sábado, 22 de agosto de 2015

Azul começa a voar de Uruguaiana para Porto Alegre em 27 de outubro

20/08/2015 - Jornal do Comércio – RS


Turboélices ATR 72-600 terá capacidade para transportar 70 passageiros


Uruguaiana será o novo destino atendido pela Azul Linhas Aéreas Brasileiras. A companhia estreia um voo diário sem escalas na cidade gaúcha em 27 de outubro, com destino a Porto Alegre. Com essa novidade, já são seis as cidades servidas pela empresa no Rio Grande do Sul. As operações serão realizadas por turboélices ATR 72-600, equipados com 70 assentos. A solicitação da companhia já foi encaminhada à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

"Nossa chegada a Uruguaiana representa o avanço da aviação regional não só para a nova base, mas também para milhares de habitantes de cidades vizinhas, que agora contarão com os serviços da Azul para acessar dezenas de cidades País afora. Apostamos no sucesso dessa rota, dada a relevância econômica, principalmente sob o agronegócio, e geográfica de Uruguaiana, que é porta de acesso a países vizinhos ao Brasil", comentou Marcelo Bento, diretor de Planejamento e Alianças da Azul.

Os clientes que partirem de Uruguaiana poderão chegar a cidades como São Paulo por meio dos aeroportos de Congonhas, Viracopos e Guarulhos com apenas uma parada, em Porto Alegre. Ainda será possível conectar-se a Belo Horizonte (Confins), Curitiba, Foz do Iguaçu, Joinville, Maringá, Navegantes, Rio de Janeiro (Santos Dumont), entre outras cidades.

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Primeiro A380 do Galeão deverá chegar na Rio 2016

11/08/2015 - Panrotas

Por: Diego Verticchio



Primeiro aeroporto do Brasil a receber autorização da Anac para pousos e decolagens do A380, o Galeão (Rio de Janeiro) deverá receber o primeiro voo do maior avião comercial do mundo durante os Jogos Olímpicos, em agosto do próximo ano.

Durante apresentação das obras do aeroporto, que amanhã completa um ano desde a privatização, o presidente do consórcio, Luiz Rocha, afirmou que já há tratativas com uma delegação para que traga seus atletas na aeronave.

A partir de abril, quando as obras estiveram 100% concluídas, o Galeão ganhará o Píer Sul, espaço com 100 mil m2 onde estarão 40 pontes de embarques e desembarques (finguers), dos quais 14 fixas e 26 móveis. Destes, três portões terão especificações técnicas para acomodar aeronaves do código F, consideradas as maiores do mundo (A380 e B747-800).

RIOgaleão vai receber voos da Condor e Edelweiss em 2016

11/08/2015 - Mercado & Eventos

Por: Rafael Massadar



Os novos voos da Edelweiss, por exemplo, já aparecem nos sistemas de reservas desde o início de junho

A Edelweiss, companhia aérea do Grupo Lufthansa e afiliada à Swiss, irá operar a partir de abril de 2016 a rota Rio de Janeiro – Zurique, na Suíça. O novo voo non-stop será feito com um Airbus A330-300 e operado às segundas e sextas. Já a aérea alemã Condor confirmou operações no Rio de Janeiro a partir de 22 de dezembro, com destino a Frankfurt, na Alemanha. A princípio serão duas frequências semanais, às terças-feiras e sábados, e os bilhetes têm preço inicial de mil euros.

"Sabemos que ainda há muito trabalho pela frente, nestes 25 anos de concessão, para sermos o aeroporto que o Rio de Janeiro merece, mas temos a satisfação de constatar que a percepção dos passageiros começa a refletir as melhorias que implementamos. Nosso objetivo é continuar o número de voos e a experiência de todos os passageiros, visitantes e integrantes que trabalham aqui", afirma Luiz Rocha, presidente da concessionária RIOgaleão.

Os novos voos da Edelweiss já estão publicados nos sistemas de reservas desde o início de junho de 2015. As reservas poderão ser feitas com antecedência de até 340 dias das datas dos voos.

Aeroporto de Patos de Minas reabre com três voos regulares para Belo Horizonte

11/08/2015 - Estado de Minas

Retorno dos voos acontece a partir do dia 24 de agosto

Marina Rigueira /Estado de Minas

O Aeroporto Pedro Pereira dos Santos, em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, volta a funcionar a partir do dia 24 de agosto, com a reabertura de voos regulares para o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, durante três dias da semana. O Aeroporto de Patos de Minas ficou fechado por mais de um mês para adequações na infraestrutura, no setor de combate a incêndio e no canal de embarque de passageiros, solicitadas pelo Ministério Público Federal (MPF).

De acordo com a Prefeitura de Patos de Minas, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aprovou a volta das atividades e entendeu que todas as exigências foram atendidas dentro do prazo. A Azul Linhas Aéreas Brasileiras também confirmou o retorno. No site da empresa, a venda de bilhetes já está disponível.

De acordo com a Diretoria de Relações Institucionais, a Azul retomará a operação no Aeroporto Pedro Pereira dos Santos com voos nas segundas, quartas e sextas. Os horários divulgados pela empresa preveem saída do Aeroporto de Confins, às 9h26, com chegada às 10h35 no Aeroporto de Patos de Minas. Já o voo de Patos de Minas para Confins prevê saída às 11h e chegada às 12h.

Legacy 450, da Embraer, ganha aval da Anac

12/08/2015 - O Estado de S.Paulo

Empresa precisava de documento para poder entregar as primeiras unidades da aeronave, previstas para o 4º tri

Marina Gazzoni

márcio fernandes/estadão

Na tabela. Preço do Legacy 450 é de US$ 17 milhões

A Embraer recebeu ontem a certificação da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) para o jato Legacy 450, modelo de aviação executiva de médio porte. O documento era necessário para que a Embraer pudesse entregar aos clientes brasileiros o modelo, que foi lançado em 2008 e deve ter as primeiras unidades entregues no Brasil no quarto trimestre deste ano.

"Acertificaçãoprovoca,tradicionalmente, um acréscimo nos volumes de vendas de uma aeronave", disse ontem o presidente da Embraer Aviação Executiva, Marco Túlio Pellegrini, durante a feira Labace. A Embraer informou também que espera receber a certificação da americana Federal Aviation Administration (FAA, a Anac dos Estados Unidos) nas próximas semanas.

Apesar do otimismo com o Legacy450, Pellegrini diz que a crise provocou uma queda "substancial" na venda de jatos executivos da Embraer este ano no Brasil. "Ninguém compra avião em um momento de desconfiança. Na dúvida, o cliente posterga o investimento", disse.

De acordo como executivo, a Embraer vem conseguindo compensar parte da retração no mercado brasileiro e em outros países emergentes, como China e Rússia,como aumento das vendas nos Estados Unidos. O mercado americano é o maior do mundo para a aviação executiva e responde por mais de 60% das vendas da Embraer.

Inovação. O jato Legacy 450 é uma das grandes apostas da Embraer para ganhar relevância no mercado de aviação executiva mundial. A empresa classifica o modelo como um game changer, que poderá mudar o mercado no segmento de jatos médios.

Diferenciais. O produto traz inovações para a categoria que hoje só estão presentes nos grandes jatos. É o primeiro a ter controle de voo totalmente digital (fly-by-wire) e painéis em tela de 15 polegadas de LCD e alta resolução. O avião tem capacidade para até nove assentos e custa US$ 17 milhões, considerando o preço de tabela.

"Esse avião incorpora tecnologias que estão em jatos que custam mais de US$ 50 milhões", disse Pellegrini. "É como se você vendesse um carro com airbag, freio ABS e câmbio automático enquanto todo mundo vende modelos sem nada disso", completou.

A Embraer entrou no mercado de aviação executiva em 2000econstituiuumaempresa separada para o segmento, a Embraer Aviação Executiva, há dez anos. "Ainda somos novos nesse mercado. Nossos concorrentes operam há 50 anos", disse Pellegrini. A companhia tem cerca de 17% de participação no mercado global de aviação executiva, com sete produtos.Seus jatos de pequeno porte – o Phenom 100E e Phenom 300 – foram os modelos mais entregues no Brasil no ano passado.

● Porte

17% é a participação da Embraer no mercado de jatos executivos, segmento em que a companhia atua há apenas 15 anos

Galeão vai ganhar 26 novas pontes de embarque

12/08/2015 - O Globo, Célia Costa

A expansão do Terminal 2 do Aeroporto Internacional Tom Jobim - uma área de cem mil metros quadrados, chamada de Píer Sul - ganhará 26 novas pontes de embarque, com 14 esteiras rolantes e 14 elevadores. A informação foi dada pela concessionária Rio Galeão, que fez ontem, na véspera de completar um ano à frente da operação do aeroporto, o primeiro balanço das obras em andamento para os Jogos Olímpicos. A promessa é que as melhorias de infraestrutura sejam entregues em abril, conforme previsto no cronograma.

Quando o Píer Sul estiver concluído, o check-in continuará sendo feito no Terminal 2, e os passageiros terão que seguir pelas esteiras por cerca de 600 metros até o setor de embarque. No mesmo terminal, serão inaugurados 12 pórticos de raios X, 12 elevadores e 15 escadas rolantes. As obras de melhorias incluem também um edifício- garagem, que terá sete andares e 2.700 vagas, com sistema de informação automatizada sobre a disponibilidade em cada um dos pavimentos.

Durante as Olimpíadas, o Tom Jobim deverá receber cerca de 1,5 milhão de passageiros.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Ampliação do Galeão para Olimpíada está na metade

12/08/2015 - Valor Econômico

Quase uma centena de caminhões e tratores circulam em um terreno de cem mil metros quadrados ao lado do Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, no Rio de Janeiro. No local, cerca de cinco mil operários trabalham para que a ampliação do terminal carioca, que irá receber a maior parte dos turistas durante a Olimpíada no ano que vem, fique pronto até abril - mês estabelecido de entrega.

O Consórcio Rio Galeão, formado pela Odebrecht TransPort, a Changi Airports e a Infraero, ainda precisa concluir cerca de 40% do projeto. O investimento de R$ 2 bilhões até 2016 inclui a construção de uma extensão do terminal 2 que terá 26 novas portas de embarque e uma área de Duty Free duplicada para 8 mil metros quadrados, além de quatro novos andares de estacionamento, entre outras reformas.

O presidente da concessionária, Luiz Rocha, nega qualquer tipo de atraso e afirma que as obras serão entregues antes dos Jogos Olímpicos. "Vamos cumprir os prazos", garantiu. A estrutura do novo estacionamento, com dois mil lugares e mais quatro andares, já está concluída, mas ainda faltam acabamentos como pintura, sinalização e instalação de equipamentos de iluminação e segurança.

Do lado de fora, no que será a pista de taxiamento das aeronaves, tratores ainda trabalham na parte de fundação. Segundo o gerente de produção da Odebrecht TransPort, Pedro Buonsanti, apenas 45% desse novo terminal, batizado de Píer Sul, está pronto. Quando concluído, o projeto dará mais velocidade no embarque e desembarque dos passageiros. "A maior preocupação é logística", afirmou ontem Buonsanti, durante uma visita organizada pela empreiteira ao canteiro. "Fazer essa obra sem atrapalhar o entra e sai de passageiros é um desafio", acrescentou.

Rocha também negou que a operação Lava-Jato, que investiga contratos principalmente entre a Odebrecht e a Petrobras, vem afetando os trabalhos no aeroporto do Rio. "A Odebrecht TransPort é independente, tem capital próprio e não sofre nenhuma influência da Lava-Jato", afirmou. "Os recursos estão garantidos", completou.

O Rio Galeão estima que 1,5 milhão de pessoas passem pelo aeroporto internacional durante o período olímpico. O projeto prevê ainda a compra de novos elevadores, escadas e esteiras rolantes - três das principais reclamações dos usuários - e a abertura de mais de 60 novas lojas. O plano de investimento até 2039 é de R$ 5,2 bilhões.

Rocha disse ainda que avalia a participação em licitações de novos aeroportos e citou terminais no Nordeste - como os de Salvador (BA) e Fortaleza (CE) - entre os alvos de interesse.

O presidente do Rio Galeão informou que houve um crescimento de 3% no número de passageiros nos primeiros sete meses do ano, na comparação com 2014 - apesar de esse período, no ano passado, contar com a realização da Copa do Mundo. Rocha atribuiu às promoções das companhias aéreas o aumento no movimento dos terminais, a despeito da atual crise econômica.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Azul anuncia operações em Caiena, na Guiana Francesa

04/08/2015 - Jornal de Turismo



A Azul Linhas Aéreas Brasileiras iniciará, em 20 de agosto, operações em Caiena, capital da Guiana Francesa. Serão dois voos semanais a partir de Belém, oferecidos às terças-feiras e aos sábados e realizados pelos modernos turboélices ATR 72-600, equipados com 70 assentos. Este será o primeiro destino internacional sul-americano atendido pela Azul – a companhia também será a única brasileira, entre as aéreas que operam atualmente, a contar com voos regulares para Caiena. Tarifas estão disponíveis a partir de R$ 331,00* ou 20.000 pontos do TudoAzul** o trecho.

"Este será o nosso terceiro destino internacional. É uma rota muito importante principalmente para atender a demandas do Norte do país, uma vez que a localização de Caiena é estratégica para algumas cidades da região. Apostamos no sucesso desta rota, com a conectividade oferecida em Belém e pela operação exclusiva da Azul entre empresas brasileiras", afirma Marcelo Bento, diretor de Planejamento e Alianças da Azul.

Em Belém, onde a Azul é líder de operações com aproximadamente 15 voos diários, há conexões para oito destinos: Manaus, Santarém, Itaituba, Porto Trombetas, Altamira, Macapá e Fortaleza, além de Belo Horizonte (Confins), onde a companhia passará a oferecer voos sem escalas para Orlando a partir de 16 de novembro.

Caiena é a maior cidade da Guiana Francesa, com aproximadamente 60 mil habitantes. Por ser um território da França, a Guiana Francesa faz parte da União Europeia e da Zona do Euro (grupo de países em que a moeda em circulação é o Euro). Além do turismo, o país tem a pesca, silvicultura e extração de ouro como principais atividades econômicas.

Empresas de aviação do CE ampliam operação entre municípios do estado

05/08/2015 - O Povo – CE

Empresas de aviação do Ceará expandem o transporte aéreo no Estado. A TAF vai começar um voo regular diário para Sobral. A Rota do Sol vai fazer fretamento duas vezes por semana para Crateús. Mas planos são maiores

divulgação rota do sol


Bandeirante que deve fazer o voo fretado entre Crateús e Fortaleza

Empresas cearenses de aviação se movimentam para aproveitar a demanda por voos entre os municípios do Estado. Na segunda quinzena de agosto, está previsto o início de dois voos semanais fretados entre Crateús e Fortaleza, operado pela Rota do Sol Táxi Aéreo. Em setembro, um voo regular (comercial) está previsto para ter início entre Sobral e Fortaleza, operado pela TAF Aviação.

Cada passageiro pagará R$ 340 pelo trecho que parte de Crateús, conforme o diretor-geral da Rota do Sol, Anchieta Teles. A viagem terá saída duas vezes na semana: segunda-feira à tarde e sexta-feira pela manhã. O voo vai durar 50 minutos e será realizado com uma aeronave Bandeirante, que foi adquirida por cerca de R$ 2,5 milhões pela empresa. Capacidade de 20 tripulantes.

A iniciativa só vai ser viável em função de parceria que está sendo fechada com as prefeituras e empresários da região. A garantia será de uma ocupação mínima de 12 passageiros pagantes por trecho. Tudo será organizado por uma agência de turismo ainda não revelada. Teles ressalta que a manutenção é muito cara e se tornaria comercialmente inviável sem a garantia mínima de ocupação.

"É um projeto para ser expandido a uma aeronave maior, a depender da demanda. Se engrenar, a gente passa para um Fokker 50 ou para o ATR 42, cada um com 40 lugares de capacidade de transporte", adiantou Teles.

A empresa decidiu tomar a iniciativa enquanto aguarda os recursos e benefícios do Governo Federal prometidos na Medida Provisória (MP) 652, que cria o Programa de Desenvolvimento da Aviação Regional (PDAR).

Atualmente, a Rota do Sol faz o transporte de médicos ao Hospital Regional Norte, em Sobral, há um ano.

Para Sobral de TAF

Detalhes burocráticos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) é o que espera a TAF para dar início à operação de um voo comercial diário entre Sobral e Fortaleza. Será realizado com a aeronave Cessna. Foi o que afirmou ao O POVO o diretor da empresa, Ariston Pessoa.

O valor do trecho ainda não está definido, mas será em torno de R$ 290. "Nossos planos vão muito além de Sobral. Queremos ir a São Benedito, Crateús, Iguatu e outros trechos", ressaltou.

O que a Anac diz

Conforme a Anac, apenas TAM, Gol, Azul, Avianca, Meridiana e TACV (Transporte Aéreo Cabo Verde) têm autorização para operar voo comercial no Ceará. A agência ressaltou que, mesmo fretamento e voo executivo, precisa de autorização da Anac.

NÚMEROS

12 passageiros por trecho são necessários para viabilizar o voo de Crateús
Saiba mais

Exigências para voar

O primeiro para constituir uma empresa aérea regular de passageiros, carga e mala postal é a autorização de funcionamento jurídico. A segunda etapa é a obtenção do Certificado de Operador Aéreo (COA). Deverá elaborar sua biblioteca de manuais operacionais; solicitar inspeções das aeronaves; solicitar inspeção de suas instalações físicas; contratar e treinar os tripulantes e profissionais de solo e realizar algumas demonstrações operacionais.

Outorga

A companhia aérea passa ainda pela avaliação de suas condições operacionais. Após receber o COA, o processo da companhia vai para a fase final, que é a Outorga. Há ainda a possibilidade de empresas de táxi-aéreo prestarem o serviço de Ligação Aérea Sistemática, para atender a cidades que não são atingidas por linhas aéreas regulares.

Vôo Corumbá – Campinas opera com mais de 84% de ocupação

04/08/2015 - Correio do Estado – MS

A Prefeitura de Corumbá ainda está trabalhando para viabilizar o voo Corumbá-Campo Grande




DA REDAÇÃO

Voo que saiu de Campinas para Corumbá teve mais de 100 passageiros

Nesta segunda-feira (3), teve início a operação do novo trecho a ser comercializado pela empresa Azul Linhas Aéreas no município de Corumbá (MS). A nova rota que liga o município pantaneiro à Campinas, no estado de São Paulo, entrou em operação com um voo que chegou por volta das 13h20min trazendo mais de 100 passageiros que desembarcaram na Capital do Pantanal, número que segundo representantes da empresa não era registrado há algum tempo.

Já no retorno para o estado paulista, a aeronave decolou levando 79 passageiros. O novo roteiro entrou em substituição a rota Corumbá – Campo Grande e de acordo com a diretora-presidente da Fundação de Turismo do Município, Hélènemarie Dias Fernandes, a nova rota deverá fortalecer a chegada de turistas ao Pantanal de Corumbá já que facilita a conexão entre a região com maior demanda de turistas de uma forma direta e muito mais rápida.

Hélènemarie lembrou também que Corumbá é um dos 34 destinos do Programa de Desenvolvimento de Aviação Regional do Governo Federal. "Com isso, a cidade não só pode receber mais investimentos em estrutura aeroportuária, como também ser incluída em novas rotas. A própria empresa aérea já demonstrou interesse nisso. Claro que tudo vai depender da demanda e da ocupação do voo", complementou.

A Azul fará o trecho Campinas-Corumbá/Corumbá-Campinas quatro vezes por semana. Nas segundas, quartas e sextas-feiras o avião chega ao Aeroporto Internacional de Corumbá às 13 horas e decola as 13h45. No domingo, o voo chega as 12h50 e volta as 13h20. A empresa opera com um jato Embraer 190, com capacidade para 106 passageiros.

As tarifas podem ser encontradas a partir dos R$ 139,00 ou 5.000 pontos do Tudo Azul para o trecho entre Campinas e Corumbá, com disponibilidade mínima de 30 assentos no valor promocional por trecho publicado, considerando a totalidade de voos no período da promoção. As tarifas e pontuações estão sujeitas às regras tarifárias e disponibilidade de assentos.

A Prefeitura de Corumbá ainda está trabalhando para viabilizar o voo Corumbá-Campo Grande.

Suíça começa a testar uso de drones para entregas postais

04/08/2015 - Gazeta do Povo – PR

Com quatro hélices, o aparelho consegue transportar um pacote de até dez quilos por mais de 10 quilômetros

ESTADÃO CONTEÚDO

O Correio da Suíça começa a fazer testes para entregar encomendas com a ajuda de drones. A meta é usar de forma regular a tecnologia até o fim da década, principalmente nas áreas mais remotas do país e em certas localidades dos Alpes. Empresas como a Amazon já haviam iniciado um debate sobre esse uso. Mas o serviço postal suíço quer ser um dos primeiros serviços públicos a aderir à tecnologia. Nova Zelândia e Alemanha também já começaram os testes. Desde o fim de 2014, Berlim faz, de forma experimental, a entrega de remédios a uma ilha no mar Báltico usando drone.

Com quatro hélices, o aparelho consegue transportar um pacote de até dez quilos por mais de 10 quilômetros. Fabricado pela empresa americana Matternet, o drone não precisa ser pilotado e, segundo um comunicado dos Correios da Suíça, voa até o local indicado usando "caminhos seguros".

A meta é reduzir o custo de entregas de pacotes e de cartas em dezenas de vilarejos afastados nas montanhas e em locais isolados dos Alpes. No período de inverno, muitos desses locais acabam sendo afetados pela neve, inclusive com a interrupção de serviços postais.

Os testes que foram concluídos na semana passada deixaram boa impressão entre os técnicos e executivos, mas o serviço postal suíço informou que "um uso comercial realista da tecnologia terá de esperar cerca de cinco anos para ocorrer". Um dos obstáculos é a duração da bateria para permitir a realização de voos com regularidade.

Os obstáculos para a introdução do sistema, porém, vão muito além de questões técnicas. Uma nova regulação sobre o voo de aeronaves não tripuladas teria de ser aprovada pelo Parlamento.

Carteiros

Com ou sem a solução para esses obstáculos, os executivos suíços já garantem que os carteiros não serão abolidos com a chegada dos drones. "Trata-se de uma tecnologia para complementar o carteiro", afirmou Dieter Bambauer, diretor de Logística dos Correios.

Num primeiro momento, o uso seria limitado a situações de emergência, como para garantir o abastecimento de remédio a um local afetado por uma tempestade de neve. Outra possibilidade será o transporte de material que exige certa urgência, como testes laboratoriais.

Nova York a Londres em 90 minutos: Airbus registra patente de novo jato supersônico

05/08/2015 - O Globo

RIO - Num futuro próximo, a experiência de cruzar o Oceano Atlântico pode ficar bem diferente — e rápida. Superrápida, na verdade. Se hoje uma viagem entre Nova York e Londres dura cerca de sete horas, a fabricante europeia de aeronaves Airbus quer encurtar este tempo. E pretende investir num avião capaz de fazer esse mesmo trajeto em apenas 90 minutos. A patente do novo jato supersônico já foi autorizada pelo Escritório de Patentes dos Estados Unidos.

A máquina permitiria viajar de São Francisco a Paris em apenas 3 horas. A nova patente da Airbus foi originalmente registrada em 2010, mas somente foi autorizada no mês passado. Segundo a rede CNN, o projeto envolve um jato classificado como "veículo aéreo ultrarrápido", capaz de superar até quatro vezes a velocidade do som. O avião poderia carregar até 20 passageiros ou três toneladas de carga por distâncias de cerca de 8.850 quilômetros — Nova York e Londres estão a quase 5.600 quilômetros distantes uma da outra.

A patente tem duração de um ano e descreve um jato que poderia carregar "passageiros VIP e executivos, que precisam de jornadas transcontinentais dentro de um dia". O registro explica que a aeronave reduziria o barulho do "estrondo supersônico" causado quando o jato quebra a barreira do som.

Segundo o jornal francês "Libération", o modelo patentado possui três sistemas de propulsão distintos. Dois turbomotores são usados nas manobras terrestres e de decolagem. Um motor de foguete permite ao avião uma ascensão quase vertical. Quando a aeronave alcança determinada altitude (de cerca de 35 quilômetros, mais de três vezes a usada pelos voos comerciais atualmente), um terceiro sistema de propulsão permite ao avião se deslocar horizontalmente à velocidade supersônica.


UM NOVO CONCORDE?

Não é a primeira vez que se tenta encurtar o tempo da viagem. O histórico modelo Concorde — construído pela empresa precursora da Airbus, a Aérospatiale, com a British Aircraft Corporation entre 1965 e 1978 — voava de Nova York à capital da Inglaterra em 3 horas e meia antes de encerrar suas atividades comerciais, em 2003.

O documento apresentado no registro lembra que, além do Concorde, somente o modelo russo Tupolev Tu-144 é supersônico. O projeto da Airbus permite "melhorar o desempenho de ambas as aeronaves consideravelmente", segundo a descrição da patente.

A expectativa é grande. No entanto, James Darcy, diretor de Comunicação Corporativa da companhia, ressaltou que o projeto ainda está em fase de pesquisa e desenvolvimento — e pode nunca ser executado de fato.

— O grupo Airbus e suas divisões registram centenas de patentes todo ano para proteger a propriedade intelectual — declarou Darcy. — Nem toda patente progride a ponto de se tornar uma tecnologia ou produto integralmente realizada.

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Faltam 8: Avianca finalizará troca de MK-28 por Airbus em setembro

02/08/2015 - Mercado & Eventos

Samantha Chuva


Gargioni brinda nova aeronave

​A Avianca começou hoje (02/08) a operar a aeronave Airbus 318 na rota São Paulo (Guarulhos)-Passo Fundo (RS). O avião substitui o antigo Fokker MK-28. Com 120 assentos, o novo voo vai aumentar em 20% a capacidade de passageiros."Essa é uma região estratégia para a Avianca. Considerada a capital do Norte do rio Grande do Sul, Passo Fundo é um polo industrial e geoeconômico do estado. Além de aumentarmos a oferta, esse é uma avião mais novo, moderno e que conta com entretenimento a bordo", destaca o vice-presidente Comercial, Marketing e Cargas da Avianca Brasil, Tarcísio Gargioni. Segundo Gargioni, atualmente a rota é operada com uma frequência diária de domingo a sexta. "Já entramos com um pedido junto a Anac para incluirmos uma frequência aos sábados também", explica o vice-presidente.

Em comemoração ao novo voo, a companhia serviu taças de Champgne em seu voo inaugural, que foi complementado por um discurso de Gargioni que aproveitou para ressaltar que a Avianca, que recentemente começou a fazer parte oficialmente da Star Alliance, tem a meta de transportar 8 milhões de passageiros em 2015. "Mesmo com a crise já contabilizamos um crescimento no número de passageiros transportados em 15%", conclui. Em 2010 a Avianca transportou 1,7 milhão de pessoas.

A troca da aeronave marca uma nova etapa do processo de unificação da frota da companhia no país, que está substituindo os aviões MK-28 por A318, A319 e A320. "No momento faltam apenas oito aviões para serem substituídos. A previsão é que até o final de agosto, os Fokkers parem de circular e até meados de setembro toda a frota seja composta por aeronaves da Airbus", finaliza Gargioni. A companhia totalizará 40 aeronaves de passageiros, além de um A330 voltado para transporte de cargas.