações internacionais por meio de vários voos fretados para Buenos Aires. Esperamos que com este novo mercado a empresa ganhe musculatura para competir também nos preços, por meio de mais promoções em suas linhas.

E você? É a favor das rotas internacionais da Azul? Deixe sua opinião nos comentários!
Você pode ler a matéria completa no site do jornal Brasil Econômico.

TAM avança em estudo de combustível renovável

09/12/2011 - O Estado de São Paulo

AE - Agencia Estado

SÃO PAULO - A TAM Linhas Aéreas informou que avança nos estudos de viabilidade de uma cadeia de valor para cultivo agrícola, manejo industrial e distribuição em larga escala de uma nova opção de combustível renovável e eficiente para a aviação. Trata-se de um projeto de produção sustentável do bioquerosene produzido a partir de diversas fontes de matéria-prima. Entre elas, a semente de pinhão-manso.

Segundo a empresa, o Centro Tecnológico da TAM em São Carlos, no interior de São Paulo, abriga uma área de cultivo experimental de pinhão-manso, onde estão sendo testadas variedades do vegetal que futuramente serão utilizadas em cultivos comerciais. "O óleo proveniente desta semente, colhida em diversos pontos do Brasil e processado em bioquerosene, foi a origem do combustível utilizado para o voo demonstrativo feito pela TAM, em novembro de 2010, em uma mistura com 50% de querosene convencional", informa a empresa.

O estudo, idealizado pela TAM e pela JETBIO, conta com parceiros como Air BP, Airbus, Rio Pardo Bioenergia, potenciais refinarias, empresas de engenharia e a Universidade de Yale, que conduz a análise do ciclo de vida de diversas matérias-primas para comparar a "pegada" de emissões e os impactos de uso da terra com a cadeia produtiva do querosene convencional.

"Atingimos um novo estágio do projeto. Nossa unidade de plantio de pinhão-manso já orienta os estudos de viabilidade técnica e econômica para o início da implementação de uma cadeia de valor integrada no Brasil. Com este trabalho de cooperação, pretendemos formar conhecimento técnico, infraestrutura, escala de produção e viabilidade comercial para o bioquerosene", afirmou, em nota, o gerente de Energia da TAM Linhas Aéreas, Paulus Figueiredo.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Faltam pilotos no Brasil, diz diretor da TAM

09/12/2011 - Portal iG

Companhia precisa contratar 120 profissionais no ano que vem, mas tarefa está cada vez mais difícil

Danielle Assalve, iG São Paulo

A escassez de pilotos no Brasil será ainda mais intensa em 2012, na avaliação da TAM. A companhia precisa contratar 120 pilotos e copilotos no ano que vem, metade do total admitido em 2011. Mas a tarefa não será fácil. “Falta piloto no Brasil”, diz o comandante Leonard Grant, diretor de operações e treinamento da TAM.

O desafio está no descasamento entre o ritmo de formação de profissionais e o crescimento do mercado de aviação no Brasil. Embora tenha desacelerado nos últimos meses, no acumulado do ano a indústria registra aumento de 17,5% em passageiros por quilômetro pago (RPK) e de 13,7% em assentos por quilômetro ofertado (ASK) em voos domésticos, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O problema, segundo Grant, é que “o País não está olhando para a formação de pilotos”. Não existe hoje nenhuma estratégia conjunta do setor para buscar soluções para a questão. “As companhias têm feito muito esforço para encontrar uma saída, mas são iniciativas isoladas”, diz.

Carolina Duque, diretora de recursos humanos da TAM, conta que 2011 já foi um ano mais difícil para a contratação de novos pilotos e copilotos. "A TAM é uma marca forte, tem bastante atratividade, e mesmo assim nesse ano não conseguimos contratar com tanta rapidez como em 2010", diz. Ainda assim, a empresa conseguiu atingir a meta e admitir 240 funcionários.

Mas as perspectivas para 2012 são mais preocupantes: “ano que vem vai ser ano de dificuldade”, prevê Carolina. A TAM precisa contratar pilotos para repor alguns funcionários que saíram e dar conta de atender Às novas aeronaves que devem entrar e operação no ano que vem e no início de 2013. A empresa deve chegar ao fim do ano que vem com 159 aeronaves, três a mais que a frota no final de 2011. A previsão divulgada anteriormente era de terminar 2012 com 163 aviões.

Requisitos mínimos

Segundo o comandante Grant, está cada vez mais difícil encontrar profissionais que atinjam os requisitos mínimos da empresa. A TAM exige no mínimo 800 horas de voo para quem possui curso superior em ciências aeronáuticas, ou pelo menos 1.200 horas para quem não tem graduação. Mesmo com a escassez de mão de obra, ele diz que não está nos planos da empresa diminuir os requisitos para pilotos. Pelo contrário, as exigências continuam bastante elevadas após a contratação. "O piloto tem três chances por ano de parar de voar: se for reprovado no exame médico, na reciclagem de equipamento e na teórica", diz Grant.

Logo que são contratados, os profissionais recebem treinamento na Academia de Serviços Comandante Rolim Amaro, que completa dez anos de existência. No caso de pilotos e copilotos, são três meses de curso, simulações de voos e avaliações, que custaram à TAM a quantia de R$ 20 milhões em 2011. Ao todo, a empresa investiu R$ 32 milhões investidos no desenvolvimento de funcionários, valor 24% maior que os aportes feitos em 2010.

Áereas disputam pilotos

A escassez de profissionais qualificados acirra a competição entre as companhias aéreas brasileiras. A diretora de RH da TAM conta que a empresa tem perdido alguns pilotos para concorrentes. “Alguns têm saído para tentar fazer carreira mais rápida em outras companhias”, afirma.

Para ser comandante na TAM, um piloto precisa acumular, em média, cinco mil horas de voo – processo que leva de cinco a seis anos. Já em outras companhias a espera pode ser menor, o que tem motivado alguns a mudar de emprego. “Em muitos casos, o piloto aceita até ganhar menos em busca do status de comandante”, diz Grant. Ele afirma que, em geral, a mudança ocorre para outras companhias que operam no Brasil. "São muito poucos os casos de quem está deixando o País para pilotar em companhias do exterior", diz.

Para tentar atrair novos funcionários, a empresa tem buscado parcerias com escolas e tem procurado no mercado profissionais qualificados para o cargo. Em algumas situações, a TAM também adota a estratégia de oferecer salários um pouco superiores à média, na tentativa de atrair e reter pilotos. Outro atrativo, segundo Grant, é o fato de que a empresa é a única aérea brasileira a oferecer possibilidade de carreira internacional.

Atualmente a TAM tem 2.300 pilotos e copilotos. O salário inicial de um copiloto é, em média, R$ 8 mil. Já um comandante ganha aproximadamente R$ 20 mil. A companhia tem 6.500 comissários de bordo.