sábado, 29 de outubro de 2011

Por que o Boeing 787 é como um sonho na aviação

28/10/2011 - Gizmodo Brasil

O último e incrível lançamento da Boeing, o 787 Dreamliner, que custa US$193,5 milhões, deve mudar o modo como viajamos no ar da mesma forma que os modelos 707 e A380 Airbus fizeram no passado. Eis algumas das novidades dos novos sistemas e conveniências à bordo.

A primeira coisa que os passageiros devem notar são as janelas enormes — 30% maior do que o normal — que não requerem que as pessoas esmaguem a cara no vidro para ver a terra lá embaixo. Elas são tão grandes que até o pessoal que fica naquela fileira do meio terá uma visão decente. E em vez daquelas cortinas de plástico tosco e deslizante, o vidro eletrocrômico se escurece em 30 segundos para diminuir o reflexo.

Os passageiros também irão perceber quão enorme a área de armazenamento acima de suas cabeças é — os armários de cima do 787 são os maiores já feitos. Segundo a empresa, eles são grandes o bastante para armazenar uma bagagem de mão de cada um dos 240 passageiros. Além do mais, as caixas são anguladas para aumentar o espaço na cabine. O que eles não devem perceber é que a carcaça do avião é feito de um material composto, ao invés do alumínio comum, o que reduz o peso e aumenta a resistência contra corrosão.

Assim que ele voa, os luxos do avião podem ser vistos de verdade. Durante voos longos, as luzes interiores gradualmente ajustam suas cores para minimizar o jet lag. O ar da cabine também é mais úmido do que em outros aviões — 16% de umidade contra 8% nos aviões comuns — e ele terá pressurização de 6 mil pés — 2 mil pés a menos em comparação aos outros modelos.

O motor do 787 reduz tanto o barulho interior quanto exterior graças a um sistema em forma de onda criado especialmente para ficar ao redor do escapamento. E por causa da redução de peso da carcaça, um novo amortecimento adicional de som foi criado para diminuir ainda mais o barulho. E na hora da turbulência, um acelerômetro no cone do nariz da aeronave mede a queda repentina de altitude e envia sinais para ajustar as asas — reduzindo potenciais declives em até 60%.

São melhorias muito bem-vindas, mas ainda falta resolver um dos principais problemas que as pessoas têm ao voar: aquele executivo enorme que se espreme na cadeira, ronca e cheira a queijo continua lá, fazendo piada do pavê. [Fox News - imagem: cortesia da AP]

Gol e Webjet permanecerão separadas, diz Cade

26/10/2011 - Panrotas

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) assinou hoje um Acordo de Preservação da Reversibilidade da Operação (Apro) com a VRG Linhas Aéreas S/A (Grupo Gol) e a Webjet Linhas Aéreas S/A (Webjet). A operação refere-se à aquisição da Webjet pelo Grupo Gol, “gerando uma concentração horizontal no mercado de transporte aéreo regular de passageiros”, diz o Cade em comunicado.

“Por se tratar de um setor que apresenta elevado nível de concentração (por exemplo, na rota Guarulhos-Porto Alegre, a Gol transportou em 2010 25,9% dos passageiros, enquanto que a Webjet transportou 19,3%), bem como por ser um serviço fundamental para o desenvolvimento do País e redução das desigualdades regionais, visto que é responsável por grande parte do turismo de negócios e de lazer, o Cade e as Requerentes concordaram que seria adequada manter a reversibilidade da operação.”

Em linhas gerais, explica o Cade, “a Webjet continua operando de forma independente da Gol, inclusive no que tange ao programa Smiles, até o julgamento final do processo”.

Fica autorizado o compartilhamento de voos das empresas, visando otimização da malha aérea ou aumento das opções aos consumidores, e desde que não implique redução de capacidade da Webjet.

As duas aéreas deverão contratar auditoria independente a fim de comprovar o cumprimento das obrigações acordadas no Apro.

“É importante ressaltar que o Apro é apenas uma medida de precaução, não sendo nenhuma indicação do posicionamento do Cade em relação à aquisição, visto que o processo ainda encontra-se no início da análise”, finaliza o conselho.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Azul inicia venda de passagens para Caldas Novas (GO)

27/10/2011 - Jornal de Turismo

A Azul Linhas Aéreas inicia a venda de passagens para seu novo destino: Caldas Novas, em Goiás. O trecho de Campinas para a cidade goiana está com preços a partir de R$ 199,90* e pode ser parcelado em até dez vezes no cartão de crédito. A compra pode ser feita pelo site (www.voeazul.com.br), por meio do Call Center (4003-1118) ou nas lojas da Azul.

As operações entre os aeroportos de Viracopos e o de Nelson Rodrigues Guimarães começam em 8 de dezembro, com duas freqüências semanais, uma na quinta e outra no domingo, todas com escala em Goiânia. As operações serão realizadas com os modernos jatos Embraer 190 e 195.

Caldas Novas é o segundo destino atendido pela Azul no Estado. A companhia faz voos para a Goiás desde 2010, com seis freqüências diárias. sendo que as operações entre os destinos terão início em 8 de dezembro, com duas frequências semanais, na quinta-feira e domingo.

O cliente no Aeroporto de Viracopos tem à disposição 32 conexões para cidades brasileiras, como: Brasília, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Belo Horizonte, Belém, Fortaleza, Ilhéus, Joinville, Natal, Porto Alegre, Recife, Uberaba, Salvador, Vitória, dentre outras.

* Tarifas válidas por trecho. Promoção válida somente para voos diretos operados pela Azul. Reservas são obrigatórias, as quais devem ser realizadas com antecedência mínima de 21 dias da data de partida do voo.Tarifas sujeitas às regras tarifárias e disponibilidade de assentos.
Jornal de Turismo
Azul inicia venda de passagens para Caldas Novas (GO)
Qui, 27 de Outubro de 2011 17:07

A Azul Linhas Aéreas inicia a venda de passagens para seu novo destino: Caldas Novas, em Goiás. O trecho de Campinas para a cidade goiana está com preços a partir de R$ 199,90* e pode ser parcelado em até dez vezes no cartão de crédito. A compra pode ser feita pelo site (www.voeazul.com.br), por meio do Call Center (4003-1118) ou nas lojas da Azul.

As operações entre os aeroportos de Viracopos e o de Nelson Rodrigues Guimarães começam em 8 de dezembro, com duas freqüências semanais, uma na quinta e outra no domingo, todas com escala em Goiânia. As operações serão realizadas com os modernos jatos Embraer 190 e 195.

Caldas Novas é o segundo destino atendido pela Azul no Estado. A companhia faz voos para a Goiás desde 2010, com seis freqüências diárias. sendo que as operações entre os destinos terão início em 8 de dezembro, com duas frequências semanais, na quinta-feira e domingo.

O cliente no Aeroporto de Viracopos tem à disposição 32 conexões para cidades brasileiras, como: Brasília, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Belo Horizonte, Belém, Fortaleza, Ilhéus, Joinville, Natal, Porto Alegre, Recife, Uberaba, Salvador, Vitória, dentre outras.

* Tarifas válidas por trecho. Promoção válida somente para voos diretos operados pela Azul. Reservas são obrigatórias, as quais devem ser realizadas com antecedência mínima de 21 dias da data de partida do voo.Tarifas sujeitas às regras tarifárias e disponibilidade de assentos.

Azul comemora um ano de operações em São José dos Campos (SP)

27/10/2011 - Jornal de Turismo

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras comemorou na última quarta-feira um ano de operações de sua base em São José dos Campos, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo, com mais de 200 mil Clientes transportados. Com média de 16 mil embarques e desembarques pela companhia no mês, a empresa já alcançou a marca de 160 mil clientes transportados em 2011.

A Azul parte do Aeroporto Professor Urbano Ernesto Stumpf em São José dos Campos com cinco frequências diárias, sendo duas para Curitiba e três para Confins, na grande Belo Horizonte.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Jornal de Turismo
Gol intensifica sua operação em Campina Grande
Ter, 25 de Outubro de 2011 14:29

A companhia aérea Gol começará operar a partir do dia 1º de novembro voos que partem de Campina Grande (PB) com destino a Salvador (BA) e Belo Horizonte/Confins (MG).

“As novas frequências trarão mais comodidade aos clientes da companhia, principalmente aos passageiros do interior da Paraíba, que terão acesso direto a novos destinos”, ressalta Rodrigo Alves, diretor de Planejamento da Gol. “Os voos possibilitarão, também, conexões imediatas para São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Essas capitais, junto com Salvador e Belo Horizonte, correspondem a mais de 70% da demanda de e para Campina Grande”.

As passagens para os novos voos já estão à venda, no site da Gol (http://www.voegol.com.br), via agentes de viagens ou pela Central de Relacionamento com o Cliente, pelo telefone 0300-115-2121.

787 Dreamliner da Boeing faz primeiro voo comercial

26/10/2011 - Portal UOL

Em voo demonstrativo, avião do modelo Boeing 787 pousa em aeroporto no Japão (28.09.2011)

Hong Kong - O novo avião 787 Dreamliner da americana Boeing fez o primeiro voo comercial nesta quarta-feira (26), entre Tóquio e Hong Kong, com as cores da companhia japonesa All Nipon Airways.

O 787, que deveria ter ficado pronto em 2008, a tempo de transportar os turistas japoneses para os Jogos Olímpicos de Pequim, superou uma nova etapa no calendário, muito afetado por graves problemas de produção.

A nova aeronave, que segundo a Boeing consome 20% a menos de combustível que os modelos anteriores de tamanho similar graças ao grande uso de materiais compostos, decolou de Tóquio com 240 passageiros. Um deles pagou 34.000 dólares por uma passagem em um leilão na internet. O dinheiro será doado a organizações de caridade.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Azul inicia voos ligando São Luís (MA), Belém (PA) e Recife (PE)

24/10/2011 - Mercado&Eventos

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras inicia voos ligando São Luís (MA) a Belém (PA) e São Luís a Recife (PE) de forma temporária, com operações que vão de 20 de outubro até 29 de novembro. A entrada da companhia nas novas rotas é uma oportunidade para atender seus Clientes nesses mercados.

As passagens estão à venda a partir de R$ 109,90 (voo com escala em São Luís) para Belém - São Luís e a partir de R$ 229,90 (o trecho*) para Belém – Recife. Os preços estão sujeitos à disponibilidades de assentos. O pagamento pode ser parcelado em até dez vezes no cartão de crédito. A compra pode ser feita pelo site (www.voeazul.com.br), por meio do Call Center (11 4003-1118) ou nas lojas da Azul.

É recorde

25/10/2011 - O Globo, Flávia Oliveira

Os aeroportos do país registraram 58,8 milhões de desembarques domésticos, até setembro. Foi um salto de 18,67% sobre 2010. O
Ministério do Turismo refez a projeção para o ano. Serão 79 milhões de desembarques domésticos, marca recorde.

sábado, 22 de outubro de 2011

Azul estreia nova geração de aeronaves com pouso no Aeroporto do Recife

19/10/2011 - Diário de Pernambuco

A mais nova geração de aeronaves que será adotada pela Azul Linhas Aéreas pousou hoje no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes-Gilberto Freyre. Trata-se de um modelo produzido em Toulouse, na França, pela empresa franco-italiana ATR da série 600. A aeronave foi batizada de Azul, Tango, Romeu, em referência às iniciais do fabricante.

O avião é um pouco menor do que os atualmente utilizados na frota da companhia, fabricados pela Embraer. Enquanto as aeronaves brasileiras cabem de 106 a 118 passageiros, os modelos ATR 72-600 comportarão entre 68 e 74 passageiros. O plano da empresa é utilizar os novos turboélices para aviação regional, com rotas no interior de Minas Gerais, São Paulo, Curitiba e Santa Catarina.

Essa aeronave dá início à série de 30 aeronaves encomendadas pela Azul até 2015. A expectativa é que até o final do ano mais dois ATR 72-600 sejam incorporados à malha. A companhia tem ainda mais 10 opções de compra do novo modelo.
Com a chegada do novo modelo, a Azul foi a segunda empresa no mundo e a primeira da América Latina a receber o mais moderno turboélice disponível no mercado. Com isso, a companhia considera que conquistou mais um marco na história da aviação doméstica brasileira, já que é a primeira aérea a trazer esse modelo ao País.
Com quase três anos de operações, a companhia conecta 40 destinos atualmente, com 300 voos diários. Somando-se às oito linhas de ônibus, são 45 cidades brasileiras. A Azul já ultrapassou a marca de mais 11 milhões de clientes transportados desde sua fundação.

Frotas atualizadas – Empresas brasileiras (Outubro de 2011)

21/10/2011 - Aviação Brasil

Empresas domésticas:

Azul Linhas Aéreas:

10 Embraer 190
23 Embraer 195
08 ATR 72-200
01 ATR 72-600

Este ano chegarão mais cinco Embraer 195 e outros dois primeiros ATR 72-600, de uma encomenda total de 30 aeronaves ATR, que gradativamente chegarão até 2015, além de 10 opções de compra.

Avianca Brasil:

05 Airbus A318-121 mais 10 encomendados, sendo que 5 chegam em 2012 e 5 em 2013.
03 Airbus A319-115
04 Airbus A320-214 encomendados que chegarão entre novembro e dezembro de 2011.
14 Fokker 100 (MK 28)
Gol Transportes Aéreos
36 Boeing 737-700NG
70 Boeing 737-800NG
Em 2012 mais 4 Boeing 737-800NG SPF; Em 2013 mais 2 Boeing 737-800NG SPF; Em 2014 mais 4 Boeing 737-800NG SPF e em 2015 mais 6 Boeing 737-800NG SPF.

PumaAir

02 Boeing 737-322
01 Boeing 767-300ER arrendado da VRG para operar a linha de Luanda encomendado.
TAM Linhas Aéreas

28 Airbus A319
85 Airbus A320
09 Airbus A321
20 Airbus A330-200
02 Airbus A340-500
03 Boeing 767-300ER
04 Boeing 777-300ER
Soma-se a este 2 Airbus A319 e 1 Airbus A320 da Pantanal.

Sobre planos futuros da frota TAM, a empresa espera receber em 2011 mais 1 Airbus A319-100 e 2 Airbus A320-200.

Em 2012 chegarão 4 Boeing 777-300ER, 1 Airbus A330-200 e 13 Airbus da família A320, além da devolução de dois Airbus A340 e outros 13 Airbus A320, sendo que quatro com vencimento de leasing;

Em 2013 chegarão 2 Boeing 777-300ER, 3 Airbus A330-200 e 5 Airbus da família A320;

Em 2014 chegarão 2 Boeing 777-300ER e 5 Airbus A320.

Em 2015 chegam mais 2 Airbus A330 e 6 Airbus A320.

Entre 2016 e 2018 espera receber 22 Airbus A320neo, 10 aeronaves da família A320 (podendo ser A319, A320 e A321). Existe também encomendados 27 Airbus A350-900.

VRG Transportes Aéreos

08 Boeing 737-700NG
08 Boeing 737-800
01 Boeing 767-27GER
01 Boeing 767-383ER
Webjet

24 Boeing 737-300
Whitejets

01 Airbus A310-300 e 01 A320-200.
Empresas regionais:

Abaeté: 2 Embraer 110
Mais Linhas Aéreas: 02 Fokker 100 encomendados (encontram-se em São Carlos, no Centro de Manutenção da TAM)
MAP Linhas Aéreas: 01 ATR 42-312
Meta: 2 Embraer 120
NHT: 6 Let 410
Noar: 1 Let 410 mais um encomendado. Perdeu-se em acidente fatal neste mês a aeronave PR-NOB, vitimando todos os seus passageiros e ocupantes em Recife.
Passaredo: 1 ERJ 135 e 14 ERJ 145, além de outro ERJ 145 encomendado.
Sete: 5 Cessna 208B Caravan e 1 Embraer 120. Encomendado mais um Brasília, que voou na Air Minas.
Sol: 1 Let 410
Team: 1 Let 410
Trip: 11 ATR 42-300, 9 ATR 42-500, 13 ATR 72-212A (Série 500), 2 ATR 72-212, 9 Embraer 175 e 7 Embraer 190. Deve receber seu primeiro ATR 72-600 ainda em 2011. Existem encomendas ainda de outros 17 ATR 72-600, 6 Embraer 170 e 14 Embraer 190.

Empresas cargueiras:

Absa: 3 Boeing 767-300ERF
Air Brasil: 1 Boeing 727-227F, 1 Boeing 727-2M7F (PR-MTJ)
CargoBis: 2 Boeing 757-200F encomendados
MTA Cargo: 2 Douglas DC-10-30F
Mega: 1 Cessna 208B Caravan
Rio Linhas Aéreas: 7 Boeing 727-200F e 2 Boeing 767-20oF
Sideral: 1 Boeing 737-300F
SP Cargo Air: 1 Boeing 727-200F encomendado
TAF: 4 Cessna 208, sendo um da versão 208A e três da versão 208B
Total: 3 ATR 42-500 e 6 Boeing 727-200F
Varig Log: 2 Boeing 727-200F, 1 Boeing 737-400F e 1 Boeing 757-200F. Deve receber mais um Boeing 737-400F e um 767 Cargueiro ainda em 2011.
Empresas Particulares:

Air Amazônia: 2 Embraer 120RT mais 3 encomendados

Webjet começa renovação da frota em 2012

21/10/2011 - Panrotas

O diretor comercial e de Marketing da Webjet, Fábio Mader, anuncia na Feira da Abav a renovação da frota da companhia. Segundo ele, as nove novas aeronaves começarão a chegar no primeiro trimestre de 2012. "Serão todos Boeing 737-800, configurados para 189 passageiros", informa.

A frota atual da Webjet, observa o diretor, é de 24 Boeings 737-300, que acomodam até 148 passageiros. "Continuaremos com 24 aeronaves, mas todas serão trocadas nos próximos dois ou três anos. Teremos aeronaves mais modernas e aumentaremos a oferta", ressalta. Mader comenta ainda que os três voos implantados recentemente para Florianópolis estão obtendo bom aproveitamento. São ligações para a capital catarinense a partir de Porto Alegre, Confins (BH) e Galeão (RJ). Já o melhor aproveitamento da Webjet, revela, é na rota Rio-Recife, que conta com dois vôos diretos e um voo com escala.

O diretor informa ainda que o índice de aproveitamento da companhia aérea em 2011 vai ficar em 73,9%.

Antonio Roberto Rocha

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

TAM finaliza encomenda de 32 jatos Airbus

20/10/2011 - O Estado de São Paulo

Destas, 22 têm opção de motor que consome até 15% menos combustível e emite menos CO²

SÃO PAULO - A TAM informou nesta quinta-feira, 20, ter finalizado o pedido de 32 aeronaves Airbus da família A320, que serão entregues entre 2016 e 2018. O pedido, feito em fevereiro, não altera o plano de frota. Como anunciado em agosto, a TAM pretende encerrar 2011 com 156 aeronaves e chegar a 2015 com 179. Das 32 novas aeronaves, 22 são A320neo, uma opção de motor que consome até 15% menos combustível e emite menos CO².

O uso desse modelo permitirá reduzir custos e melhorar o desempenho ambiental, de acordo com o vice-presidente de suprimentos e contratos da TAM Linhas Aéreas, José Zaidan Maluf. A TAM diz ser um dos maiores operadores da família A320 no mundo e a primeira operadora do A320neo na América Latina.

A redução de combustível com esse modelo é equivalente a 1,4 milhão de litros de querosene, o que permite uma economia de 3,6 mil toneladas de CO2 por aeronave ao ano, mesma quantidade absorvida por 240 mil árvores maduras, segundo comunicado da TAM.

Novo aeroporto de SP custaria R$ 5 bi

20/10/2011 - Valor Econômico, Fábio Pupo

Depois de quatro anos e R$ 30 milhões investidos em estudos, além de um "não" do governo federal, Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa ainda acreditam no projeto de um novo aeroporto na região metropolitana de São Paulo. Para subsidiar a argumentação, os grupos encomendaram um novo conjunto de estudos à Boeing sobre o tráfego aéreo da cidade. Paralelamente ao projeto, ambos estão firmes no propósito de disputar as concessões de aeroportos programadas para o início de 2012.

Em entrevista ao Valor, José Henrique Braga Polido Lopes, diretor de novos negócios da Andrade Gutierrez Concessões, e Roberto Deutsch, diretor da Camargo Corrêa Investimentos em Infraestrutura, disseram que a ideia é construir o aeroporto em fases, de acordo com o crescimento da demanda. Em um primeiro momento, fazer o aeroporto alcançar capacidade operacional tomará R$ 3 bilhões ao longo de cinco a seis anos, para atender 20 milhões de passageiros. O faturamento esperado é de R$ 700 milhões anuais.

Para os executivos, o projeto se justifica pela demanda futura. "Mesmo com o terceiro terminal de Guarulhos, a capacidade daquele aeroporto se esgotaria em cerca de cinco anos", diz Deutsch.


O projeto é temido por outros grupos que disputarão as concessões de aeroportos federais - por terem o receio de que o terminal "sugue" a demanda de cargas e passageiros (e, consequentemente, o faturamento) de Guarulhos e, principalmente, Viracopos (por este ser mais distante). Por conta do risco do novo concorrente, a alemã Fraport e o parceiro brasileiro EcoRodovias já declararam ao Valor, em outubro, que vão concentrar os esforços em Guarulhos no leilão de aeroportos.

Mas a possibilidade do projeto sair do papel pode se tornar um quebra-cabeça para as duas empreiteiras - Andrade e Camargo. Isso porque, paralelamente ao projeto do Nasp (Novo Aeroporto de São Paulo), os dois grupos continuam firmes no intuito de participar do projeto de concessões dos aeroportos de Guarulhos, Viracopos e Brasília. O primeiro problema seriam os investimentos necessários. "Claro que para tocar dois projetos como esse precisaríamos de mais parceiros, como operadores internacionais e fundos de investimento", diz Polido. Parte dos recursos, diz, seriam buscados via financiamento do BNDES.

Mas o maior entrave decorrente da participação desses grupos em aeroportos viria do governo federal. Caso saiam vencedores de um aeroporto, principalmente no Estado de São Paulo, o governo federal poderia barrar de vez as construtoras de erguerem o Nasp - já que o Planalto quer concorrência entre os aeroportos.

Independentemente de os dois grupos saírem vencedores de uma concessão, o governo federal não é simpático à ideia do novo aeroporto. Segundo o vice-governador do Estado de São Paulo, Guiherme Afif Domingos, o Planalto prefere que os terminais já existentes atraiam os investimentos da iniciativa privada. Além disso, para o governo federal, os investimentos realizados depois das concessões de Guarulhos e Viracopos darão conta da demanda na região.

Em julho deste ano, o projeto foi entregue ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), que depois de analisar os estudos entregues pelas duas empresas, chegou à conclusão que os pousos e decolagens do Nasp interfeririam na operação do espaço aéreo de Congonhas, Guarulhos, Viracopos e Jundiaí. Agora, as duas construtoras encomendaram mais um conjunto de estudos à Jeppesen, subsidiária do grupo Boeing, sobre o tráfego que poderia sofrer interferência do Nasp, como o de helicópteros e de aviação executiva.

Caso o projeto do Nasp não possa ser concretizado, as empresas perderiam os R$ 30 milhões investidos nos estudos. Os executivos dizem ainda não haver planos para a venda do projeto, nem mesmo nessa situação. Por outro lado, caso não faturem nenhum dos terminais que passarão por concessão, os executivos apostarão suas fichas no Nasp.

O projeto é de um aeroporto comercial de escalas nacional e internacional. Os grupos já firmaram uma parceria com Flughafen Zürich AG, operadora do aeroporto de Zurique, na Suíça, para a administração do terminal. Com custo total de R$ 5,3 bilhões e previsão de demanda para 40 milhões de passageiros quando estiver 100% concluído, o empreendimento, caso saia do papel, ficará no município de Caieiras - a 30 km do centro de São Paulo - num terreno de 9 milhões de metros quadrados. Atualmente, há um contrato de direito de uso com a proprietária da área, a editora Melhoramentos. Segundo o acordo, os sócios podem adquirir o terreno quando quiserem.

O aeroporto ficaria entre as rodovias Anhanguera e dos Bandeirantes - pouco a norte do Rodoanel. A distância em relação ao centro da capital paulista é parecida ao do aeroporto de Guarulhos (que fica a 25 km do marco zero). Apesar de fácil acesso para automóveis, não está prevista uma estação de metrô no aeroporto.

As empresas aguardam também decisão da CCR, da qual cada uma possui 17% (somando a participação de todas suas subsidiárias), sobre a inclusão do setor aeroportuário no objeto social da companhia e sobre a compra dos ativos dos dois grupos no setor - o que inclui o projeto do Nasp. "Caso a CCR decida entrar em aeroportos, Andrade e Camargo passam a ela todas as atividades no setor", diz Polido.

Azul recebe seu primeiro ATR 72-600

20/10/2011 - Aviação Brasil

Foto: Lucas Coacci (via Assessoria de Imprensa Azul)

Chegou ao Brasil a primeira aeronave ATR modelo 72-600 da Azul Linhas Aéreas. Batizado de Azul, Tango, Romeo, a aeronave chegou em Recife ontem e seguiu para Confins hoje – MG para certificação.

Com isso, a Azul se torna a segunda empresa no mundo e a primeira da América Latina a receber o mais moderno turboélice disponível no mercado. Além disso, a companhia conquistou mais um marco na história da aviação doméstica brasileira, já que é a primeira aérea a trazer esse modelo ao País.

A aeronave dá início à série de outras 30 encomendadas pela Azul até 2015. A expectativa é que até o final do ano, mais dois ATR 72-600 sejam incorporados à malha. A companhia tem ainda mais 10 opções de compra do novo modelo.

Sobre o ATR 72-600

Capacidade de passageiros: 68-74;
Motores: Pratt & Whitney 127m;
Potência máxima na decolagem: 2.750 cavalos de potência por motor;
Peso máximo na decolgem: 23.000 kg;
Carga máxima: 7.500 kg;
Alcance máximo com capacidade total de passageiros: 899 milhas náuticas (1665 km).

Avianca e Azul planejam expansão para 2012

21/10/2011 - Valor Econômico, Chico Santos e Guilherme Serodio

Enquanto a TAM e a Gol, empresas maduras, refazem para baixo suas contas de crescimento do tráfego de passageiros para o ano que vem, a Avianca e a Azul, companhias em fase de expansão, planejam acelerar sem preocupação com a crise.

Na Avianca (antiga Ocean Air), empresa do grupo Sinergy, controlado pelo empresário German Efromovich, a estimativa para este ano é de aumentar o transporte de passageiros em 41%, para 3,4 milhões. Já o faturamento deve chegar a R$ 840 milhões, um aumento de 51% sobre o ano passado.

Segundo o presidente da Avianca, José Efromovich, a diferença entre a variação percentual do transporte de pessoas e o do faturamento deve-se à maior distância voada este ano do que no ano passado, por conta da entrada de rotas mais longas. Para 2012 a empresa só afirma que em janeiro aumentará em 70% o número de passageiros transportados na comparação com janeiro deste ano.

Para o ano de 2012, Efromovich acha cedo para fazer prognósticos, embora o diretor comercial e de marketing da Avianca, Tarcísio Gargioni, concorde que a tendência do mercado como um todo é de crescer duas vezes e meia a três vezes o Produto Interno Bruto (PIB), o que daria algo em torno de 10% - mesma estimativa das líderes do setor.

Com a chegada de quatro aeronaves A-320 este ano, Efromovich avalia que a Avianca poderá entrar efetivamente no transporte de cargas (os porões comportam). Com isso, a carga passaria de uma fatia residual na receita para cerca de 5% no fim de 2012, o que justificará, segundo ele, a criação de uma unidade de negócio específica.

Na Azul, o presidente, Pedro Janot, também afirma que observa "um certo esfriamento" do mercado, mas que a empresa, em fase de "desbravamento de fronteiras", não enfrenta suas consequências. Tanto que de agora até janeiro de 2012 inaugura novas linhas entre Rio de Janeiro e Vitória, Rio e Porto Alegre, Campinas-Sinop (Mato Grosso) e Campinas-Salvador-Paulo Afonso (BA). "Vamos entrar 2012 com o pé no acelerador", diz.

A portuguesa TAP anunciou ontem que a crise europeia fará do Brasil, já em 2012, a sua principal fonte de faturamento, superando o país de origem, um dos focos dos problemas econômicos da Europa. Com um aumento de 221% das frequências entre Lisboa e cidades brasileiras de 2001 a 2011, a TAP obteve do tráfego brasileiro 21% do seu faturamento em 2010 e no primeiro semestre deste ano, contra 29% de Portugal.

Mas o vice-presidente Executivo da empresa, Luiz Gama Mór, avalia que já em 2012 o Brasil assumirá a liderança na estatística da receita. Hoje a TAP realiza 74 voos semanais entre Lisboa e 10 cidades brasileiras, fazendo da capital portuguesa um verdadeiro "hub" (aeroporto concentrador) para conectar o Brasil com mais de 50 destinos na Europa.

Segundo Mór, a empresa deverá aumentar em aproximadamente 6% o total de passageiros transportados em 2012, ante um crescimento de 9% estimado para este ano. Ele disse que a redução no ritmo está relacionada com a conjuntura econômica, mas também com a limitação de frota da empresa.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Embraer deve entregar cerca de 100 jatos no 4o tri

17/10/2011 - O Globo

Reuters/Brasil Online
Por Cesar Bianconi

SÃO PAULO (Reuters) - A Embraer precisa entregar cerca de 100 aviões de outubro a dezembro para cumprir sua meta de 2011, o que significa mais do que dobrar a cadência sobre os três primeiros trimestres deste ano.

No terceiro trimestre, a maior fabricante mundial de jatos regionais entregou 46 aviões, chegando a 122 unidades no acumulado de janeiro a setembro.

A estimativa para o fechado de 2011 foi mantida em cerca e 220 aeronaves, segundo a assessoria de imprensa da companhia.

A estimativa anual da Embraer inclui 102 aviões comerciais e 118 jatos executivos -dos quais 100 modelos leves (Phenom) e 18 maiores (Legacy e Lineage).

A Embraer já havia sinalizado para uma quantidade maior de entregas nos últimos meses do ano.

Em entrevista à Reuters em junho, o presidente-executivo da Embraer, Frederico Curado, afirmou que o atraso no recebimento de motores da General Electric com peças japonesas faria com que as entregas de jatos no segundo e no terceiro trimestres ficassem um pouco baixas, com expectativa de concentração de outubro a dezembro para compensar.

TERCEIRO TRIMESTRE

De julho a setembro deste ano, contudo, foram entregues mais aviões comerciais do que executivos, implicando em receita maior para a fabricante de jatos.

Apenas no terceiro trimestre, a Embraer entregou 28 aviões comerciais -22 unidades do Embraer 190 e seis do modelo 195- e 18 jatos executivos -17 aeronaves Phenom e um de maior porte. Um ano antes, foram 20 aeronaves comerciais e 24 executivos.

Com base nos preços de tabela, a receita com os aviões entregues nos últimos três meses totalizaria cerca de 1,35 bilhão de dólares.

A carteira de pedidos firmes (backlog) no final de setembro totalizava 16 bilhões de dólares, acima dos 15,8 bilhões de dólares em junho.

De julho a setembro a Embraer fechou a venda de 17 jatos comerciais.

No começo de outubro, foi firmado contrato envolvendo seis aeronaves comerciais com a Gecas -unidade de leasing da GE- e encomenda de 13 jatos executivos Legacy 650 pela chinesa Misheng. Ambos os pedidos serão adicionados ao backlog no atual trimestre.

As ações da Embraer recuavam 0,93 por cento às 13h11, para 11,70 reais, enquanto o Ibovespa perdia 1,85 por cento.

Passaredo anuncia quatro novos destinos no Pará e Paraná

18/10/2011 - Melhores Destinos

A Passaredo anunciou quatro novos destinos que passarão a ser atendidos até o fim do ano: Belém, Carajás e Santarém, no estado do Pará, em novembro e Cascavel no Paraná em dezembro. Segundo informou a empresa, jatos regionais ERJ 145 com capacidade para 50 passageiros servirão as rotas. A empresa possui hoje 14 aeronaves do modelo.
A partir de Belém serão disponibilizados voos diários para Macapá e Palmas a partir do dia 16 de novembro e as passagens já estão à venda. Para a capital do Amapá serão dois horários por dia, com preços a partir de R$ 169 o trecho. Entre Belém e Palmas, haverá um voo diário e os bilhetes estão sendo vendidos por R$ 379 (somente ida).

A empresa anunciou que pretende oferecer voos ligando a capital Paraense também a Goiânia, Curitiba, Ribeirão Preto, Uberlândia, Brasília, São José do Rio Preto, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Rondonópolis, Ji-Paraná e Cuiabá. Além disso, em dezembro, quando a empresa iniciar sua operação em Cascavel (Paraná), Belém também terá a ligação com a cidade.

Santarém, segundo município mais importante do Pará, terá a partir do dia 22 de novembro voo diário a Brasília com conexões possíveis a Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Londrina e Porto Alegre. Os trechos para a capital federal são vendidos por R$ 629. Ainda no Pará, a Passaredo pretende operar voos para Carajás a partir de novembro, mas o pedido ainda tramita na Anac e as passagens ainda não estão disponíveis no site. A intenção é que haja rotas entre a cidade e os aeroportos de Brasília e Belém.

Já a rota de Cascavel deve ligar a cidade a Curitiba, capital do Estado. Com seis voos semanais de segunda a sábado. O pedido, com previsão de início no dia 1 ° de dezembro, está também em análise por parte da Anac.

Mais informações no site da Passaredo

Passaredo passará a atender 26 destinos em dezembro

18/10/2011 -

Aérea regional iniciará voos para Belém, Carajás e Santarém, no Pará, e também para Cascavel, no Paraná

Leonardo Andrade, editor-chefe do Portal Transporta Brasil

A Passaredo Linhas Aéreas, companhia aérea regional, planeja a ampliação de sua malha operacional para o transporte de passageiros, incluindo mais quatro destinos e totalizando 26 aeroportos atendidos em todo o Brasil até dezembro.

A empresa, que opera com 14 jatos Embraer ERJ 145 com capacidade para 50 passageiros, passará a voar para Belém, Carajás e Santarém, no Pará, e para Cascavel, no Paraná, a partir de dezembro, quando terá um total de 26 destinos operados. “Acreditamos muito no desenvolvimento no Estado do Pará e temos certeza de que as novas rotas irão oferecer maior conforto e agilidade aos passageiros”, afirma José Luiz Felício Filho, o presidente da Passaredo Linhas Aéreas.

Com sede em Ribeirão Preto (SP), a Passaredo Linhas Aéreas voa com frota 100% nacional e atende, atualmente, as seguintes localidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Belo Horizonte, Porto Alegre, Goiânia, Cuiabá, Palmas, Salvador, Fortaleza, Vitória da Conquista, Barreiras, Ribeirão Preto, Ji-Paraná, Juazeiro do Norte, Uberlândia, São José do Rio Preto, Rondonópolis, Alta Floresta, Sinop e  Araguaína.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Paraná na rota de crescimento das aéreas

15/10/2011 - Paraná Online, Olavo Pesch

Mesmo com os aeroportos brasileiros superlotados e a necessidade urgente de se ampliar a infraestrutura para atender a forte demanda, as companhias aéreas continuam investindo pesado na expansão de seus negócios. E o Paraná é considerado estratégico na rota de crescimento das principais empresas do setor.

Só entre janeiro e agosto, o movimento nos dois aeroportos internacionais do Estado – Curitiba e Foz do Iguaçu – cresceu 30% em relação ao mesmo período de 2010, passando de 4,3 milhões para 5,6 milhões de passageiros transportados. O incremento é verificado tanto nos destinos internacionais (44%) quanto nos domésticos (30%).

Com operações no Estado desde 2001, a Gol domina o mercado paranaense de aviação, com 138 voos diários ligando quatro cidades – Curitiba, Londrina, Maringá e Foz do Iguaçu – aos principais destinos do País. "O Paraná constitui, hoje, um dos principais hubs de distribuição de passageiros em nossa malha, pois é uma opção muito conveniente para escalas e conexões", destaca a companhia. A Gol incluiu recentemente novos voos nas linhas Guarulhos-Maringá e Guarulhos-Foz do Iguaçu. A empresa tem planos de incrementar a oferta para os mercados que opera, no entanto, por questões estratégicas, não pode divulgar os detalhes no momento.
A TAM limitou-se a informar que as operações no Paraná incluem 35 voos partindo de Curitiba, sete de Foz do Iguaçu e cinco de Londrina. Segundo a a companhia, "as rotas são sempre avaliadas conforme a demanda de cada cidade ou região. Estamos sempre atentos às necessidades de nossos clientes e constantemente iniciamos ou ampliamos operações, tanto domésticas quanto internacionais".

Já a Azul, presente no Estado desde janeiro de 2009, conta com dezesseis voos diários em Curitiba, Maringá e Foz do Iguaçu. A empresa pediu autorização à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para operar em Londrina, com três voos diários para Campinas, a partir de fevereiro de 2012. Se for aprovada, o Paraná se tornará o estado com maior número de cidades atendidas depois de São Paulo. "O Paraná concentra demandas de vários setores da economia, além do turismo. Por isso, sua importância estratégica é vital e pretendemos continuar crescendo no Estado. Chegou a vez de Londrina, mas vamos olhar para outras cidades", revela o diretor de marketing, Paulo Mesnik. Só este ano, a Azul já transportou mais de 200 mil passageiros no Paraná e deve fechar o ano com algo em torno de 270 mil pessoas atendidas.

Já a Avianca, apesar de operar com apenas três voos diários em Curitiba, o que corresponde a 8 mil passageiros transportados por mês, se diz limitada pela falta de slots para pousos e decolagens em São Paulo. "Mas o voo Curitiba-Brasília, que começou em setembro, já é um sucesso, porque em Brasília temos um hub para todo o Nordeste", salienta o vice-presidente comercial e de marketing, Tarcísio Gargioni. "Ainda estamos definindo o planejamento de 2012, mas não há dúvida nenhuma de que o Paraná é um dos mercados prioritários para nós", comenta. Ele revela que a companhia tem interesse em expandir seus negócios para Londrina e Maringá. "Está em análise. São cidades que estão crescendo e têm demandas", aponta.

domingo, 16 de outubro de 2011

Quanto custa um A380 ?

14/10/2011 - Aviação

O Wall Street Journal hoje publicou uma daquelas notas que normalmente não deveriam aparecer pro público (de acordo com a Flight Global):

A empresa Nimrod Capital LLC, que hoje comprou o primeiro de três A380 que fara leasing de 12 anos para a Emirates pagou em cada um a pequena quantia de US$234.000.000 (Duzentos e trinta e quatro milhões de dólares).

Dinheiro de café…. né?

Agora o mais interessante é que o preço de tabela da Airbus é US$ 375.300.000 (trezentos e setenta e cinco milhões de dólares).

Que descontão heim?….141 milhões de dólares de desconto? por quê será?
O preço de venda para a Nimrod não deixa claro se está embutido o valor de cada motor (US$ 16.6 milhões cada).

Putz… e o Airbus A380 batendo de novo a asa?
Airbus A380 da Air France atinge em cheio um CRJ no aeroporto de JFK #video
Simulador de voo do Airbus A380 da Lufthansa
Novíssimo Airbus A380 da Singapore teve IFSD (corte de motor em voo)

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Webjet venderá passagem aérea pelo preço de tarifa de ônibus

14/10/2011 - O Estado de São Paulo, KELLY LIMA

A companhia aérea Webjet lança na segunda-feira uma nova campanha. Vai vender passagens aéreas com valor de tarifa de ônibus em guichês da estação Central do Brasil. O ponto de venda da companhia, segundo a assessoria de imprensa da Webjet, faz parte do processo de revitalização de um dos símbolos mais famosos do Rio de Janeiro.

O espaço escolhido fica inserido no conjunto arquitetônico do prédio da Central. A Webjet informou em nota à imprensa que está apostando no potencial de mais de 10 milhões de consumidores que utilizam os trens urbanos mensalmente, e que nunca viajaram de avião.

Para marcar a estreia, a companhia venderá bilhetes em condições facilitadas e o cliente que for ao novo balcão poderá pagar as passagens em até seis vezes sem juros nos cartões de crédito.

Além do parcelamento, a taxa de conveniência deixará de ser cobrada no quiosque, uma economia de cerca de R$ 30. Quem passar pela Central também poderá concorrer a um dos bilhetes aéreos que serão sorteados durante todo o dia da inauguração. A Webjet possui hoje mais de 150 voos diários para 17 cidades do Brasil, e acaba de inaugurar suas operações em Florianópolis (SC). Sua frota é composta por 24 aeronaves com capacidade para 148 passageiros cada uma. Desde o início de suas operações, em 2005, a Webjet já transportou mais de 13 milhões de pessoas.

Em nove anos, viagem dentro do Brasil fica 66% mais barata

13/10/2011 - Jornal do Brasil

Passageiros brasileiros pagam um terço do valor para viajar de avião em território nacional

Em julho de 2011, os passageiros brasileiros pagaram aproximadamente um terço do valor que pagavam há nove anos para viajar de avião em território nacional, segundo informações da Agência Nacional de Avião Civil (ANAC)

O valor médio que o passageiro paga para voar 1 km em território nacional atingiu, em julho de 2011, R$ 0,27, contra R$ 0,81 registrado no mesmo mês em 2002. Em relação a julho do ano passado, a redução foi de 24%.Já o valor médio pago pelo passageiro por uma viagem aérea em território brasileiro foi de R$ 223,41 em julho de 2011.

Em relação a julho de 2010, houve redução de 22%.A Anac afirma que os preços do transporte aéreo doméstico de passageiros de julho de 2011 foram os menores desde 2002, ano em que o órgão iniciou a série de dados de tarifas aéreas domésticas

Os dados são calculados com base nas tarifas cobradas pelas empresas aéreas e atualizados pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). São considerados os dados dos bilhetes de passagem do transporte aéreo doméstico regular de passageiros comercializados junto ao público em geral, independentemente de escalas ou conexões e desconsiderados os bilhetes oferecidos gratuitamente, os decorrentes de programas de fidelização (milhas) e os vinculados a pacotes turísticos, a tarifas corporativas, a tarifas diferenciadas oferecidas a empregados e a tarifas diferenciadas de crianças.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Divulgados lances mínimos para privatizações de três aeroportos

13/10/2011 - Portal 2014

Segundo o governo, empresas vão precisar desembolsar R$ 2,29 bilhões por Cumbica, em Guarulhos

Cumbica: lance mínimo por aeroporto chega a R$ 2,29 bilhões (crédito: Infraero/Divulgação)

Da Agência Brasil - Brasília

A Secretaria de Aviação Civil (SAC) divulgou hoje (13) os lances mínimos para leilão do três aeroportos que serão concedidos à iniciativa privada até maio de 2012. O valor mínimo que as empresas precisam desembolsar R$ 2,29 bilhões para ter a concessão do Aeroporto de Guarulhos; R$ 521 milhões para o Aeroporto de Viracopos, em Campinas; e R$ 75 milhões para o Aeroporto de Brasília.

Os estudos técnicos e econômicos das concessões, além dos investimentos dos projetos de ampliação dos aeroportos, foram entregues ao Tribunal de Contas da União (TCU) pelo ministro da SAC, Wagner Bittencourt. O tribunal vai analisar o primeiro estágio das concessões, que envolve a viabilidade técnica, econômico-financeira e ambiental.

O Aeroporto de Guarulhos tem o prazo de concessão de 20 anos; o de Viracopos, 30 anos; e o de Brasília, 25 anos. Além disso, as empresas deverão investir, durante o prazo de concessão, R$ 4,71 bilhões em Guarulhos, R$ 6,27 bilhões em Viracopos e R$ 2,21 bilhões em Brasília.

Na última sexta-feira (7), os estudos para subsidiar a modelagem de concessões para exploração dos aeroportos de Guarulhos, Viracopos e Brasília foram aprovados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Para os estudos referentes ao Aeroporto de Guarulhos, o valor de ressarcimento apurado e arbitrado foi R$ 7 milhões. Para o aeroporto de Viracopos, o valor foi R$ R$ 7,6 milhões e R$ 2,5 milhões para o Aeroporto de Brasília.

Siga o Portal Copa 2014 no twitter: http://www.twitter.com/portalcopa2014

Webjet venderá passagens na Central do Brasil

13/10/2011 - Valor Online

Companhia aérea abriu ponto de venda no terminal ferroviário, localizado no centro do Rio de Janeiro

A Webjet vai começar a vender, a partir de segunda-feira (17), passagens aéreas no terminal ferroviário da Central do Brasil, no centro do Rio de Janeiro. É a primeira companhia aérea a ter um quiosque numa estação de trens.

Por meio de comunicado, a Webjet informa que acredita no potencial de 10 milhões de passageiros que utilizam trens no Rio por mês e que nunca viajaram de avião.

A companhia vai oferecer passagens em até seis vezes sem juros e deixará de cobrar a taxa de conveniência de R$ 30.

Em meados março, a Gol foi a primeira empresa a anunciar a abertura de um ponto de venda no Metrô de São Paulo, nas estações Sé, Luz e Itaquera.

Na semana passada, a Gol inaugurou mais um quiosque na estação Tatuapé. Em agosto, a TAM anunciou a abertura de sua primeira loja numa estação de metrô, na Corinthians-Itaquera. Depois disso, em setembro, a TAM inaugurou mais pontos de venda nas estações Ana Rosa e São Bento.

Fonte: Valor Online
 

terça-feira, 11 de outubro de 2011

AEROPORTO BAURU/AREALVA GANHARÁ VOOS DA TRIP LINHAS AÉREAS

11/10/2011 - Governo SP

A empresa aérea começa a operar no aeroporto na próxima segunda, 17 de outubro

O aeroporto Moussa Nakhal Tobias (Bauru/Arealva), administrado pelo Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp) recebe, a partir do dia 17, uma nova companhia aérea, a Trip. A empresa irá operar durante toda a semana nas rotas Bauru/São Paulo(Guarulhos)/Bauru; Bauru/Marília/Bauru e Bauru/Araçatuba/Bauru.

No total, a Trip oferecerá 11 voos durante toda a semana.  Para o destino Bauru/São Paulo (Guarulhos) serão oferecidos sete horários, incluindo quatro voos aos domingos.

Já no destino Bauru/Araçatuba a empresa terá dois voos, de segunda a sábado, e de Bauru/Marília serão dois horários, de segunda a domingo.

O aeroporto Bauru/Arealva opera também com a empresa Gol, que faz um voo diário no roteiro Bauru/São Paulo (Guarulhos). 
 
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Logística e Transportes
Telefones: (11) 3702-8110 / 3702-8111 

Aeroportos privatizados terão 19 bi de investimentos

11/10/2011 - O Globo, Geralda Doca

Leilão dos terminais de Guarulhos, Brasília e Viracopos prevê investimentos de R$19 bi

Os investidores privados que assumirem Guarulhos (São Paulo), Brasília e Viracopos (Campinas) terão que aplicar R$19,661 bilhões nos três aeroportos ao longo da concessão.

Além disso, terão que pagar à União uma outorga (lance mínimo do leilão) de R$2,888 bilhões, somando os três terminais.

Os números estão no modelo financeiro a ser anunciado depois de amanhã e encaminhado ao Tribunal de Contas da União (TCU).

O governo quer realizar o leilão em 22 de dezembro, mas, ontem, o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt, admitiu que ele pode ser adiado.

Segundo a minuta do edital, à qual o GLOBO teve acesso, a outorga mais alta é a de Guarulhos: R$2,292 bilhões. O investimento mínimo é de R$5,795 bilhões.
Quem levar o terminal internacional paulista - o mais lucrativo - terá de desembolsar taxa adicional de 10% da Receita Brutal Anual à União, nos 20 anos de concessão.
O maior investimento é para Viracopos, que o governo quer transformar no maior aeroporto da América Latina (com até quatro pistas de pouso e decolagem).
São R$10,751 bilhões. A outorga será fixada em R$521 milhões mais 5% da Receita Brutal Anual à União, nos 30 anos de concessão.
A outorga mínima de Brasília será de R$75 milhões (mais 2% da Receita Bruta Anual à União), com investimento mínimo de R$3,115 bilhões. A concessão será de 25 anos.
Para cumprir determinação da presidente Dilma Rousseff e realizar o leilão no prazo, os órgãos têm até quinta-feira para concluir o modelo da concessão e enviá-lo ao TCU.
Os termos jurídicos já estão em consulta pública há pouco mais de uma semana no site da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), mas o Tribunal quer fazer sua análise com os dados completos.
Segundo fontes, os técnicos estão correndo para um ajuste fino nos números, que terão que passar ainda pelo crivo do Tesouro Nacional.
O modelo financeiro é esperado com expectativa pelo setor privado. A outorga fixada para cada um dos aeroportos é o valor mínimo do lance.
A previsão do governo é que o investidor ofereça mais que o dobro para Guarulhos. Ou seja, poderá passar dos R$4 bilhões.
O lance mínimo baixo em Brasília se deve à peculiaridade do aeroporto, que virou um importante hub (centro de distribuição de rotas), com conexões para 44 cidades em todas as regiões, mas não é tão lucrativo.
Teve em 2010 receita de R$130 milhões, a menor dos três. O primeiro da lista é Guarulhos, com R$770 milhões, seguido por Viracopos com R$264 milhões.
Também já está certo que a participação da Infraero nas Sociedades de Propósito Específico (SPEs), que assumirão a gestão dos aeroportos, deverá ser a mesma nos três terminais.
As regras permitem até 49%, mas, na última versão da documentação, a fatia foi fixada pela União em 45%.
Com a entrada do sócio privado, a Infraero terá que investir menos do que o programado para os aeroportos da Copa.
Segundo estimativas, a cada R$1 aplicado, a estatal terá que investir só R$0,15. O cronograma prevê investimentos de R$3 bilhões nos três aeroportos até 2014.
O objetivo é que a Infraero use parte dos dividendos para investir em outros terminais da rede. Já o dinheiro da tarifa adicional, a ser cobrada sobre a receita bruta de cada aeroporto, será destinado ao desenvolvimento dos terminais regionais.
Segundo a minuta, essa tarifa poderá ser ainda maior se a renda bruta do aeroporto for superior ao teto definido pelo governo. No caso de Guarulhos, poderá chegar a 15%; em Viracopos, a 7,5%; e em Brasília, a 4,5%.

Empresas aéreas estão fora do leilão

Os investimentos previstos para o setor privado no modelo financeiro são o mínimo exigido para ampliar a infraestrutura. As regras preveem gatilhos que serão disparados segundo a demanda.
Entre os investimentos obrigatórios estão a construção de um terceiro terminal de passageiros em Guarulhos e ampliação de pátio e pista.

Em Brasília, um novo terminal, segundo viaduto, com aumento da capacidade de pátio e pista. Já Viracopos requer uma intervenção geral.

As companhias aéreas, que não poderão participar do leilão, terão que cobrar uma tarifa extra de R$7 por passageiro em conexão nos voos domésticos e internacionais.

Segundo Wagner Bittencourt, os compromissos assumidos pela Secretaria de Aviação Civil, como a divulgação da minuta do edital do leilão, foram cumpridos no prazo, mas é possível que outros órgãos envolvidos no processo, como o TCU, demorem a se manifestar, atrasando o evento.
- Não é impossível fazer (o leilão na data), mas não gostaria que a gente usasse isso como um instrumento de pressão sobre outras instituições.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Azul amplia frota com novo modelo

10/10/2011 - Webtranspo

O modelo vai entrar em atividade em novembro

A Azul Linhas Aéreas incorporou o primeiro avião ATR 72-600 a sua frota. A cerimônia de entrega aconteceu na fábrica da ATR, em Toulouse na França e marcou o iniciou a série de 30 aeronaves encomendadas até 2015 pela companhia brasileira. O novo modelo deve entrar em operação no próximo mês de novembro.

Existe ainda a expectativa de que até o final do ano, mais dois ATR72-600 sejam incorporados à malha. A companhia tem ainda mais dez opções de compra do novo modelo.

Segundo a Azul, os aviões turboélices darão suporte à expansão das operações regionais, que hoje são servidas por uma frota de oito ATRs 72-200.
Em conjunto com uma frota de 33 jatos da família Embraer 190/195, a Azul está presente em mais de 40 destinos no Brasil em menos de três anos de operações e já detém quase 10% participação do mercado doméstico de aviação.

“O Brasil é um mercado muito dinâmico e estamos convencidos de que o desempenho da ATR nos trará oportunidades de expansão no mercado brasileiro e, também, na América Latina” disse Felippo Bagnato, CEO da ATR.

A empresa optou por esses modelos pelas características que oferecem de 45% a menos do que as demais aeronaves em operação no País. Além disso, seu baixo consumo de combustível gera até 50% menos CO2 que outros aviões regionais, o que contribuiu para a escolha do modelo pela Azul.

 

TAF Linhas Aéreas

TAF Linhas Aéreas

A TAF encontra-se inoperante e em 2010 operou regularmente somente no mês de janeiro, quando transportou 1.573.789 Toneladas de Carga Paga por Quilômetro, com 46,55%.
Sua frota de 1 Boeing 727-200F e 4 Cessna 208, sendo um da versão 208A e três da versão 208B, encontra-se parada.


Em 1957 o Cmte Ariston Pereira de Araujo fundou a TAF. A pequena empresa estava sediada no Aeroclube de Fortaleza e prestava serviços de táxi aéreo. Em 7 de outubro de 1980 a TAF recebeu sua primeira aeronave Embraer 110.
Em 1992 apareceu no cenário regional de aviação com uma frota de dois Cessna 208 Caravan e dois Embraer 110 que operavam as linhas da Rede Postal Noturna nas cidades de Recife, Fortaleza, João Pessoa, Natal, Juazeiro do Norte e Sobral.
Em 1º de março de 1995 foi declarada linha aérea regular em 17 de março de 1996 passou a se chamar TAF Linhas Aéreas S.A.
Em 1998 a empresa operou passageiros somente na linha Juazeiro do Norte – Sobral – Iguatu. Em 1999 começou a sofrer concorrência da Nordeste Linhas Aéreas e da Varig, consequentemente cancelando seus vôos em Picos, Recife e Teresina. No ano 2000, mais precisamente no dia 20 de junho, a TAF recebeu um Boeing 737-248C para transporte de passageiros e carga que juntou-se a frota de 5 Cessna 208 e 4 Embraer 110.
Em 2001 suspendeu definitivamente seus vôos com passageiros e se dedicou ao transporte de cargas dos correios. Dois de seus Embraer 110 foram retirados de operação.
Em 2002 recebeu seu segundo Boeing 737-200 Cargo para operar na linha Recife – Natal – São Luis – Teresina – Brasília – Rio de Janeiro. Retirou um Cessna 208 da frota em 2002. Em 2003 a empresa pegou gosto pelo transporte de cargas e passou a atender as cidades de Goiânia e São Paulo com a chegada de outro Boeing 737-200.
Em 2004 recebeu um Boeing 727-228 para incluir no segmento cargueiro. No ano seguinte retomou os vôos regulares e passou a atender também uma linha internacional, na cidade de Caiena, na Guiana.

Em setembro de 2007 lançou um vôo aos finais de semana na rota Recife – Fortaleza – Belém – Manaus – Aruba, com Boeing 737-200. Desde maio de 2009 voltou a se dedicar ao transporte de cargas.

Website: http://www.voetaf.com.br
Fundação: 1957 e operação regular em 01/03/1995
Frota atual: 03 Cessna 208 Caravan, 01 Cessna 208B Caravan, 01 Boeing 727-222F,01 Boeing 727-227F, 01 Boeing 727-228, 01 Boeing 727-2J7F,01 Boeing 727-2M7F, 01 Boeing 737-232
Ano fiscal: Dezembro


Tagged with: taf linhas aéreas
O Estado de S.Paulo
Aviação executiva migra para Jundiaí
A 60 km da capital, aeroporto da cidade vira opção mais barata e prática para empresários, diante das limitações de Congonhas
09 de outubro de 2011 | 3h 01
NATALY COSTA/ JUNDIAÍ - O Estado de S.Paulo

Com o esgotamento das pistas de Congonhas e do Campo de Marte, a aviação executiva em São Paulo está mudando de endereço: o Aeroporto de Jundiaí, a 60 km da capital. Com uma só pista e sem terminal, o número de passageiros e aeronaves triplicou em cinco anos e transformou o antigo aeroclube em uma opção viável para quem tem aviões de pequeno porte e helicópteros.

No ano passado, foram 78 mil pousos e decolagens em Jundiaí, mais que o dobro das operações de aviação executiva em Congonhas (34 mil) e 63% do movimento total do Campo de Marte. Pilotos, empresários e passageiros têm a mesma explicação: o Aeroporto de Jundiaí é perto e prático, fica aberto 24 horas e até o pernoite dos aviões particulares sai mais barato.

O Aeroporto de Congonhas - limitado a quatro operações por hora para jatos executivos e helicópteros - não comporta mais a demanda executiva. "Demora para autorizar o pouso, demora na fila da decolagem. Todo dia um avião tenta pousar em Congonhas, não consegue e segue para cá", conta o piloto Antônio Vanderlei Gomes, que trabalha para um empresário paulistano que deixa o avião em Jundiaí.

A cidade não tem horário de pico, embora o sobe e desce de aeronaves fique mais visível nas manhãs e na sexta à tarde. Quando os aeroportos paulistanos fecham por causa de chuva e neblina, é para Jundiaí que os jatos convergem. "Se em São Paulo (o tempo) está ruim, aqui está bom", diz a gerente do hangar da Colt Aviation, Raquel Reis.

Infraestrutura. O aeroporto não tem terminal. Uma pequena sala de espera - com não mais que 12 cadeiras - no galpão do Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp) quase não vê gente. Há cinco anos, esse número de assentos era o que bastava às 2,5 mil pessoas que circulavam ali nos 12 meses do ano.

Atualmente, para atender uma demanda anual de 19,6 mil passageiros, são os hangares que precisam fazer as vezes de terminal: têm ar condicionado, água, comida, sofá, revistas. As secretárias cuidam de providenciar o traslado da capital até o aeroporto. O número de hangares saiu de 19 em 2006 e passou para 27 neste ano. No local também funcionam duas escolas de aviação.

Muitas dessas empresas saíram de Congonhas, aeroporto em que a "hangaragem" custa o dobro do preço, e levaram a clientela para Jundiaí. "Além de pagar mais barato pela hangaragem, a cidade tem localização estratégica. O acesso é fácil para a capital e para o interior", diz o empresário Wagner Pacífico.

Dono de uma companhia com sede na capital, Pacífico deixa o avião em Jundiaí. É algo cada vez mais comum, segundo o gerente comercial do hangar Japi, André Bernstein. "A maioria dos aviões é de São Paulo. Os hangares aqui já estão ficando cheios."

Só há dois anos o aeroporto ganhou uma torre de controle, essencial para a operação por meio de instrumentos. Segundo o Daesp, responsável pela administração, foram gastos R$ 4,5 milhões em obras de 2008 para cá.

sábado, 8 de outubro de 2011

Azul Linhas Aéreas recebe primeiro modelo ATR 72-600

07/10/2011 - O Estado de São Paulo

SÃO PAULO - A Azul Linhas Aéreas recebeu hoje uma aeronave ATR 72-600, que deve entrar em operação em novembro. Até o fim do ano, mais dois aviões desse modelo devem ser incorporados à malha. A companhia possui ainda mais 10 opções de compra desse turboélice.

Segundo comunicado, a Azul é a primeira aérea a receber o novo modelo da fabricante ATR na América Latina, e a segunda no mundo. A entrega foi realizada durante uma cerimônia na fábrica da ATR, em Toulouse, na França, com as presenças do presidente da Azul, Pedro Janot, e do presidente da fabricante, Felippo Bagnato.

Até 2015 há 30 aeronaves encomendadas pela Azul à ATR. Hoje, a frota conta com oito ATRs 72-200, que serão gradativamente devolvidos à fabricante conforme os novos modelos chegarem. A Azul também possui na frota 33 jatos da família Embraer 190/195.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Sete Linhas Aéreas divulga nova malha para região Norte

05/10/2011 - Panrotas

A Sete Linhas Aéreas emitiu hoje um comunicado informando sobre a reformulação da malha aérea no Pará. A empresa decidiu encerrar as operações em Santana do Araguaia e São Felix do Xingu. Além disso, os voos para Araguaína (TO) estão suspensos até dezembro deste ano, motivados por uma reforma na pista do aeroporto da cidade.

A aérea ainda divulgou que as cidades de Carajás e Ourilândia do Norte, ambas no Pará, estarão recebendo novos horários. Para mais informações: (62) 3096-7007 ou www.voesete.com.br.

Danilo Teixeira Alves

Aeroporto de Angra dos Reis será reformado e ampliado

06/10/2011 - O Globo - Paulo Roberto Araújo

ANGRA DOS REIS - Os governos federal e estadual vão investir R$ 12 milhões nas obras de reforma geral do Aeroporto de Angra dos Reis. Os recursos serão liberados ainda neste ano. A informação foi dada pelo ex-prefeito da cidade, o deputado federal Fernando Jordão (PMDB-RJ), depois do encontro do parlamentar com o secretário de Aviação Civil da Presidência da República, Wagner Oliveira.

Segundo Jordão, o aeroporto foi incluído no Programa Federal de Auxílio a Aeroportos - PROFFA. Os recursos (70% do PROFFA e 30% do estado) serão usados na ampliação da pista de pouso e construção do novo pátio de aeronaves, que dobrará de tamanho, construção de novas cercas de proteção na área operacional.

Com a reforma, o aeroporto terá ainda balizamento noturno e estações de telecomunicações aeronáuticas e de meteorologia. Também será construído um terminal de apoio marítimo que atenderá embarcações de hotéis e residências da região, permitindo conexão direta com o terminal de passageiros do aeroporto.

Ainda segundo Jordão, não foi difícil incluir Angra no Programa.

-- Argumentamos que a existência das usinas nucleares precisa ser levada em consideração, assim como o potencial do setor turístico dos municípios -- explicou.

A conclusão das obras do aeroporto de Angra dos Reis está prevista para acontecerem setembro de 2012.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Confins terá um aeroporto-indústria

05/10/2011 - Webtranspo

Infraero vai ser parceira desse novo complexo

Espaço funcionará como entreposto aduaneiroO Governo de Minas Gerais se reuniu com a Infraero para acertar a viabilidade de dois empreendimentos para alavancar as operações no Aeroporto Internacional de Confins. O primeiro é a construção de um novo terminal de passageiros e o segundo é a instalação do Aeroporto-Indústria.

Trata-se de um complexo especial que permitirá o funcionamento de uma zona de neutralidade fiscal, englobando a montagem, armazenamento, processamento logístico e manufaturação de produtos dentro da área do aeroporto, em um espaço que funcionará também como entreposto aduaneiro na exportação.

O edital de licitação para a concessão de área para a administração e exploração comercial de condomínio industrial logístico e centro empresarial logístico do Aeroporto-Indústria foi publicado nesta segunda-feira, 3.

A área concedida para o funcionamento do complexo será de aproximadamente 205,18 mil metros quadrados e já conta com o entreposto aduaneiro, em uma área de 8,16 mil metros quadrados O entreposto será operado e mantido pela Infraero, não fazendo parte da área a ser concedida.

“Com o empreendimento, a meta é incentivar o crescimento do comércio exterior brasileiro – em especial o de Minas Gerais – aumentando a competitividade no mercado internacional. Isso beneficiará organicamente a movimentação de cargas em Confins”, afirmou Mario Jorge de Oliveira, superintendente da Infraero na Regional Sudeste.

Azul já transportou 12 milhões no BR

05/10/2011 - Webtranspo

Desde 2009, a empresa conecta 40 cidades 

Perto de completar três anos de vida, a companhia Azul Linhas Aéreas anunciou o alcance da marca de 12 milhões de passageiros transportados no território nacional. A celebração aconteceu no Aeroporto Internacional Santa Genoveva, em Goiânia.

Miguel Guazzelli de Araújo, natural de Limeira (SP), bateu a marca da companhia e ganhou um ano de passagens grátis com direito a acompanhante e o título de "Cliente Milhão". Empresário e engenheiro de profissão já fez mais de 20 viagens com a Azul.

“Chegar aos 12 milhões de clientes em quase três anos de operações nos mostra que o trabalho está sendo bem feito e estão percebendo isso. Estamos orgulhosos em premiar mais um usuário, que está ao nosso lado, contribuindo para o sucesso de nossa companhia”, destacou Antônio Américo, diretor Comercial da Azul.

Para celebrar essa marca a companhia adesivou um jato Embraer E-190 com o número símbolo da festa, que poderá ser visto nos aeroportos brasileiros.

Ao todo, a empresa conecta 40 destinos - 39 cidades, com 300 voos diários. Somando-se às oito linhas de ônibus, são 45 cidades brasileiras conectadas pela companhia. Atualmente opera uma frota de 31 jatos modelo 190 e 195 da Embraer e oito ATR 72-200.
 
Aeroporto de Cabo Frio (RJ) tem novo acionista majoritário
O Grupo Libra adquiriu 60% das ações do Aeroporto Internacional de Cabo Frio, no Rio de Janeiro. Outros cinco sócios, todas Pessoas Físicas, são proprietários do primeiro aeroporto público com gestão privada no País.

Essa compra marca a entrada da empresa Libra no segmento aeroportuário e permite a integração com os demais negócios da companhia. O aeroporto possui estrutura para operar voos internacionais de carga e passageiros.

A localização é estratégica, atendendo às indústrias da região Sudeste e o turismo da Costa do Sol fluminense, além de estar próximo às bacias de Campos e de Santos, importantes polos produtores de petróleo.

O terminal de passageiros comporta até 350 mil pessoas por ano e oferece os serviços de alfândega e imigração.

Usuário deve pagar mais uma taxa em aeroportos

05/10/2011 - O Globo

Terminais de Brasília, Guarulhos e Viracopos cobrarão R$ 7 por passageiro para cobrir serviços das novas concessionárias
Geralda Doca
geralda@bsb.oglobo.com.br

● BRASÍLIA. O governo criou uma tarifa de conexão de R$ 7 sobre os passageiros que farão conexão nos aeroportos de Guarulhos (SP), Brasília e Viracopos (Campinas), nos embarques doméstico e internacional. A nova taxa, segundo os editais de concessão que estão em consulta pública, será cobrada das companhias aéreas e, provavelmente, repassada para os preços das passagens.

De acordo com os editais, a finalidade da tarifa de conexão é cobrir os serviços que o novo concessionário prestará aos usuários nas pontes de embarque e desembarque. São exemplos uso de carrinhos para transporte de bagagens, inspeção de raios-X, ônibus e área de restituição de bagagem.

Tarifa visa a atrair investidores privados

Um dos principais argumentos do governo para criar a nova tarifa foi a necessidade de tornar o aeroporto de Brasília mais atraente aos investidores privados. Segundo dados da Infraero, cerca de 40% do volume de passageiros do terminal são de conexão para outros destinos. São atendidas 44 cidades em todas as regiões. Em 2010, passaram pela capital federal 14 milhões de usuários e a demanda projetada para o aeroporto em 2014 é de 21,3 milhões.

A alegação é que os passageiros de conexão utilizam as instalações do aeroporto, sem pagar por isso. A tarifa de embarque é cobrada apenas na origem. Outra justificativa é que a medida visa a corrigir uma distorção, pois a maioria dos aeroportos internacionais cobra um adicional sobre as conexões.

— Atualmente, Brasília é apenas um importante hub (centro de distribuição de rotas) — disse um técnico do governo.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Gol conclui aquisição da Webjet pelo valor total de R$ 70 milhões

03/10/2011 - O Estado de São Paulo

O valor pago é inferior aos que a companhia havia anunciado no início de julho, quando informou sobre o fechamento do acordo

Agência Estado

SÃO PAULO - A Gol informou há pouco que concluiu hoje a aquisição de 100% do capital social da Webjet Linhas Aéreas. Com isso, ressalta a companhia aérea em fato relevante, a empresa, por meio de sua subsidiária VRG Linhas Aéreas, passa a ser titular da totalidade do capital social da Webjet. O preço pago pela aquisição foi de R$ 70 milhões, "sujeito ainda a ajustes menores, o que será apurado nos próximos 70 dias", disse a Gol.

O valor pago é inferior aos que a companhia havia anunciado no início de julho, quando informou sobre o fechamento do acordo. Na ocasião a Gol divulgou que pagaria R$ 96 milhões pela Webjet e assumiria dívidas de aproximadamente R$ 215 milhões.

A conclusão da compra da Webjet pela Gol se seguiu à aprovação do negócio pela diretoria colegiada da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), no último dia 20. Conforme a agência reguladora, a decisão avaliou apenas o aspecto financeiro da operação, ou seja, foi aprovado que a Gol assuma a administração da Webjet. Ainda falta obter o sinal verde do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Depois disso, será necessário que o caso retorne à Anac, para que a aquisição seja analisada sob o ponto de vista técnico. Só então, a Gol poderá colocar em prática ações como a extinção da marca Webjet e o uso dos slots (autorizações de voos nos aeroportos para cada empresa aérea) da companhia adquirida.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Com Jato 190, Trip inaugurará novas rotas a partir de 16 de outubro

03/10/2011 - Mercado e Eventos

A Trip Linhas Aéreas receberá o 8º Jato 190 de sua frota. A aeronave começa a realizar as novas rotas a partir de 16 de outubro, em voos que incluem as cidades de Salvador (BA), Belo Horizonte (MG), Guarulhos (SP), Montes Claros (MG) e Palmas (TO).  Com o início das operações do jato Embraer – 190, pela primeira vez Palmas (TO) terá um voo direto para São Paulo (Guarulhos), permitindo diversas conexões, inclusive com voos internacionais.

Montes Claros (MG) também terá uma ligação inédita e direta com Salvador (BA). Já o hub da empresa em Belo Horizonte, contará com voos diretos para Guarulhos, Montes Claros e Salvador, ampliando as conexões entre os voos da companhia no aeroporto de Confins. Salvador passa a estar conectada a São Paulo (Guarulhos) e Palmas e a ter duas freqüências diárias para Belo Horizonte.

A nova rota permite ainda que passageiros provenientes de voos internacionais que chegam ao aeroporto de Cumbica (Guarulhos), façam conexões para Palmas, Belo Horizonte e Montes Claros.

Passaredo suspende voo para Araguaína - TO

03/10/2011 - O Popular

Entre os dias 12 de outubro e 22 de dezembro, a empresa Passaredo Linhas Aéreas irá suspender suas operações em Araguaína, no Tocantins devido a reforma na pista do aeroporto da cidade. Atualmente a companhia aérea liga a cidade do norte do estado do Tocantins a Goiânia, Curitiba, Cuiabá, São Paulo, Uberlândia, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Ji-Paraná.

De acordo com a Passaredo, os passageiros que já adquiriram passagens para este período poderão remarcar o bilhete para outra data sem multa ou diferença tarifária. Além disso, os clientes que preferirem serão reacomodados ou terão o valor integral do bilhete devolvido.

Sala de embarque do Aeroporto de Joinville é ampliada

03/10/2011 - Infraero
 
      A Infraero concluiu no mês de setembro as obras de ampliação da sala de embarque do Aeroporto de Joinville/Lauro Carneiro de Loyola (SC). Com investimento de R$ 184,5 mil, as melhorias possibilitaram a ampliação do espaço em 60 m², a instalação de novos assentos e mudanças no layout do canal de inspeção de passageiros.
 
      A área recebeu 72 novos assentos, ampliando para 140 o número de lugares disponíveis. Além disso, para agilizar a movimentação de passageiros, a área de inspeção foi alterada, ganhando um “corredor” que permite uma melhor organização do fluxo e rapidez nos processos. Em breve, a sala de embarque também receberá uma lanchonete. A licitação para concessão de uso da área já foi concluída e, num prazo de 15 dias, os passageiros poderão contar com mais essa facilidade.
 
      “São pequenas mudanças que contribuem significativamente para ampliar o nível de conforto dos passageiros”, destacou o superintendente do Aeroporto de Joinville, Rones Heidemann.


   Assessoria de Imprensa - Infraero
   imprensa@infraero.gov.br
   twitter.com/canalinfraero

Nova norma incentiva comércio a bordo

03/10/2011 - Valor Econômico

Por Alberto Komatsu e Zínia Baeta

Uma norma do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), publicada no início de agosto, deve incentivar o aumento de vendas a bordo de voo nacionais, já em curso na Gol e Webjet, com lanches, e na TAM, que testa um projeto piloto pioneiro de comercialização de produtos como relógios e perfumes em voos domésticos.

Esse tipo de comércio que, até então, não tinha qualquer tipo de regulamentação, conta agora com autorização de todos os Estados do país para ser promovido. A anuência está no Ajuste Sinief número 7 do Confaz - órgão que reúne representantes de todas a Secretarias de Fazenda dos Estados.

A medida traz mais segurança para as empresas, pois sem previsão legal para as vendas, qualquer operação realizada a bordo estaria sujeita a questionamento dos Fiscos estaduais, que poderiam multar as companhias aéreas.

A TAM iniciou um projeto piloto em setembro do ano passado para a venda de mercadorias em cinco voos, três para Fortaleza e cinco para Recife, com partidas do Aeroporto Internacional de Guarulhos (Cumbica). Como esse serviço foi implementado antes do ajuste do Confaz, a TAM informa que se adequou a uma norma dos anos 70 que regula a venda de mercadorias "fora do estabelecimento".

Batizado de "Fly Shopping", essa novidade oferece aos passageiros 30 produtos, como perfumes, relógios, canetas, doces e artigos infantis. A TAM informou que "estuda a ampliação deste serviço" e que os resultados dele "estão de acordo com as nossas expectativas". Nos voos internacionais, a TAM oferece "duty free" - venda de produtos livres de impostos - desde 2002.

A Gol informou que ainda não tomou a decisão de vender mercadorias nos voos domésticos, mas acrescentou que essa pode ser uma possibilidade no futuro, já que "está sempre avaliando oportunidades que agreguem benefícios aos clientes e resultado ao negócio".

A venda de perfumes e relógios, entre outros produtos na TAM, faz parte das chamadas receitas auxiliares, que incluem também transporte de cargas e de janeiro a junho somaram R$ 1,06 bilhão, ou 26% da receita bruta da empresa. No mesmo período do ano passado, o faturamento com outros tipos de receitas, que não a venda de passagens, foi de R$ 965 milhões.

Na maioria das empresas aéreas, a tendência é a de aumentar os ganhos com outros tipos de produtos, garantia de mais rentabilidade diante da intensa disputa por passagens mais baratas.

A TAM iniciou esse projeto antes do ajuste Sinief, em parceria com uma terceira empresa que é a dona dos produtos. Segundo a TAM, a emissão de documentos fiscais fica a cargo dessa empresa e a TAM recebe uma comissão.

Os advogados tributaristas Paulo Sigaud e Enrique Abreu Lewandowski, sócio e advogado associado ao Aidar SBZ, respectivamente, afirmam que a norma prevê a tributação do ICMS dos produtos vendidos a bordo para o Estado de origem do voo.

A discussão sobre a qual Estado pertenceria o imposto das vendas aéreas era uma das principais questões sobre o tema, agora solucionada pelo Confaz. Outro ponto da discussão, de acordo com Sigaud, seria a necessidade de um sistema de emissão de notas fiscais seguro para uso no espaço aéreo. O problema, como afirma, foi resolvido. A norma do Confaz autoriza as companhias a utilizarem equipamentos eletrônicos portáteis acoplados a uma impressora térmica para a emissão do documento fiscal.

Segundo ele, esses equipamentos devem ser reconhecidos pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e pelas secretarias de fazenda dos Estados.

"Essa é uma situação adaptada à atualidade", comenta o advogado Marcelo Jabour, diretor da Lex Legis Consultoria tributária. Ele explica que o sistema estabelecido para as vendas aéreas é muito parecido com o que já existe para as vendas "porta a porta", cujo convênio do Confaz que trata do tema é de 1970.

O advogado tributarista Carlos Eduardo de Arruda Navarro, do escritório Machado Associados, diz que a norma do Confaz só começa a valer nos Estados que publicarem um decreto nos respectivos Diários Oficiais. Segundo ele, apenas o Espírito Santo fez essa publicação.

Navarro lembra do convênio do Confaz de 1970 e diz que as empresas que já fazem a venda de mercadorias a bordo buscaram respaldo nessa norma. "Neste caso, emite-se a nota fiscal de todas as mercadorias no local de origem delas. Quanto o voo retorna, deve haver uma emissão de nota fiscal de entrada dos produtos que não foram vendidos", diz ele.

A Gol iniciou a venda de lanches a bordo em junho de 2009. Em outubro de 2010, esse serviço foi ampliado para 37 voos, todos com origem no Aeroporto de Cumbica. Atualmente, são 84 frequências por dia. A venda de lanches a bordo faz parte das receitas auxiliares da Gol, que no segundo trimestre responderam por 12% da receita líquida total da companhia.

Governo define prazos para aeroportos

01/10/2011 - Estado de Minas

O consórcio vencedor do leilão do aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo, ficará responsável pela administração do negócio por 20 anos. No caso de Brasília, a outorga valerá por 25 anos e, no de Campinas, interior de São Paulo, por 30 anos. Estes prazos, antecipados ontem pela Agência Estado, foram divulgados na minuta do edital publicada na edição extra do Diário Oficial da União dessa sexta-feira e disponível apenas hoje na internet.

De acordo com o documento que está sob responsabilidade da Secretaria de Aviação Civil (SAC), será aceita prorrogação do contrato por mais cinco anos no caso de ficar demonstrada a necessidade de recomposição do equilíbrio econômico-financeiro da operação. Esse aditivo precisa, porém, receber o aval da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Ainda que o ministro da SAC, Wagner Bittencourt, não tenha revelado a data do leilão, a perspectiva é de que ocorra no dia 22 de dezembro deste ano e que a empresa vencedora assuma o negócio a partir de abril ou maio de 2012. Ganhará a disputa quem pagar o maior valor.

No ano que vem, serão confeccionados os editais para concessão dos aeroportos de Confins, em Belo Horizonte, e Galeão, no Rio de Janeiro. Em agosto, foi realizada a primeira concessão de um aeroporto, de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte.

sábado, 1 de outubro de 2011

Viracopos pode receber superjumbo A380

30/09/2011 - Webtranspo

Aeronave tem capacidade para 800 passageiros

Avião será operado na rota São Paulo-Dubai.As pistas do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, no interior paulista, podem receber o superjato A380, da Airbus, com capacidade para 800 passageiros. Esta possibilidade existe porque a companhia aérea Emirates possui autorização para aterrissar em Guarulhos, no entanto para a realização de voos, a Infraero exige que haja duas rotas alternativas ao terminal de Cumbica, e uma dessas seria Viracopos.

Apesar do nome do aeroporto campineiro surgir com força, assim como o do Galeão, no Rio de Janeiro, não há nada confirmado. Além disso, ainda que aconteça a liberação desses, não significa que as operações com A380 serão imediatamente implantadas. Assim não há uma previsão para que a rota São Paulo-Dubai (no Emirados Árabes Unidos) seja realizada com o superjumbo.

A companhia ainda estuda a implantação deste novo jumbo no País, principalmente sua viabilidade econômica. Somado a este fator, a empresa ainda necessita que outras aeronaves do modelo sejam entregues, uma vez que as 15 que possui já estão em operação em outras rotas. A perspectiva é que até o fim de 2019, a Emirates receba mais 75 unidades do modelo.

Atualmente, as taxas de ocupação dos voos para Dubai são de 80%, número avaliado positivamente por Ralf Aasmann, diretor-geral da companhia aérea no Brasil. Contudo, o número de passageiros com destino final para os Emirados Árabes Unidos é de apenas 10%.

Para fomentar o turismo para o país, a empresa lançou uma promoção na qual os brasileiros podem fazer escala em Dubai, sem custo adicional, com o hotel a U$ 39 por noite, outra vantagem são descontos em lojas parceiras. “Dubai, apesar de ser um destino de luxo, também é um destino acessível, lembrando que a cidade tem cinco unidades da rede Ibis, por exemplo. Quem vai a Dubai não precisa ficar em um hotel de US$ 2 mil a US$ 3 mil por noite” afirma Aasmann. Os preços de São Paulo-Dubai são de, inicialmente, U$ 1.800.

Tags:aeroporto internacional de viracopos a380 airbus emirados árabes unidos emirates superjumbo