terça-feira, 31 de março de 2015

Embraer anuncia venda de 17 aviões para a Air France-KLM

30/03/2015 – Paraná-online

ESTADÃO conteúdo

A Embraer anunciou hoje uma venda firme de 17 aviões regionais para a Air France-KLM, com valor de tabela de US$ 764 milhões.

O contrato também inclui opções da empresa aérea franco-holandesa para a compra de outros 17 aviões da Embraer, o que elevaria o valor potencial da venda a US$ 1,5 bilhão. É comum, porém, que fabricantes de aviões ofereçam descontos no fechamento de grandes vendas.

A encomenda inclui dois aviões do modelo E190, com entrega prevista para começar este ano, e 15 unidades do ERJ175, que serão entregues a partir do início de 2016, informou a Embraer em comunicado.

As aeronaves serão utilizadas pela KLM Cityhopper, subsidiária da Air France-KLM que opera em rotas regionais e já dispõe de aviões dos dois modelos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Gol confirma voo Natal/Campinas

28/03/2015 - Tribuna do Norte – RN


A companhia aérea GOL confirmou ontem um voo Campinas-Natal-Campinas a partir do dia 4 de julho, informou ontem a Secretaria de Turismo do Rio Grande do Norte. O voo, segundo a Secretaria, será viabilizado em parceria com a operadora CVC e ocorrerá todos os sábados. Na semana passada, a companhia já havia anunciado que pediu autorização à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para operar um voo direto entre Natal e Buenos Aires.

Júnior Santos


GOL anuncia início de voo direto entre Natal e Campinas (SP), a partir do próximo mês de julho

Para o titular da pasta estadual de Turismo, Ruy Gaspar, a expansão dos voos é resultado da redução do imposto sobre o querosene de aviação (QAV), anunciada este ano pelo governo do estado. "Tínhamos certeza do ganho inestimável ao nosso estado com essa iniciativa. Apenas este voo representará R$ 16 milhões que entrará na economia do RN, irrigando as 52 atividades que orbitam em torno do turismo", resstitleou o secretário.

Outro ponto favorável à concretização do voo para Campinas, segundo a Secretaria, foi a garantia do superintendente da CVC, Vtitleer Patriani de que traria 50 mil turistas ao Rio Grande do Norte durante o ano de 2015. Essa promessa foi feita em encontro de Patriani, Robinson Faria e Ruy Gaspar, em janeiro deste ano, em Natal. A CVC é considerada, hoje, a maior operadora de turismo da América Latina. Ainda em fevereiro, o governador e o secretário de Turismo conversaram, em São Paulo, com executivos das quatro principais companhias aéreas do país: Gol, TAM, Azul e Avianca. As reuniões tiveram o objetivo de negociar a redução do QAV em troca de contrapartidas das companhias no tocante à retomada de voos para o Estado. O voo Campinas-Natal-Campinas será realizado no Boeing 737-800, da frota da Gol. O anúncio oficial desta operação acontece no próximo dia 10 de abril, segundo a Secretaria de Turismo. A capacidade é de 180 passageiros. A cidade de Campinas fica a 100 quilômetros da capital São Paulo e aparece em quinto lugar entre 100 municípios analisados pelo Índice das Melhores e Maiores Cidades Brasileiras.

Voos comerciais em Divinópolis são adiados para junho

27/03/2015 - G1

Segundo Azul, adequações necessárias não foram concluídas.

Prefeitura informou que reivindicações já foram realizadas.

Do G1 Centro-Oeste de Minas


Previsão é de que voos comecem a partir de junho


A data para a inauguração dos voos comerciais do Aeroporto Brigadeiro Cabral, em Divinópolis, para o município de Viracopos, em Campinas (SP), foi adiada novamente.

Segundo a Azul Linhas Aéreas, empresa que implantará o serviço na cidade, as adequações necessárias ainda não foram concluídas. A previsão é de que as operações sejam iniciadas a partir do dia 1º de junho. Por outro lado, a Prefeitura de Divinópolis informou em nota que todas as reinvindicações já foram concluídas.

No mês de abril de 2014 os técnicos da Azul Linhas Aéreas estiveram em Divinópolis para uma reunião sobre estudos de viabilidade de implantação de voos comerciais no Aeroporto Brigadeiro Cabral. De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico do município, Paulo César Santos, na ocasião a empresa já manifestava interesse na implantação dos voos comerciais. A ação faz parte do programa de aviação regional lançado em 2012 pelo Governo Federal. A previsão era de que os voos iniciassem a partir de dezembro de 2014.

Contudo, após o anúncio, a empresa solicitou à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em junho daquele ano a autorização para operar em Divinópolis e aguardava autorização do órgão para iniciar a venda de passagens. A data de início dos voos estava prevista para 2 de fevereiro de 2015. Mas foi adiada em janeiro deste ano para o mês de março devido à ftitlea da conclusão de algumas normas.

Após a resolução, as operações foram novamente adiadas para o dia 4 de maio. Na ocasião, o secretário de Desenvolvimento Econômico de Divinópolis, Paulo César dos Santos, disse que a empresa havia pedido um novo prazo à Anac por causa de manutenções nas aeronaves.

Com o novo adiamento desta semana, a previsão é de que as operações iniciem no dia 1º de junho. Segundo a Azul, o motivo do adiamento é que ainda não foram concluídas as adequações necessárias no aeroporto, para receber os voos da empresa. Mas em nota, a Prefeitura de Divinópolis informou que já concluiu todas as reivindicações.

Anac autoriza TAM operar voos em São José dos Campos a partir de julho

27/03/2015 - G1

Companhia deve começar operação na cidade a partir de 1º de julho.

Autorização acontece três meses após Azul deixar município.

Do G1 Vale do Paraíba e Região


Aeroporto de São José está oscioso há três meses


A empresa aérea TAM recebeu autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para operar voos em São José dos Campos (SP). De acordo com a Anac, a companhia deve iniciar operação na cidade a partir do dia 1º de julho.

A empresa havia pedido para atuar no município no fim de fevereiro, três meses depois que a aérea Azul encerrou as operações no aeroporto de São José.

Segundo a Anac, os voos da companhia vão ter como destino Brasília (DF). Os voos sentido capital federal vão acontecer de segunda a sábado com saída programada para as 6h22. Já as viagens no sentido contrário acontecerão de domingo a sexta-feira saindo às 21h do Distrito Federal.

Em nota, a TAM informou que se prepara para dar início ao atendimento no município, mas não deu detalhes sobre a operação. Além de São José, a companhia também passará a operar em Bauru (SP) e Juazeiro do Norte (CE).

Aeroporto

Em dezembro, a Azul desistiu de operar em São José dos Campos alegando que o baixo movimento de passageiros tornava a manutenção da empresa economicamente inviável.

A decisão da companhia, aconteceu logo após o terminal ter sido modernizado e ampliado com um investimento de R$ 16,6 milhões. Desde a saída da Azul, o local permanece ocioso.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Companhia pode iniciar vôos entre João Pessoa e Miami e ampliar malha aérea já existente na Capital

27/03/15 - Correio da Paraíba

Informações foram repassadas pelo secretário de Turismo de João Pessoa, Bruno Farias, pelas redes sociais

Por Redação, com Jornal Correio da Paraíba

Reprodução


Imagem Ilustrativa

A TAM Linhas Aéreas estuda a possibilidade de iniciar voos entre João Pessoa e Miami (EUA), Campina Grande e Brasília, além de ligar a capital paraibana a Fortaleza. Existe ainda um estudo para ampliar a malha aérea já existente entre João Pessoa e Brasília. As informações foram repassadas pelo secretário de Turismo de João Pessoa, Bruno Farias, pelas redes sociais.

"Muito produtiva a reunião com Diretores da TAM, que se comprometeram em viabilizar um voo Campina Grande-Brasília, um voo João Pessoa-São Paulo, além de fortificar a malha já existente entre João Pessoa-Brasília. Além disso, houve o compromisso de iniciar estudos de viabilidade econômica para rotas regionais (exemplo: João Pessoa-Fortaleza) e, também, para uma possível rota internacional inédita (João Pessoa-Miami), já que a TAM vem investindo em rotas internacionais partindo do Nordeste, tais como Recife-Buenos Aires e Fortaleza-Miami", escreveu Bruno Farias, em seu perfil no Facebook.

Nessa quinta-feira (26), uma comitiva liderada pelo secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico, Laplace Guedes, esteve reunida com diretores da TAM e da Gola', a proposta do governo do estado de reduzir a alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), de 17% para 12%, no combustível de aviação. Em troca, as companhias aéreas aumentariam as operações nos aeroportos de João Pessoa (Castro Pinto) e Campina Grande (João Suassuna), ocupando os horários ociosos.

MAP Linhas Aéreas lança voo a Manaus

27/03/2015 – Diário da Amazônia – RO

Emerson Machado

DIÁRIO DA AMAZÔNIA

As aeronaves que farão as viagens no trecho são as ATR-72, produzidas por diversos fabricantes europeus

Com o objetivo de expandir os negócios e aumentar a oferta de viagens entre a capital rondoniense e Manaus, a MAP Linhas Aéreas vai disponibilizar voos diários entre as duas cidades. Com a viagem inaugural marcada para segunda-feira (30), o voo deve durar quase duas horas. A expansão da MAP, que conta com trechos em todo o Estado do Amazonas e do Pará, representa a confiança nas possibilidades de crescimento de Rondônia.

De acordo com Marcos Pacheco, diretor-executivo da companhia, mesmo em um momento de crise econômica no Brasil, é importante seguir investindo em mercados que tem potencial para receber a empresa. "Todo período de recessão é um período complicado para as empresas investirem, mas nós acreditamos no potencial da região Norte. Não tem como destacar a região Norte do restante do País", afirma.

Segundo Pacheco, o fluxo de pessoas que precisam estar em Rondônia por trabalho e de pessoas que saem do Estado pelo mesmo motivo é muito grande. "Há pessoas que querem investir, há um fluxo de trabalho muito grande, não podemos desconsiderar isso e puxar o freio de mão [neste momento de crise econômica", acentua. Ele ainda destaca o fato de que dificuldades todas as empresas passam, mas são nesses momentos que se deve acreditar na consolidação econômica do Brasil.

EMPRESA AMPLIARÁ VOOS PARA INTERIOR DO ESTADO

Em coletiva de Imprensa realizada ontem, o diretor revelou que as aeronaves que farão as viagens no trecho são as ATR-72, produzidas por diversos fabricantes europeus. Com capacidade para o trânsito de 66 pessoas, as aeronaves já são implantadas pela empresa em diversos trechos dos Etados em que atua.

A visão regional da MAP busca levar voos para lugares em que outras empresas não estão. Além do trecho Porto Velho – Manaus – Porto Velho, a companhia estuda implantar voos diretos de Porto Velho para o interior do Estado, para cidades como Cacoal e Vilhena. Atualmente, a única empresa que pousa nestas cidades é a Azul Linhas Aéreas – mas com um pequeno transtorno: passageiros com destino a Cacoal ou Vilhena viajantes da Azul devem ir a Cuiabá e depois voltarem aos destinos finais.

De acordo com Márcio Barreto, diretor de uma agência de viagens na capital de Rondônia, o transtorno que a Azul provoca ao fazer os passageiros seguirem à Cuiabá para depois Cacoal ou Vilhena gera custos, que deixa a viagem mais cara. "A promessa da MAP, que está chegando a Porto Velho, pode diminuir os custos de viagem aos passageiros que querem sair da capital e seguir apenas ao interior do Estado, sem precisar seguir até o Mato Grosso para então voltar", comenta.


As aeronaves têm capacidade para 66 passageiros

FUTUROS CLIENTES DA MAP APROVAM NOVO TRECHO

Para o comerciante Alex Josué da Silva, o novo trecho oferecido pela MAP chegou em boa hora. Com idas pontuais à capital amazonense para compras de produtos eletrônicos para venda, Silva afirma que ter poucas opções de empresas que fazem a viagem faz o preço aumentar, principalmente em épocas de férias. "Houve um tempo que passagens aéreas para Manaus chegava a custar quase R$ 800. Então compensava os três dias no barco para poder ir. Mas hoje as coisas estão mudando e a concorrência entre companhias aéreas fez os preços baixarem", explica.

Segundo Silva, a iniciativa da MAP é bem-vinda, pois até o turismo regional deve ficar facilitado. "Muitas pessoas querem ir a Manaus conhecer a cidade, que é famosa no Brasil inteiro, ou até pessoas de lá que querem conhecer a nossa terra, mas os preços são titleos e todo mundo fica com medo de gastar, agora então em tempos de crise deve ficar mais difícil viajar para longe", alega. A afirmação faz comparação ao momento em que o País vive, quando viagens para o Nordeste, Sudeste e Sul (que são destinos muito procurados pelos nortistas) podem ficar ainda mais caras.

PERCENTUAL DE OFERTAS AUMENTOU

Ainda segundo Márcio Barreto, o número de voos oferecidos da capital de Rondônia para outras localidades subiu 20% em 2015. "A Azul é ainda a empresa que mais tem voos saindo de Porto Velho, mas o que temos hoje supre perfeitamente a demanda atual", declara. Barreto ainda revela que há períodos do ano em que mais voos deveriam ser ofertados, como as épocas de férias do meio e fim de ano. Durante alguns feriados a demanda também cresce, mas nada tão alarmante como os cenários que são vistos em cidades maiores como São Paulo e Rio de Janeiro.

No entanto, a implantação do novo voo da MAP de Porto Velho a Manaus é bem-vindo pelo comerciante. "São mais opções dentro do próprio Brasil, já que viajar para o exterior, com a instabilidade do dólar tem ficado cada vez mais incerto", revela. A indefinição da moeda norte-americana tem levado os passageiros a buscarem ainda mais destinos como Fortaleza, Natal e Maceió.

O trecho inaugural da MAP no Estado pode abrir um leque de conexões antes dificultadas por outras empresas. Além disso, a companhia conta com voos por quase todo o Estado do Amazonas, com pousos nas cidades de Carauari, Lábrea, Humaitá, Manicoré e Parintins. Há ainda aterrizagens em cidades paraenses como Santarém, titleamira e Belém. E a característica regional amazonense da empresa deve continuar.

Aeroporto JK amplia capacidade de pista e se mantém líder no país

26/03/2015 - G1

Órgão da Aeronáutica elevou de 52 para 60 o número de 'voos por hora'.

Segundo lugar no Brasil é de Guarulhos, com até 47 aeronaves por hora.

Lucas Nanini

Avião na pista do Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília

Uma nova avaliação do Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea (CGNA), órgão comandado pela Aeronáutica, elevou a capacidade de voos do Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, de 52 para até 60 voos e decolagens por hora. O terminal tem a maior capacidade de pista do país, à frente de Guarulhos, com 47 movimentos por hora.

O aeroporto da capital ultrapassou o terminal paulista em outubro do ano passado. A nova avaliação do CGNA não mudou a capacidade de pista em outros aeroportos. Em terceiro lugar aparecem Viracopos (Campinas), Jacarepaguá (Rio de Janeiro) e Confins, em Minas Gerais, com 31 voos por hora.

Assim como em 2014, o aumento aconteceu por causa das obras nos pátios, pistas de taxiamento e de pousos e decolagens das aeronaves. Há seis meses, a pista do Aeroporto JK podia receber 44 voos por hora.

Segundo a Inframerica, concessionária que administra o terminal do DF, a atualização representa média de 1.200 passageiros por hora.

A capacidade de pista é definida após análise das condições de operação, que leva em conta itens como qualidade da pista, visibilidade em situações meteorológicas adversas, tempo de ocupação, capacidade de pátio, direção do vento e a categoria das aeronaves.

De acordo com a Inframerica, o crescimento no número de operações tem aumentado a procura de empresas aéreas interessadas em solicitar novos voos. A concessionária diz que novos horários devem ser disponibilizados até o fim do ano.


Funcionário da Inframerica orienta aeronave na pista do Aeroporto JK, em Brasília

Desde o início do ano, cinco cidades recebem voos diretos da capital federal. Porto Seguro (BA), Macapá (AP), São José do Rio Preto (SP), Boa Vista (RR) e Aracaju (SE) foram as cidades atendidas pela TAM.

A Inframerica informa que mais dois trechos terão suas operações iniciadas no dia 1º de abirl: Ilhéus (BA) e Santarém (PA). No dia 1º de maio, Brasília ganhará um voo para Foz do Iguaçu (PR). Todos os voos serão realizados pela TAM.


Passageiros nas novas salas de embarque do Aeroporto JK, em Brasília


Segundo mais movimentado

O Aeroporto JK recebeu 18,14 milhões de passageiros em 2014 e se tornou o segundo mais movimentado do país. O número de usuários superou o de Congonhas, em São Paulo, que teve 18,13 milhões de passageiros durante o período, segundo a Infraero. Os dados incluem pousos, decolagens e conexões.

Em 2013, o aeroporto do Distrito Federal foi o terceiro de maior movimento, com 16,5 milhões de passageiros, contra 17,1 milhões em Congonhas. O aumento no número de usuários no aeroporto da capital federal foi de 9,6%.

O terminal de maior movimento no país no ano passado foi o de Guarulhos, que teve 39,5 milhões de passageiros em 2014. Em 2013, o aeroporto teve 35,9 milhões, segundo a GRU Airport, empresa que administra o espaço.

Segundo a Inframerica, foram 180 mil aeronaves em pousos e decolagens no terminal, média de 493 por dia, em 2014. O maior movimento ocorreu entre 18h e 20h. Os meses de maior movimento foram julho, com 1,62 milhão, e dezembro, com 1,69 milhão, devido às férias escolares e à Copa do Mundo de Futebol.

Em janeiro deste ano, o aeroporto registrou movimento recorde para o mês, com 1.788.582 de passageiros, segundo a Inframerica. O número foi 5,7% maior do que os 1,692 milhão de usuários que passaram pelo local em dezembro de 2014.

Em comparação a janeiro de 2014, quando o aeroporto recebeu 1,587 milhão de passageiros, o aumento foi de 12,6%. A média diária do terminal foi de 56,5 mil pessoas por dia. O número de pousos e decolagens foi de 15.825, 4% a mais do que em 2014, de acordo com a Inframerica.

Os voos internacionais levaram 63 mil passageiros ao terminal em janeiro deste ano, número 35% maior do que os 46,7 mil usuários com destino ao exterior que passaram pelo local em 2013.

Azul opera três novos destinos a partir de Guarulhos

27/03/2015 - Panrotas

A companhia aérea Azul passa a incluir três novos destinos tendo o Aeroporto de Guarulhos como ponto de partida. Os novos voos, operados a partir de 11 de maio, terão como destino as cidades de Cascavel, Maringá (PR) e Joinville (SC). Com as novidades, a empresa chegará a 16 cidades servidas em operações sem escalas ou conexões a partir do terminal paulista.

A rota para Joinville será operada de domingo a sexta, com dois voos diferentes (partindo às 12h35 e às 23h). Para Maringá também serão dois voos, um de segunda a sábado (às 8h45) e outro de domingo a sexta (às 18h25). Já a frequência para Cascavel acontecerá de domingo a sexta (às 13h30).

"Os novos voos são ideais para quem viaja principalmente a negócios, uma vez que ligaremos regiões com forte relevância em setores como o agronegócio diretamente a maior capital estadual, que é o principal centro urbano e econômico do Brasil. Além disso, Joinville, Maringá e Cascavel são algumas das cidades mais desenvolvidas do interior de suas respectivas regiões e chamam a atenção de turistas e empresários", comenta o diretor de Planejamento e Alianças da Azul, Marcelo Bento.

quinta-feira, 26 de março de 2015

TAM opera primeiro voo para Toronto neste domingo

25/03/2015 - Jornal de Turismo

Neste domingo (29), a TAM Linhas Aéreas, membro do Grupo LATAM Airlines, vai operar seu primeiro voo para Toronto (Canadá). A operação será realizada cinco vezes por semana, em uma extensão dos voos JJ8102 e JJ8103 da TAM, que já ligam os aeroportos de São Paulo/Guarulhos e de Nova York (Estados Unidos). Os passageiros do Rio de Janeiro podem usufruir do novo destino e, a partir dos voos JJ8078 e JJ8079, que operam a rota Rio de Janeiro/Galeão – Nova York, fazer a conexão para Toronto. 

A TAM será a única companhia brasileira a operar no Canadá. Com esse lançamento, a empresa passa a voar para todos os países da América do Norte, atendendo a três cidades dos Estados Unidos (Miami, Nova York e Orlando), duas no México (Cancún e Cidade do México) e agora a uma das principais cidades do Canadá (Toronto). Este é mais um marco na busca contínua da TAM por oferecer a melhor malha aérea no continente.

"Estamos empenhados em oferecer, cada vez mais, o produto aéreo com a maior conectividade nas Américas. Em paralelo, buscamos, desde 2011, mais eficiência e um melhor aproveitamento dos nossos ativos, tendo em vista o atual cenário de alta competição e de avanço dos custos operacionais", afirma Claudia Sender, presidente da TAM Linhas Aéreas. "Por isso, essa ampliação de rota traz como benefício adicional uma maior otimização do uso das aeronaves, pois aproveita o tempo em que os aviões utilizados na rota São Paulo/Guarulhos – Nova York ficariam parados no aeroporto norte-americano".

O voo JJ8102 decolará às 11h15* do aeroporto John Fitzgerald Kennedy, em Nova York, e chegará a Toronto às 13h*. No sentido inverso, o voo JJ8103 decolará de Toronto às 16h35* e chegará a Nova York às 18h30*. Os passageiros poderão usufruir de todo o conforto da Premium Business do Boeing 767-300ER, com assentos full flat que reclinam até 180 graus.

* hora local

O novo destino no Canadá poderá ser facilmente acessado por clientes de outros países. Os passageiros do voo Santiago – Nova York poderão, por meio de conexão na cidade norte-americana, viajar para Toronto. Já os provenientes de outros destinos internacionais poderão embarcar no novo voo, conectando-se no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. 

quarta-feira, 25 de março de 2015

Veja ranking de potencial dos aerop. regionais brasileiros

24/3/2015 - Panrotas

Maria Izabel Reigada


O presidente da Urban Systems, Thomaz Assumpção

BRASÍLIA – Empresa responsável pela elaboração do Plano Econômico e Urbanístico do Sitio Aeroportuário de Viracopos, em Campinas, entre outros projetos, a Urban Systems elaborou um ranking dos aeroportos regionais brasileiros com maior potencial de desenvolvimento econômico. "Neste momento em que se desenha um plano para a aviação regional, em que o governo aposta na criação e desenvolvimento de 270 aeroportos regionais, decidimos olhar com atenção para esses aeroportos", explicou o presidente da Urban Systems, Thomaz Assumpção.

Segundo ele, os critérios para análise dos aeroportos foram enviados à Anac, à Sac e à Infraero para elaboração de um Índice de Qualidade Mercadológica (IQM) para os aeroportos regionais. O líder nesse ranking é o aeroporto de São José dos Campos (SP), seguido por Ribeirão Preto (SP) e por Joinville (SC). Os "quesitos" analisados para a composição do ranking incluíram fatores ligados à infraestrutura e localização; ao transporte de passageiros; transporte de cargas; e receitas acessórias. Confira, abaixo, os dez primeiros colocados no ranking dos aeroportos regionais:

1 – São José dos Campos (SP)

2 – Ribeirão Preto (SP)

3 – Joinville (SC)

4 – Campos dos Goytacazes (RJ)

5 – Uberlândia (MG)

6 – Maringá (PR)

7 – Cascavel (PR)

8 – Londrina (PR)

9 – Caxias do Sul (RS)

10 – Foz do Iguaçu (PR)

Macaé, no Rio de Janeiro, e Anápolis, em Goiás, aparecem na 11ª e 12ª posições, respectivamente. O ranking foi apresentado hoje, durante o Airport Infra Expo, que continua a debater gestão de aeroportos amanhã, em Brasília.

Primeiro Boeing 737-400F da Modern Logistics chega em maio

24/03/2015 - Jornal de Turismo


A Modern Logistics, a mais nova empresa de logística integrada do Brasil, vai receber o primeiro Boeing 737-400F da frota em maio. Até o fim do ano serão três modelos deste em operação, capazes de transportar 20 toneladas de carga cada um. No próximo ano, chegarão os dois primeiros ATR-72F e mais seis Boeing 737-400F. E até 2020 serão 36 aeronaves na frota da Modern Logistics.

Resultado de um investimento de 75 milhões de dólares, a empresa vai oferecer serviços logísticos que englobam toda a cadeia para os clientes, do embarque à entrega. Para isso, vai contar com transporte aéreo próprio, armazenagem também própria com 15 centros de distribuição e transporte terrestre com parceiros estratégicos. Entre eles, empresas como Transportadora Americana TA, Braspress, Jadlog, Atlas, Termaco e Covre.

Na primeira fase da Modern Logistics, serão instalados centros de distribuição em Jundiaí (já pronto), Campinas (no aeroporto de Viracopos, em obras), Manaus, Goiânia, Recife, Porto Alegre, Rio de Janeiro e Curitiba. Cada um com capacidade mínima de 5 mil metros quadrados, exceto o de Viracopos que terá 10 mil metros quadrados. Com a chegada da primeira aeronave, os voos vão ligar Campinas a Manaus e, em seguida, começará a funcionar a estrutura de Recife. Sempre com os voos e os centros de distribuição, alinhados com o transporte terrestre.

A Modern Logistics vai se especializar em logística para produtos de titleo valor agregado, eletroeletrônicos, medicamentos e produtos refrigerados. Para isso, todas as certificações estão sendo feitas, incluindo as da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil). A Modern Logistics é comandada por executivos que fundaram a Azul Linhas Aéreas Brasileiras. Mais informações em www.modern.com.br

segunda-feira, 23 de março de 2015

Azul afirma que terá voos para Nova York no 2º semestre

20/3/2015 - Panrotas

Artur Luiz Andrade


Azul afirma que terá voos para Nova York no 2º semestre

A Azul reagiu a uma nota divulgada por uma agência de notícias, de que estaria adiando seu voo entre Campinas e Nova York, devido ao foco nas ligações com a Flórida. Seria a segunda perda para o Aeroporto de Viracopos, já que a American Airlines cancelou seus voos VCP-JFK, mantendo apenas as frequências para Miami, na Flórida.

Confira o posicionamento da Azul:

"Diferentemente do que foi publicado, a Azul Linhas Aéreas Brasileiras informa que não está adiando os voos para Nova York para atender a demanda da Flórida, nos Estados Unidos. A companhia ainda deve solicitar a autorização a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para operar voos para Nova York e mantém seus planos de iniciar suas operações na cidade a partir do segundo semestre desse ano."

Impasse judicial trava conclusão da reforma de Confins

22/03/2015 - Hoje em Dia – MG

Janaína Oliveira


Expansão de 600 metros na pista: atraso de dois anos e custo adicional de R$ 27 milhões


Passados sete meses desde que a BH Airport assumiu a gestão do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, até agora Confins não decolou para um novo tempo. Segue com obras inacabadas e precariedade na infraestrutura, herança de atrasos no cumprimento dos prazos e suspensão de contratos na época em que a Infraero era a comandante.

Iniciada em setembro de 2011, a reforma e ampliação do Terminal 1, que deveria ter sido concluída em outubro de 2013, antes da Copa do Mundo, é a novela que mais se arrasta. De lá para cá, pouco mais da metade do prometido ficou pronto. A bola rolou, o Brasil perdeu de 7 a 1 para a Alemanha, mas quatro anos após o início das intervenções só 51% do projeto foram finalizados. E pior. O consórcio Marquise/Normatel paralisou as obras e, sob alegação de demora na entrega de estudos de engenharia, desistiu de tocar a reforma.

Visando à continuidade da obra, em janeiro deste ano, a estatal optou pela rescisão do contrato com as empresas. "Assim, a Infraero poderia discutir com a concessionária a melhor maneira de prosseguir os trabalhos. Todavia, atendendo à decisão da 22ª Vara de Justiça do Distrito Federal, a Infraero suspendeu em fevereiro o ato de rescisão. Mas vai continuar defendendo seus interesses em juízo, de modo a dar continuidade aos trabalhos", informa a estatal em nota.

Nova gestora, a BH Airport até pode executar as obras, dentro do escopo previsto, e ser reembolsada pelos valores financeiros dentro dos limites estabelecidos no edital de concessão. Porém, sem uma definição da Justiça, o impasse permanece e a reforma não tem data para acabar.

A BH Airport informou que as obras suspensas são de responsabilidade do poder público. Mas que acompanha o processo junto à Infraero no sentido de contribuir com uma solução para o problema.

Para o diretor do Sindicato Nacional dos Aeroportuários, Leandro Castro Pinheiro, passageiros ainda terão que esperar para ter um aeroporto no padrão adequado. "Só vai melhorar de fato quando as amarras forem resolvidas", diz.

Ampliação da pista tem atraso de dois anos e custo extra

Outra obra que se arrasta é a ampliação da pista de pousos e decolagens. Iniciada em fevereiro de 2013, a reforma, que prevê um acréscimo de 600 metros aos 3 mil já existentes, deveria ser entregue um ano depois. Porém, o novo planejamento da Infraero estabelece como prazo final junho de 2016.

Além do atraso, as obras custarão muito mais aos cofres públicos. Com os dois aditamentos contratuais, a construtora Cowan receberá R$ 226, 4 milhões, 14% a mais que os R$ 199,0 milhões acordados inicialmente. "A Infraero, junto com o consórcio executor da obra, já elaborou e aprovou um cronograma de execução da ampliação e recuperação das pistas. Após ajustes contratuais, a Infraero encaminhou o cronograma para a BH Airport visando a aprovação e validação das intervenções, uma vez que as intervenções são nas áreas operacionais e estão sob responsabilidade do novo operador, mas até o presente momento não recebemos resposta da BH Airport", informou a estatal.

Para o ex-diretor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e consultor do setor, o brigadeiro Allemander Pereira, Confins só terá as mesmas condições do Aeroporto de Brasília, principal concorrente do terminal mineiro, quando finalizar a ampliação e construir a segunda pista. "A localização de Confins é estratégica, mas por enquanto o DF leva vantagem", diz.

Boeing 737 inaugura voos da Gol no Aeroporto Regional da Zona da Mata

20/03/2015 - G1

Trajeto entre Congonhas (SP) e Regional da Zona da Mata na segunda (23).

Empresa terá seis frequências semanais, com escala em Confins, BH.

Do G1 Zona da Mata


Aeroporto Regional da Zona da Mata vai receber voos de São Paulo


A empresa Gol Linhas Aéreas inicia na nesta segunda-feira (23), a operação entre o Aeroporto Regional da Zona da Mata (IZA), em Juiz de Fora, e o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP). O voo, com escala no aeroporto de Confins (MG), terá seis frequências semanais. A aeronave será um Boeing 737-700, e todos os passageiros a bordo receberão certificado por participar da viagem inaugural.

Os voos são os de números 2013, saindo do Aeroporto Regional da Zona da Mata (ARZM), com partidas previstas de segunda-feira a sábado, às 6h45 com chegada prevista para 7h43 no Aeroporto Internacional Tancredo Neves/Confins. Já o voo 2102 é o ponto final de uma viagem que começa em Congonhas, São Paulo, às 20h35, com escala em Confins e chegada ao Aeroporto Regional às 23h43. Estes horários estarão disponíveis entre domingo e sexta. Os dois horários serão operados em Boeing 737, que terá 138 assentos disponíveis.

sexta-feira, 20 de março de 2015

Pista do aeroporto de SRN deve ser homologada em 60 dias

19/03/2015 - Portal O Dia – PI

Secretário visitou o local ao lado da arqueóloga Niède Guidon.

A arqueóloga Niède Guidon esteve na manhã desta quinta-feira (19) visitando as obras do Aeroporto Internacional Serra da Capivara, juntamente com o secretário dos Transportes (Setrans), Guilhermano Pires. O aeroporto já se encontra com suas obras finalizadas, mas restam ainda alguns reparos para que a pista seja homologada.

Fotos: Marcelo Cardoso/CCOM


Construído na zona rural do município de São Raimundo Nonato, região Sudeste do Piauí e distante 525 quilômetros da capital, o aeroporto irá garantir o mínimo de 5 milhões de turistas por ano na Serra da Capivara, que é um patrimônio da humanidade.

No mês de janeiro, a arqueóloga se reuniu com o o governador Wellington Dias (PT) e alertou que se o aeroporto não for concluído, ela irá perder um financiamento de R$ 3 milhões que já foi aprovado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a construção do Museu da Natureza, no município de Coronel José Dias.



Segundo o secretário Guilhermano Pires, o ideal é partir primeiro para a homologação da pista, pois em visita da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) foram apontadas algumas falhas na pista e no entorno e, por isso, o aeroporto ainda não está em funcionamento. "Esses problemas já estão sendo regularizados mediante uma licitação em andamento na Setrans. Assim que as falhas forem corrigidas, nós solicitaremos uma nova visita da Anac para que a pista do aeroporto seja homologada", diz o secretário. Ainda de acordo com ele, a homologação deve ocorrer em torno de 30 a 60 dias.

Na casa de passageiros ainda ftitlea instalar o corrimão das escadas e a esteira. O aeroporto, que tem formato de Capivara e já tem toda a parte estrutural pronta, hidráulica e elétrica, incluindo elevadores, revestimento no piso, forro, vidros, portas, lanchonete, equipamentos contra incêndios, entre outras áreas, será um dos maiores aeroportos regionais do Brasil.
Fonte: CCOM

 

Gol entra com pedido para voo direto entre Natal e Buenos Aires

19/03/2015 - Tribuna do Norte – RN

A Gol Linhas Aéreas entrou com pedido à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para operar um voo direto para Buenos Aires, na Argentina. A primeira rota direta para o país deverá entrar em operação no segundo semestre, com voos semanais.

Este é o primeiro pedido para voo internacional direto após o Governo do Estado reduzir a alíquota do ICMS para querosene do avião. "Nosso otimismo em relação ao incentivo tributário do Governo se reflete neste pedido da Gol realizado ontem. Este foi o primeiro passo para a ampliação da malha aérea em Natal e, consequentemente, o incremento de novos investimentos que garantam o desenvolvimento para o Estado como um todo, não apenas para o Aeroporto", comemora o presidente do Consórcio Inframérica, Alysson Paolinelli.

Júnior Santos

Voo para a Argentina deve entrar em operação no segundo semestre

Para Paolinelli, esta iniciativa reforça o propósito do Consórcio Inframérica em não medir esforços para transformar Natal em hub para voos domésticos e internacionais do país.

Em janeiro deste ano, o Consórcio registrou recorde histórico de movimentação de passageiros, computando o movimento de 306.898 pessoas no Aeroporto de Natal, entre voos nacionais e internacionais. O número é cerca de 20,7% maior do que o mesmo período do ano passado.

"A criação de um voo direto entre Natal e Buenos Aires vai de acordo com a nossa estratégia de reforçar e ampliar a presença internacional da GOL, principalmente em destinos da América Latina, Caribe e Estados Unidos", afirma Claudio Borges, diretor de Planejamento de Malha da GOL. "Assim que aprovada, a nova frequência será o terceiro destino do Nordeste a ter voos diretos para Buenos Aires, que já conta com voos saindo de Fortaleza e Salvador", finaliza o executivo.

Os clientes poderão optar pelas Classes Comfort ou Econômica e durante a viagem será oferecido gratuitamente o serviço de bordo com refeições quentes, sanduíches, bebidas frias e bebidas quentes, tradicionalmente oferecido nos voos internacionais da GOL de longa duração.


Azul não vai mais operar em Araguaína

20/03/2015 - Jornal do Tocantins

Empresa está ajustando malha aérea; turismo espera queda nas vendas


Gláucia Mendes – Araguaína – Correspondente




Araguaína, no Norte do Estado, vai perder alguns de seus principais voos comerciais. A partir do dia 10 de maio a Azul Linhas Aéreas Brasileiras não vai mais operar no aeroporto da cidade.

Para quem trabalha no setor de turismo, a novidade preocupa. A expectativa de algumas agências de viagens de Araguaína é de que as vendas caiam cerca de 20% agora que a Azul não deve mais operar na região. A previsão das agências é de que os preços das passagens sejam reajustados, uma vez que apenas duas empresas estarão em operação na região.

A agente de viagem Bruna Machado, que trabalha em uma das agências da cidade, disse que será uma perda muito grande já que 50% dos clientes preferem viajar com esta companhia aérea. "A maioria dos passageiros optavam pela Azul por causa da comodidade, visto que os aviões eram de 68 assentos. O impacto será grande", concluiu.

PASSAGEM

O passageiro que tentar comprar passagem após esta data, não terá o serviço disponibilizado no site da empresa.

A empresa operava na cidade com voos diários – de ida e volta – para Palmas, Brasília (DF) e Marabá (PA). A reportagem do Jornal do Tocantins simulou a compra de uma passagem e constatou que os voos já estão indisponíveis.

O administrador do aeroporto de Araguaína, José Pontes Júnior, disse que ainda não recebeu nenhuma notificação oficial. Com a saída da Azul, o aeroporto vai contar apenas com voos das empresas Sete Linhas Aéreas e Passaredo.

Ainda conforme a direção, a partir de abril os voos da Sete Linhas Aéreas, que eram apenas às segundas, quartas e sextas-feiras passam a ser diários. Dessa forma, o aeroporto de Araguaína – por onde passam cerca de 6 mil pessoas ao mês – deve disponibilizar, ao todo, dez rotas (destinos) com voos diários.

COMUNICADO

Por meio de nota, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) afirmou que não foi informada da decisão e que não há registros de nenhuma solicitação de exclusão dos voos nesta região.

Também através de nota, a Azul explicou que está realizando ajuste à malha aérea e por esse motivo deve deixar de operar nesta rota. "Os clientes que compraram a passagem para viajar depois de 10 de maio, terão o reembolso integral do valor gasto", explica a nota, que traz ainda o endereço do site da companhia (www.voeazul.com.br) para mais informações.

Aeroporto deve ser terceirizado

Com um fluxo mensal de 6 mil passageiros entre embarque e desembarque, o Aeroporto de Araguaína, Norte do Estado, que era administrado pela gestão municipal deve ser terceirizado.

A informação é da prefeitura, que anunciou para o próximo dia 6 de abril, a publicação do Edital de Licitação 002/2015, para contratação de uma empresa especializada no setor.

De acordo com o município, a empresa que vencer a licitação deve realizar serviços de manutenção, operação e administração do aeroporto. Trabalhos de infraestrutura só serão realizados mediante autorização da prefeitura.

Ainda conforme informações da prefeitura, deve haver mudanças no terminal de embarque, desembarque e na localização dos hangares, início da duplicação da avenida de acesso ao terminal, ampliação do estacionamento e implantação de terminais de carga.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Tam reforça rota SP-Madri e inicia vendas de Barcelona

16/3/2015 - Panrotas

Rodrigo Vieira

A Tam reforça sua operação entre São Paulo e Madri de 26 de junho a 30 de setembro deste ano. De acordo com a aérea, serão três novas frequências para atender à demanda gerada pelas férias escolares brasileiras e pela titlea temporada europeia.

Outra novidade da companhia é o início da comercialização do voo São Paulo-Barcelona, que começa em outubro três vezes por semana. O JJ8114 operará às terças, quintas e domingos, decolando de São Paulo às 23h55 e chegando a Barcelona às 15h35.

"Estamos cumprindo o nosso compromisso de expandir a malha internacional da companhia durante o ano e de oferecer aos passageiros uma rede de conexões cada vez maior", afirma Claudia Sender, presidente da Tam. "Barcelona é uma excelente cidade tanto para turismo quanto para negócios, e será o nosso segundo destino na Espanha e o sexto na Europa", conclui.

Aeroporto de Itaituba volta a funcionar

17/03/2015 - O Liberal – PA

Após interdição, voos comerciais regulares percorrem Santarém, titleamira e Belém

EVANDRO CORRÊA

Sucursal Oeste do Pará

Depois de mais de três meses de interdição, o aeroporto de Itaituba voltou a operar com pousos e decolagens esta semana. O aeroporto ficou sem operação para voos comerciais por decisão da Agencia Nacional de Aviação Civil (Anac), uma vez que não possuía equipamentos de segurança. A prefeita de Itaituba, Eliene Nunes, anunciou que quase todas as exigências da Anac para liberação de pousos e decolagens no aeroporto.

Em dezembro do ano passado, a Anac interditou a pista do aeroporto, para pousos e decolagens, por ftitlea de segurança, uma vez que não havia sequer veículo para combate a incêndio. A prefeita Eliene Nunes disse que, para a aquisição dos equipamentos, a prefeitura de Itaituba arcou com metade dos custos, enquanto a outra parte foi doada pelas empresas aéreas.

O Aeroporto de Itaituba serve ao município e à região. É o aeroporto mais importante da região oeste do do Pará, classificado como de alcance regional. O aeroporto conta com voos comerciais regulares que ligam Itaituba diariamente às cidades de Santarém, titleamira, Belém e Manaus. Além disso, empresas de táxi aéreo oferecem voos para distritos e vilarejos mais afastados do centro urbano da cidade, bem como para os inúmeros garimpos de ouro da região e municípios vizinhos.

A operação de pousos e decolagens no aeródromo é feita pelo Grupamento de Navegação Aérea de Itaituba. O aeródromo conta com sinalização que permite operações noturnas (IFR), e possui uma pista auxiliar para o taxiamento de aeronaves. Em 2005, foram realizados serviços de retirada de pontos críticos e drenagem na pista de pouso, que foi ampliada de 1.500 metros para 1.700 metros e ganhou balizamento noturno.

O terminal recebeu ainda equipamentos de precisão de voo, que fornecem ao piloto a informação da posição exata da pista. Com a obra, o aeroporto muda de categoria, passando de médio para grande porte, podendo assim receber aeronaves maiores, com total segurança. O terminal de passageiros também foi ampliado, para se adequar ao maior movimento no aeroporto.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Empresas aéreas estrangeiras dominam rotas internacionais

15/03/2015 - O Globo

Companhias brasileiras respondem por 30% de voos ao exterior

POR GLAUCE CAVALCANTI / HENRIQUE GOMES BATISTA

RIO – O mercado brasileiro de aviação mudou. Deixou de ser uma divisão de bolo entre duas empresas e hoje são três jogadores de peso: Gol, TAM e Azul, já com um quarto participante com fôlego para crescer em campo, a Avianca. Enquanto as operações domésticas explodiram, companhias brasileiras perderam espaço nas rotas internacionais.

Entre 2003 e 2013, o número de frequências internacionais operadas no Brasil dobrou de 551 para 1.149. A fatia das estrangeiras nesse bolo subiu de 318 para 788 frequências, titlea de 147%. Já a participação das brasileiras cresceu 55%. Hoje, as nacionais respondem por pouco mais de 30% das operações para o exterior.


Avião da Azul: participação da empresa aumentou nos últimos anos, mudando divisão do setor – Divulgação


Nos últimos anos, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) concentrou esforços em atrair mais companhias estrangeiras para operar em um número maior de aeroportos do país, explica um executivo da agência, que prefere não se identificar.

— A desconcentração dos grandes hubs (centros de distribuição de voos) é nítida. A TAP (Portugal), a American Airlines (EUA) e a Copa (Panamá) voam, cada uma, para entre sete a 11 capitais do país. O cenário traz mais oportunidades e riscos para as empresas e o país. Mas tende a melhorar a concorrência e a infraestrutura, e a reduzir preços.

Veja o mapa do setor aéreo.



Ele lembra ainda que começa a valer em maio o acordo coms os EUA de céus abertos, pelo qual acaba o limite pré-estabelecido de número de voos para cada país na rota entre os dois destinos.

CUSTOS MAIORES

Reforçar as rotas internacionais é uma das metas do governo, assim como ampliar a aviação regional. Neste cenário, as empresas passaram a encarar concorrência muito maior: a Azul, que ganhou status de líder em ligações regionais, cobrindo mais de cem cidades do país, vem adquirindo aviões de maior porte para crescer nas rotas mais concorridas, como São Paulo-Salvador. TAM e Gol fazem o caminho inverso, avaliando diversificar a frota, comprando aviões de menor porte da Embraer. Já a Avianca aposta com força na ponte aérea Rio-São Paulo. Nas linhas para o exterior, o foco das aéreas são as Américas: as quatro reforçam voos para os EUA, enquanto a Gol quer se firmar na América do Sul e Caribe, mercados cativos da Latam (associação da Lan chilena com a TAM) e da Avianca.

Os custos são um dos impeditivos para a maior concorrência entre brasileiras e estrangeiras. Segundo a Abear, a associação de empresas do setor, isso pode colocar em xeque o projeto da presidente Dilma Rousseff de ampliar a aviação regional no país.

— Se a companhia mais eficaz da Europa viesse operar no Brasil, os custos dela subiriam em 27%. Aqui, o combustível equivale a 40% dos custos das aéreas, contra média mundial de 33% — disse Eduardo Sanovicz, presidente da entidade.

Para Elton Fernandes, professor da Coppe/UFRJ, existe um choque entre os titleos custos e a queda da receita por assento por quilômetro voado. Para compensar isso, continua ele, seria preciso aumentar a produtividade de forma brutal:

— O preço médio das passagens está caindo. E há uma guerra de promoções. As aéreas não faturam o suficiente para cobrir seus custos que são titleos.

André Castellini, sócio da Bain & Company e especialista em aviação, afirma que, apesar dos prejuízos bilionários do setor, em 2014 as aéreas conseguiram, com revisão de malhas e cortes de custos, ter resultados operacionais positivos. Ele acredita, contudo, que a equação de 2015, com PIB fraco, dólar titleo e possivelmente ultrapassando a compensação da queda do combustível de aviação, vai gerar novos desafios para as empresas. Uma das incógnitas no setor este ano é a definição de quem comprará a TAP, companhia que tem voos para 12 cidades do país, o que garante 25% das vendas de bilhetes:

— A malha da TAP é complementar às rotas das empresas brasileiras. E para os portugueses seria interessante manter o hub em Lisboa. Eles temem a repetição do que ocorreu com a Iberia, que após ser comprada pela British, perdeu voos para Londres.

ACORDOS INTERNACIONAIS

Para crescer internacionalmente, a Gol desenha sua malha de forma que os voos se encaixem no alcance de sua frota, composta sobretudo por aviões Boeing 737-800. Como a aeronave não tem autonomia para voos de longo curso, as linhas internacionais estão concentradas em destinos da América do Sul, Caribe e EUA.

— Garantimos a otimização do uso da frota, com redução de custos e ganho de eficiência, trazendo melhores resultados — explica Eduardo Bernardes, vice-presidente de marketing e produtos da empresa.

Para garantir a oferta de voos de longo curso, a Gol optou por alianças e acordos de code-share (operações com voos compartilhados) com companhias internacionais. Já incluindo a parceria com a Air Canada, anunciada semana passada, a Gol soma dez acordos nesses moldes, além das alianças com Delta e Air France/KLM. O resultado se traduz em aumento de 25,7% da demanda internacional no ano passado.

A TAM, que perdeu a liderança do mercado doméstico para a Gol no fim de 2014, vem reforçando apostas nele. Comprou a Passaredo e vai operar em mais nove destinos regionais. No exterior, está chegando a cidades como Cancún, Toronto e Barcelona.

— Estamos mantendo todos os nossos investimentos internacionais para 2015 — diz Claudia Sender, presidente da TAM.

Com mais de cem cidades atendidas, a Azul cresce nas rotas mais concorridas, dominadas por Gol e TAM, e olha o mercado externo. Embora não comente o interesse na TAP, a compra da aérea portuguesa pode dar musculatura a ponto de levá-la à liderança do mercado.

A Avianca promete neste ano aposentar os MK-28, sigla para o famoso Fokker 100, entrar na maior aliança global de empresas aéreas, a Star Alliance, e talvez, se unir de fato à Avianca da Colômbia, que recentemente já entrou na Star Alliance e é o segundo maior grupo aéreo da América Latina, atrás apenas da Latam. O vice-presidente comercial da Avianca Brasil, Tarcísio Gargioni, diz que o crescimento da empresa tem sido acelerado:

— De 2011 até agora, nossa participação no mercado nacional stitleou de 2,5% para 9%.


quinta-feira, 12 de março de 2015

Azul substituirá ATR por E195 em voos para Juiz de Fora

11/03/2015 - Panrotas

Danilo Teixeira Alves

A Azul vai aumentar a oferta de assentos em Juiz de Fora (MG). A companhia informou que solicitará à Anac autorização para operar todos os voos locais com Embraer 195, com capacidade para 118 assentos. O modelo substituirá o ATR-72, que possui 70 assentos.

"Ampliaremos a oferta de assentos em Juiz de Fora para atender à crescente demanda de clientes. A novidade representa um investimento importante da Azul na região e o olhar especial da companhia para a aviação regional", explicou o diretor de Planejamento e Alianças da Azul, Daniel Bento.

Em tempo: a partir de 11 de maio, a companhia deixa de operar um dos três voos diários que possui entre Campinas e Juiz de Fora por conta de ajustes na malha aérea.

TAM começa a operar novos voos domésticos

11/03/2015 - Jornal de Turismo


A TAM Linhas Aéreas acaba de dar início aos novos voos domésticos previstos para este início de 2015. As novas operações foram planejadas de acordo com a demanda de mercados em todas as regiões do país, e vão ampliar a conectividade e a rapidez no deslocamento dos passageiros com origem ou destino em algumas cidades já atendidas pela companhia. 

"É nosso compromisso oferecer o melhor produto ao cliente. Por isso, mesmo diante do cenário econômico desafiador para 2015, mantivemos os nossos investimentos e seguimos acreditando no potencial do país, operando estrategicamente com disciplina de capacidade e com o melhor aproveitamento das aeronaves", afirma Claudia Sender, presidente da TAM Linhas Aéreas. "Estudamos constantemente as oportunidades de mercado e estamos conseguindo melhorar o acesso e a conectividade aérea para muitas pessoas que pretendem viajar pelo Brasil com mais conveniência, menos escalas e mais opções de horários e de voos".

Na região Norte, por exemplo, onde a TAM já começou a operar diariamente o primeiro voo direto (ida e volta) entre Macapá e Brasília, acaba de estrear uma nova rota da empresa entre Boa Vista e a capital federal, com operação de ida e volta todos os dias da semana, exceto aos sábados. Em abril, também terá início a operação de outra nova rota, no voo direto e inédito entre Santarém (PA) e Brasília, que será oferecido todos os dias (exceto aos sábados).

O litoral nordestino também está sendo contemplado com pelo menos três lançamentos. Na Bahia, por exemplo, a TAM prepara para abril o início de um novo voo que será operado três vezes por semana entre Ilhéus e Brasília, e já deu início a um novo voo entre Porto Seguro e a capital federal, operado diariamente (exceto às terças-feiras). Em Aracaju, acaba de estrear o primeiro voo direto e diário de ida e volta entre a capital sergipana e Brasília. 

No Sul e no Sudeste, a TAM já lançou o primeiro voo direto entre São José do Rio Preto (SP) e Brasília, operado cinco dias da semana, e também vai dar início em abril ao primeiro voo direto entre Foz do Iguaçu (PR) e a capital federal, que será oferecido todos os dias, exceto aos sábados.

quarta-feira, 11 de março de 2015

Embraer assina nova venda de 5 jatos E175 com Republic Airways

11/03/2015 - Portal UOL

Reuters

SÃO PAULO (Reuters) – A fabricante de aeronaves Embraer acertou com a Republic Airways um contrato firme para a venda de cinco jatos E175 cujo valor é estimado em 222 milhões de dólares com base em preços de lista, disse a companhia em comunicado nesta quarta-feira.

O acordo será incluído na carteira de pedidos da Embraer do primeiro trimestre de 2015 e é adicional aos dois anteriores feitos pela Republic para o E175.

As aeronaves, configuradas em duas classes, com 76 assentos, têm previsão de entrega para meados de 2016.
(Por Priscila Jordão)

Singapore Airlines trará A350 para voos do Brasil

10/3/2015 - Panrotas

Alex Souza

Prestes a completar quatro anos de atuação no Brasil, a Singapore Airlines celebra a data com uma novidade ao mercado brasileiro: a introdução do A350 na rota São Paulo-Barcelona-Cingapura, operada três vezes por semana – a companhia tem 70 aeronaves do modelo encomendadas junto à Airbus, sendo que as primeiras deverão ser recebidas em dezembro.

"Assim que tivermos a entrega de cinco A350, um deles virá ao Brasil", revelou o gerente geral da aérea no País, TM Wang, durante entrevista exclusiva ao Portal PANROTAS no escritório da empresa, em São Paulo. A aeronave será composta por três classes de assentos: a business, a econômica e a econômica premium, que estreia na companhia a partir de agosto.

No Brasil desde setembro, Wang disse que seu principal desafio é garantir que os voos estejam o mais cheio possível. Ele não revela o índice médio de ocupação, dizendo apenas estar "acima do inicialmente esperado".

O Jornal PANROTAS 1.158, que circula na semana que vem, trará entrevista na qual o dirigente falará mais sobre a atuação da Singapore no Brasil, incluindo a relação com agências e operadoras, responsáveis por até 85% das vendas da empresa no País.

American Airlines cancela os voos de Viracopos para Nova York

10/03/2015 - G1

Mudança faz parte do plano de adequação dos trechos, diz companhia.

Rota diária de Campinas para Miami continuará operando no terminal.

Do G1 Campinas e Região


Novo terminal do aeroporto de Viracopos, em Campinas

A American Airlines informou nesta terça-feira (10) o cancelamento dos voos semanais de Campinas (SP) para o Aeroporto Internacional de Nova York (JFK) a partir de 30 de março. O voos eram realizados três vezes por semana há três meses. De acordo com a companhia aérea, a mudança faz parte de um plano de adequação dos trechos para operar com capacidade máxima da frota e também para atender a nova demanda de passageiros.

Apesar do cancelamento, a companhia informou que continuará a atender a região de Campinas com o voo diário de Viracopos para Miami, além dos que partem do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos.

Voos para Estados Unidos

A companhia aérea American Airlines começou a operar, em 1º dezembro, voos para os Estados Unidos a partir do Aeroporto Internacional de Viracopos, com aviões Boeing 767-300. As aeronaves partiam do novo terminal de passageiros, inaugurado em 14 de outubro de 2014.

terça-feira, 10 de março de 2015

Gol e Prefeitura iniciam estudos para operação de voos em Uberaba

07/03/2015 - G1

Secretário de Desenvolvimento Econômico se reuniu com diretores em SP.

Empresa deve realizar visita técnica ainda em março para viabilidade.

Do G1 Triângulo Mineiro



Crescimento econômico é argumento para mais voos no aeroporto

Durante reunião nesta semana em São Paulo, o secretário de Desenvolvimento Econômico em Uberaba, José Renato Gomes, e representantes da empresa Gol iniciaram estudos para operar voos na cidade mineira. Os diretores da empresa solicitaram mais documentos para a viabilidade do projeto. Após apresentação e visita técnica, que devem ser realizadas ainda em março, a Gol fará o estudo das rotas para a demanda do aeroporto Mário Franco.

O secretário apresentou portfólio detalhando a expansão econômica e social que mostra que a cidade se tornou um pólo e requer mais linhas áreas em operação. "Mostramos todo o material, bem como informações de que Uberaba cresceu o dobro da média do Estado. Não fomos pedir voos, fomos apresentar Uberaba e mostrar a transformação, a competitividade de nossa cidade e explicar que aqui tem demanda e ela vai crescer. Não podemos ficar atrelados a voos de outras cidades", disse.

A expectativa é de que, após a visita técnica de março, sejam concluídos os detalhes necessários para começar a operação.

domingo, 8 de março de 2015

Chapada das Mesas (MA) terá voo da Sete em junho

05/03/2015 - Panrotas

Alex Souza



Autoridades e empresários do Maranhão durante encontro ontem, em Imperatriz


A Secretaria de Turismo do Maranhão, a prefeitura de Carolina (MA), o Sebrae-MA e a Sete Linhas Aéreas reuniram-se ontem (4), em Imperatriz (MA), para tratar do início das operações da companhia em Carolina, na Chapada das Mesas, uma das principais regiões turísticas do Estado.

Os detalhes das voos ainda não foram divulgados, mas eles devem começar em junho e, segundo o secretário adjunto de Turismo do Maranhão, Érico Carvalho, "permitirão a ligação direta da Chapada com Estados próximos, como Pará, Tocantins e Goiás, além de Brasília, desenvolvendo a aviação regional no Maranhão".

De acordo com o diretor comercial da Sete, Décio de Assis, as operações iniciadas há três meses em São Luis e em Imperatriz têm surtido resultados. "Estamos acompanhando as tratativas do governo do Estado em garantir a competitividade do setor e, por isso, nossa expectativa é proporcionar a ligação aérea para mais cidades maranhenses", disse ele.

O prefeito de Carolina, Ubiratan Jucá, garantiu que o município proverá toda a estrutura necessária para o sucesso das operações. "Em 2014, a Chapada das Mesas recebeu 80 mil turistas e os novos voos abrirão novos horizontes para o turismo local, garantindo uma atuação cada vez mais ampla e profissional."

Vitória: Infraero garante aeroporto mesmo com ajuste fiscal

06/03/2015 - Gazeta Online – ES

Estatal federal disse a consórcio vencedor de nova licitação que obra é prioridade do governo

Rondinelli Tomazelli

rtomazelli@redegazeta.com.br

Apesar do duro ajuste fiscal que sacrificará bilhões em investimentos federais Brasil afora, a Infraero garante que a obra do Aeroporto de Vitória é prioritária e, portanto, não deve ser alvo de tesouradas sangrentas no orçamento deste ano.

Foto: Ricardo Medeiros

R$ 523,5 Milhões É o valor do investimento para a ampliação do aeroporto, conforme arrematado em licitação.

Presidente da JL Construções – empreiteira do consórcio vencedor da nova licitação para ampliar e modernizar o terminal -, João Luiz Felix não acredita em contingenciamento dos valores e reitera as promessas de cumprimento contratual pela Infraero, estatal de infraestrutura aeroportuária que administra o terminal.

Embora confiante, ele reconhece a apreensão geral com o impasse nas contas públicas do governo Dilma Rousseff (PT). E admite uma ponta de preocupação ante a incerteza geral sobre a exata dimensão do pacote de austeridade da Fazenda.

O Orçamento Geral da União (OGU) para 2015 ainda não foi aprovado pelo Congresso Nacional. Uma guerra política entre governo e base aliada adiou novamente a apreciação esta semana. Com o contrato já assinado entre Infraero e a JL em fevereiro, a execução da obra depende do dinheiro garantido no orçamento.

"Só vão dar ordem de serviço depois do OGU aprovado. Estamos esperando para começar a trabalhar. Pelo que eu estou ouvindo dentro da Infraero, ela vai priorizar alguma obras, e a do Aeroporto de Vitória estaria entre as prioridades. Era só o que ftitleava congelar o pagamento à construtora", assinala Felix, cuja construtora executou a ampliação e modernização do Aeroporto de Curitiba (PR).

Procurada por A GAZETA, a Infraero – vítima de vários cortes todo ano – não respondeu se o ajuste fiscal do governo no OGU representará corte no dinheiro para a modernização do defasado terminal de Vitória.

Espera longa

"Por enquanto, não temos previsão para a assinatura da ordem de serviço da construção do novo terminal de passageiros do Aeroporto de Vitória. Essa obra é, sim, prioritária para a Infraero, mas ainda dependemos de aprovação do orçamento por parte do governo federal para assinatura da ordem de serviço", declarou, em nota, a estatal.

O valor do investimento, conforme arrematado em licitação, é de R$ 523,5 milhões. Indagada se só poderá confirmar eventuais cortes depois que o OGU foi aprovado, a Infraero reforçou estar fazendo gestões para não ter o orçamento geral reduzido dentro da peça orçamentária da União em análise no Parlamento.

"A proposta de investimentos para a Infraero em 2015 é de R$ 1,5 bilhão e aguardamos a aprovação do orçamento para definir os investimentos deste ano. Sobre o pleito (Vitória), a empresa está em constante diálogo com a Secretaria de Aviação Civil e com o próprio Ministério do Planejamento", acrescenta a nota.

De todo modo, o diretor da construtora JL tem como certo que o investimento estará livre de congelamento e redução de repasses. Há segurança jurídica firmada em contrato entre as duas partes, e o rompimento de cláusulas implica em sanções e penas. "O recurso está contemplado para o Espírito Santo e tomara que seja cumprido. Pressão politica também é importante para evitar isso", pontua Felix.

Em briga com o governo e sem consenso no ajuste fiscal, o Congresso passou mais uma semana sem votar o orçamento – e já estamos em março. Há três meses, o governo trabalha a conta-gotas, usando a previsão legal do duodécimo.