sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Aeroportos terão prazos de concessão diferentes

29/09/2011 - O Estado de São Paulo

AE - Agencia Estado

BRASÍLIA - O leilão de concessão dos Aeroportos de Guarulhos, Viracopos e Brasília será regulado por três editais diferentes, porque os prazos de concessão vão variar conforme a rentabilidade.

Guarulhos, o mais lucrativo, terá o menor prazo de concessão, provavelmente 20 anos. O leilão, marcado para o dia 22 de dezembro, seguirá o modelo de outorga, ou seja, vencerá o leilão o interessado que oferecer maior pagamento ao governo.

Essas são algumas linhas básicas da modelagem da concessão dos aeroportos, em fase final de discussão no governo. Preocupada com os prazos, a presidente Dilma Rousseff quer receber os editais até amanhã. A formatação final sai após sua aprovação.

A ideia é definir a regra geral da modelagem com publicação dos editais, no máximo na semana que vem, para que comece a contagem dos 30 dias para a consulta pública.

Alguns pontos em aberto serão decididos por Dilma, que fez questão de participar das discussões de cada passo do projeto. Uma dúvida é justamente o prazo de concessão de Guarulhos. Isso deverá ser discutido numa reunião prevista para hoje.

Viracopos, em Campinas, terá o maior prazo de concessão, podendo chegar a 40 anos. A justificativa é que esse aeroporto precisa de muitos investimentos da empresa concessionária e o retorno vai demorar.

Brasília, o menos rentável, deverá ficar com um prazo intermediário. Apesar de ser importante para conexões de voos no País, Brasília tem baixa rentabilidade porque as taxas de embarque são cobradas nos aeroportos onde os voos são originados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Chapada Diamantina agora conta com dois voos semanais

29/09/2011 - Mercado e Eventos

A partir desta quinta, dia 29, a cidade de Lençóis, na Chapada Diamantina, receberá novos voos regulares com destino a Salvador. A Trip Linhas Aéreas passa a disponibilizar a rota às quintas-feiras e domingos.

O objetivo da nova frequência é atender melhor os turistas que permanecem sete dias, e os que não podem passar a semana inteira na Chapada Diamantina. Com duração de 40 minutos, têm a tarifa a partir de R$79,90.

Embraer vende mais cinco jatos E195 para a Lufthansa

29/09/2011 - O Estado de São Paulo

Valor do negócio é de US$ 226 milhões; início das entregas está programado para o segundo semestre de 2012

Agência Estado

SÃO PAULO - A Embraer e a Deutsche Lufthansa AG assinaram um contrato nesta quinta-feira, 29, para a compra de mais cinco jatos Embraer 195 (E195). As aeronaves serão operadas pela empresa italiana Air Dolomiti, com sede na cidade de Verona, empresa parceira da Lufthansa. O valor do negócio, referido a preço de lista, é de US$ 226 milhões. O início das entregas está programado para o segundo semestre de 2012.

A Air Dolomiti opera atualmente cinco E195. As aeronaves adicionais dobrarão a frota de E-Jets da Air Dolomiti. Atendendo à crescente demanda na Europa, os novos aviões serão utilizados para adicionar voos em rotas domésticas e aumentar a frequência de voos entre Verona e o centro de operações da Lufthansa em Munique, na Alemanha.

Os E195 serão configurados com o assento ergonômico Slim Seat Plus, que, de acordo com a Embraer, oferece o mesmo nível de conforto, mas tem menor peso, ajudando na redução do consumo de combustível. A encomenda adicional garantirá o desenvolvimento da frota de médio alcance, segundo o vice-presidente executivo de Gerenciamento de Frotas do Grupo Lufthansa, Nico Buchholz. "Este é o próximo passo em nossa estratégia de modernização da frota no sentido de reduzir consumo de combustível, custos operacionais, ruído e emissão de poluentes", disse, por meio de nota.

Com esse novo pedido, a Lufthansa será o maior operador de E-Jets na Europa. A empresa encomendou 43 jatos E190 e E195 desde maio de 2007. Atualmente, 28 E-Jets estão em operação em três dos cinco parceiros regionais da Lufthansa: Lufthansa CityLine, Air Dolomiti e Augsburg Airways.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Infraero anuncia início das obras no Aeroporto de Confins

29/09/2011 - Estado de Minas

Infraero anuncia início das obras no Aeroporto de Confins
Primeiro passo será eliminar vagas no estacionamento e depois ocupar espaços ociosos

Geórgea Choucair

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) deu a largada para o início das obras de reforma e ampliação do terminal 1 do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins. A obra, que vai consumir investimentos de R$ 236,65 milhões, será realizada em nove etapas e tem previsão de ser concluída em dezembro de 2013. As alterações nos terminais de passageiros estão programadas para serem realizadas a partir de 2012. Até o fim deste ano, a principal mudança no dia a dia dos usuários vai acontecer na redução do número de vagas do estacionamento principal, em frente ao terminal de passageiros.

A Infraero vai retirar 300 vagas no estacionamento e depois criar 174. Ou seja, a partir de novembro o passageiro passa a ter menos 126 lugares no estacionamento principal. Segundo a empresa, os veículos poderão parar no estacionamento E, construído recentemente na lateral do aeroporto e com capacidade para 1.538 vagas. Ao longo da alta temporada de férias deste ano (inclusive Natal), haverá pouca interferência nos terminais de passageiros, afirmou ontem o superintendente regional do Sudeste da Infraero, Mario Jorge Fernandes de Oliveira.

A Marquise/Normatel, empresa vencedora da licitação, iniciou o recrutamento dos trabalhadores para o canteiro de obras, instalado entre o terminal de cargas e o centro de manutenção. Até o fim de outubro a empresa vai contratar entre 150 e 200 pessoas, mas a previsão é de empenhar 500 profissionais em todo o processo. O diretor Renan Carvalho reconhece que a mão de obra na construção civil está escassa, o que pode dificultar o processo seletivo. “Mas a nossa intenção é contratar funcionários do entorno da região”, diz.

Mais mudanças

Com a reforma, a capacidade do terminal 1 vai passar de 5 milhões para 6,4 milhões de passageiros ao ano. Pelo projeto do terminal, os veículos não vão poder mais transitar entre o terminal de passageiros e a área comercial atual, espaço que será transformado em via de trânsito mais larga. Os balcões de check in não ficarão mais encostados na parede como hoje. Eles serão espalhados em quatro penínsulas pelo saguão do aeroporto, assim como acontece no Galeão, no Rio de Janeiro. “Vamos aproveitar a estrutura que já existe e fazer um serviço de check in mais moderno, com sistema semiautomático de manuseio de bagagem”, diz Adair Moreira Júnior, gerente de empreendimentos de Confins.

De acordo com o projeto, a praça de alimentação vai ser transferida para o terraço e a maioria das lojas vai migrar para o segundo andar, onde é hoje a administração do aeroporto. “Vamos ocupar muitas áreas que estavam vazias, como o terraço”, diz Adair Júnior. Ele ressalta que nem todas as partes do empreendimento serão interditadas ao mesmo tempo. “Vamos planejar e executar em hora que o impacto seja menor para o passageiro”, diz. Serão instalados 17 elevadores, sendo seis panorâmicos (dois vão ligar o saguão ao terraço). Os sete atuais serão desativados.

‘Puxadinho’

Além da reforma do terminal 1, estão previstos o Módulo Operacional Provisório (o “puxadinho”), intervenções na pista e pátio e a construção do terminal 2, que vai ser feita em parceria com o governo do estado. O módulo vai contar com R$ 100 milhões de investimento e vai ampliar a capacidade do terminal em 4,9 milhões de passageiros ao ano. A licitação está prevista para ser aberta em novembro e o início das obras em março de 2012, com término estimado em março de 2013.

Na pista de pouso e decolagem, a Infraero planeja investir R$ 169 milhões, com início das obras previsto para setembro do ano que vem. Depois das intervenções, a pista vai passar de 3 mil para 3,6 mil metros e o pátio vai aumentar 192,4 mil metros quadrados. O projeto estima que o número de posições de estacionamento da aeronave salte de 18 para 50. A Infraero liberou para o governo de Minas a verba de R$ 10,7 milhões para contratação do projeto básico e executivo do terminal 2, que vai ser construído em frente ao estacionamento novo de passageiros. A previsão é que ele amplie em 10 milhões a capacidade anual do aeroporto. Até lá, o puxadinho vai ser a alternativa para atender o aumento de passageiros.

Principais mudanças

A praça de alimentação vai ser transferida do solo para o terraço

» A maioria das lojas vai mudar para o segundo andar, onde está a administração. O aeroporto tem hoje 36 lojas e oito quiosques. Com a reforma, passa a ter 71 lojas e 12 quiosques

» Serão instalados 17 novos elevadores no aeroporto, sendo seis panorâmicos (os sete atuais serão desativados)

» Os veículos não vão poder mais transitar entre o terminal de passageiros e atual área comercial

» A via de veículos terá mão dupla e o meio fio será deslocado para a atual área de estacionamento

» Serão instaladas 10 novas escadas rolantes. Uma escada rolante vai ligar o mezanino ao terraço. As seis atuais serão desativadas

» A área de embarque nacional e internacional será centralizada

» Serão instaladas oito novas esteiras de bagagem, com controle automatizado

» Os balcões de check in não ficarão encostados na parede, como agora. Eles serão disponibilizados em penínsulas na área central do saguão do aeroporto

» A área do aeroporto vai passar de 60.305 para 67.675 metros quadrados

Cronograma da obra - Confira o que vai ser feito em cada etapa

» Etapa 1 (Set/out 2011)
• Canteiro de obras
• Adequação das guaritas do estacionamento central

» Etapa 2 (Nov/dez 2011 e jan 2012)
• Adequação dos estacionamentos A, B, C e D
•Meio fio deslocado e vias de acesso
•Ponto de ônibus
• Ampliação da Central de Utilidades (CUT)
• Intervenções no terminal de passageiros (da etapa 2 até a 9)

» Etapa 3 (Fev/mar/abr/mai/jun 2012)
•Nova área de carga/descarga
•Transferência da administração para o terraço
•Construção do anexo social LL (bagagem extraviada)
•Ampliação da galeria comercial
• Início da cobertura em vidro do saguão

» Etapa 4 (Jul/ag/set 2012)
•Substituição das escadas rolantes
• Substituição de três pontos de embarque
• Implantação dos elevadores (etapas 4, 5, 6, 7)
» Etapa 5 (Out/nov/dez 2012)
• Demolição dos sanitários do
saguão-térreo
• Substiuição de três pontes de embarque

» Etapa 6 ( Jan/fev/mar 2013)
• Reforma e adequação parcial do check in
• Instalação de parte das esteiras de bagagens no térreo
• Substituição de três pontes de embarque

» Etapa 7 (Abr/mai/jun 2013), etapa 8 (jul/ago/set 2013) e etapa 9 (out/nov/dez 2013)
• Reforma e adequação parcial do check in
• Instalação de parte das esteiras de bagagens no térreo
• Adequação do check out

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Avianca encomenda quatro A330-200

28/09/2011 - Webtranspo

Empresa vai operar aeronaves como cargueiros

Aviões serão operados pela empresa TampaA Avianca chegou ao acordo com a Airbus para aquisição de quatro aeronaves cargueiras A330-200. As unidades, que terão os motores escolhidos posteriormente, serão operadas pela subsidiária da companhia aérea, Tampa.

Estas aquisições serão para substituir a frota atual de cargueiros da Tampa, de acordo com a empresa, os aviões terão papel fundamental na expansão de negócios de cargas internacionais da Avianca. A empresa será a primeira a operar o Cargueiro A330-200 na América Latina. Outra subsidiária do Grupo, a AviancaTaca já presta serviço com sete aeronaves A330-200 de passageiros, e outras 81 da Família A320.

Fabio Villegas, CEO da AviancaTaca Holdings e Presidente da Avianca, destacou a importância deste negócio para o grupo. “Como operadora atual de sete aeronaves A330 de passageiros, estamos confiantes de que esses novos cargueiros A330 trarão mais eficiência de combustível, menores custos operacionais e melhor desempenho ambiental. Não poderíamos estar mais orgulhosos de que nossa companhia aérea cargueira Tampa será a primeira operadora do Cargueiro A330 na América Latina”, ressaltou.

Recentemente, o modelo A330-200, que tem capacidade de transporte de 70 toneladas e possui autonomia de quatro mil milhas náuticas, celebrou o seu primeiro ano de operações. Atualmente, existem oito aeronaves do modelo prestando serviços para dez empresas no Oriente Médio, Europa e Ásia. Além disso, há ainda mais 61 encomendadas.

John Leahy, CEO da Airbus, Clientes, comentou das vantagens do produto e celebrou a recente aquisição. “Além de ser uma aeronave top em desempenho e custo-eficiência, este cargueiro da nova geração de tamanho médio pode servir tanto destinos quentes e altos quanto voos transcontinentais mais longos sem sacrificar a carga paga. A nossa empresa está feliz que a AviancaTaca e suas subsidiárias serão a primeira na América Latina a se beneficiarem das vantagens oferecidas pelo A330”, declarou.

Cuiabá terá voos para o México

28/09/2011 - Gazeta Digital - MT

A partir de novembro começam a ser oferecidos voos diários de Cuiabá para a capital do México, com conexão em São Paulo saindo às 9h25 e chegada na Cidade do México às 15h. Pacotes já estão sendo negociados pela Tam Viagens por R$ 2,561 mil ou em até 10 vezes de R$ 256,13. Inclui hospedagem de 4 noites com hospedagem e café da manhã, traslado aeroporto-hotel-aeroporto e 11 mil pontos Multiplus.

Voo inaugural com saída de Cuiabá está agendado para o dia 30 de outubro, atendendo os serviços Primeira Classe, Classe Executiva e Econômica. Retorno da Cidade do México para São Paulo pode ser feito diariamente às 17h25. Pacotes estão à venda em todas as lojas da Tam Viagens ou pelo site www.tamviagens. com.br.

Segundo informações da assessoria de imprensa da empresa, a iniciativa faz parte do planejamento estratégico da companhia de expansão para algumas capitais internacionais.

Companhia - Expandindo a capilaridade da sua rede por meio de franquias, a Tam Viagens inaugurou no dia 13 de setembro em Cuiabá mais uma loja, no shopping Três Américas. Na promoção de inauguração estão sendo comercializados pacotes de viagens de baixa temporada para o Nordeste, incluindo como destinos Maceió, Praia do Forte (Bahia), Natal, Trancoso (Bahia), Aracaju e Fortaleza. Pacotes individuais para estadia de 4 noites podem ser encontrados por R$ 1,8 mil. Embarques devem acontecer até final de outubro.

Fundada há 13 anos, a Tam oferece mais de 600 opções de roteiros, sendo uma das maiores operadoras do Brasil. (SB)

terça-feira, 27 de setembro de 2011

All Nippon recebe o primeiro Boeing 787

26/09/2011 - Aviação Brasil

Foto: Divulgação - Boeing

A All Nippon recebeu hoje o primeiro Boeing 787 Dreamliner, durante cerimônia ao lado da fábrica onde o avião foi montado, em Everett (WASH). Mais de 500 colaboradores que representam o programa do 787caminharam ao lado do avião – totalmente novo – para apresentá-lo aos executivos da ANA e convidados.

“Hoje celebramos um momento significativo na história da aviação”, diz Jim McNerney, Chairman, Presidente e CEO da Boeing. “O 787 Dreamliner é a maior inovação na aviação comercial desde que o Boeing 707 foi apresentado aos passageiros do mundo há mais de 50 anos. Eu gostaria de agradecer à ANA, a todos os funcionários da Boeing e às empresas parceiras pelo talento, tecnologia e trabalho em equipe que tornaram este avião realidade”.

“Não é sempre que temos a chance de fazer história, fazer algo grande e corajoso, que vai mudar o mundo de maneira imensurável e que vai permanecer mesmo após nosso tempo”, diz Albaugh. “Isso é o que o 787 Dreamliner e o que a ANA e a Boeing têm feito em conjunto – construir o que é realmente o primeiro novo avião do século 21”.

“Estamos muito contentes de finalmente receber nosso primeiro 787. A ANA está extremamente orgulhosa em ser o cliente do lançamento do Dreamliner e de ter ajudado a Boeing tão de perto a desenvolver esta aeronave de tecnologia de ponta”, diz Ito. “O Dreamliner vai nos permitir oferecer padrões incomparáveis de serviço e conforto para nossos passageiros e irá desempenhar um papel-chave nos planos de expansão internacional da ANA”.

Feito a partir de material composto, o Boeing 787 Dreamliner é o primeiro avião de tamanho médio capaz de percorrer longas distâncias e permitir que as companhias aéreas iniciem novas rotas, sem paradas, preferidas pelo público que viaja. Além de ajudar as companhias aéreas com mais economia de combustível e baixos custos operacionais, o 787 apresenta uma série de novas tecnologias que melhoram consideravelmente a experiência do passageiro.

“Hoje vocês se juntam às lendas de nossa indústria”, diz Pat Shanahan, vice-presidente e Gerente Geral dos Programas de Avião da Boeing Commercial Airplanes. “Não tenho dúvidas de que em 30 ou 40 anos, a partir de agora, outra equipe Boeing estará celebrando uma nova versão do 787 Dreamliner. Eles irão lutar para encontrar as palavras que expressam seu profundo respeito e admiração pelo trabalho duro que vocês têm feito atualmente e lançado as bases rumo a um futuro sólido para a Boeing e para nossa indústria”.

“Eu fui inspirado por sua paixão, seu compromisso e sua dedicação. Vocês fizeram do 787 Dreamliner uma realidade”, diz Scott Fancher, vice-presidente e gerente geral do Programa 787 da Boeing Commercial Airplanes. “A conquista que celebramos hoje é extraordinária, será lembrada por muitos anos e é de vocês”.

sábado, 24 de setembro de 2011

Aeroporto de Uberlândia vai passar por expansão

24/09/2011 - O Estado de Minas

Obras devem começar no próximo ano, segundo acordo feito entre Infraero e políticos da região

O Triângulo Mineiro entra na rota para a Copa-2014. Acordo firmado entre políticos da região e a Infraero garante o início das obras de ampliação do aeroporto de Uberlândia para o próximo ano. Segunda maior unidade do estado, o terminal deve ter a capacidade de passageiros, já saturada, mais que dobrada, passando dos atuais 900 mil passageiros/ano para 2 milhões depois de concluída a construção da nova estrutura.

Até sexta-feira, a Infraero deve entregar aos deputados um estudo detalhando os investimentos necessário para as intervenções. Os valores da reforma devem ser incluídos no Plano Plurianual (PPA) 2011-2015. O atual terminal do aeroporto deve ser adaptado para cargas e o novo receberá os passageiros. Além disso, a pista de pouso deve ser ampliada em 400 metros, passando dos atuais 1,9 mil metros para 2,3 mil metros e possibilitando que as maiores aeronaves em operação no país desembarquem na cidade. Atualmente, o maior modelo habilitado para decolar de Uberlândia é o Boeing 737.

Moderno, o projeto prevê rampas de acesso para embarque e desembarque. "Nossa ideia é que Uberlândia seja um dos principais polos de carga do país", afirma o deputado federal Gilmar Machado (PT), que participou de audiência pública com o presidente da Infraero, Antônio Gustavo Matos do Vale. Além disso, a cidade também é uma das candidatas a receber seleções de futebol para os treinamentos às vésperas da Copa-2014.

Em 2009, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) inaugurou a primeira fase da reforma do aeroporto. À época, foram investidos R$ 10 milhões para ampliar a capacidade do terminal e a pista foi estendida em 400 metros. Também foi adquirido sistema ILS (sigla em inglês para sistema de pouso por instrumento) para permitir a chegada de aeronaves mesmo em condições de visibilidade zero. O equipamento está em fase de testes.

Atualmente, o aeroporto é o segundo mais movimentado do estado, inclusive à frente do Aeroporto Carlos Drummond de Andrade, na Pampulha. De janeiro a junho, o terminal de Uberlândia recebeu 416 mil passageiros, enquanto na Pampulha os embarques e desembarques somaram 377 mil. Se comparado o total de passageiros dos seis primeiros meses de 2007 com o mesmo período deste ano, constata-se crescimento de 61,24% no volume.

Segundo a Infraero, o movimento de aeronaves e passageiros tem apresentado um expressivo crescimento nos últimos anos. Em 2004, o aeroporto de Uberlândia registrou um acréscimo superior a 150% no número de passageiros e atingiu a marca de 53.335 embarques/desembarques em julho de 2005, o que consolidou como o principal aeroporto do interior de Minas Gerais e o vigésimo quinto em termos de movimentação de passageiros.

Companhias aéreas menores ganham terreno no Brasil

23/09/2011 - O Estado de São Paulo, CAROLINA MARCONDES E LEONARDO GOY - REUTERS

Na contramão das duas maiores companhias aéreas brasileiras, que reduziram plano de frota ou estimativas de rentabilidade, as empresas regionais e de menor porte aumentam o número de cidades atendidas e compram mais aviões.

Elas se beneficiam do desenvolvimento do interior do país e do aumento do poder aquisitivo da população.

"A expansão está nas cidades médias, e isso explica o crescimento da aviação regional", afirma o presidente da Associação Brasileira das Empresas de Transporte Aéreo Regional (Abetar), Apostole Chryssafidis. "As grandes operam com aviões de cerca de 180 assentos e não podem atuar em locais de baixa densidade."

Juntas, Azul, Trip, Avianca e Passaredo ficaram com quase 17 por cento do tráfego de passageiros no mercado doméstico em agosto, contra perto de 12 por cento um ano antes, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A Azul foi a que mais cresceu, atingindo 9,3 por cento de market share no mês passado.

O crescimento delas se deu às custas de perda de participação das líderes TAM e Gol, que no passado chegaram a ter mais de 90 por cento de market share.

E o market share combinado das companhias aéreas menores só não é maior porque a Webjet --com 5,7 por cento do mercado-- foi comprada pela Gol em julho.

Para o vice-presidente de aviação comercial da fabricante de jatos regionais Embraer, Paulo César de Souza e Silva, há espaço para cerca de 200 aviões na faixa de 100 passageiros no Brasil.

"Eu não tenho dúvidas de que nos próximos anos a gente vai ter novas empresas (aéreas)", afirma o executivo, citando a previsão de investimentos em novos aeroportos no país.

Até o fim do ano o governo deve lançar um plano de investimentos nos aeroportos regionais e de fronteiras que será financiado, em parte, pelo dinheiro a ser arrecadado pela União nos leilões de concessões de grandes aeroportos, como Guarulhos (SP), Viracopos (SP) e Brasília (DF).

O governo recebeu da Abetar um estudo contemplando investimentos de ao redor de 2 bilhões de reais em 174 aeroportos regionais até 2015, segundo o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt.

"Isso é um desejo delas. Elas (empresas) certamente estão investindo muito e têm interesse grande que esses aeroportos sejam melhorados. Esse é um setor que vai crescer e alimentar as linhas-tronco", disse o ministro à Reuters nesta semana.

FROTAS CRESCENTES

O diretor de Comunicação e Marca da Azul, Gianfranco Beting, discorda da ideia de que a empresa seja regional e afirma que a companhia aérea tem um braço voltado a rotas de menor densidade.

Segundo ele, o objetivo da Azul não é "roubar mercado" de rivais, mas sim abrir um novo espaço. "A gente está aqui para criar clientes", diz Beting.

A frota da Azul é composta hoje por 31 aviões da Embraer e oito turboélices ATR. Atualmente, a empresa voa para 39 cidades.

A Trip, que atende a 86 cidades brasileiras, anunciou recentemente a compra de aviões ATR, o que a tornará a maior operadora de aviões da fabricante no mundo. A empresa também possui jatos da Embraer: até o fim do ano serão 19 aviões da fabricante brasileira.

Já a TAM cortou, em meados de agosto, o plano de frota de do ano que vem de 163 para 159 aeronaves, optando por fazer uma manutenção no número de aviões "para assegurar a rentabilidade do negócio, num contexto de maior racionalidade do mercado".

Em julho, a Gol diminuiu a previsão de margem de lucro operacional em 2011 de 6,5 a 10 por cento para de 1 a 4 por cento. No mês passado, a companhia anunciou um programa de redução de custos de 650 milhões de reais.

Vale lembrar que TAM e Gol são listadas na Bovespa e divulgam periodicamente informações sobre seus resultados. As companhias aéreas menores, contudo, não têm capital aberto, o que acaba fazendo com haja menos dados disponíveis sobre sua solidez financeira.

No caso da Webjet, por exemplo, a Gol vai pagar cerca de 110 milhões de reais aos antigos controladores e assumir dívidas de 200 milhões de reais.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Azul colocará Embraer 190 na rota Campinas – Presidente Prudente

21/09/2011 - Aviação Brasil

A partir de 10 novembro, a Azul Linhas Aéreas substituirá o turboélice ATR 72-200, com 70 lugares, pelo Embraer 195, com 118 lugares, em uma de suas frequências de voo entre o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, e o Aeroporto Estadual de Presidente Prudente, ambos no interior de São Paulo. A substituição por uma aeronave maior deve-se a grande demanda de Clientes para o destino.

Os voos de jato acontecem de domingo a sexta, com saída de Viracopos às 21h07 e chegada às 22h05 em Presidente Prudente. Já no sentido oposto, o voo será de segunda a sábado, com partida do aeroporto prudentino às 6h00 e chegada às 7h02 na cidade campineira. As outras duas freqüências entre as cidades continuarão sendo operadas pelo ATR








-Campinas-Recife ganha mais duas frequências diárias da Azul
-Trip lança rota LondrPina – Campinas – Belo Horizonte
-Azul começa a voar de Campinas para Goiânia no dia 3 de março
-Azul apresenta novo benefício aos clientes em Campinas
-Azul em Sinop, no Mato Grosso

Tag por: azul linhas aéreas

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Mercado&Eventos
Trip inaugura frequência diária entre Porto Seguro e Salvador
13/09 - 16:09

A Trip Linhas Aéreas começa hoje a operar nova frequência entre Porto Seguro e Salvador, na Bahia. O trecho já era operado aos sábados e domingos. Entretanto, graças ao aumento da demanda, passa a contar com frequência diária (de segunda a sexta) no período da tarde. As passagens do trecho podem ser encontradas por R$ 99,90, na compra com antecedência de 30 dias. A rota também disponibiliza voos diretos a partir de Porto Seguro para Rio de Janeiro com tarifas a partir de R$ 129,90.

As passagens podem ser adquiridas nas agências de viagens credenciadas, pelo portal www.voetrip.com.br, nos aeroportos ou ainda pela Central de Vendas 0300 789 8747/ 3003 8747 (regiões metropolitanas).
O Estado de S.Paulo
Azul inaugura em dezembro sistema de TV a bordo
13 de setembro de 2011 | 19h 22
GLAUBER GONÇALVES - Agencia Estado

RIO - Depois de alguns adiamentos, a Azul lança em dezembro seu sistema de televisão ao vivo a bordo, através de uma parceria com a Sky. Os passageiros terão à disposição 36 canais sem cobrança adicional. A empresa equipa o primeiro jato da Embraer com sistema este ano e deve expandir o serviço para as demais aeronaves da fabricante brasileira nos meses seguintes.

O plano de oferecer televisão ao vivo a bordo não é recente. A necessidade de desenvolver uma antena que se adequasse às especificidades brasileiras fez com que o projeto atrasasse, explica a Azul.

Ao contrário da concorrente TAM, a aérea decidiu que não oferecerá telefonia a bordo, pois avalia que conversas ao celular durante os voos podem incomodar os demais clientes. No entanto, a Azul ainda está avaliando a possibilidade de dar acesso a e-mail e a mensagens de texto (SMS).

No mês passado, a Gol inaugurou seu serviço de entretenimento a bordo. Por meio de seus próprios dispositivos móveis , os passageiros podem acessar uma série de conteúdos.
O Estado de S.Paulo
Azul estuda voar para o exterior em 2012
Principal alvo seria a rota para a Argentina, que esbarra em limitações de frequências
14 de setembro de 2011
Glauber Gonçalves / RIO - O Estado de S.Paulo

A Azul está interessada em entrar no segmento internacional, com voos para a América do Sul, disse ontem ao "Estado" o vice-presidente técnico-operacional da companhia aérea, Miguel Dau. Segundo o executivo, a empresa está analisando diversos mercados na região e deve tomar uma decisão ao longo de 2012, ano em que completará seu quarto aniversário.

"A única coisa que temos em mente é o mercado da América do Sul. Temos estudado e acompanhado, mas ainda não há uma decisão", disse, ao ser perguntado sobre a possibilidade de ingresso no segmento internacional. "Estamos olhando todas as oportunidades. Depois da experiência de Campinas, para nós tudo é possível", declarou após participar do XVII Fórum Internacional de Logística, no Rio.

Hoje, Gol e TAM dominam o mercado de voos para a América do Sul e a Avianca (ex-OceanAir) tem uma participação marginal, apenas com voos para a Colômbia. Nas rotas internacionais operadas por empresas brasileiras, incluindo outras regiões do mundo, a TAM detém uma fatia de 88% e a Gol responde por 10,5%, enquanto a Avianca não chega a 1,5%, de acordo com dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), referentes a julho.

Conexão Buenos Aires. Embora Dau não tenha citado nenhum país específico, as aéreas brasileiras olham com atenção para as rotas para a Argentina, consideradas promissoras. Apesar da alta demanda por transporte aéreo entre o Brasil e o país vizinho, a entrada de outras empresas brasileiras nesse mercado têm enfrentado um entrave: a negativa da concessão de mais frequências pelas autoridades de Buenos Aires.

Pelo acordo entre os dois países, cada um dispõe de 133 frequências semanais. As empresas brasileiras já utilizaram toda a sua cota, mas o fato é que há uma demanda reprimida. O vizinho do Mercosul vê na barreira a novos voos às aéreas brasileiras uma forma de criar uma reserva de mercado para a estatal Aerolíneas Argentinas.

Responsável por renegociar o acordo bilateral, a Anac tem enfrentado dificuldades com os negociadores argentinos, mas se vê com pouca munição para pressioná-los. A autarquia pretende voltar à carga este semestre para tentar um acordo, aproveitando o aumento do número de voos pela Aerolíneas. O Itamaraty pode ser convidado a ajudar nas negociações.

Apesar dos entraves, o professor Respicio Espírito Santo, da UFRJ, disse acreditar que a Azul acabe partindo para o mercado de voos internacionais para a Argentina no médio prazo.

"Vejo (a entrada nesse mercado) quase como uma obrigação dentro do modelo de negócios da empresa que já opera o doméstico. Acredito que a Azul entre, no médio prazo", disse. Ele levanta dúvidas, no entanto, sobre a lucratividade dessas rotas. "Há uma concorrência muito forte. Esse mercado se assemelha ao segmento doméstico: o pessoal faz um bate e volta muito rápido", explicou.

Enquanto não começa no segmento internacional, a Azul avança a passos largos no mercado interno. Dau estimou que este mês a empresa já tenha alcançado uma participação de 10%, três meses antes de completar três anos de operações. O executivo ressalta, no entanto, que a companhia não está atrás de market share, mas de rentabilidade. "Estamos preocupados em ter resultado", disse.

A Azul recebe em outubro os primeiros três aviões turboélice ATR 72-600, de uma encomenda de 30, com opção para mais 10. Em 2012, chegam outros 9. Hoje, a empresa opera com ATR 72-200 arrendados, que devem ser todos devolvidos até setembro do ano que vem.

PARA LEMBRAR

Atuação tímida no exterior

As presença das empresas aéreas brasileiras no mercado internacional caiu nos últimos anos, especialmente com a crise da Varig e a posterior compra da empresa pela Gol. Após a aquisição, a companhia aos poucos abandonou as rotas de longo curso da Varig e ficou apenas com voos para América do Sul e Caribe. Hoje, apenas a TAM tem voos para a Europa e os Estados Unidos. Segundo dados da Anac, no ano passado as empresas estrangeiras responderam por 70% da movimentação entre o Brasil e os Estados Unidos e por 77% das rotas para a Europa.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

O Estado de S.Paulo
Aeroporto de Florianópolis ganha terminal
13 de setembro de 2011
Nataly Costa - O Estado de S.Paulo

O Aeroporto de Florianópolis vai ganhar um novo terminal até 2013 que ampliará a capacidade em até 2,6 milhões de passageiros - a mesma quantidade de pessoas que passam pelo aeroporto por ano. O edital foi lançado na sexta pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e o resultado da empresa que vai construir a nova ala sai em um mês. A estatal permitiu a participação de consórcios estrangeiros na obra com custo de R$ 190 milhões.

A Infraero diz que a primeira etapa do novo terminal fica pronta daqui a dois anos, e a obra inteira em 2014. Atualmente, a capacidade do aeroporto é de 4,1 milhões de passageiros por ano. O aeroporto de Florianópolis é conhecido por ter sido o primeiro do Brasil a ter um Módulo Operacional Provisório (MOP) - o famoso "puxadinho" - em 2009. A Infraero vai manter o MOP e usá-lo para a aviação executiva e os voos fretados domésticos.

A Infraero começou ontem as obras nas pistas do Aeroporto de Londrina, que vão ficar interditadas de 0h às 6h nos dias de semana e de 19h de sábado às 11h de domingo até março de 2012. A reforma vai custar R$ 6,77 milhões e envolve o recapeamento da pista e a implantação de ranhuras para melhor escoamento da água da chuva e aderência dos trens de pouso dos aviões.

Já as obras na pista do Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba, que causaram polêmica porque iriam fechar o aeroporto durante boa parte do fim de semana, vão começar na próxima segunda. A ideia inicial da Infraero era interditar a movimentação de aviões entre 3h30 e 6h de segunda a quinta-feira e das 14h do sábado às 12h do domingo. Por causa da pressão do setor turístico local e do Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (SNEA), as obras vão ocorrer de segunda a sábado, da 0h15 às 6h15, e das 20h15 de sábado até as 12h15 de domingo. A previsão de término é de nove meses.

domingo, 11 de setembro de 2011

Trip Linhas Aéreas

10/09/2011 - Aviação Brasil

Com 78% do mercado regional, a Trip é a maior companhia regional em operação no Brasil. Tal percentual a classifica como a quinta maior empresa de aviação brasileira, atrás apenas da Tam, Gol, Azul e Webjet. Em 2010 transportou 2.719.017  passageiros, 36.5% mais que em 2009, com um aproveitamento de 62%.

A Trip voa desde 1998, quando recebeu seu primeiro Embraer 120, sua primeira aeronave, responsável por transportar 18.053 passageiros naquele ano. Em 10 de novembro de 1999 o ATR 42 passou a fazer parte da frota da empresa, realizando uma parceria de sucesso, reflexo nos dias atuais.  Em 2001, entrou na rede postal, utilizando o Boeing 737-200 da Taf, sob arrendamento para este serviço. Em 2003 a Trip também estava utilizando nos vôos da RPN um Boeing 727-200 da Total, seu Embraer 120 e os ATR 42. A RPN passou a ser um importante gerador de receita para a companhia. Em 2004 realizou um acordo com a Tam para distribuição/alimentação de vôos.
No dia de 2 de maio de 2005 a empresa recebeu autorização do DAC para operar vôos na região norte do Brasil. Em janeiro de 2007 fechou um contrato de compra de 12 aeronaves modelo ATR 72-500, sendo sete encomendas firmes mais cinco opções. O valor do contrato para as encomendas firmes foi de US$ 125 milhões de dolares.
A Trip Linhas Aéreas e a Total Linhas Aéreas protocolaram em 13 de novembro de 2007 na Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) o pedido de incorporação das operações regulares de passageiros da Total pela Trip. A empresa finalizou com a Embraer um pedido para cinco jatos Embraer 175.
Sua frota é de 11 ATR 42-300, 8 ATR 42-500, 13 ATR 72-212A (Série 500), 2 ATR 72-212, 9 Embraer 175 e 5 Embraer 190. Deve receber seu primeiro ATR 72-600 ainda em 2011. Existem encomendas ainda de outros 17 ATR 72-600, 6 Embraer 170 e 14 Embraer 190.

Opera nas cidades de Alta Floresta, Altamira, Aracaju, Araçatuba, Araguaína, Araxá, Barcelos, Belém, Belo Horizonte – Confins, Belo Horizonte – Pampulha, Bonito, Brasília, Cabo Frio, Campinas, Campo Grande, Campos, Carajás, Chapecó, Coari, Corumbá, Criciúma, , Cuiabá, Curitiba, Diamantina, Dourados, Eirunepé, Fernando de Noronha, Florianópolis, Fonte Boa, Foz do Iguaçu, Goiânia, Governador Valadares, Humaitá, Ilhéus, Ipatinga, Itaituba, Ji-Paraná, Joinville, Juiz de Fora, Lábrea, Lençóis, Londrina, Macaé, Maceió, Manaus, Marabá, Marília, Maringá, Montes Claros, Natal, Palmas , Parintins, Patos de Minas, Petrolina, Porto Alegre, Porto Seguro, Porto Velho, Presidente Prudente, Recife, Ribeirão Preto, Rio Branco, Rio de Janeiro – S. Dumont e Galeão, Rio Verde, Rondonópolis, Salvador, Santa Isabel do Rio Negro, Santarém, São Gabriel da Cachoeira, São João del-Rei, São José do Rio Preto, São Luís, São Paulo – Guarulhos, São Paulo de Olivença, Sinop, Tabatinga, Tefé, Trombetas, Tucuruí, Uberaba, Uberlândia, Varginha, Vilhena, Vitória e Vitória da Conquista. O planejamento de novas cidades inclui Barreiras e Cascavel ainda em 2011.

sábado, 10 de setembro de 2011

Team Linhas Aéreas

10/09/2011- Aviação Brasil

A Team iniciou operações em maio de 2001 no Rio de Janeiro. Seus principais destinos eram as belas cidades turísticas do Estado do Rio, como Angra dos Reis, Búzios, Macaé  e Paraty. Hoje só opera a rota do Rio para Campos e Macaé com uma aeronave Let 410.
Historicamente, em março de 2002, chegou a atender Vitória e São Mateus, no Espírito Santo.  Em 2005 iniciou vôos regulares em 27 de maio de 2005 através da portaria Nº639/GC-5. Ainda neste ano passou a operar em São José dos Campos, São Paulo – Congonhas e Vitória. Em 2006 reduziu sua atuação para apenas quatro cidades após o acidente com um de seus LET 410, em maio daquele ano.  Em 2010 transportou 20.226 passageiros, com crescimento de 3.1% comparado com 2009, e em julho último, obteve apenas 9% de aproveitamento em seus voos.
Aéreas (Brasil).

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

O Estado de S.Paulo
Companhia aérea Trip pode abrir capital em 2012
08 de setembro de 2011 | 14h 35
SILVANA MAUTONE - Agencia Estado

SÃO PAULO - Se a venda de 31% da Trip para a TAM, que está em discussão desde março deste ano, não vingar, a aérea regional pode abrir capital (IPO, na sigla em inglês) em 2012. A afirmação é do presidente da Trip, José Mário Caprioli dos Santos. "Estamos focados na concretização da parceria com a TAM. Mas se ela não se realizar, temos como alternativa o IPO", afirmou. Segundo ele, nesse caso as chances de IPO em 2012 se tornariam "grandes".

No início do mês de agosto, com quase um mês de atraso com relação à previsão inicial, a TAM informou que concluiu "de modo satisfatório" a etapa de due diligence (análise dos números da companhia). A previsão inicial era de que a due dilligence ocorresse em 90 dias, terminando no final de junho.

Na ocasião, a TAM também informou que começou a usar em parceria com a Trip uma plataforma tecnológica de reservas, vendas e check-in, que permite as vendas online de bilhetes das duas empresas. Segundo executivos da TAM, é com base no resultado das vendas por meio dessa nova tecnologia que a empresa chegará à avaliação final, se comprará os 31% da Trip ou manterá apenas o sistema de compartilhamento de voos que existe desde 2004. A previsão é que essa análise leve pelo menos 90 dias, ou seja, pelo menos até o início de novembro.

Segundo os dados mais recentes da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), referentes a julho, a Trip é a quinta companhia aérea, com 3,02% do mercado de aviação doméstica no Brasil, atrás de TAM (40,88%), Gol (38,14%), Azul (9,17%) e Webjet (4,95%).

Frota

A companhia aérea também informou que deve encerrar o ano com 55 aeronaves, sendo 37 modelos ATR e 18 Embraer. Hoje, sua frota é composta por 49 unidades. A afirmação foi feita pelo presidente da empresa, ao anunciar uma encomenda de 18 aviões ATR 72-600, além de opção para aquisição de 22 aeronaves adicionais, pelo total de US$ 903 milhões. Esses aviões são configurados para 68 lugares.

Para 2012, a expectativa é encerrar o ano com 68 aviões na frota e, em 2013, com 79 unidades. A companhia pretende também ampliar o número de cidades que atende. "Hoje estamos em 85 municípios e até o final do ano devemos chegar a 89", disse o executivo. Segundo ele, a previsão é que até 2013 a empresa esteja atuando em 100 cidades brasileiras.

Com relação ao faturamento, o presidente da Trip diz que a previsão é atingir em 2011 R$ 1,2 bilhão, ante os R$ 747 milhões registrados no ano passado. Neste ano a empresa deve transportar 5,3 milhões de passageiros. A previsão para 2012 é chegar a R$ 1,8 bilhão e em 2013, R$ 2,2 bilhões.

Segundo José Mário Caprioli, a Trip é hoje líder em aviação regional no Brasil, com 71% do mercado. A empresa considera como aviação regional as empresas que atuam com aeronaves de até 100 assentos.

Investimento

A Trip comprou da empresa Mectronix um simulador de voo para aviões ATR. O valor pago pelo equipamento, que chegou em junho, foi de cerca de US$ 15 milhões, segundo Santos. "Esse simulador tem capacidade para simular 6.500 horas de voo por ano", afirmou.

Num primeiro momento, o equipamento será usado apenas para treinar os pilotos da Trip, mas a empresa não descarta futuramente prestar serviço terceirizado de treinamento para outras companhias aéreas, de acordo José Mário Caprioli.

A Trip deve encerrar este ano com 55 aeronaves em sua frota, sendo 37 delas aviões ATR (20 modelos ATR 42 e 17 ATR 72) e 18 jatos da Embraer (9 E175 e 9 E190). Para 2012, a expectativa é chegar a 68 aeronaves, sendo 44 ATRs (20 ATR 42 e 24 ATR 72) e 24 jatos da Embraer (9 E175 e 15 E190). Já em 2013 o número de ATRs deve chegar a 50 unidades (20 ATR 42 e 30 ATR 72) e 29 Embraer (11 E175 e 18 E190).

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Aviação Brasil
Publicado em 5 set, 2011
Aerosur em Rio Branco

A companhia boliviana Aerosur deverá iniciar operações em novembro próximo no Aeroporto Internacional Presidente Medici, em Rio Branco, no Acre. A empresa solicitou quatro voos semanais na rota Santa Cruz de la Sierra – Cochabamba – Rio Branco, com Boeing 737-300, às terças, quintas, sábados e domingos.

A previsão de pouso em Rio Branco é às 4h10 da manhã, no voo Aerosur 350, e decolagem às 6h10. A diferença é que no voo que parte de Rio Branco, não está prevista escala em Cochabamba.
Panrotas
Publicada em 5/9/2011
Mais Linhas Aéreas confirma frequencia Rio - Brasília

Duas aeronaves da Mais Linhas Aéreas desembarcarão até a próxima semana no Rio de Janeiro para serem vistoriadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A aérea espera iniciar as operações na capital fluminense em outubro. A única rota definida até agora é Rio - Brasília.

“Em um primeiro momento, continuaremos estudando novos mercados antes de iniciarmos frequencias para outros destinos, mas existe uma forte aposta em Fortaleza ou outras cidades do Nordeste”, conta a diretoria comercial e de Marketing Mais Linhas Aéreas no Brasil, Rosele Brum Fernandes.

A empresa operará com duas aeronaves F28 MK100.

Rhaiane Sodré
Panrotas
Publicada em 5/9/2011 16:01:00
Infraero inaugura Módulo Operacional do Aeroporto de VIX

O presidente da Infraero, Gustavo do Vale, e o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, fizeram nesta sexta-feira (dia 2) uma visita inaugural às novas salas de embarque e desembarque do Aeroporto de Vitória/Eurico de Aguiar Salles (ES).

As novas instalações – dois Módulos Operacionais – têm área total construída de 2.150 m². Dessa forma, a capacidade do aeroporto foi ampliada para 3,3 milhões de passageiros por ano.

As novas salas de desembarque e embarque entraram em operação na segunda quinzena de agosto. As obras, no valor total de R$ 7,3 milhões (incluindo equipamentos e infraestrutura), garantem maior mobilidade e espaço de circulação no Terminal de Passageiros.

“Esse Módulo Operacional é o início do resgate de uma dívida da Infraero junto ao povo capixaba, que contava até agora com instalações inadequadas no Aeroporto de Vitória, resultado da impossibilidade que enfrentamos de construir o novo Terminal de Passageiros, do qual estamos tirando os entraves jurídicos”, afirmou Vale. “Depois de construído o novo Terminal, o resgate estará completo”, disse.

Claudio Schapochnik
Jornal de Turismo
Infraero: Webjet é a empresa mais eficiente e pontual de 2011
Seg, 05 de Setembro de 2011 10:55

A Webjet Linhas Áreas Econômicas foi em agosto, pelo sétimo mês consecutivo, a empresa mais eficiente do mercado, e pela sexta vez neste ano a companhia mais pontual do País, de acordo com a soma dos dados diários publicados pela Infraero em sua página na internet.

De fevereiro a agosto a companhia superou todas as expectativas traçadas para 2011, e atingiu uma média que ultrapassa 91% de eficiência, índice que combinado entre os indicadores de regularidade e pontualidade, representa à probabilidade do passageiro viajar na hora certa previamente marcada. Já no quesito pontualidade, a Webjet continua demonstrando o compromisso com seus clientes e registrou mais de 94% dos voos saindo dentro do horário previsto.

A Webjet conquistou ainda em agosto, pelo quinto mês, quase 99% na pontuação de regularidade – índice que verifica a quantidade de voos confirmados e cancelados - ficando três pontos percentuais à frente da segunda colocada.

 

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Azul comemora um ano em Teresina (PI)
SEG, 05 DE SETEMBRO DE 2011 09:34 0 COMENTÁRIOS

Empresa transportou ao todo 54 mil piauienses

Neste sábado, 2, a Azul Linhas Aéreas Brasileiras comemorou um ano do início de suas operações em Teresina (PI). Nestes 12 meses na capital piauiense, a companhia alcançou o volume de 54 mil clientes transportados.

A celebração da data chega no momento em que a empresa atinge o número de 34 mil passageiros no acumulado deste ano, um volume 65,8% maior do que o mesmo período de 2010.

Em Teresina, a Azul oferece duas rotas diárias para Campinas, interior paulista, sendo uma frequência com escala em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte e outra sem. Há também opções de decolagem diárias para São Luís (MA) e conexões Fortaleza (CE), Recife (PE) e Salvador (BA).
 

Tags:azul linhas aéreas brasileiras aéreo voos decolagens teresina confins campinas companhia aérea
Adicionar comentário


Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Website

Você ainda pode digitar 1000 caracteres


Notifique-me de comentários futuros


Atualizar

ENVIAR
JComments
Panrotas
Publicada em 2/9/2011 16:18:00
Aeroporto de Vitória da Conquista (BA) pode perder voos

Obstáculos no entorno do Aeroporto de Vitória da Conquista, na Bahia, podem provocar o rebaixamento da categoria do terminal para nível 2 e impedir a operação de jatos no local. A adequação é uma exigência da Portaria 256, emitida pelo Comando da Aeronáutica.

Para evitar que isso aconteça estiveram reunidos ontem (quinta-feira, dia 1º) o diretor da Associação Brasileira das Empresas de Transporte Aéreo Regional (Abetar), Jorge Alberto Vianna, o prefeito de Vitória da Conquista, Guilherme Menezes, o secretário de Meio Ambiente, Valdemir Dias, o assessor de Tráfego Aéreo do Cindacta 3, José William Ferreira Lima, e o superintendente de Infraestrutura Aeroportuária da Anac, Jorge Viegas.

Após o debate sobre as possíveis soluções para o terminal, o prefeito Menezes assumiu o compromisso de elaborar com sua equipe um plano para remoção dos obstáculos com ações a curto e longo prazo.

“Ficou definido que o plano será feito pela prefeitura, que tem até 15 de setembro para apresentá-lo para análise na Anac, e regulamentação no Decea. Esperamos que o plano seja aprovado e que consigamos manter as atividades com jatos, sem prejuízo aos usuários e as empresas que operam no local”, disse Vianna.

Atualmente, Trip e Passaredo operam voos regulares a partir do aeroporto. No entanto, apenas Passaredo com jatos E-145. Entre os obstáculos encontrados na cabeceira da pista está a existência de torres de antena para celular, postos de combustíveis, depósito de lixo e outras construções.

Savia Reis
2/9/2011
Aeroporto de Juazeiro do Norte vai operar em regime de 24 horas
O Aeroporto Regional Orlando Bezera de Menezes, em Juazeiro do Norte, vai começar a operar em regime de 24 horas. A mudança será feita a partir de setembro, obedecendo o rtimo de crescimento e expansão do tráfego aéreo na cidade.

A operação em 24 horas começa a ser feita em 6 de setembro. O terminal, que hoje conta com três empresas aéreas, ganha mais uma companhia. A Passaredo vai operar para São Paulo e Fortaleza, elevando para oito o número de voos diários em Juazeiro do Norte.

De acordo com o superintendente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Roberto Germano, os novos voos da Passaredo foram autorizados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e devem começar a ser feitos em 22 de setembro.

Hoje o Aeroporto Regional conta com voos da a Azul, da Gol e da Avianca, operando entre Campinas, Brasília, Fortaleza e São Paulo. O sítio aeroportuário é apontado como um dos principais instrumentos para o desenvolvimento econômico da região do Cariri e atualmente realiza seis voos diários.

Destinos

A companhia Azul realiza voos de Juazeiro para Campinhas, Gol e Avianca, para Fortaleza e Brasília. Com o serviço da Passaredo um novo trecho serão inaugurado: de Juazeiro do Norte para São Paulo, além disso, a empresa vai disponibilizar voos para Fortaleza.

Crescimento

Este ano, entre janeiro e julho, foram 176.803 passageiros no Aeroporto de Juazeiro de Norte, contra 142.131 pessoas em 2010, o que representa um crescimento de 24%.

Fonte: Diário do Nordeste

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Estado de Minas
Aeroporto Regional da Zona da Mata aumenta expectativa de desenvolvimento na região
Prefeito de Rio Novo aprova mudanças, mas se preocupa com a tranqulidade da pequena cidade mineira
Agência Minas
Publicação: 01/09/2011 12:47 Atualização: 01/09/2011 12:53


Aeroporto já teve 18 voos comerciais entre Campinas e Zona da Mata mineira (Gil Leonardi/Secom MG)

O Aeroporto Regional da Zona da Mata (ARZM), localizado nas cidades de Goianá e Rio Novo, iniciou a operação de voos comerciais de passageiros na última semana e já cria boas expectativas na população. Movimentação no comércio, aumento das vendas, geração de emprego e renda são esperados pelos comerciantes e moradores dos dois municípios.

Desde o primeiro dia de operações da companhia aérea Azul, na terça-feira, até essa quarta-feira, 18 voos foram realizados, atendendo a 1.030 pessoas, de Campinas (Viracopos) para a região e vice-versa. De acordo com Denilson Duarte, diretor adjunto da Multiterminais, empresa que gerencia o ARZM, em setembro devem passar pelo local cerca de 5.000 pessoas, entre passageiros e visitantes.

O prefeito de Goianá, Geraldo Coutinho, acredita que a região deverá apresentar grande crescimento: “As expectativas são boas, o pessoal começa a construir em volta, adquirir coisas, a arrecadação também deve aumentar para o município em longo prazo”. Mas afirma que já é possível perceber a diferença: “Temos um fluxo maior na cidade e com certeza teremos um desenvolvimento, por exemplo, do comércio”.

Durval Cardoso, gerente de uma loja de materiais de construção em Goianá, confirma a movimentação no município. “Estamos acreditando muito no crescimento da cidade como um todo e, claro, da nossa loja. Com certeza já é possível perceber uma movimentação positiva. Imagino que possa haver um crescimento de até 30% nas vendas”, diz.

O proprietário do único hotel de Goianá, Geraldo Célio, também está confiante. “Quando começaram a construir o Aeroporto, eu tinha quatro quartos apenas. Hoje já são 21 e agora vou fazer um novo investimento de R$ 150 mil, para colocar ar condicionado em alguns quartos, frigobar, televisões melhores e internet”, relata.

Segundo o empresário, desde que as obras no local reiniciaram, a clientela melhorou. “Recebemos pessoas das firmas que prestam serviço no Aeroporto. Estamos conseguindo manter uma média de ocupação de cerca de 50%”, informa.

Em Rio Novo, não é diferente. O clima de mudanças também predomina. O prefeito Antônio de Moura Varotto aprova o desenvolvimento, desde que com responsabilidade. “A tendência é trazer muitas coisas boas para a região. A gente espera que empresas venham se instalar, a geração de novos empregos, mas também existe preocupação com a tranquilidade na cidade e com as estradas, pois o trânsito vai aumentar”.

Os irmãos Leonardo e Wélida de Oliveira Juliani são proprietários, há 13 anos, de um restaurante com 10 funcionários na praça principal da cidade. Ela conta que a cara do município já está mudando. “Temos novas pessoas circulando na cidade, já modificou um pouco. A esperança para a nossa cidade é que o aeroporto dê certo”, destaca.

“A movimentação acelerou novamente. O início das obras foi uma época muito boa, íamos até o aeroporto levar marmitex para o pessoal. Depois ficou um pouco parado, mas com as novas intervenções e, agora, com o funcionamento do Aeroporto, estamos programando a contratação de mais gente para o restaurante, reformamos o local e criamos um espaço com ar condicionado”, relata Leonardo.

Miriam Melo Guimarães Nogueira, gerente de um dos hotéis da cidade, avalia que a movimentação vem aumentando desde a retomada das obras no aeroporto. “Começaram a vir os engenheiros, o pessoal das obras, depois da Aeronáutica, da Anac, então já tem trazido uma ocupação relativa. Agora, com o funcionamento do aeroporto, nossa expectativa aumenta e esperamos que se concretize”, afirma. O hotel possui 42 apartamentos e oito aparts, já ocupados.

Passageiros e cargas

O primeiro voo no Aeroporto Regional da Zona da Mata aconteceu após a mudança da administração, que passou da Infraero para o Governo de Minas, sob a responsabilidade da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop). O último investimento feito pelo Estado, cerca de R$ 12 milhões, ampliou a capacidade de uso da pista de pouso e decolagem de 1.800m para 2.500m.

Com essa extensão, é permitida a manobra de aeronaves de grande porte. “Com a estrutura concluída para atuar no transporte aéreo de passageiros e cargas, o aeroporto se torna um importante hub logístico, se apresentando como um canal de importações e exportações, capaz de atrair e canalizar inúmeros investimentos para a região” afirma o secretário Carlos Melles.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Jornal de Turismo
Avianca inicia voos com Airbus A318
Qua, 31 de Agosto de 2011 17:13

A partir de primeiro de setembro, a Companhia Aérea Avianca terá voos diários com novos jatos Airbus A318, ligando Chapecó a Florianópolis, São Paulo (Congonhas) e Brasília.

O anúncio foi realizado na tarde da última segunda-feira, dia 29, pelo Vice-Presidente Comercial e de Marketing da empresa Tarcísio Gargioni.

De acordo com Gargioni, a nova aeronave oferece mais conforto aos passageiros e maior número de poltronas, 120 lugares.

Além de uma cabine mais espaçosa, a aeronave que pertence à família A320 propicia ainda outros atributos especiais, como eficiência no consumo de combustível e maior alcance. A companhia aérea já conta com cinco Airbus A318 de um total de 15 que serão adquiridos até 2013.

"A chegada do Airbus A318 faz parte da estratégia de crescimento da Avianca no Brasil. Vamos crescer gradativamente com serviços diferenciados no conforto, entretenimento, alimentação e atendimento. Esta é a nossa marca - oferecer aos nossos clientes algo a mais, sem abrir mão de preços competitivos no mercado", disse Tarcísio.

De acordo com o Prefeito José Caramori, a oferta de uma aeronave com maior número de lugares demonstra a importância do Aeroporto de Chapecó que hoje atende toda a região oeste do Estado e o interior do país.

*Com informações de ClicRBS Chapecó
Folha de São Paulo
São Paulo, quinta-feira, 01 de setembro de 2011
Infraero libera operação do jato A-380
Emirates negocia para iniciar a operação do maior avião do mundo a partir de dezembro em Cumbica (SP)
O horário de pouso e de decolagem ainda está em negociação; a Infraero quer fora do horário de pico
RICARDO GALLO
MARIANA BARBOSA
DE SÃO PAULO

A Emirates negocia com a Infraero para começar a operar com o superjumbo A-380 no aeroporto de Cumbica (Guarulhos) a partir de dezembro. A companhia dos Emirados Árabes já recebeu o sinal verde da Infraero para iniciar a operação.
Com capacidade para até 853 passageiros, dependendo da configuração, o Airbus A-380 é o maior avião de passageiros do mundo.
Com dois andares e 478 m2 de área de cabine, o avião tem lounge, bar e camas privativas na primeira classe.
Da ponta de uma asa a outra, são 60 metros, o que exige adaptações em alguns aeroportos. No caso de Guarulhos, falta apenas acertar o horário do voo. Segundo o superintendente de gestão operacional da Infraero, Marçal Goular, Guarulhos "suporta o desembarque dos passageiros do A-380 desde que seja fora do horário do pico".
Se o aeroporto estiver fechado por problemas meteorológicos, a alternativa de pouso será Galeão (RJ) ou Confins (MG).
A Emirates pediu inicialmente para pousar às 18h30 e partir à 1h.
Mas, para não congestionar o aeroporto - que já está saturado- com a chegada de uma só vez de cerca de 500 passageiros, a Infraero quer antecipar a chegada em pelo menos duas horas e adiar a saída em uma hora.
Para a Emirates, a alteração do horário pode reduzir as opções de conexão para os passageiros que partem do Brasil, diminuindo a atratividade do voo.
Oficialmente, a empresa diz que não há definições sobre Guarulhos. "Hoje a companhia tem 15 A-380 em operação e outros 75 encomendados e está sim em busca de novos mercados para operá-los", disse a companhia por meio de sua assessoria.
"A empresa está avaliando aeroportos no mundo inteiro para a utilização do A-380 e precisa do aval das autoridades locais para começar a levar em consideração a possibilidade de operação."
Segunda companhia a operar o A-380, a Emirates oferece duas configurações. A mais comum comporta 489 passageiros, com 14 na primeira classe e 76 na executiva.
A Folha apurou que a intenção da Emirates é substituir o Boeing-777 na rota São Paulo-Dubai. Com 354 passageiros, o voo tem taxa de ocupação superior a 90%.

frase

"[Guarulhos] suporta o desembarque dos passageiros do A-380 desde que fora do horário do pico"
MARÇAL GOULAR
superintendente de gestão operacional da Infraero